Your browser doesn't support javascript.

Secretaria de Estado da Saúde - BVS

Rede de Informação e Conhecimento

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Registro de Ligula intestinalis gmelin, 1789 (Cestoda: Trypanohrryncha) em peroá - Balistes capriscus (Actinopterygii: Tetraodontiformes) no litoral do Espírito Santo, Brasil / Record of Ligula intestinalis Gmelin, 1789 (Cestoda: Trypanohrryncha) in triggerfish Balistes capriscus (Actinopterygii: Tetraodontiformes) in the coast of Espírito Santo State, Brazil

Dias, Anderson Silva; Torres, Mariane Bermond; Costa, Maruza Tomazelli da.
Ci. Anim.; 25(4): 40-43, 2015.
Artigo Português | VETINDEX | ID: vti-481225

Resumo

A presença de larvas de helmintos em peixes tem contribuído para perdas produtivas devido ao descarte de tecidos parasitados, considerados impróprios para consumo. As alterações ambientais, tais como aumento da poluição de águas e o risco de extinção de algumas espécies de peixes, como Balistes caspricus, tem contribuído para alteração na relação entre os hospedeiros e seus parasitos, como a mudança de hospedeiro realizada pelo parasito. Dessa forma, a frequência de parasitos em animais aquáticos e sua diversidade tem sofrido alterações. Peixes geralmente são hospedeiros intermediários de larvas de cestóides, que causam lesões severas e podem afetar o desenvolvimento e até levar a morte animais. Este trabalho teve como objetivo relatar a ocorrência de larvas em peroá (B. capricus) no litoral do Brasil. Foram coletadas larvas de tecido muscular e guelras de peixes necropsiados (B. capricus), que foram adquiridos em mercado de peixes oriundos do litoral Sul do Espírito Santo. Essas larvas foram enviadas para identificação morfométrica num laboratório e foram identificadas como L. intestinalis, esse é o primeiro registro de L. intestinalis parasitando B. caspricus. 51% dos peixes estavam infectados e o número médio de larvas foi de 2,5. A presença de larvas em tecido muscular de peixes gera grandes perdas na produção de pescado, devido ao descarte de tecidos infectados, pois há destruição tecidual e alterações na carcaça. Esse é o primeiro registro de L. intestinalis em B. caspricus, que é uma espécie de peixe muito apreciado na culinária do Brasil.(AU)
The presence of helminth larvae in fish has contributed to production losses due to discard of infected tissues, considered unfit for consumption. Environmental changes, such as increased pollution of waters and the risk of extinction of some species of fish, such as triggerfish, Balistes caspricus, has contributed to change in the relationship between hosts and their parasites, like change of host, carried out by the parasite. Thus, the frequency of parasites in aquatic animals and their diversity has changed. Fish are generally intermediate hosts for cestoid larvae, which cause severe injuries and may affect the development and even lead to death of hosts. This study aimed to report the occurrence of larvae in fish B. capricus in the coast of Brazil. Larvae in muscle tissue and gills of necropsied fish (B. capricus) were collected, this fishes were purchased at fish market and arising from the southern coast of the Espirito Santo State. These larvae, harvested from the fishes at the necrospsy, were sent to morphometric identification in a laboratory and were identified as belonging at L. intestinalis, this is the first record of L. intestinalis parasitizing B. caspricus. 51% of the fish were infected and the average number of larvae was 2.5. The presence of larvae in muscle tissue of fish generate large losses in fish production due to disposal of infected tissues, as there is tissue destruction and changes in the housing. This is the first record of L. intestinalis in B. caspricus, which is a species of fish highly appraised in cookery in Brazil.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1
Selo DaSilva