Your browser doesn't support javascript.

Plataforma de Conhecimentos

PROGRAMA MAIS MÉDICOS

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Perspectivas dos médicos estrangeiros intercambistas individuais do Projeto Mais Médicos para o Brasil e o Código Global de Práticas de Recrutamento Internacional de Profissionais de Saúde da Organização Mundial da Saúde

Matos, Mateus Falcao Martins.
Projetos de Pesquisa em Português | Pesquisas PMM | Em andamento | ID: pesqpmm-92
Instituição do pesquisador: Não Universitária
Nome da instituição: Não informada
Resumo: Uma análise quantitativa será realizada por meio da resposta de um questionário com quatro perguntas. O desenho do Projeto se baseia nos seguintes passos: 1. Supondo que há aproximadamente 800 (intercambistas individuais) que serão convidados por e-mail para responder a um questionário; 2. As questões serão baseadas em "sim", "não" “indeciso/a” e serão analisadas por meio de variáveis nominais restritas as perguntas propostas; 3. Os dados e análise preliminares serão avaliados pelas respostas ao questionário. 4. O questionário será enviado aos participantes. Por meio da já aprovada liberação do Ministério da Saúde do Brasil para conceder o nome completo, Registro no Ministério da Saúde e correio eletrônico. 500 Municípios.
Objetivos: Obter análise preliminar para a avaliação de estratégias de fixação em relação aos participantes internacionais (INTERCAMBISTAS INDIVIDUAIS) do Projeto Mais Médicos para o Brasil sob a ótica do Código Global de Recrutamento de Profissionais da Saúde da OMS.
Tipo de pesquisa: Observacional
Abrangência: Nacional
Região: Sudeste
Cidade / Município: Não informada
Estado: Não informada
País: Brasil
Data de início: 01/01/2015
Data provável de finalização da pesquisa: 30/12/2016
Data de finalização da pesquisa: 30/12/2016
Equipe de pesquisadores: Matos, Mateus Falcao Martins; Oliveira, Felipe Proenço de; Ventura, Deisy de Freitas Lima
Fonte de Financiamento: Governamental
Taxonomia PMM: Cooperação Internacional
Referências bibliográficas onde a pesquisa foi publicada e/ou divulgada: BAHIA, L. A privatização no sistema de saúde brasileiro nos anos 2000: tendências e justificação. In SANTOS, N., R.; AMARANTE, P., D. C (orgs) Gestão Pública e Relação Público Privado na Saúde. Rio de Janeiro: Cebes, 2011. Disponível em: http://www.idisa.org.br/img/File/GC-2010-RL-LIVRO%20CEBES-2011.pdf . Último acesso: 31/08/2015.BARROS, P.P; MARTINEZ-GIRALT, X. Public and Private Provision of Health Care. Journal of Economics & Management Strategy, Wiley Blackwell, vol. 11(1), pages 109-133, 03. 2002.BRASIL- Portaria n° 278/ 2011. Ministério da Educação. Brasília, 2011. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/revalida/portaria/2011/portaria_n278_17032011_revalida.pdf . Último acesso: 31/08/2015.BRASIL- Presidência da República- LEI Nº 9.474, DE 22 DE JULHO DE 1997. Brasil, 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9474.htm . Último acesso: 31/08/2015.BRASIL- Presidência da República Medida provisória 621. Brasil, 2013(a). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20112014/2013/mpv/mpv621.html Último acesso em 02.09.2015.BRASIL- Presidência da República. LEI Nº 6.815, DE 19 DE AGOSTO DE 1980 Define a situação jurídica do estrangeiro no Brasil, cria o Conselho Nacional de Imigração. Brasil, 1980. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6815.htm . Último acesso: 30/08/2015.BRASIL. Portaria 30 SGTES/MS de 12 de fevereiro de 2014. Ministério da Saúde. Brasília, 2014. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sgtes/2014/prt0030_12_02_2014.html . Último acesso: 31/08/2015.BRASIL. Presidência da República Medida provisória 621. Brasil, 2013(a). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20112014/2013/mpv/mpv621.html Último acesso em 02.09.2015.BRASIL. Presidência da República. EMI nº 00024/2013 MS MEC MP. Brasil, 2013(b). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/Exm/EM-MPv621.doc . Último acesso em: 02.09.2015.BROWN, T. M.; CUETO, M. The World Health Organization and The World of Global Health. Routledge Handbook in Global Public Health.v. 1, p.18-30, 2011.CAMPOS, G.,W.,S. A Saúde, o SUS e o programa Mais Médicos. Revista RADIS Comunicação e Saúde, FIOCRUZ, Rio de Janeiro, 2013.CASTLES, S. International migration at the beginning of the twenty-first century: global trends and issues. International Social Science Journal. v.52, n.165, p.269-281, 2009.CEBES. O SUS precisa de Mais Médicos e de Muito Mais! Nota oficial de 26/07/2013. Disponível em http://cebes.com.br/2013/07/o-sus-precisa-de-mais-medicos-e-de-muito-mais/.CFM- Conselho Federal de Medicina- Nota do Conselho Federal de Medicina Contra a Importação de Médicos Cubanos. 