Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 18 de 18
Filtrar
Mais filtros








Base de dados
Intervalo de ano de publicação
1.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 71(1): 127-136, jan.-fev. 2019. tab
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-989357

RESUMO

The study aimed to determine the continuous rate infusion of tramadol associated with peri- and postoperative analgesia for orthopedic surgeries in dogs, as well as cardiorespiratory and adverse effects. Thirty dogs aged 4.2±1.2 years and weighing 15.1±0.9kg were enrolled in the study, premedicated intramuscularly with acepromazine (0.04mg kg-1) and tramadol (2mg kg-1); anesthesia was induced with propofol and maintained with isoflurane in oxygen. Three infusion rates were compared, comprising three experimental groups: G2: 2.0mg kg-1 h-1; G2.5: 2.5mg kg-1 h-1; and G3: 3.0mg kg-1 h-1. Surgery was initiated 15 minutes following the start of tramadol infusion. During anesthesia, animals were monitored in predefined time points: immediately after tracheal intubation and start of inhalation anesthesia (T0); surgical incision (TSI); final suture (TFS) and end of tramadol infusion (TEI), which was maintained for at least 120 minutes and prolonged according to the duration of surgery. Postoperative analgesia was evaluated through an interval pain scoring scale and the Melbourne pain scale. The mean time of tramadol infusion was greater than 120 minutes in all groups and no differences were found among them (141±27 minutes in G2, 137±27 minutes in G2.5 and 137±30 minutes in G3). Perioperative analgesia was regarded as short and did not correlate with infusion rates. Tramadol infusion provided adequate analgesia with cardiorespiratory stability Analgesia was not dose-dependent, however, and residual postoperative effects were short-lasting, which warrants proper postoperative analgesia following tramadol infusion. Additional studies are required using higher infusion rates and standardized nociceptive stimulation in order to determine how doses influence tramadol analgesia and whe therthereis a limit to its effect in dogs.(AU)


Objetivou-se determinar a infusão de taxa contínua de tramadol associada à analgesia peri e pós-operatória para cirurgias ortopédicas em cães, além de efeitos cardiorrespiratórios e adversos. Foram utilizados 30 cães, com idade média de 4,2±1,2 anos e pesos médios de 15,1±0,9kg, pré-medicados por via intramuscular com acepromazina (0,04mg/kg) e tramadol (2mg/kg). A anestesia foi induzida com propofol e mantida com isoflurano em oxigênio. Foram comparadas três taxas de infusão, compreendendo três grupos experimentais: G2: 2,0mg/kg; G2,5: 2,5mg/kg1; e G3: 3,0mg/kg. A cirurgia começou 15 minutos após o início da infusão de tramadol. Durante a anestesia, os animais foram monitorados nos seguintes momentos: imediatamente após a intubação traqueal e o início da anestesia inalatória (T0); incisão cirúrgica (TSI); final de sutura (TFS) e final da infusão de tramadol (TEI), que foi mantida por, pelo menos, 120 minutos e prolongada de acordo com a duração da cirurgia. A analgesia pós-operatória foi avaliada por escalas de pontuação de dor, conforme a escala intervalar de avaliação de dor e a escala de contagem variável de avaliação de dor da Universidade de Melbourne, a cada uma hora. O tempo médio de infusão de tramadol foi maior que 120 minutos em todos os grupos, e não foram encontradas diferenças entre elas (141±27 minutos em G2, 137±27 minutos em G2,5 e 137±30 minutos em G3). A analgesia perioperatória foi adequada na maioria dos indivíduos e a pós-operatória foi considerada curta, não correlacionada àquelas com diferentes taxas de infusão. A infusão de tramadol nas taxas estudadas produziu analgesia adequada com estabilidade cardiorrespiratória. A analgesia não foi dose dependente, no entanto os efeitos residuais pós-operatórios foram considerados curtos, o que determina a necessidade de analgesia adequada após infusão contínua de tramadol. Estudos adicionais que utilizam taxas mais elevadas de infusão de tramadol e estimulação nociceptiva padrão são necessários para determinar em que medida as doses influenciam a analgesia de tramadol e se há um limite nos seus efeitos nos cães.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Tramadol/análise , Cães/cirurgia , Anestesia Geral/estatística & dados numéricos
2.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 71(1): 127-136, jan.-fev. 2019. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-21347

RESUMO

The study aimed to determine the continuous rate infusion of tramadol associated with peri- and postoperative analgesia for orthopedic surgeries in dogs, as well as cardiorespiratory and adverse effects. Thirty dogs aged 4.2±1.2 years and weighing 15.1±0.9kg were enrolled in the study, premedicated intramuscularly with acepromazine (0.04mg kg-1) and tramadol (2mg kg-1); anesthesia was induced with propofol and maintained with isoflurane in oxygen. Three infusion rates were compared, comprising three experimental groups: G2: 2.0mg kg-1 h-1; G2.5: 2.5mg kg-1 h-1; and G3: 3.0mg kg-1 h-1. Surgery was initiated 15 minutes following the start of tramadol infusion. During anesthesia, animals were monitored in predefined time points: immediately after tracheal intubation and start of inhalation anesthesia (T0); surgical incision (TSI); final suture (TFS) and end of tramadol infusion (TEI), which was maintained for at least 120 minutes and prolonged according to the duration of surgery. Postoperative analgesia was evaluated through an interval pain scoring scale and the Melbourne pain scale. The mean time of tramadol infusion was greater than 120 minutes in all groups and no differences were found among them (141±27 minutes in G2, 137±27 minutes in G2.5 and 137±30 minutes in G3). Perioperative analgesia was regarded as short and did not correlate with infusion rates. Tramadol infusion provided adequate analgesia with cardiorespiratory stability Analgesia was not dose-dependent, however, and residual postoperative effects were short-lasting, which warrants proper postoperative analgesia following tramadol infusion. Additional studies are required using higher infusion rates and standardized nociceptive stimulation in order to determine how doses influence tramadol analgesia and whe therthereis a limit to its effect in dogs.(AU)


