Your browser doesn't support javascript.

RIPSA

Rede Interagencial de Informações para a Saúde

Sistematizando informação e construindo conhecimento para políticas de saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Estratégia Saúde da Família no Município do Rio de Janeiro: avaliação da cobertura e internações por condições cardiovasculares / Estratégia Salud de la Família em el Municipio de Rio de Janeiro: evaluación de la cobertura y de hospitalizaciones por condiciones cardiovasculares / Family Health Strategy in the Municipality of Rio de Janeiro: cardiovascular conditions coverage and hospitalization evaluation

Pereira, Maria Helena Barcelos; Costa, Aline do Amaral Zils; Souza, Maria Helena do Nascimento; Leite, Franciéle Marabotti Costa; Sousa, Ana Ines.
Rev. pesqui. cuid. fundam. (Online); 10(3): 605-611, jul.-set. 2018. graf, tab
Artigo em Inglês, Português | LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde | ID: biblio-906122

Resumo

Objetivo: Avaliar a cobertura da Estratégia Saúde da Família no município do Rio de Janeiro no período de 2008 a 2013, e verificar sua correlação com as internações por doenças cardiovasculares sensíveis à Atenção Primária. Método: estudo epidemiológico do tipo transversal com dados secundários. A análise dos dados foi feita utilizando estatística descritiva e teste de correlação de Spearman. Resultados: no período de 2008, a cobertura populacional da Estratégia Saúde da Família era de 8,1%, passando para 39,41% em 2013. Não há associação linear entre as internações por hipertensão, angina e doenças cerebrovasculares e a cobertura da ESF (p > 0,05). As internações por insuficiência cardíaca apresentam correlação negativa com a cobertura da ESF (p < 0,001). Conclusão: ao final de 2013, cerca de 40% da população no Rio estava coberta pela ESF. Entretanto, esse resultado representa expansão menor do que o observado em âmbito nacional e regional
Objective: The study's purpose has been to assess the Family Health Strategy coverage in the municipality of Rio de Janeiro over the period from 2008 to 2013, and verify its correlation with the hospitalizations for cardiovascular diseases that are sensitive to Primary Care. Methods: It is a Cross-Sectional Epidemiologic Study with secondary data. Data analysis was done using descriptive statistics and the Spearman correlation test. Results: In the period of 2008, the population coverage of the Family Health Strategy was 8.1%, and in 2013 it was 39.41%. There is no linear association between the hospitalizations for hypertension, angina and cerebrovascular diseases and the Family Health Strategy coverage (p>0.05). Hospitalizations for cardiac failure presented a negative correlation with the Family Health Strategy coverage (p<0.001). Conclusion: At the end of 2013, around 40% of the population of Rio de Janeiro was covered by the Family Health Strategy. Nonetheless, this result represents a smaller expansion than the observed at the national and regional levels
Objetivo: Evaluar a la cobertura de la Estrategia Salud de la Familia en el municipio de Rio de Janeiro en el período de 2008 a 2013, y verificar su correlación con las hospitalizaciones por enfermedades cardiovasculares sensibles a la Atención Primaria. Método: estudio epidemiológico de tipo trasversal con datos secundarios. El análisis de los datos fue hecho utilizando estadística descriptiva y teste de correlación de Spearman. Resultados: En el período de 2008 la cobertura poblacional de la Estrategia Salud de la Familia era de 8.1% pasando en 2013 para 39.41%. No hay asociación linear entre las hospitalizaciones por hipertensión, angina y enfermedades vascular cerebrales y la cobertura de la Estrategia Salud de la Familia (p>0.05). Las hospitalizaciones por insuficiencia cardíaca presentan correlación negativa con la cobertura de la Estrategia Salud de la Familia (p<0.001). Conclusión: Al final de 2013 cerca de 40% de la población de Rio de Janeiro estaba cubierta por la Estrategia Salud de la Familia. Todavía, ese resultado representa una expansión más pequeña que lo observado en nivel nacional y regional