Your browser doesn't support javascript.

BVS IEC

Instituto Evandro Chagas

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Ciclo biológico de Rhodnius stali Lent, Jurberg & Galvão, 1993 e Rhodnius pictipes Stål, 1872 (Hemiptera, Reduviidae, Triatominae) em condições de Laboratório

Peixoto, Solange Ribeiro.
Tese em Português | ARCA | ID: arc-12873
Passado mais de um século da sua descoberta a doença de Chagas (DC) ou tripanossomíase Americana é uma enfermidade para a qual ainda não existe vacina ou fármaco eficaz para o seu tratamento. Desta forma, o controle vetorial ainda permanece sendo uma das melhores estratégias. Assim, conhecer os parâmetros biológicos das espécies silvestres que possam atuar como vetores nas áreas endêmicas são primordiais para o fornecimento de informações que nortearão as ações da Secretária de Vigilância em saúde (SVS) no controle vetorial. Rhodnius stali Lent, Jurberg & Galvão vetor da doença de Chagas, domiciliado na região do Alto Beni, Bolívia é uma espécie com a biologia pouco conhecida. Com o objetivo de ampliar o conhecimento acerca de sua biologia, observamos parâmetros de seu ciclo de vida, nos estádios de ninfas, comparando-os com Rhodnius pictipes Stål, 1872, espécie morfologicamente semelhante e filogeneticamente próxima Os seguintes parâmetros foram observados: tempo de eclosão dos ovos, ciclo de biológico de ovo-adulto (em machos e fêmeas separadamente), taxa de mortalidade, primeiro repasto sanguíneo realizado e volume de sangue ingerido pelas ninfas. De maneira geral observou-se que as fêmeas de Rhodnius stali possui um ciclo de vida mais longo do que Rhodnius pictipes e, em ambas as espécies, o tempo entre a eclosão dos ovos até a fase adulta é menor em fêmeas. Curiosamente para R.stali, que é sabiamente capaz de colonizar domicílios, foi observada uma taxa de mortalidade das ninfas mais alta que em R.pictipes, algo inesperado para a espécie que coloniza estruturas artificiais e foi observada em ambiente artificial. Para Rhodnius stali o primeiro repasto sanguíneo ocorreu, em média, quatro dias mais tarde do que em R.pictipes Deve-se levar em consideração, que antes da descrição R.stali, os dados obtidos sobre a biologia de R.pictipes devem ser considerados com reserva, já que ambas poderiam ser facilmente confundidas