Objetivou-se determinar a infusão de taxa contínua de tramadol associada à analgesia peri e pós-operatória para cirurgias ortopédicas em cães, além de efeitos cardiorrespiratórios e adversos. Foram utilizados 30 cães, com idade média de 4,2±1,2 anos e pesos médios de 15,1±0,9kg, pré-medicados por via intramuscular com acepromazina (0,04mg/kg) e tramadol (2mg/kg). A anestesia foi induzida com propofol e mantida com isoflurano em oxigênio. Foram comparadas três taxas de infusão, compreendendo três grupos experimentais: G2: 2,0mg/kg; G2,5: 2,5mg/kg1; e G3: 3,0mg/kg. A cirurgia começou 15 minutos após o início da infusão de tramadol. Durante a anestesia, os animais foram monitorados nos seguintes momentos: imediatamente após a intubação traqueal e o início da anestesia inalatória (T0); incisão cirúrgica (TSI); final de sutura (TFS) e final da infusão de tramadol (TEI), que foi mantida por, pelo menos, 120 minutos e prolongada de acordo com a duração da cirurgia. A analgesia pós-operatória foi avaliada por escalas de pontuação de dor, conforme a escala intervalar de avaliação de dor e a escala de contagem variável de avaliação de dor da Universidade de Melbourne, a cada uma hora. O tempo médio de infusão de tramadol foi maior que 120 minutos em todos os grupos, e não foram encontradas diferenças entre elas (141±27 minutos em G2, 137±27 minutos em G2,5 e 137±30 minutos em G3). A analgesia perioperatória foi adequada na maioria dos indivíduos e a pós-operatória foi considerada curta, não correlacionada àquelas com diferentes taxas de infusão. A infusão de tramadol nas taxas estudadas produziu analgesia adequada com estabilidade cardiorrespiratória. A analgesia não foi dose dependente, no entanto os efeitos residuais pós-operatórios foram considerados curtos, o que determina a necessidade de analgesia adequada após infusão contínua de tramadol. Estudos adicionais que utilizam taxas mais elevadas de infusão de tramadol e estimulação nociceptiva padrão são necessários para determinar em que medida as doses influenciam a analgesia de tramadol e se há um limite nos seus efeitos nos cães.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Tramadol/análise , Cães/cirurgia , Anestesia Geral/estatística & dados numéricos
3.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 67(4): 951-960, July-Aug. 2015. tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-759224

RESUMO

The aim of this study was to assess the cardiopulmonary, analgesic, adverse effects, serum concentration of cortisol and plasma levels of levobupivacaine and morphine in bitches undergoing propofol anesthesia and epidural analgesia with levobupivacaine alone or combined with morphine. This was a randomized 'blinded' prospective clinical study using 32 adult bitches weighing 9.8±4.1kg that were admitted for elective ovariohysterectomy. Twenty minutes after administration of acepromazine and midazolam, anesthesia was induced with propofol (4mg kg-1) and maintained by a continuous rate infusion (CRI). Each animal was randomly assigned to one of four epidural groups: GL = levobupivacaine alone (0.33mg kg-1); GLM0.1 = levobupivacaine and morphine (0.1mg kg-1); GLM0.15 = levobupivacaine and morphine (0.15mg kg-1); and GLM0.2 = levobupivacaine and morphine (0.2mg kg-1)...


Objetivou-se avaliar os efeitos cardiovasculares, analgésico, adversos, a concentração sérica de cortisol e os níveis plasmáticos de levobupivacaína e morfina em cadelas submetidas à infusão contínua de propofol e analgesia peridural com levobupivacaína isolada ou associada à morfina. Para tanto, realizou-se um estudo clínico prospectivo randomizado com 32 cadelas adultas pesando 9,8 ± 4,1kg, que foram submetidas à ovário-histerectomia eletiva. Vinte minutos após a administração de acepromazina e midazolam, os animais foram induzidos com propofol (4mg/kg) e mantidos por uma infusão contínua (CRI) do mesmo fármaco. Cada animal foi alocado aleatoriamente em um dos quatro grupos: GL = levobupivacaína isolada (0,33mg/kg); GLM0,1 = levobupivacaína + morfina (0,1mg/kg); GLM0,15 = levobupivacaína + morfina (0,15mg/kg) e GLM0,2 = levobupivacaína + morfina (0,2mg/kg)...


