Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

ORAL ADMINISTRATION OF EXOGENOUS LACTASE IN TABLETS FOR PATIENTS DIAGNOSED WITH LACTOSE INTOLERANCE DUE TO PRIMARY HYPOLACTASIA / Administração oral de lactase exógena em comprimidos em pacientes portadores de intolerância à lactose devido à hipolactasia primária

Arq Gastroenterol; 53(4): 228-234, Oct.-Dec. 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: lil-794592
RESUMO Contexto A hipolactasia primária é uma condição muito frequente na qual há redução da atividade da lactase na mucosa intestinal.A presença de sintomas abdominais devidos à má absorção da lactose presente em alguns casos caracteriza a intolerância à lactose. Objetivo Avaliar a eficácia de um produto contendo lactase exógena em comprimidos comparativamente a de um produto comparador com eficácia comprovada em pacientes portadores de intolerância à lactose. Métodos Estudo multicêntrico, randomizado, de grupos paralelos, com investigador cego, comparativo de não-inferioridade. Cento e vinte e nove (129) pacientes adultos portadores de intolerância à lactose e teste do hidrogênio no ar expirado compatível com o diagnóstico de hipolactasia foram randomizados para receber o produto experimental (Perlatte(r) - Eurofarma Laboratórios S.A.) ou o produto comparador (Lactaid(r) - McNeil Nutritionals, EUA), por via oral (um comprimido, três vezes ao dia), durante 42 dias consecutivos. Resultados Os dados dos 128 pacientes que efetivamente receberam o tratamento do estudo foram avaliados (66 tratados com o produto experimental e 62 com o produto comparador). Os dois grupos se mostraram homogêneos quanto aos dados demográficos e clínicos basais. A média da concentração do hidrogênio expirado aos 90 minutos no teste realizado ao final do tratamento (Dia 42) foi significativamente menor no grupo tratado com o produto experimental (17±18 ppm versus 34±47 ppm na população por protocolo). A diferença entre as médias dos dois grupos foi de -17 ppm (intervalo de confiança de 95% [IC95%]: -31,03; -3,17). O limite superior do IC95% não ultrapassou a margem de não-inferioridade estipulada a priori (7,5 ppm). As análises secundárias de eficácia confirmaram a semelhança entre os tratamentos (populações por protocolo e com intenção de tratamento). A tolerabilidade foi excelente em ambos os grupos e não houve relato de eventos adversos graves relacionados ao produto. Conclusão O produto experimental se mostrou não-inferior ao produto comparador, indicando sua eficácia no tratamento substitutivo da lactase endógena em pacientes portadores de intolerância à lactose.
Biblioteca responsável: BR1.1