Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

BVS - Literatura Científico-Técnica

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Considerações acerca das condições de vida das pessoas com deficiência a partir de um levantamento em uma unidade básica de saúde de um bairro periférico do município de São Paulo / Considerations about the conditions of life of disabled people from a basic unit of health of an outlying area of the municipality of São Paulo / Consideraciones acerca de las condiciones de vida de las personas con discapacidad desde un levantamiento en una unidad básica de salud de un barrio periférico del municipio de São Paulo

Aoki, Marta; Oliver, Fátima Corrêa; Nicolau, Stella Maris.
Mundo saúde (Impr.); 35(2): [169-178], 2 mar. 2011.
Português | LILACS | ID: mis-32832
Trata-se de diagnóstico situacional da condição de vida de pessoas com deficiência, desenvolvido por parceria entre uma unidade de saúde e umauniversidade, que subsidiou a criação de alternativas assistenciais em reabilitação no contexto comunitário. A partir de dados de agentes comunitários de saúde, foram identificadas 53 pessoas com deficiências física, intelectual e sensorial. Dessas, 48 foram entrevistadas (9 crianças, 27 adultos e 12 idosos) e convidadas a referir sobre: idade, tipo de deficiência, condições de saúde, reabilitação, escolaridade, trabalho, renda, lazer, participação comunitária e rede social. Prevaleceram os adultos (27 sujeitos) entre 18 e 60 anos, com deficiências físicas e intelectuais. A maioria de mulheres remete à reflexão sobre a condição feminina e suas menores oportunidades de participação social. Entre as crianças, destacaram-se aquelas com sequelas de encefalopatia crônica. Crianças e adolescentesestavam inseridos no ensino regular, porém com problemas no aproveitamento escolar. Os adultos apresentaram baixo grau de escolaridade e experiências detrabalho que exigem pouca qualificação. Das famílias entrevistadas, 32 dependem de aposentadorias e benefícios assistenciais e muitas estão em situação de pobreza. Observou-se a fragilidade da rede de apoio social, reduzida à família nuclear, e o isolamento domiciliar é um dado importante. Percebeu-se dificuldadede acesso a serviços de saúde e reabilitação. O diagnóstico apoiou a implementação de estratégias de intervenção, como: atendimentos domiciliares, grupos de convivência, atividades para promoção do acesso a direitos e para integração às atividades culturais. Conhecer o perfil dessa população é um dos pressupostosdo trabalho territorial em reabilitação e da implementação de políticas públicas.(AU)
Biblioteca responsável: BR599.1