21/08/2013. Disponível em http://portal.cfm.org.br/ Último acesso: 31/08/2015.CFM- Conselho Federal de Medicina- NOTA DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONTRA A IMPORTAÇÃO DE MÉDICOS CUBANOS. Brasília, Brasil, 2013. Disponível em: http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=24097%3Apara-cfm-importacao-de-medicos-cubanos-e-medida-eleitoreira-e-irresponsavel&catid=3 . Último acesso: 03/09/2015.CIJ- Corte Internacional de Justiça. Parecer consultivo. Abril, 1949. Disponível em: http://www.icj-cij.org/docket/files/4/1835.pdf . Último Acesso: 31/08/2015.CM- Câmara dos Deputados. Vagas do Mais Médicos deste ano foram todas preenchidas por brasileiros. Brasil, 2015. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/ADMINISTRACAO-PUBLICA/494644-VAGAS-DO-MAIS-MEDICOS-DESTE-ANO-FORAM-TODAS-PREENCHIDAS-POR-BRASILEIROS.html . Último acesso: 28/08/2015.CNS- Conselho Nacional de Saúde- Resolução Nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília, 2012. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html . Último acesso: 31/08/2015.DPU- Defensoria Pública da União- DPU recomenda flexibilização de critérios no Mais Médicos para refugiados. Brasil, 2014. Disponível em: http://www.dpu.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=24065:dpu-recomenda-flexibilizacao-de-criterios-no-mais-medicos-para-refugiados&catid=79&Itemid=220 . Último acesso: 31/08/2015.DUSSAULT, G.; FRANCHESCHINI, M. C. Not enough there, too many here: understanding geographical imbalances in the distribution of the health workforce. Human resources for health. v. 04, n.12, 2006. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1481612/ . Último acesso: 31/08/2015.FEUERWERKER, L. C. M. Médicos para o SUS: gestão do trabalho e da educação na saúde no olho do furacão!. Interface (Botucatu) [online]. vol.17, n.47, pp. 929-930, 2013.FILIPINAS- Medium Term Development Plan 2001-2004. Governo das Filipinas Autoridade Econômica Nacional para o Desenvolvimento. Pasig City, 2000. Disponível em: https://adzx.files.wordpress.com/2007/04/medium_term_devt_plan.doc . Último acesso em 31/08/2015.FNP- Frente Nacional de Prefeitos. Abaixo-assinado CADÊ O MÉDICO?. Brasília, 2013. Disponível em: http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=CADEMED Último acesso: 31/08/2015FOURCUIER, M.; SIMOENS, S.; GIUFRIDA, A. Impact, regulation and health policy implications of physician migration in OECD countries. Human Sources for Health. v.2, n.12, 2004.GATS- General Agreement on Trade and Services. Geneva, 1995. Disponível em: https://www.wto.org/english/docs_e/legal_e/26-gats_01_e.htm . Último acesso: 31/08/2015GUIMARÃES, R. Mais Médicos: uma vereda para os nossos grandes sertões. Revista História Ciências Saúde Manguinhos. Blog. 2013. Disponível em http://www.revistahcsm.coc.fiocruz.br/mais-medicos-uma-vereda-para-os-nossos-grandes-sertoes/ . Último acesso: 31/08/2015ILO- International Labour Organization. International migration of health workers: labour and social issues. Geneva, 2003.IRIDALE, R. The Migration of Professionals: Theories and Typologies. International Migration, V. 39, N.5. Australia, 2001. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/1468-2435.00169/pdf . Último Acesso: 31/08/2015.MACIEL FILHO, R. Estratégias para a distribuição e fixação de médicos em sistemas nacionais de saúde: o caso brasileiro. Tese (Doutorado) – Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2007.MARCHAL, B.; KEGELS, G. Health workforce imbalances in times of globalization: brain drain or professional mobility? Int J Plann Mgmt. v. 18, 2003.MONTECKIO, Becerril.; MEDINA, Guadalupe. et al. Sitema de Salud de Brasil. Salud Pública México. v.53; s. 02; 2011(a). Disponível em: http://scielo.unam.mx/pdf/spm/v53s2/08.pdf . Último acesso: 31/08/2015.NESCON/UFMG. EPSM demonstra quadro de escassez de médicos antes e depois do programa Mais Médicos no Brasil. Notícias NESCON, Belo Horizonte, 2014. Disponível em < https://www.nescon.medicina.ufmg.br/noticias/?p=4872> Último acesso 31/08/2015.OECD- Organisation for Economic Co-operation and Development- Migração Mundial em Números. OECD-UNDESA. Washington, 2013. Disponível em: http://www.oecd.org/els/mig/PORTUGUESE.pdf . Último acesso: 31/08/2015.OPAS- Organização Pan-Americana da Saúde. Termo de Cooperação Técnica 80. Brasília, Brasil, 2013. Disponível em: http://www.paho.org/BRA/index.php?option=com_content&view=article&id=4599:tc-80-acesso-da-populacao-brasileira-a-atencao-basica-em-saude&Itemid=610 acesso: 08.10.2014.PAIM, J., S. O que é SUS. