Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

BVS - Literatura Científico-Técnica

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Concepções de profissionais de educação e saúde sobre Educação Inclusiva: reflexões para uma prática transformadora / Concepciones de los profesionales de la educación y de salud acerca de la Educación Inclusiva: reflexiones para prácticas transformadoras / Conceptions of education and health professionals on Inclusive Education: reflections for transforming practices

Bartalotti, Celina Camargo; Yonezaki, Cristiane; Nascimento, Vanessa do; Correa, Marina Bradaschia; Almeida, Renata Zaghetto de; Manoel, Mariana Custódio; Carvalho, Mariana Guedes de; Alvarez, Ana Paulo F. O.
Mundo saúde (Impr.); 32(2): 124-130, abr.-jun. 2008.
Português, Espanhol | ACERVO | ID: mis-18948
A Inclusão de pessoas com deficiências tem sido tema de discussões e estudos, particularmente no campo da Educação, frente à realidade legal que garante a essa parcela da população o direito de freqüentar escolas regulares, independente de suas peculiaridades. Para a melhor compreensão desse campo, delineia-se essa pesquisa, que teve por objetivo apreender concepções de educação inclusiva de profissionais de educação e saúde, para levantar indicativos de ações favorecedoras da construção de uma escola para a diversidade. Teve como sujeitos 90 educadores atuantes em Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, da rede pública e particular de ensino, e 50 profissionais da saúde (terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, médicos, enfermeiros, psicólogos) que têm atuação ligada a pessoas com deficiência. A amostra foi definida a partir do princípio de saturação teórica. Os dados foram coletados por um questionário, no qual se perguntava ao sujeito se era contra a inclusão de alunos com deficiência na escola regular, a favor ou a favor com restrições, e porquê. A partir da resposta à pergunta: por quê?, foram elaboradas as seguintes categorias de análise (a posteriori): direito, concepção de deficiência, apoio, formação, atitude e estrutura. A análise das respostas dos sujeitos aponta para uma concepção de deficiência como doença e um olhar para o aluno com deficiência como um problema que a escola não estaria preparada para enfrentar. Conclui-se que os trabalhos para a construção de uma escola inclusiva devem passar, necessariamente, por ações que visem a mudar concepções sobre deficiência. PALAVRAS-CHAVE: Pessoas portadoras de deficiência-educação. Educação inclusiva. Educação especial
Biblioteca responsável: BR599.1
Localização: BR599.1