Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Effects of Air Pollutant Exposure on Acute Myocardial Infarction, According to Gender / Efeitos da Exposição a Poluentes do Ar no Infarto Agudo do Miocárdio, Segundo Gêneros

Arq Bras Cardiol; 107(3): 216-222, Sept. 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: lil-796032

RESUMO

Abstract Background: There is evidence of the effects of air pollution on hospital admissions due to cardiovascular diseases, including myocardial infarction. Objective: To estimate the association between exposure to air pollutants and hospital admissions due to myocardial infarction according to gender, between January 1st 2012 and December 31st 2013, in São Jose dos Campos-SP. Methods: An ecological time series study was carried out with daily data of admissions due to AMI, pollutants CO, O3, PM10, SO2, and NO2, according to gender. We used the Poisson regression generalized linear model to estimate the relative risks of hospital admissions with lags of 0-5 days, adjusted for temperature, humidity, seasonality and days of the week. Results: There were 1837 admissions for ischemic heart diseases, with 636 women and 1201 men. For females, the risks were significant for CO in lag 0 (RR = 1,09), lag1 (RR = 1,08) and lag 5 (RR = 1,10) and SO2 in lag 0 (RR = 1,10) and 3 (RR = 1,09). For men there was significance of the CO in, lag 3 and lag 5 (RR = 1,05). There was significance, regardless of gender, for CO at lag 1 (RR = 1,05) and lag 5 (RR = 1,07) and lag 0 for SO2 (RR = 1,06). Conclusion: The data presented show the important role of CO and SO2 in the genesis of myocardial infarction admissions, and responses to pollutant exposure are different if analyzed by gender and together - hence the importance of a stratified analyses.
Resumo Fundamento: Existem evidências sobre os efeitos da poluição do ar nas internações por doenças cardiovasculares, entre elas o infarto do miocárdio. Objetivo: Estimar a associação entre exposição a poluentes do ar e internações por infarto segundo gêneros, entre 01 de Janeiro de 2012 e 31 de Dezembro de 2013, em São José dos Campos - SP. Métodos: Estudo ecológico de série temporal com dados diários de internações por IAM dos poluentes CO, O3, PM10, SO2, NO2, segundo gêneros. Utilizou-se modelo linear generalizado da Regressão de Poisson para estimar os riscos relativos para internações com defasagens de 0 a 5 dias, ajustados por temperatura, umidade, sazonalidade e dias da semana. Resultados: Foram 1837 internações por doenças isquêmicas do coração, sendo 636 mulheres e 1201 homens. Para o gênero feminino, os riscos foram significativos para o CO nos lag 0 (RR = 1,09), lag1 (RR = 1,08) e lag 5 (RR = 1,10) e para o SO2 no lag 0 (RR = 1,10) e 3 (RR = 1,09). Para o gênero masculino houve significância para o CO no lag 3 e lag 5 (RR = 1,05). Sem distinção de gênero houve significância para o CO no lag 1 (RR = 1,05) e lag 5 (RR = 1,07) e no lag 0 para o SO2 (RR = 1,06). Conclusão: Os dados apresentados mostram o importante papel do CO e do SO2 na gênese das internações por infarto e que as respostas à exposição aos poluentes são diferentes se analisadas por sexo e em conjunto, daí a importância de se estratificarem as análises.
Biblioteca responsável: BR1.1