Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Identification of gene EBER1 and EBNA 1 of Epstein Barr virus (EBV) in tissues of patients with HodgkinÆs disease in Northern Brazil/Identificação do gene EBER1 e EBNA1 do vírus de Epstein Barr (EBV) em tecidos de pacientes com doença de Hodgkin na região Norte do Brasil*

Rev. panam. infectol; 16(1): 17 - 24, 2014. tab, graf
Artigo em Português | IEC | ID: iec-14297
O vírus de Epstein Barr (EBV) é o agente causador da mononucleose infecciosa e está associado a várias desordens proliferativas malignas tais como: linfoma de Burkitt, linfoma de Hodgkin e linfomas não Hodgkin.

OBJETIVO:

detectar o genoma do EBV mediante a identificação dos genes EBER1 e EBNA1 em casos de doença de Hodgkin.

MÉTODOS:

um total de 65 casos de linfomas diagnosticados no Hospital Ophir Loyola no período de 1996 e 2005 foram analisados no Instituto Evandro Chagas, Ananindeua, Brasil. Todos os espécimes parafinizados foram analisados por hibridização in situ (gene EBER1) e PCR em tempo real (EBNA1).

RESULTADOS:

do total, 64,6 por cento (42/65) dos pacientes eram do sexo masculino e 35,4 por cento (23/65) do sexo feminino. O EBV foi identificado por HIS nas células Reed Sternberg e variantes em 76,9 por cento (50/65) dos casos com idade média de 28,3 anos (variação 2-84 anos). Os subtipos histológicos de casos EBV-positivos foram os seguintes: esclerose nodular em 50 por cento (25/50), celularidade mista em 28 por cento (14/50), depleção linfocitária em 14 por cento (7/50) e predominância linfocitária em 8 por cento (4/50). O DNA do EBV foi detectado em 53 por cento (26/49) dos casos de doença de Hodgkin com um coeficiente de regressão para a curva padrão de 0,99.

CONCLUSÃO:

este estudo foi a primeira descrição do vírus de Epstein Barr em casos de linfoma de Hodgkin na Amazônia Brasileira, reforçando a hipótese de que o EBV seja um co-fator no processo de transformação neoplásica em conjunto com a predisposição genética e imunidade do paciente. (AU)

INTRODUCTION:

EBV is the causative agent of infectious mononucleosis and is associated with several malignant proliferative disorders such as BurkittÆs lymphoma, HodgkinÆs lymphoma, some B and T cell non-HodgkinÆs lymphomas.

OBJECTIVE:

The main objective of the study was to determine the prevalence of EBER 1 gene and EBNA1 gene in cases of HodgkinÆs disease.

MATERIAL AND METHODS:

A total of 65 cases of lymphomas diagnosed between 1996 and 2005 were obtained from ôInstituto Ofir Loyolaö and analyzed at the ôInstituto Evandro Chagasö Ananindeua, Brazil. The EBV antigens using EBER 1 probe in situ hybridization (HIS) and real time quantitative PCR.

RESULTS:

From the total obtained, 64.6 per cent (42/65) were male and 35.4 per cent (23/65) female. EBV was identified in the Reed-Sternberg cells and variants in 76.9 per cent (50/65) of HodgkinÆs disease cases, the median age were 28.3 years (range 2-84). The histologic subtypes of EBV-positive cases were as follows: nodular sclerosis in 50 per cent (25/50), mixed cellularity in 28 per cent (14/50), lymphocyte depletion in 14 per cent (7/50) and lymphocyte predominance in 8 per cent (4/50). We detected EBV DNA in 53 per cent (26/49) with a coefficient of regression for the standard curve of a minimum of 0.99.

CONCLUSION:

These results were the first demonstration of the role of Epstein Barr virus in cases of Hodgkin diseases in northern Brazil and are consistent with the hypothesis that the presence of EBV during neoplasic transformation could be an additional cofactor acting together with both genetic predisposition and immunity of the patient. (AU)
Biblioteca responsável: BR275.1
Localização: PCIEC2014 / BR275.1