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2009.SANTOS, G., E, O. Cálculo amostral: calculadora on-line. Disponível em: http://www.calculoamostral.vai.la . Último acesso: 01/09/2015.SGTES- Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. EDITAL No - 39, DE 8 DE JULHO DE 2013 ADESÃO DE MÉDICOS AO PROJETO MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL. Brasil, 2013 (a). Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2014/janeiro/22/edital-39-2013-maismedicos-.pdf . Ultimo acesso 24/08/2015.SGTES- Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. EDITAL Nº 49, DE 16 DE AGOSTO DE 2013 ADESÃO DE MÉDICOS AO PROJETO MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL. Brasil, 2013 (b). Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2014/janeiro/22/edital-49.pdf . Último acesso: 29/08/2015.SGTES- Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. EDITAL No - 4, DE 16 DE JANEIRO DE 2014 ADESÃO DE MÉDICOS AO PROJETO MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL. Brasil, 2014. Disponível em: http://189.28.128.100/maismedicos/Edital_04_MAIS_MEDICOS.pdf . Último acesso: 29/08/2015.SGTES- Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. EDITAL Nº 02, DE 15 DE JANEIRO DE 2015. Brasil, 2015. Disponível em: http://189.28.128.100/maismedicos/Edital_04_MAIS_MEDICOS.pdf . Último acesso: 29/08/2015.SGTES- Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. PORTARIA Nº 30, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2014. Brasília, Brasil, 2014. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sgtes/2014/prt0030_12_02_2014.html . Último acesso: 01/09/2015.SIMANOVSKY, S.; STREPTOVA, M.; NAIDO, Y. “Brain Drain” from Russia: Problems, Prospects, Ways of Regulation. Nova Science Publishers. New York, 1996.STF- Supremo Tribunal Federal- Para ministro do STF, 1ª parte de audiência do Mais Médicos ficou empatada. Brasil, 2013. Disponível em: http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2013/11/25/para-ministro-primeira-audiencia-para-debater-mais-medicos-ficou-empatada.htm . Último acesso: 17/03/2014.STIWELL, B.; DIALLO, K.; ZURN, P. Developing evidence-based ethical policies on the migration of health workers: conceptual and practical challenges. Human Resources for Health. v.1, n. 8, 2003.TAYLOR, D. H.; ESMAIL, A. Retrospective analysis of census data on general practioners who qualified in South Asia: who will replace them as they retire? BMJ. v. 318, p. 306-310, 1999. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC27716/pdf/306.pdf. Último acesso em: 17/08/2015.VENTURA, D. F. L. Da emergência de um direito ao direito da emergência: o caso da pandemia de gripe A(H1N1) 2009-2010. Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo [ Livre Docência]. São Paulo, 2012.WB- World Bank. Global Economic Prospects and the Developing Countries. Washington, 2002. Disponível em: http://www.worldbank.org/content/dam/Worldbank/GEP/GEParchives/GEP2002/310436360_20050012014722.pdf . Último aceso: 31/08/2015.WHO- World Health Organization. Constitution of the World Health Organization. Geneva, 1948. Disponível em: http://www.who.int/governance/eb/who_constitution_en.pdf . Último acesso: 31/08/2015.WHO- World Health Organization. Kampala Declaration and Agenda for Global Action. Health Workers for All and All for Health Workers. Global Health Workforce Alliance. Kampala, Uganda, 2008. Disponível em: http://www.who.int/entity/workforcealliance/Kampala%20Declaration%20and%20Agenda%20web%20file.%20FINAL.pdf?ua=1 . Último acesso: 31/082015.WHO- World Health Organization. WHO Global Code of Practice on the International Recruitment of Health Personnel. Geneve, 2010. Disponível em: http://www.who.int/hrh/migration/code/WHO_global_code_of_practice_EN.pdf Último acesso: 31/08/2015.YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.