Your browser doesn't support javascript.

Secretaria de Estado da Saúde - BVS

Rede de Informação e Conhecimento

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Avaliação da limitação das atividades, participação social e estratégias de enfrentamento em idosos na hanseníase / Evaluation of the limitation of activities, social participation and strategies for counseling in elderly people in leprosy

Oliveira, Gabriela Teixeira Ribeiro de; Boconcelo, Isabela; Marciano, Lúcia Helena Soares Camargo; Prado, Renata Bilion Ruiz.
Bauru; s.n; 2018. 19 p. tab.
Não convencional Português | SES SP - Instituto Lauro de Souza Lima | ID: ses-36398

Resumo

O modo como os idosos enfrentam os obstáculos após o diagnóstico da hanseníase (comprometimento funcional, participação social na vida familiar, profissional e comunitária) pode direcionar o planejamento das ações de prevenção de incapacidades e do programa de reabilitação a qual o idoso está inserido, de acordo com as necessidades individuais. Portanto, o objetivo deste estudo consiste em avaliar a limitação na realização de atividades de vida diária (AVDs), participação social e as estratégias de enfrentamento em idosos afetados pela hanseníase. Fizeram parte desse estudo 70 idosos afetados pela doença, em acompanhamento no Instituto Lauro de Souza Lima, com idade igual ou superior a 60 anos. Foram utilizados cinco instrumentos de avaliação, a saber: Questionário com dados sociodemográficos e clínicos, Avaliação do grau de incapacidade (GI), SALSA, Escala de Participação Social e Inventário de Coping. Foi utilizada análise estatística descritiva para a caracterização da casuística. Houve um predomínio de pacientes do sexo masculino (67,14%), multibacilares (87,14%), com tempo de diagnóstico maior de 20 anos (42,85%), GI 2 (64,28%), idosos com alguma limitação nas AVDs (91,43%), sem restrição significativa (51,43%) e com restrições a participação social de leve à grave (48,57%). Quanto às estratégias de enfrentamento, as estratégias positivas mais utilizadas foram “reavaliação positiva” (70%), “resolução de problemas” (65,7%) e “suporte social” (65,7%), e, as negativas mais utilizadas foram “autocontrole” (67,2%) e “afastamento” (62,9%). Embora tenham predominado GI 2 , limitações na realização das AVDs e restrição participação social, houve predomínio de estratégias de enfrentamento positivas, o que poderia ser justificado pelo tempo de convivência e evolução da doença, durante o processo de ressignificação da doença e das limitações adquiridas. A identificação das estratégias de enfrentamento em idosos pode auxiliar na investigação de fatores psicológicos e sociais que interferem no seu cotidiano e, com isso, todos os profissionais da saúde poderão planejar ações mais eficazes de prevenção e reabilitação em hanseníase, de posse a esses conhecimentos(AU)
The way in which the elderly face obstacles after diagnosis of leprosy (functional impairment, social participation in family, professional and community life) can guide the planning of the disability prevention actions and the rehabilitation program to which the elderly are inserted, according to individual needs. There for, the objective of this study is to evaluate the limitation of daily living activities (ADLs), social participation and coping strategies in elderly people affected by leprosy. This study included 70 elderly people affected by the disease, who were followed up at the Lauro de Souza Lima Institute, aged 60 or over. Five evaluation instruments were used: questionnaire with sociodemographic and clinical data, assessment of the degree of incapacity (GI), SALSA, Social Participation Scale and Coping Inventory. Descriptive statistical analysis was used to characterize the sample. There was a predominance of male patients (67,14%), multibacillary patients (87,14%), diagnosed over 20 years (42,85%), GI 2 (64,28%), elderly patients with some limitation in ADLs (91,43%), without significant restriction (51.43%) and with restrictions on social participation from mild to severe (48,57%). As for coping strategies, the most commonly used positive strategies were "positive reassessment" (70%), "problem solving" (65,7%) and "social support" (65,7%), were "self-control" (67,2%) and "remoteness" (62,9%). Although GI 2 predominated, limitations in performing ADLs and social participation restriction, there was a predominance of positive coping strategies, which could be justified by the time of coexistence and evolution of the disease, during the process of re-signification of the disease and acquired limitations. The identification of coping strategies in the elderly can help in the investigation of psychological and social factors that interfere with their daily life, and with this, all health professionals can plan more effective actions of prevention and rehabilitation in leprosy, in possession of this knowledge(AU)
Biblioteca responsável: BR191.1
Localização: BR191.1; 100/CD
Selo DaSilva