Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Prevalência de diagnóstico auto-referido de osteoporose, Brasil, 2006 / Prevalencia de diagnóstico auto-referido de osteoporosis, Brasil, 2006 / Prevalence of self-reported diagnosis of osteoporosis in Brazil, 2006

Rev Saude Publica; 43(supl.2): 107-116, nov. 2009. tab
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: lil-531102

OBJETIVO:

Estimar a prevalência de osteoporose auto-referida (com diagnóstico médico prévio) e de fatores de risco e proteção associados.

MÉTODOS:

Estudo transversal baseado em dados do sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL). Foram entrevistados 54.369 indivíduos com idade >18 anos residentes em domicílios servidos por pelo menos uma linha telefônica fixa nas capitais brasileiras e Distrito Federal em 2006. Estimativas de osteoporose segundo fatores socioeconômicos, comportamentais e índice de massa corporal foram estratificadas por sexo. Foram calculados riscos de ocorrência de osteoporose para cada variável individualmente, e em modelo multivariado, considerando-se odds ratio como proxy da razão de prevalência.

RESULTADOS:

A prevalência de osteoporose referida foi de 4,4 por cento, predominantemente entre mulheres (7,0 por cento), com idade >45 anos, estado civil não solteiro e ex-fumante. Entre homens, ter mais de 65 anos, ser casado ou viúvo e sedentário associaram-se positivamente ao desfecho.

CONCLUSÕES:

Dentre os fatores associados à osteoporose, destacam-se aspectos modificáveis relacionados com a prevenção da doença, como a atividade física e tabagismo.
Biblioteca responsável: BR1.1