Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

Brasil

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Neurotoxicidade relacionada ao uso de oxaliplatina

Brito, Fernanda Rodrigues.
Ribeirão Preto; s.n; 2014. 30 p.
Tese em Português | SESSP-CTDPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ACVSES, SESSP-PAPSESSP, Sec. Est. Saúde SP | ID: ses-31789
Neoplasia é a expressão utilizada para indicar alterações celulares que produzem um crescimento exagerado dessas células. Essas alterações podem ser benignas ou malignas, sendo que o câncer é um tipo maligno. O tratamento para o câncer é baseado em inibir a proliferação excessiva de células neoplásicas, podendo abranger três tipos principais de métodos: cirurgia, radioterapia e a quimioterapia. Este último é o método que usa compostos químicos, chamados quimioterápicos, na terapêutica de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é conhecida como quimioterapia antineoplásica ou antiblástica. Dependendo da fase da doença, dois ou até três esquemas terapêuticos podem ser ajustados ao mesmo tempo ou de forma sequencial. Dentre os antineoplásicos a oxaliplatina, objeto deste estudo, vem se destacando por ser a primeira linha de tratamento de diversos tipos de câncer. Seus efeitos antitumorais aumentam o seu uso em combinação com outros agentes antineoplásicos. Entretanto, a neurotoxicidade, apesar de ser na maioria das vezes reversível, parece ser o efeito colateral que mais atrai atenção. A toxicidade neurológica devido à terapia com a oxaliplatina dependendo do grau de intensidade causa muito desconforto e promove limitação das dosagens e continuação do tratamento. Essa neurotoxicidade pode ser dividida em duas síndromes distintas. A primeira é de fase aguda, devido à hiperexcitabilidade transitória dos nervos periféricos. Já, a segunda síndrome, conhecida como neuropatia sensorial periférica ocorre principalmente nas extremidades distais. Esta forma de neurotoxicidade possui implicações clínicas mais importantes, e podem durar vários meses, resultando em uma perturbação grave da função. Desta forma, o objetivo do presente estudo foi revisar artigos acerca de pesquisas realizadas sobre a neurotoxicidade ocasionada pela quimioterapia utilizando oxaliplatina com o intuito de auxiliar na... (AU)
Biblioteca responsável: BR91.2
Localização: BR91.2; WA20, CDRPAP446
Selo DaSilva