Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

ORAL ADMINISTRATION OF EXOGENOUS LACTASE IN TABLETS FOR PATIENTS DIAGNOSED WITH LACTOSE INTOLERANCE DUE TO PRIMARY HYPOLACTASIA / Administração oral de lactase exógena em comprimidos em pacientes portadores de intolerância à lactose devido à hipolactasia primária

Arq Gastroenterol; 53(4): 228-234, Oct.-Dec. 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: lil-794592

Resumo

ABSTRACT Background Primary hypolactasia is a common condition where a reduced lactase activity in the intestinal mucosa is present. The presence of abdominal symptoms due to poor absorption of lactose, which are present in some cases, is a characteristic of lactose intolerance. , Objective Evaluate the efficacy of a product containing exogenous lactase in tablet form compared to a reference product with proven effectiveness in patients with lactose intolerance. Methods Multicentre, randomized, parallel group, single-blind, comparative non-inferiority study. One hundred twenty-nine (129) adult lactose intolerance patients with hydrogen breath test results consistent with a diagnosis of hypolactasia were randomly assigned to receive the experimental product (Perlatte(r) - Eurofarma Laboratórios S.A.) or the reference product (Lactaid(r) - McNeilNutritionals, USA) orally (one tablet, three times per day) for 42 consecutive days. Results Data from 128 patients who actually received the studied treatments were analysed (66 were treated with the experimental product and 62 with the reference product). The two groups presented with similar baseline clinical and demographic data. Mean exhaled hydrogen concentration tested at 90 minutes after the last treatment (Day 42) was significantly lower in the experimental product treated group (17±18 ppm versus 34±47 ppm) in the per protocol population. The difference between the means of the two groups was -17 ppm (95% confidence interval [95% CI]: -31.03; -3.17). The upper limit of the 95% CI did not exceed the a priori non-inferiority limit (7.5 ppm). Secondary efficacy analyses confirmed that the treatments were similar (per protocol and intention to treat population). The tolerability was excellent in both groups, and there were no reports of serious adverse events related to the study treatment. Conclusion The experimental product was non-inferior to the reference product, indicating that it was an effective replacement therapy for endogenous lactase in lactose intolerance patients.
RESUMO Contexto A hipolactasia primária é uma condição muito frequente na qual há redução da atividade da lactase na mucosa intestinal.A presença de sintomas abdominais devidos à má absorção da lactose presente em alguns casos caracteriza a intolerância à lactose. Objetivo Avaliar a eficácia de um produto contendo lactase exógena em comprimidos comparativamente a de um produto comparador com eficácia comprovada em pacientes portadores de intolerância à lactose. Métodos Estudo multicêntrico, randomizado, de grupos paralelos, com investigador cego, comparativo de não-inferioridade. Cento e vinte e nove (129) pacientes adultos portadores de intolerância à lactose e teste do hidrogênio no ar expirado compatível com o diagnóstico de hipolactasia foram randomizados para receber o produto experimental (Perlatte(r) - Eurofarma Laboratórios S.A.) ou o produto comparador (Lactaid(r) - McNeil Nutritionals, EUA), por via oral (um comprimido, três vezes ao dia), durante 42 dias consecutivos. Resultados Os dados dos 128 pacientes que efetivamente receberam o tratamento do estudo foram avaliados (66 tratados com o produto experimental e 62 com o produto comparador). Os dois grupos se mostraram homogêneos quanto aos dados demográficos e clínicos basais. A média da concentração do hidrogênio expirado aos 90 minutos no teste realizado ao final do tratamento (Dia 42) foi significativamente menor no grupo tratado com o produto experimental (17±18 ppm versus 34±47 ppm na população por protocolo). A diferença entre as médias dos dois grupos foi de -17 ppm (intervalo de confiança de 95% [IC95%]: -31,03; -3,17). O limite superior do IC95% não ultrapassou a margem de não-inferioridade estipulada a priori (7,5 ppm). As análises secundárias de eficácia confirmaram a semelhança entre os tratamentos (populações por protocolo e com intenção de tratamento). A tolerabilidade foi excelente em ambos os grupos e não houve relato de eventos adversos graves relacionados ao produto. Conclusão O produto experimental se mostrou não-inferior ao produto comparador, indicando sua eficácia no tratamento substitutivo da lactase endógena em pacientes portadores de intolerância à lactose.
Biblioteca responsável: BR1.1