Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

BVS - Literatura Científico-Técnica

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Adhesion to antihypertensive drug terapy in primary health care in a medium-sized Brazilian city / Adesão à terapia medicamentosa anti-hipertensiva na atenção primária de saúde em um município brasileiro de médio porte

Souza, Alcione Oliveira de; Ramos, Rubiana Neves; Oliveira, Thaynara de; Ramos, Edivan Rodrigues de Paula; Maasuda, Ely Mitie.
Mundo saúde (Impr.); 43(1): [025-044], out., 2018. tab
Inglês, Português | LILACS | ID: mis-40206
O objetivo desse estudo foi identificar a adesão à terapia medicamentosa anti-hipertensiva e associar com fatoressociodemográficos e estilo de vida adequado para saúde de hipertensos. A adesão foi determinada pelo teste Morisky-Green e a percepção do estilo de vida pelo questionário Estilo de Vida Fantástico. Os questionários foram aplicados a401 hipertensos das 29 Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Maringá-Paraná. A associação da adesão à terapia comas variáveis sóciodemográficas e a percepção do estilo de vida foi determinada por regressão logística. A prevalênciade adesão à terapia anti-hipertensiva foi de 37,7%. As chances de adesão à terapia foram menores para os hipertensossolteiros (p=0,0284*), com sobrepeso (p=0,0039*) ou obesidade (p=0,0110*) e tempo de retorno a UBS superior aseis meses (p=0,0408*). Para o sexo feminino (p= 0,0032*) e aos que auto relataram percepção de estilo de vida“bom” (p=0,035*) as chances para adesão à terapia anti-hipertensiva foram maiores. Os resultados apontam para aimportância dos determinantes biopsicossociais, que podem subsidiar políticas, estratégias e ações para melhorar aadesão às terapias medicamentosas anti-hipertensivas no nível local e ampliar para os níveis regional e nacional(AU)
Biblioteca responsável: BR599.1