Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Prevalência de doença hepática não-alcoólica em crianças e adolescentes obesos: uma revisão sistemática / Prevalence of nonalcoholic fatty liver disease in obese children and adolescents: a systematic review

Rev Paul Pediatr; 28(4): 387-393, out.-dez. 2010. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-571763

OBJETIVO:

Revisar publicações que investigaram a prevalência de doença hepática gordurosa não-alcoólica (DHGNA) em crianças.FONTES DE DADOS: Bancos de dados Medline (versão PubMed) e Latin American and Caribbean Centre on Health Sciences Information (LILACS), considerando-se o período de 1997 a 2008. Aplicou-se a combinação dos seguintes descritores: "nonalcoholic fatty liver disease", "hepatic steatosis", "nonalcoholic steatohepatitis", "overweight children", "overweight adolescent", "pediatric obesity", "children obesity", "childhood obesity".SÍNTESE DOS DADOS: Foram selecionados 14 artigos: cinco transversais, um caso-controle e oito de coorte. A concordância entre os avaliadores na classificação da qualidade dos artigos foi considerada ótima (k=0,81), com intervalo de confiança de 95 por cento (0,52-1,00; p<0,001); porém, apenas um estudo foi considerado de excelente qualidade. Todos os estudos demonstraram associação entre obesidade e DHGNA, com prevalências variando de 3,0 a 60,3 por cento. Os artigos analisados indicam que as alterações bioquímicas e de imagem são rapidamente normalizadas com a programação da perda ponderal por meio de dieta e exercício físico. Observam-se prevalências maiores em meninos, com o aumento da idade. Uma associação relatada com frequência foi a da resistência insulínica com a progressão da DHGNA.

CONCLUSÕES:

São necessários estudos cuidadosamente desenhados para esclarecer a relação entre obesidade e DHGNA na infância. Recomenda-se que todas as crianças obesas sejam rastreadas, já que a DHGNA representa a maior causa de agravo hepático na infância.
Biblioteca responsável: BR584.1