Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

A qualidade de vida de pessoas que vivem com HIV/aids: estudo de representações sociais / The quality of life of people living with HIV / AIDS: study of social representations

Rio de Janeiro; s.n; 2018. 200 p. il color..
Tese em Português | LILACS, BDENF - Enfermagem | ID: biblio-970213
Apresentada a Universidade do Estado do Rio de Janeiro para obtenção do grau de Mestre. Orientador: Marques, Sérgio Corrêa.
O objeto de estudo refere-se às representações sociais (RS) da qualidade de vida (QV) de pessoas que vivem com HIV/aids (PVHA). Definiu-se como objetivos: analisar as RS da QV de um grupo de PVHA do município do Rio de Janeiro; identificar os conteúdos que constituem as RS da QV das PVHA; descrever os elementos do campo representacional presentes nas RS da QV das PVHA; apreender os domínios que influenciam a QV a partir das RS das PVHA; verificar mudanças na avaliação da QV das PVHA após o diagnóstico de soropositividade, a partir de suas RS. É um estudo de campo do tipo descritivo, com abordagem qualitativa apoiado na teoria das representações sociais (TRS), em sua abordagem processual. Os cenários do estudo foram 3 serviços de atendimento especializados (SAE) no município do Rio de Janeiro. Os participantes são 34 PVHA em atendimento nestes SAE. Os dados foram coletados por questionário sociodemográfico e clínico e por entrevista semiestruturada. Empregou-se o software Iramuteq para o tratamento dos dados da entrevista e o software SPSS 20.0 para a análise dos dados sociodemográficos e clínicos. A análise dos dados discursivos foi realizada por meio da análise de conteúdo do tipo léxical. O perfil do grupo é constituído por 82,4% indivíduos do sexo masculino e 61,8% que se declaram homossexuais/bissexuais. Quanto aos aspectos sociais e clínicos, 82,4% referem possuir emprego, 58,8% possui parceiro afetivo fixo, e 91,2% fazem uso da TARV, sendo que a maioria não apresenta sintomas por doenças ou efeitos dos medicamentos. Verifica-se que esses aspectos são preditores para a melhoria da QV e, provavelmente por esta razão 94,1% percebem sua saúde e a QV como boa/muito boa. O Iramuteq forneceu 4 classes de análise: a interface dos serviços de saúde na visão das PVHA; aspectos sociais e afetivos da QV de PVHA; aspectos adaptativos e funcionais relacionados à QV de PVHA; influências do futuro para a QV das PVHA. A análise dos dados evidenciou que o campo representacional das PVHA sobre sua QV é composto por uma dimensão imagética, onde a terapia antirretroviral (TARV) predomina e pelos conceitos e conhecimentos acerca dos aspectos essenciais para a manutenção da QV e da saúde, subcampo desta representação, além de uma atitude predominantemente positiva em relação à sua QV. Os principais fatores que exercem influência negativa para a QV dos participantes são as relações sociais e o estigma. Conclui-se que a QV é um constructo multidimensional e subjetivo, que ultrapassa o campo da saúde, englobando as dimensões física, psicológica, emocional, social e ambiental. Na vigência do HIV, a vida dos indivíduos sofre impactos não só em sua saúde, mas em outras áreas, o que torna essencial a multidisciplinaridade no cuidado às PVHA e o papel da enfermagem enquanto prestador de cuidados. As estratégias que visam a redução de danos associados ao estigma também revestem-se de importância, pelo impacto destes comportamentos sociais na QV deste grupo.
Biblioteca responsável: BR1366.1
Localização: BR1366.1, TE687, S586; 614.253.5