Your browser doesn't support javascript.
A Biblioteca Cochrane foi excluída da BVS por decisão da Wiley de não renovação da licença de uso com a BIREME. Saiba mais.

BVS Odontologia

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Comparação entre os implantes dentários e implantes ortopédicos / Comparison between dental implants and orthopedic implants ­ literature review

Elias, Carlos Nelson; Fernandes, Daniel Jogaib; Machado, Vagner de Oliveira; Almeida, Ana Caroline Crema de; Carvalho, Paulo Sérgio Perri de.
ImplantNewsPerio; 2(5): 851-860, set.-out. 2017. ilus
Artigo em Português | LILACS, BBO - odontologia (Brasil) | ID: biblio-877277

OBJETIVO:

revisar as semelhanças e diferenças entre os implantes dentários osseointegráveis e os implantes ortopédicos.

MATERIAL E MÉTODOS:

apesar da escassez de dados, foram construídos quatro tópicos: 1) materiais dos implantes osseointegráveis e ortopédicos; 2) técnicas cirúrgicas na Odontologia e na Ortopedia; 3) possíveis causas e efeitos do aquecimento; e 4) análise do insucesso dos implantes nas duas áreas.

RESULTADOS:

1) nenhum dos biomateriais metálicos usados na Ortopedia apresenta osseointegração conforme o conceito atualmente usado na Odontologia e, sob alto carregamento, estas ligas estão submetidas ao stress shielding em função do seu módulo de elasticidade ser muito acima do osso; 2) na Implantodontia, a estabilidade primária é fundamental e os procedimentos são mais delicados, enquanto na Ortopedia os implantes são cimentados (estabilizados) e os procedimentos ortopédicos são mais agressivos, estando entre os maiores índices de perdas advindas de complicações pós-cirúrgicas; 3) as condições de realização da cirurgia para inserção de implantes ortopédicos são mais críticas em relação aos dentários, devido ao maior volume de osso que é removido, maiores dimensões da prótese, menor vascularização do local e ausência de irrigação do meio durante a cirurgia, com temperaturas médias (70oC) acima do que se observa na Implantodontia odontológica (43oC); 4) a propensão ao insucesso nos implantes ortopédicos parece maior pela chance de carregamento 3-5 vezes maior em áreas corporais (quadril e joelho) que sustentam o peso do corpo.

CONCLUSÃO:

melhorias contínuas nos materiais, procedimentos e treinamento fornecerão taxa menor de reposição de implantes dentários e, especialmente, dos implantes ortopédicos.
Biblioteca responsável: BR510.1