Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Revisão sistemática sobre encadeamento ou linkage de bases de dados secundários para uso em pesquisa em saúde no Brasil / Systematic review on usage of large databases data linkage in research in public health in Brazil

Cad. saúde colet., (Rio J.); 14(2): 197-224, abr.-jun. 2006. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-462482

OBJETIVO:

Traçar um panorama da utilização da técnica de ecadeamento de arquivos na área de Saúde Pública no Brasil de modo a gerar subsídios para seu aprimoramento e melhor emprego.

MÉTODO:

revisão sistemática de publicações de estudos sobre o Brasil na área de Saúde Pública que empregaram essa técnica. Incluídos estudos com Sistemas de Informação em Saúde do Sistema Único de Saúde (SIS-SUS) que objetivaram agregar, à informação disponível em um banco de dados sobre um indivíduo, outros dados sobre este mesmo indivíduo. Excluídos estudos em que o SIS-SUS foi encadeado somente a bases com agregação de dados de âmbito geográfico e de avaliação da qualidade dos dados a partir de fontes de dados dependentes. A unidade de análise foi o estudo. Neles foram analisados o desenho, os objetivos, as bases de dados encadeadas e em relação ao encadeamento os programas de computação utilizados, questões metodológicas relevantes, informações sobre sua validade e a qualidade dos dados nos bancos nele utilizados.

RESULTADOS:

identificadas 71 publicações referentes a 40 estudos. 28 estudos classificados como epidemiológicos. Predominaram o desenho de coorte, o uso de arquivos do SIM, do SINASC, algoritmos determinísticos e o tema mortalidade infantil, especialmente a neonatal. Nove estudos preocuparam-se com o planejamento e gestão dos sitemas e serviços de saúde. Seis objetivaram o desenvolvimento da técnica de encadeamento de arquivos e 6 analisar a qualidade dos dados das bases encadeadas. Trinta e um estudos informaram sobre a acurácia dos dados, 24 sobre a precisão, 34 sobre a completeza, 33 sobre a confiabilidade, e 31 sobre a atualidade dos dados nos bancos encadeados. Só foi possível obter informação sobre o percentual de pares verdadeiros não encontrados em 23 estudos e sobre revisão manual após o encadeamento automático em 28.Discussão: o crescimento do uso da técnica coincide com a implantação do SINASC e com a intensificação do uso das bases de dados do SIH-SUS n...
Biblioteca responsável: BR67.1