Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Avaliação da força de preensão palmar frente à terapia com mobilização neural / Assessment of hand grip strength after neural mobilization

Rev. bras. med. esporte; 18(4): 242-245, jul.-ago. 2012. ilus
Artigo em Português | LILACS-Express | ID: lil-653693

INTRODUÇÃO:

A mobilização neural é uma técnica que visa a restauração do movimento e da elasticidade do sistema nervoso; contudo, ainda são poucos os estudos que avaliam sua eficácia sobre variáveis clínicas.

OBJETIVO:

Avaliar a força de preensão palmar em indivíduos submetidos à intervenção com mobilização neural.

METODOLOGIA:

Estudo cruzado em que compuseram a amostra 20 sujeitos, com média de idade de 19,5 ± 0,92 anos, divididos em dois grupos (G1 e G2) que receberam, a cada semana, uma sessão única de intervenção de forma que o G1 recebeu mobilização neural e o G2 alongamentos convencionais para o supraespinal na primeira semana; o inverso aconteceu na segunda semana, em que o G1 recebeu alongamentos convencionais para o supraespinal e o G2 a mobilização neural. Os alongamentos para o supraespinal serviram apenas como placebo e não impuseram tensão aos nervos em estudo. As mobilizações neurais foram aplicadas nos nervos radial, mediano e ulnar. A força de preensão palmar foi avaliada por meio de um dinamômetro de preensão palmar em vários momentos: antes e imediatamente, 20 minutos e uma hora após cada intervenção.

RESULTADOS:

Não houve resultados significativos para a mobilização neural, nem para o alongamento.

CONCLUSÃO:

A mobilização neural não foi eficaz para produzir o aumento da força de preensão palmar em indivíduos saudáveis.
Biblioteca responsável: BR1.1