Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Factors related to decreased vitamin D levels in men with spinal cord injury living in a subtropical region / Fatores relacionados a níveis reduzidos de vitamina D em homens com lesão da medula espinhal vivendo em uma região subtropical

Bassuino, Mauricio Sprenger; Kaminski, Elisa Lettnin; Garcia, Laís Oliveira; Linden, Rafael; Antunes, Marina Venzon; Schneider, Rodolfo Herberto; Machado, Denise Cantarelli.
Sci. med. (Porto Alegre, Online); 28(2): ID28381, abr-jun 2018.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-879281

OBJETIVOS:

Avaliar os níveis de vitamina D, hormônio paratireoide e cálcio em indivíduos com lesão medular e identificar fatores relacionados.

MÉTODOS:

Estudo transversal incluiu homens com lesão da medula espinhal, vivendo na Região Sul do Brasil. Foi aplicado um questionário para avaliar dados socioeconômicos, hábitos de vida e saúde. Foi investigado o tempo transcorrido após a lesão medular. A vitamina D foi avaliada no plasma por meio de cromatografia líquida; o cálcio e o hormônio paratireoideo foram dosados no soro por um método colorimétrico e eletroquimioluminescência respectivamente. Para a análise de dados, foram utilizadas regressão linear e teste do qui-quadrado. Valores de p<0,05 foram considerados significativos.

RESULTADOS:

O estudo incluiu 39 homens paraplégicos ou tetraplégicos com lesão da medula espinhal. A média de idade foi de 35,52±9,78 anos e o tempo médio de lesão foi de 6,09±5,55 anos. As médias dos níveis bioquímicos foram: 19,0±6,98 ng/mL para vitamina D, 9,54±0,52 mg/dL para cálcio total e 34,81±10,84 pg/mL para hormônio paratireoideo. Indivíduos com exposição ao sol por mais de duas horas por dia apresentaram maiores níveis de vitamina D do que os expostos até uma hora por dia (p=0,001). A regressão linear identificou uma relação inversa entre o tempo de lesão e os níveis de vitamina D (coeficiente de regressão: -0,424; p=0,029), enquanto os outros parâmetros não apresentaram diferença significativa em relação ao tempo decorrido desde a lesão. Os indivíduos com renda acima de quatro salários mínimos apresentaram maiores valores de vitamina D (média de 25,67±5,45 ng/mL) quando comparados com aqueles com renda até quatro salários mínimos (média 18,43±6,79 ng/mL) (p=0,021).

CONCLUSÕES:

Os níveis de vitamina D foram inversamente correlacionados com o tempo decorrido desde a lesão da medula espinhal, provavelmente devido à exposição insuficiente ao sol resultante da limitação prolongada da mobilidade. Níveis mais baixos de vitamina D foram associados a menor renda. Estes fatores podem agravar a perda óssea associada à diminuição da mobilidade resultante da lesão da medula espinhal.
Biblioteca responsável: BR1813.9