Biblioteca Virtual em Saúde

BVS - Literatura Científico-Técnica

 
adicionar à sua lista
1.

Estudo comparativo entre duas escalas funcionais para pacientes com esclerose múltipla/ A comparative study between two functional scales in multiple sclerosis patients

Autor(es): Nogueira, Leandro Alberto Calazans; Nóbrega, Felipe Resende; Nogueira, Kátia; Thuler, Luiz Claudio Santos; Alvarenga, Regina Maria Papais
Fonte: Fisioter. Bras;9(2): 119-124, mar.-abr. 2008.
Artigo [ ID: 25268 ] Idioma(s): Português
Introdução: A esclerose múltipla (EM) é uma doença neurológica progressiva que tipicamente resulta em limitação funcional. Objetivo: Comparar escalas funcionais em pacientes com EM. Materiais e métodos: Foi realizado um estudo observacional no Hospital da Lagoa, Rio de Janeiro, em 71 pacientes. Foram coletadas as variáveis demográficas, avaliação funcional (Índice de Barthel – IB e Escala do Estado de Incapacidade - EEI); qualidade de vida; incapacidade; marcha; fadiga. Resultados: A média de idade foi de 40 anos, com duração média de doença de 8 anos. Foi observada uma maior correlação entre o EEI e as outras variáveis. A magnitude das correlações do EEI foi superior às do IB. A EEI foi a única escala que apresentou correlação com fadiga e se correlacionou mais com a qualidade de vida. Conclusões: A EEI se mostrou superior ao IB por se correlacionar com os principais comprometimentos dos pacientes, sendo mais completa e conter itens específicos da EM.(AU)
Introduction: Multiple Sclerosis (MS) is a progressive neurological disease that typically results in functional limitation. Objective: To compare functional scales on MS patients. Material and methods: An observational study was performed in Lagoa Hospital, Rio de Janeiro, on 71 patients. It was collected demographic variables, functional evaluation (Barthel Index Scale-BI and Incapacity Status Scale-ISS); quality of life; disability; gait and fatigue. Results: The mean age was 40 years, with average duration of illness of 8 years. It was observed greater correlation between the ISS and other variables. The magnitude of the ISS correlations was superior to the BI. The ISS was the only scale that shows correlation with fatigue and some dimensions of quality of life. Conclusions: The ISS was better than the BI because it is correlated with the main activities of patients, is more comprehensive and contains specific items to MS.(AU)
Localização: BR440.1