Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

O papel da ultrassonografia modo B na avaliação anatômica musculoesquelética do segmento cervical da coluna vertebral de cães / The role of B-mode ultrasonography in the musculoskeletal anatomical evaluation of the cervical region of the dog spine

Sarto, Cibely G; Hage, Maria Cristina F N S; Guimarães, Luciana D; Giglio, Robson F; Borges, Andréa P B; Vulcano, Luiz C.
Pesqui. vet. bras; 34(1): 91-97, jan. 2014. ilus
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-707118
Este estudo caracterizou a anatomia musculoesquelética normal do segmento cervical da coluna vertebral de cães por meio da ultrassonografia modo B. O objetivo do trabalho foi estabelecer o papel da ultrassonografia modo B na avaliação anatômica do segmento cervical de cães, comparando os achados ultrassonográficos com imagens por tomografia computadorizada e ressonância magnética. O exame ultrassonográfico, em cortes transversais e sagitais mediano, permitiu a identificação de parte da musculatura epaxial do pescoço, superfície óssea das vértebras cervicais e medula espinhal em áreas restritas com janelas acústicas naturais, como entre a articulação atlantoccipital, áxis e atlas, e áxis e terceira vértebra cervical. As imagens, em planos transversais e sagitais, por ressonância magnética de baixo campo foram superiores na identificação anatômica das estruturas, devido ao maior contraste entre os diferentes tecidos nessa modalidade. A tomografia computadorizada se mostrou superior no detalhamento ósseo da região quando comparada ao exame ultrassonográfico. Já a ressonância magnética, além dos músculos e vértebras cervicais, permitiu a identificação do líquido cefalorraquidiano, e diferenciar núcleo pulposo e anel fibroso dos discos intervertebrais. Embora não seja objetivo direto deste estudo, com o conhecimento da anatomia ultrassonográfica dessa região, acredita-se que algumas lesões possam ser identificadas, contudo de maneira restrita, quando comparadas as informações obtidas, principalmente na imagem por ressonância magnética. O exame ultrassonográfico apresentou valor morfológico inferior.
Biblioteca responsável: BR68.1