Assuntos
Animais , Cães , Anestesia Epidural/efeitos adversos , Anestesia Epidural/veterinária , Hidrocortisona/efeitos adversos , Morfina/efeitos adversos , Propofol/administração & dosagem , Propofol/análise , Anestésicos Locais , Analgésicos Opioides/análise , Analgésicos Opioides/efeitos adversos , Ovariectomia/veterinária
4.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 67(4): 951-960, July-Aug. 2015. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-324254

RESUMO

The aim of this study was to assess the cardiopulmonary, analgesic, adverse effects, serum concentration of cortisol and plasma levels of levobupivacaine and morphine in bitches undergoing propofol anesthesia and epidural analgesia with levobupivacaine alone or combined with morphine. This was a randomized 'blinded' prospective clinical study using 32 adult bitches weighing 9.8±4.1kg that were admitted for elective ovariohysterectomy. Twenty minutes after administration of acepromazine and midazolam, anesthesia was induced with propofol (4mg kg-1) and maintained by a continuous rate infusion (CRI). Each animal was randomly assigned to one of four epidural groups: GL = levobupivacaine alone (0.33mg kg-1); GLM0.1 = levobupivacaine and morphine (0.1mg kg-1); GLM0.15 = levobupivacaine and morphine (0.15mg kg-1); and GLM0.2 = levobupivacaine and morphine (0.2mg kg-1). Variables obtained during anesthesia were heart rate, respiratory rate, systolic, mean and diastolic arterial blood pressures, oxyhemoglobin saturation, inspired oxygen fraction, end-tidal carbon dioxide tension, blood gases, serum cortisol, and plasma levels of levobupivacaine and morphine. The onset and duration times of the blockade were recorded. Arterial pressures were significantly increased in all groups at the times of ovarian pedicle clamping. There was a decrease in pH, together with an increase in both PaO2and PaCO2 over time. Serum cortisol levels were increased in TESu compared to TB, T30 and TR. Limb spasticity, muscle tremors, opisthotonos and diarrhea were observed in some animals during propofol infusion and ceased with the end of CRI. Reactions happened at different moments and lasted for different periods of time in each individual. Epidural with levobupivacaine alone or combined with morphine allowed for ovariohysterectomy to be performed under low propofol infusion rates, with minimal changes in cardiovascular variables and in serum cortisol levels. Adverse effects were observed in very few animals in each group.(AU)


Objetivou-se avaliar os efeitos cardiovasculares, analgésico, adversos, a concentração sérica de cortisol e os níveis plasmáticos de levobupivacaína e morfina em cadelas submetidas à infusão contínua de propofol e analgesia peridural com levobupivacaína isolada ou associada à morfina. Para tanto, realizou-se um estudo clínico prospectivo randomizado com 32 cadelas adultas pesando 9,8 ± 4,1kg, que foram submetidas à ovário-histerectomia eletiva. Vinte minutos após a administração de acepromazina e midazolam, os animais foram induzidos com propofol (4mg/kg) e mantidos por uma infusão contínua (CRI) do mesmo fármaco. Cada animal foi alocado aleatoriamente em um dos quatro grupos: GL = levobupivacaína isolada (0,33mg/kg); GLM0,1 = levobupivacaína + morfina (0,1mg/kg); GLM0,15 = levobupivacaína + morfina (0,15mg/kg) e GLM0,2 = levobupivacaína + morfina (0,2mg/kg). As variáveis obtidas durante a anestesia foram FC, f, PAS, PAM e PAD, SaO2, FiO2, EtCO2, gases sanguíneos, cortisol sérico e os níveis plasmáticos de levobupivacaína e morfina. Foram analisados, ainda, os períodos de latência e a duração dos bloqueios. As pressões arteriais aumentaram significativamente em todos os grupos nos momentos de ligadura dos pedículos ovarianos. Houve uma diminuição do pH, em conjunto com um aumento da PaO2 e da PaCO2 ao longo do tempo. Os níveis séricos de cortisol aumentaram. Espasticidade de membros, tremores musculares, opistótono e diarreia foram observados em alguns animais. Tais reações aconteceram em diferentes momentos e duraram diferentes períodos de tempo em cada indivíduo. A anestesia peridural com levobupivacaína isolada ou associada à morfina permitiu ovário-histerectomia em cadelas sob infusão de propofol, com mínimas alterações nas variáveis cardiovasculares e nos níveis de cortisol sérico e com baixo índice de efeitos adversos.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Morfina/efeitos adversos , Hidrocortisona/efeitos adversos , Propofol/administração & dosagem , Propofol/análise , Anestesia Epidural/efeitos adversos , Anestesia Epidural/veterinária , Ovariectomia/veterinária , Analgésicos Opioides/efeitos adversos , Analgésicos Opioides/análise , Anestésicos Locais
5.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 65(5): 1297-1305, out. 2013. graf, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-689745

