Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Funciones cognitivas y terapia electroconvulsiva en pacientes psiquiátricos con enfermedad afectiva / Cognitive functions and electroconvulsive therapy in affective psychiatric patients / Funções cognitivas e terapia eletroconvulsiva em pacientes psiquiátricos com doenças afetiva

Constaín, GA; Ocampo, MV; Rodríguez-Gásquez, M; Restrepo, JC; Monroy, D.
Med. U.P.B; 37(1): 25-35, ene. 2018.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-878937

OBJETIVO:

a terapia eletroconvulsiva (TEC) se há considerado um tratamento seguro e eficaz para episódios de depressão maior, para episódios maníacos e outros transtornos psiquiátricos sérios. O estudo descreve os efeitos cognitivos da TEC em pacientes referidos para tratamento a uma clínica privada.

METODOLOGIA:

estudo descritivo do tipo de série de casos. Em cada participante se realizou uma avaliação basal antes do início da TEC e outras dois (uma em uma semana e outra aos seis meses) depois de terminado o ciclo de tratamentos, para descrever o efeito da TEC frontotemporal bilateral na função neurocognitiva mediante a mudança, desde o estado basal até a avaliação final nos domínios de memória, velocidade psicomotora, tempo de reação, atenção complexa e flexibilidade cognoscitiva, assim como na função cognoscitiva global; e determinar sua segurança pelo reporte de eventos adversos. A avaliação cognitiva se realizou com uma bateria de provas neuropsicológicas e a severidade da doença psiquiátrica se avaliou com a escala Clinical Global Impression Severity (CGI-S). Se incluíram seis pacientes remitidos para tratamento durante o período de seis meses.

RESULTADOS:

não se observaram diferencias estatisticamente significativas entre as média das avaliações de CGI-S, nem da função cognitiva global, assim como de nenhum dos domínios avaliados.

CONCLUSÕES:

a TEC não produziu mudanças nas funções cognitivas analisadas nos seis pacientes estudados.
Biblioteca responsável: CO101