Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Desigualdades relacionadas à autopercepção da saúde bucal entre idosos do município de São Paulo entre 2000 e 2010 / Inequalities in self-perceived oral health of elderly in the city of São Paulo between 2000 and 2010

São Paulo; s.n; 2018. 85 p.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-880171
Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Prática de Saúde Pública para obtenção do grau de Mestre. Orientador: Cruz, Doralice Severo da.
Estudos realizados no Brasil e no mundo relataram desigualdades sociais relacionadas à saúde bucal de idosos, porém ainda faltam esclarecimentos sobre as medidas subjetivas da saúde bucal desta população e a relação com as condições socioeconômicas. Este estudo tem o objetivo de avaliar a desigualdade social relacionada à autopercepção de saúde bucal entre idosos no município de São Paulo entre 2000 e 2010. Foram utilizados dados do estudo Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento (SABE), cuja amostra foi representativa de idosos residentes no município em 2000, 2006 e 2010. A variável de interesse foi o impacto da saúde bucal na qualidade de vida, obtida por meio do Geriatric Oral Health Assessment Index (GOHAI), categorizada em autopercepção de saúde bucal (ASB) boa (impacto positivo) e ruim (impacto negativo). O nível educacional foi a variável socioeconômica utilizada. Foram utilizados modelos de regressão de Poisson ajustados por dados sociodemográficos, acesso a serviços de saúde, saúde geral e bucal. Para a análise da desigualdade social utilizou-se as medidas complexas Slope Index of Inequality (SII) e Relative Index of Inequality (RII), assim como equiplots. A prevalência de ASB boa foi 46,02 por cento, 54,51 por cento e 54,36 por cento, em 2000, 2006 e 2010, respectivamente. Fatores sociodemográficos, percepção de saúde geral, depressão, número de dentes presentes, uso e necessidade de prótese estiveram associados a autopercepção de saúde bucal ruim nos anos analisados. Em 2010, oito anos ou mais de escolaridade (RP:0,74;IC 0,63;0,87), autopercepção ruim da saúde geral (RP:1,33; IC 1,17;1,50) e não ter necessidade de prótese (RP:0,71; IC 0,62;0,82) foram alguns fatores associados a ASB ruim. Nota-se a presença de desigualdade social absoluta e relativa relacionada a ASB boa em 2006 e 2010, principalmente entre idosos dentados (2010 - SII:33,90;IC18,80;48,99 e RII:2,03;IC 1,47;2,82) e de 60 a 69 anos. A desigualdade social relacionada a autopercepção de saúde bucal aumentou entre os idosos no período avaliado, portanto, são necessárias ações destinadas à esta população para eliminar as iniquidades
Biblioteca responsável: BR67.1
Localização: BR67.1; MTR2303