RESUMO

O presente estudo investigou os benefícios da anestesia por tumescência com lidocaína em cadelas submetidas à mastectomia, visando ao conforto do paciente e à sua recuperação pós-operatória. Foram utilizados sete animais, de peso e raças variadas, que apresentavam neoplasia em região de cadeia mamária e que foram submetidos à cirurgia de mastectomia. Todos os animais receberam o mesmo protocolo anestésico, sendo utilizado como MPA a associação entre acepromazina e morfina, nas doses de 0,04mg/kg e 0,4mg/kg (IM), respectivamente. Após 15 minutos, foi alocado um cateter em veia cefálica e realizou-se a indução com propofol 4mg/kg e midazolam 0,2mg/kg, seguida de manutenção anestésica com isofluorano. Posteriormente à instrumentação, procedeu-se à técnica de anestesia por tumescência com solução gelada composta por ringer lactato, lidocaína 2% sem vasoconstritor e adrenalina, em um volume total de 15mL/kg. Em média, o tempo de duração do procedimento foi de 74±18 minutos. O pico plasmático de lidocaína deu-se entre 30 e 60 minutos após a infiltração da solução. O resgate analgésico foi realizado após sete horas, aproximadamente, da infiltração. Pode-se concluir que a anestesia por tumescência com lidocaína deve ser considerada como constituinte do protocolo anestésico e analgésico de cadelas a serem submetidas à cirurgia de mastectomia, proporcionando estabilidade de parâmetros, segurança e recuperação pós-operatória de boa qualidade.


The present study investigated the benefits of tumescent anesthesia with lidocaine in dogs undergoing mastectomy, seeking the patients' comfort and their postoperative recovery. Seven animals, with different weight and breed, who had cancer in the region of mammary chain underwent mastectomy surgery. All animals received the same anesthetic protocol being used as the association between acepromazine and morphine doses of 0.04mg.kg-1 and 0.4mg.kg-1 (IM), respectively. After 15 minutes a catheter was placed in the cephalic vein and induction with propofol 4mg.kg-1 and 0.2mg.kg-1 followed by maintenance with isoflurane anesthesia was done. After instrumentation, we proceeded to the tumescent anesthesia technique with ice-cold solution consisting of Ringer's lactate, lidocaine 2% without epinephrine and adrenaline in a total volume of 15mL.kg-1. The average duration of the procedure was 74±18 minutes. The plasmatic peak of lidocaine was between 30 and 60 minutes after infiltration. The rescue analgesic was performed after approximately seven hours of infiltration. It can be concluded that the tumescent anesthesia with lidocaine should be considered as a constituent of anesthetic and analgesic protocol in dogs undergoing mastectomy surgery providing parameter stability, safety and good quality postoperative recovery.


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Anestesia Local , Anestesia Local/veterinária , Mastectomia/veterinária , Neoplasias/veterinária , Lidocaína/efeitos adversos , Lidocaína/toxicidade
6.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 65(5): 1297-1305, out. 2013. graf, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-10074

RESUMO

O presente estudo investigou os benefícios da anestesia por tumescência com lidocaína em cadelas submetidas à mastectomia, visando ao conforto do paciente e à sua recuperação pós-operatória. Foram utilizados sete animais, de peso e raças variadas, que apresentavam neoplasia em região de cadeia mamária e que foram submetidos à cirurgia de mastectomia. Todos os animais receberam o mesmo protocolo anestésico, sendo utilizado como MPA a associação entre acepromazina e morfina, nas doses de 0,04mg/kg e 0,4mg/kg (IM), respectivamente. Após 15 minutos, foi alocado um cateter em veia cefálica e realizou-se a indução com propofol 4mg/kg e midazolam 0,2mg/kg, seguida de manutenção anestésica com isofluorano. Posteriormente à instrumentação, procedeu-se à técnica de anestesia por tumescência com solução gelada composta por ringer lactato, lidocaína 2% sem vasoconstritor e adrenalina, em um volume total de 15mL/kg. Em média, o tempo de duração do procedimento foi de 74±18 minutos. O pico plasmático de lidocaína deu-se entre 30 e 60 minutos após a infiltração da solução. O resgate analgésico foi realizado após sete horas, aproximadamente, da infiltração. Pode-se concluir que a anestesia por tumescência com lidocaína deve ser considerada como constituinte do protocolo anestésico e analgésico de cadelas a serem submetidas à cirurgia de mastectomia, proporcionando estabilidade de parâmetros, segurança e recuperação pós-operatória de boa qualidade.(AU)


The present study investigated the benefits of tumescent anesthesia with lidocaine in dogs undergoing mastectomy, seeking the patients' comfort and their postoperative recovery. Seven animals, with different weight and breed, who had cancer in the region of mammary chain underwent mastectomy surgery. All animals received the same anesthetic protocol being used as the association between acepromazine and morphine doses of 0.04mg.kg-1 and 0.4mg.kg-1 (IM), respectively. After 15 minutes a catheter was placed in the cephalic vein and induction with propofol 4mg.kg-1 and 0.2mg.kg-1 followed by maintenance with isoflurane anesthesia was done. After instrumentation, we proceeded to the tumescent anesthesia technique with ice-cold solution consisting of Ringer's lactate, lidocaine 2% without epinephrine and adrenaline in a total volume of 15mL.kg-1. The average duration of the procedure was 74±18 minutes. The plasmatic peak of lidocaine was between 30 and 60 minutes after infiltration. The rescue analgesic was performed after approximately seven hours of infiltration. It can be concluded that the tumescent anesthesia with lidocaine should be considered as a constituent of anesthetic and analgesic protocol in dogs undergoing mastectomy surgery providing parameter stability, safety and good quality postoperative recovery.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Anestesia Local , Anestesia Local/veterinária , Mastectomia/veterinária , Neoplasias/veterinária , Lidocaína/efeitos adversos , Lidocaína/toxicidade
7.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 64(3): 568-576, June 2012. ilus
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-640119

