Your browser doesn't support javascript.

Secretaria de Estado da Saúde - BVS

Rede de Informação e Conhecimento

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Health in Brazil: examples for the world / Saúde no Brasil: exemplos para o mundo

Batista Filho, Malaquias; Rissin, Anete.
Rev. bras. saúde mater. infant; 13(1): 51-54, Jan.-Mar. 2013.
Artigo Inglês | LILACS-Express | ID: bam-944

Resumo

In the year 2012, for the first time in the history of humanity, the urban population has exceeded the rural population. This change has been conditioned, in large part, by migratory flows in the direction of the field to the cities, singularizing the importance of the situation according to epidemiological, ecological, political, and social aspects. These issues are highlighted by the United Nations (UNICEF and WHO) especially considering the remarkable and growing relevance that the poverty condition of rural families exercises in this displacement, creating a remarkable adverse and conflictive environment, mainly in the health sector. This fact occurs because the infrastructure of urban services is not keeping up with the sprawls in the outskirts of the cities of medium and large sizes. These arguments, of universal character, assume a crucial importance in developing countries, as in the case of Brazil, Latin America, an Asian subcontinent and the greater part of Africa. It is a context that justifies the I Brazilian Workshop on the Health of Subnormal Urban Clusters (old slums) to be held in Recife, as a strategy to consolidate a basic information framework about the epidemiological scenario, the supply and demand for health care services in urban areas of poverty. With an propositional objective: establish an agenda for research and intervention models having as focus the priorities of health of these urban spaces submitted to socio-economic conditions of recognized vulnerability.(AU)
O fato de que, a partir de 2012, pela primeira vez na história da humanidade a população urbana tenha ultrapassado a população rural, e que esta mudança tenha sido condicionada, em grande parte, por correntes migratórias no sentido campo/cidade, singulariza a importância dessa situação em termos epidemiológicos, ecológicos, políticos e sociais. São estes os aspectos destacados pelas Nações Unidas (UNICEF e OMS) considerando sobretudo a marcante e crescente relevância que a condição de pobreza das famílias rurais exerce neste deslocamento espacial, criando um ambiente notavelmente adverso e conflitivo, principalmente para o setor saúde, desde que a infraestrutura de serviços urbanos não acompanha o ritmo de ocupação desordenada nas periferias das cidades de médio e grande porte. Estes argumentos, de caráter universal, assumem uma importância crucial nos países em desenvolvimento, como no caso do Brasil, da América Latina, do subcontinente asiático e da maior parte da África. É um contexto que justifica o I Workshop Brasileiro sobre Saúde de Aglomerados Urbanos Subnormais (favelas) a ser realizado no Recife, como estratégia para consolidar um quadro de informações básicas sobre o cenário epidemiológico, a oferta e a demanda de serviços de saúde em áreas de pobreza urbana. O evento terá como objetivo propositivo o estabelecimento de uma agenda de estudos e modelos de intervenção com enfoque nas prioridades de saúde desses espaços urbanos, submetidos a condições socio-econômicas de reconhecida vulnerabilidade.(AU)
Biblioteca responsável: BR1.1
Localização: BR663.1
Selo DaSilva