Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Intracavitary electrical stimulation as treatment for overactive bladder: systematic review / Eletroestimulação intracavitária como tratamento para bexiga hiperativa: revisão sistemática

Fisioter. mov; 29(4): 813-820, Out.-Dec. 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: BIBLIO-828792

Resumo

Abstract Introduction: Overactive bladder (OAB) is a clinical diagnosis of irritating urinary symptoms that influence on sufferers' life quality. There are effective treatments described in literature, but most of them present adverse effects. One way of treatment is the use of electrical stimulation, which has been widely used, but studies show varying results. Objective: To verify if intracavitary electrical stimulation can be effective in patients with OAB. Methods: online databases were searched with specific descriptors to find randomized clinical trials on overactive bladder treated with intracavitary electrical stimulation. Only articles with score equal or higher than 5 in methodological PEDro scale were used and those that described intra and / or inter-group P-value. Results: 217 articles were found, but only 6 were analyzed by the selection criteria. The studies show that electrical stimulation promotes the reduction of urinary frequency, urinary incontinence, nocturia, urgency and the number of protectors used, and improvements in maximum cystometric bladder capacity, symptoms of OAB and quality of life. Conclusion: Electrical stimulation was effective in patients with OAB and can be used before any invasive treatment due to none side effects.
Resumo Introdução: A bexiga hiperativa (BH) é um diagnóstico clínico de sintomas urinários irritantes que influenciam na qualidade de vida de seus portadores. Existem tratamentos eficazes descritos na literatura, porém a maioria deles apresenta efeitos adversos. Uma das formas de tratar é utilizando a eletroestimulação, a qual vem sendo muito utilizada, porém os estudos publicados apresentam resultados variados. Objetivo: Verificar se a eletroestimulação intracavitária pode ser eficaz nos distúrbios urinários de pacientes com BH. Métodos: Foram utilizadas bases de dados online com descritores específicos para busca de experimentos controlados randomizados, com pacientes portadores de BH tratados com eletroestimulação intracavitária. Foram selecionados apenas artigos com pontuação maior/igual a 5 na escala metodológica PEDro e que descrevessem P-valor intra e/ou intergrupos. Resultados: Foram encontrados 217 artigos, porém somente 6 atenderam aos critérios de seleção. A eletroestimulação promoveu a redução da frequência urinária, perda urinária, noctúria, urgência e do número de protetores utilizados diariamente, além de aumentar a capacidade cistométrica máxima da bexiga, melhorar os sintomas da BH e a qualidade de vida. Conclusão: A eletroestimulação mostrou-se eficaz em pacientes com BH, e por não apresentar efeitos colaterais, pode ser utilizada antes de qualquer tratamento invasivo.
Biblioteca responsável: BR1.1