RESUMO

Realizou-se a observação comportamental de nove cães terapeutas (oito da raça Labrador Retriever e um Golden Retriever), dosaram-se cortisol sérico e salivar, aferiram-se a temperatura retal, a pressão arterial sistólica e as frequências cardíaca e respiratória nos seguintes momentos: M0 (média de três avaliações do cão em repouso) e em M1, M2 e M3 (imediatamente antes, imediatamente após e decorridas 24h das atividades de terapia assistida por animais - TAA), respectivamente. Não houve diferença significativa quanto às características estudadas (P>0,05), exceto pela temperatura, que foi mais elevada em M1 e M2 do que em M0 (P=0,009). A avaliação comportamental, realizada de maneira descritiva, não apresentou alteração negativa. Houve diferença significativa quanto à concentração de cortisol sérico entre os momentos M1 e M3 (P=0,071), e não ocorreu diferença da concentração do cortisol salivar entre os quatro momentos (P=0,746). As alterações observadas foram atribuídas à contenção e à manipulação dos animais e não desencadearam desconforto físico ou estresse dignos de nota em cães.


Behavioral observation of nine therapist dogs (eight Labrador Retrievers and one Golden Retriever) was performed and serum and salivar cortisol dosage, rectal temperature, systolic blood pressure and heart and respiratory rates were measured and evaluated at the following moments: M0 (average of three evaluations of the dog at rest) and M1, M2 e M3 (immediately before, at the end and 24 hours after the AAT activities, respectively). There was no significant difference in the parameters between the moments (P>0.05) except for temperature, which was higher in M1 and M2 than M0 (P=0.009). The behavioral assessment was conducted in a descriptive way and didn't present a negative effect. There was significant difference when comparing the serum cortisol levels between M1 and M3 (P=0.0712). There wasn't asignificant difference in salivary cortisol levels when comparing the values of the four moments (P=0.7458). The observed alterations are probably related to the containment and handling of animals, demonstrating that the therapy doesn't have a negative effect on dogs.

8.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 64(3): 568-576, 2012. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-1341

RESUMO

Realizou-se a observação comportamental de nove cães terapeutas (oito da raça Labrador Retriever e um Golden Retriever), dosaram-se cortisol sérico e salivar, aferiram-se a temperatura retal, a pressão arterial sistólica e as frequências cardíaca e respiratória nos seguintes momentos: M0 (média de três avaliações do cão em repouso) e em M1, M2 e M3 (imediatamente antes, imediatamente após e decorridas 24h das atividades de terapia assistida por animais - TAA), respectivamente. Não houve diferença significativa quanto às características estudadas (P>0,05), exceto pela temperatura, que foi mais elevada em M1 e M2 do que em M0 (P=0,009). A avaliação comportamental, realizada de maneira descritiva, não apresentou alteração negativa. Houve diferença significativa quanto à concentração de cortisol sérico entre os momentos M1 e M3 (P=0,071), e não ocorreu diferença da concentração do cortisol salivar entre os quatro momentos (P=0,746). As alterações observadas foram atribuídas à contenção e à manipulação dos animais e não desencadearam desconforto físico ou estresse dignos de nota em cães.(AU)


Behavioral observation of nine therapist dogs (eight Labrador Retrievers and one Golden Retriever) was performed and serum and salivar cortisol dosage, rectal temperature, systolic blood pressure and heart and respiratory rates were measured and evaluated at the following moments: M0 (average of three evaluations of the dog at rest) and M1, M2 e M3 (immediately before, at the end and 24 hours after the AAT activities, respectively). There was no significant difference in the parameters between the moments (P>0.05) except for temperature, which was higher in M1 and M2 than M0 (P=0.009). The behavioral assessment was conducted in a descriptive way and didn't present a negative effect. There was significant difference when comparing the serum cortisol levels between M1 and M3 (P=0.0712). There wasn't asignificant difference in salivary cortisol levels when comparing the values of the four moments (P=0.7458). The observed alterations are probably related to the containment and handling of animals, demonstrating that the therapy doesn't have a negative effect on dogs.(AU)


Assuntos
Humanos , Animais , Cães , Comportamento Animal , Terapia de Relaxamento , Estresse Mecânico , Pressão Arterial , Terapias Complementares/métodos , Testes Hematológicos/veterinária , Saliva/química
9.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 62(4): 806-811, Aug. 2010. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-562045

RESUMO

Avaliaram-se os períodos de latência e de duração do efeito do butorfanol associado à ropivacaína aplicados pela via peridural e a possibilidade de uso dessa associação como protocolo anestésico para realização de ovariossalpingo-histerectomia (OSH) em cadelas. Utilizaram-se 16 cadelas pré-medicadas com acepromazina e midazolam compondo dois grupos: no grupo 1 (n=8) aplicou-se ropivacaína isolada (0,3mL/kg) e no grupo 2 (n=8), butorfanol (0,1mg/kg) e ropivacaína (até o volume de 0,3mL/kg), pela via peridural. Consideraram-se nove momentos (M): M0 - animal sem anestesia, M1 - 15 minutos após medicação pré-anestésica; M2 - 30 minutos após a aplicação peridural; M3, M4 e M5 - correspondentes ao início do procedimento e ao pinçamento dos pedículos esquerdo e direito, respectivamente; M6 - ligadura da cérvix uterina; e M7 e M8 - início da laparorrafia e fim da sutura de pele, respectivamente. Foram avaliados os períodos de latência e ação do bloqueio, além da viabilidade de realização do procedimento cirúrgico por meio do bloqueio efetuado. O que recebeu ropivacaína + butorfanol apresentou sedação pronunciada e permitiu a realização de OSH em 75 por cento dos animais, sem indução anestésica. Não houve diferença entre os grupos quanto aos períodos de latência e duração. A associação do butorfanol à ropivacaína proporcionou bloqueio anestésico compatível com a realização de OSH e período de latência curto, com duração de efeito suficiente para o procedimento cirúrgico.


The periods of latency and duration of butorphanol associated with ropivacaine used via epidural, and this combination as anesthetic protocol for carrying out ovariosalpingohysterectomy (OSH) in bitches were evaluated. Sixteen animals pre-medicated with acepromazine and midazolam were used composing two groups that received: 1 (n=8) ropivacaine (0.3mL/kg) and 2 (n=8) butorphanol (0.1mg/kg) and ropivacaine (up to the volume of 0.3ml/kg) via epidural. Nine moments were studied: M1 - 15 minutes after pre-anesthetic medication; M2 - 30 minutes after the epidural medication; M3, M4, and M5 - at the beginning of surgery and at clamping left and right pedicles, respectively; M6 - at ligation of the uterine cervix; and M7 and M8 - at laparorhaphy and end of skin suture, respectively. Periods of latency and blocking the action of random double-covert manner were evaluated as well as the feasibility of carrying out the surgery performed by the blockade. It was observed that the group receiving ropivacaine + butorphanol allowed the execution of OSH in 75 percent of animals without the need for anesthesia. There was no statistical difference between the periods of latency and duration. It was concluded that the combination of butorphanol to ropivacaine provides, in bitches, block compatible with the implementation of OSH with short period of latency and duration of effect sufficient for the surgical procedure.


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Anestesia Epidural/veterinária , Butorfanol/administração & dosagem , Anestesiologia , Histerectomia/veterinária
10.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 62(4): 806-811, ago. 2010. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-5881

RESUMO

Avaliaram-se os períodos de latência e de duração do efeito do butorfanol associado à ropivacaína aplicados pela via peridural e a possibilidade de uso dessa associação como protocolo anestésico para realização de ovariossalpingo-histerectomia (OSH) em cadelas. Utilizaram-se 16 cadelas pré-medicadas com acepromazina e midazolam compondo dois grupos: no grupo 1 (n=8) aplicou-se ropivacaína isolada (0,3mL/kg) e no grupo 2 (n=8), butorfanol (0,1mg/kg) e ropivacaína (até o volume de 0,3mL/kg), pela via peridural. Consideraram-se nove momentos (M): M0 - animal sem anestesia, M1 - 15 minutos após medicação pré-anestésica; M2 - 30 minutos após a aplicação peridural; M3, M4 e M5 - correspondentes ao início do procedimento e ao pinçamento dos pedículos esquerdo e direito, respectivamente; M6 - ligadura da cérvix uterina; e M7 e M8 - início da laparorrafia e fim da sutura de pele, respectivamente. Foram avaliados os períodos de latência e ação do bloqueio, além da viabilidade de realização do procedimento cirúrgico por meio do bloqueio efetuado. O que recebeu ropivacaína + butorfanol apresentou sedação pronunciada e permitiu a realização de OSH em 75 por cento dos animais, sem indução anestésica. Não houve diferença entre os grupos quanto aos períodos de latência e duração. A associação do butorfanol à ropivacaína proporcionou bloqueio anestésico compatível com a realização de OSH e período de latência curto, com duração de efeito suficiente para o procedimento cirúrgico.(AU)


The periods of latency and duration of butorphanol associated with ropivacaine used via epidural, and this combination as anesthetic protocol for carrying out ovariosalpingohysterectomy (OSH) in bitches were evaluated. Sixteen animals pre-medicated with acepromazine and midazolam were used composing two groups that received: 1 (n=8) ropivacaine (0.3mL/kg) and 2 (n=8) butorphanol (0.1mg/kg) and ropivacaine (up to the volume of 0.3ml/kg) via epidural. Nine moments were studied: M1 - 15 minutes after pre-anesthetic medication; M2 - 30 minutes after the epidural medication; M3, M4, and M5 - at the beginning of surgery and at clamping left and right pedicles, respectively; M6 - at ligation of the uterine cervix; and M7 and M8 - at laparorhaphy and end of skin suture, respectively. Periods of latency and blocking the action of random double-covert manner were evaluated as well as the feasibility of carrying out the surgery performed by the blockade. It was observed that the group receiving ropivacaine + butorphanol allowed the execution of OSH in 75 percent of animals without the need for anesthesia. There was no statistical difference between the periods of latency and duration. It was concluded that the combination of butorphanol to ropivacaine provides, in bitches, block compatible with the implementation of OSH with short period of latency and duration of effect sufficient for the surgical procedure.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Butorfanol/administração & dosagem , Anestesia Epidural/veterinária , Anestesiologia , Histerectomia/veterinária
11.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 62(3): 586-595, June 2010. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-554927

RESUMO

Desenvolveu-se uma técnica de bloqueio peribulbar comparando-a à técnica de anestesia oftálmica com bloqueio neuromuscular parcial em cães submetidos à facectomia extracapsular. Doze cães, de diferentes raças, foram alocados em dois grupos (G1 e G2) e anestesiados com acepromazina (0,05mg/kg, IV) e propofol (5mg/kg, IV) e mantidos com isofluorano sob ventilação espontânea. Os cães do G1 receberam o bloqueio peribulbar com ropivacaína 0,75 por cento, e os do G2 o bloqueio neuromuscular parcial com brometo de pancurônio (0,01mg/kg, IV). Utilizaram-se, como parâmetros comparativos, escores de posicionamento do globo ocular, controle do reflexo oculocardíaco e pressão intraocular (mmHg). Foi possível propor uma técnica eficaz para cães baseando-se na técnica de bloqueio peribulbar posterior realizada no homem. Em ambos os grupos, o globo ocular permaneceu centralizado. Não ocorreram alterações eletrocardiográficas atribuídas ao reflexo oculocardíaco. Houve redução significativa da pressão intraocular em G1 após o bloqueio (10,7±0,6 e 14,7±0,6). Conclui-se que o bloqueio peribulbar proporcionou condições cirúrgicas apropriadas para a realização da facectomia, com a vantagem de promover bloqueio sensitivo do olho.


A peribulbar block technique was developed and its clinical efficacy was compared with neuromuscular blockade in dogs undergoing cataract surgery. Twelve dogs of different breeds were randomly and equally allocated in two groups. After given acepromazine (0.05mg/kg, IV), anesthesia was induced with propofol (5mg/kg, IV) and maintained with isoflurane in oxygen during spontaneous breathing. A peribulbar block with 0.75 percent ropivacaine was performed in G1 dogs while partial neuromuscular blockade with pancuronium (0.01mg/kg IV) was provided in G2 dogs. Globe position scores, oculocardiac reflex, and intra-ocular pressure (mmHg) were evaluated at pre-defined intervals during surgery. Peribulbar blocks were successful performed according to posterior peribulbar block described in humans. In both groups, the globe was centralized and globe position scores did not differ between groups. The intra-ocular pressure was significantly lower in G1 after the block (10.7±0.6 vs 14.7±0.6). There were no electrocardiographycal changes attributed to the oculocardiac reflex. In conclusion, satisfactory surgical conditions were provided by the peribulbar block. This technique can be used as an alternative to the use of neuromuscular blocking agents in dogs undergoing cataract surgery, with the advantage of providing analgesia of the eye.


Assuntos
Animais , Cães , Anestesia/métodos , Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos , Anestésicos Locais , Bloqueio Nervoso
12.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 62(3): 586-595, jun. 2010. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-5849

RESUMO

Desenvolveu-se uma técnica de bloqueio peribulbar comparando-a à técnica de anestesia oftálmica com bloqueio neuromuscular parcial em cães submetidos à facectomia extracapsular. Doze cães, de diferentes raças, foram alocados em dois grupos (G1 e G2) e anestesiados com acepromazina (0,05mg/kg, IV) e propofol (5mg/kg, IV) e mantidos com isofluorano sob ventilação espontânea. Os cães do G1 receberam o bloqueio peribulbar com ropivacaína 0,75 por cento, e os do G2 o bloqueio neuromuscular parcial com brometo de pancurônio (0,01mg/kg, IV). Utilizaram-se, como parâmetros comparativos, escores de posicionamento do globo ocular, controle do reflexo oculocardíaco e pressão intraocular (mmHg). Foi possível propor uma técnica eficaz para cães baseando-se na técnica de bloqueio peribulbar posterior realizada no homem. Em ambos os grupos, o globo ocular permaneceu centralizado. Não ocorreram alterações eletrocardiográficas atribuídas ao reflexo oculocardíaco. Houve redução significativa da pressão intraocular em G1 após o bloqueio (10,7±0,6 e 14,7±0,6). Conclui-se que o bloqueio peribulbar proporcionou condições cirúrgicas apropriadas para a realização da facectomia, com a vantagem de promover bloqueio sensitivo do olho.(AU)


A peribulbar block technique was developed and its clinical efficacy was compared with neuromuscular blockade in dogs undergoing cataract surgery. Twelve dogs of different breeds were randomly and equally allocated in two groups. After given acepromazine (0.05mg/kg, IV), anesthesia was induced with propofol (5mg/kg, IV) and maintained with isoflurane in oxygen during spontaneous breathing. A peribulbar block with 0.75 percent ropivacaine was performed in G1 dogs while partial neuromuscular blockade with pancuronium (0.01mg/kg IV) was provided in G2 dogs. Globe position scores, oculocardiac reflex, and intra-ocular pressure (mmHg) were evaluated at pre-defined intervals during surgery. Peribulbar blocks were successful performed according to posterior peribulbar block described in humans. In both groups, the globe was centralized and globe position scores did not differ between groups. The intra-ocular pressure was significantly lower in G1 after the block (10.7±0.6 vs 14.7±0.6). There were no electrocardiographycal changes attributed to the oculocardiac reflex. In conclusion, satisfactory surgical conditions were provided by the peribulbar block. This technique can be used as an alternative to the use of neuromuscular blocking agents in dogs undergoing cataract surgery, with the advantage of providing analgesia of the eye.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Anestesia/métodos , Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos , Bloqueio Nervoso , Anestésicos Locais
13.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 59(1): 134-139, fev. 2007. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-456426

RESUMO

Estudaram-se os efeitos do sevofluorano sobre a freqüência cardíaca nos fetos de cadelas no terço final de gestação, mediante a mensuração da freqüência cardíaca fetal com a utilização do ultra-som. Nove cadelas, sem raça definida, entre um e cinco anos de idade, com aproximadamente 45 dias de gestação, foram anestesiadas com acepromazina (0,05mg/kg, IV), propofol (5mg/kg, IV) e sevofluorano. O monitoramento da freqüência cardíaca fetal foi realizado antes da medicação pré-anestésica (M0), 15 minutos após a intubação traqueal (M1), aos 30 minutos (M2) e 60 minutos (M3) do período de manutenção anestésica. A pressão arterial sistólica (PAS), média (PAM) e diastólica (PAD) foram obtidas pelo método não invasivo, sendo a PAM avaliada também pelo método invasivo. Por meio do monitoramento da freqüência cardíaca fetal média não se observou diferença significativa entre M0, M1 e M2, e verificou-se elevação apenas aos 60 minutos da manutenção anestésica (M3) em relação ao M0, porém sem significado clínico. O protocolo anestésico provocou diminuição significativa da pressão sangüínea arterial materna sem alterar, porém a freqüência cardíaca dos fetos.


The effect of sevoflurane on fetal heart rate of 45-day fetuses was investigated through monitoring fetal heart rate by ultrasonographic evaluation in nine adult bitches aging from 1 to 5-year-old. After sedation with acepromazine (0.05mg/kg, IV), the anesthetic induction was accomplished using propofol (5mg/kg, IV) and the maintenance was kept with sevoflurane. The fetal heart rate was measured before sedation (M0), 15 minutes after endotracheal intubation (M1), at 30 (M2) and 60 minutes (M3) from the beginning of general anesthesia. The systolic, diastolic and mean blood pressures were obtained by indirect techniques, while mean blood pressure were also obtained by direct technique. The measure of fetal heart rate did not show any difference between M0, M1 and M2, but there was a remarkable increase in the last moment of the study (M3) comparing to M0, however without clinical relevance. The anesthetic protocol employing acepromazine, propofol and sevoflurane in 45-day pregnancy bitches decreased their arterial blood pressure without affecting the fetal heart rate.


Assuntos
Animais , Feminino , Acepromazina/administração & dosagem , Anestesia Epidural/efeitos adversos , Anestesia Epidural/métodos , Anestesia por Inalação/efeitos adversos , Anestesia por Inalação/métodos , Cães , Frequência Cardíaca Fetal , Gravidez , Propofol/administração & dosagem
14.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 59(1): 134-139, fev. 2007. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-7452

RESUMO

Estudaram-se os efeitos do sevofluorano sobre a freqüência cardíaca nos fetos de cadelas no terço final de gestação, mediante a mensuração da freqüência cardíaca fetal com a utilização do ultra-som. Nove cadelas, sem raça definida, entre um e cinco anos de idade, com aproximadamente 45 dias de gestação, foram anestesiadas com acepromazina (0,05mg/kg, IV), propofol (5mg/kg, IV) e sevofluorano. O monitoramento da freqüência cardíaca fetal foi realizado antes da medicação pré-anestésica (M0), 15 minutos após a intubação traqueal (M1), aos 30 minutos (M2) e 60 minutos (M3) do período de manutenção anestésica. A pressão arterial sistólica (PAS), média (PAM) e diastólica (PAD) foram obtidas pelo método não invasivo, sendo a PAM avaliada também pelo método invasivo. Por meio do monitoramento da freqüência cardíaca fetal média não se observou diferença significativa entre M0, M1 e M2, e verificou-se elevação apenas aos 60 minutos da manutenção anestésica (M3) em relação ao M0, porém sem significado clínico. O protocolo anestésico provocou diminuição significativa da pressão sangüínea arterial materna sem alterar, porém a freqüência cardíaca dos fetos.(AU)


The effect of sevoflurane on fetal heart rate of 45-day fetuses was investigated through monitoring fetal heart rate by ultrasonographic evaluation in nine adult bitches aging from 1 to 5-year-old. After sedation with acepromazine (0.05mg/kg, IV), the anesthetic induction was accomplished using propofol (5mg/kg, IV) and the maintenance was kept with sevoflurane. The fetal heart rate was measured before sedation (M0), 15 minutes after endotracheal intubation (M1), at 30 (M2) and 60 minutes (M3) from the beginning of general anesthesia. The systolic, diastolic and mean blood pressures were obtained by indirect techniques, while mean blood pressure were also obtained by direct technique. The measure of fetal heart rate did not show any difference between M0, M1 and M2, but there was a remarkable increase in the last moment of the study (M3) comparing to M0, however without clinical relevance. The anesthetic protocol employing acepromazine, propofol and sevoflurane in 45-day pregnancy bitches decreased their arterial blood pressure without affecting the fetal heart rate.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Acepromazina/administração & dosagem , Propofol/administração & dosagem , Anestesia por Inalação/métodos , Anestesia por Inalação/efeitos adversos , Anestesia Epidural/métodos , Anestesia Epidural/efeitos adversos , Frequência Cardíaca Fetal , Gravidez , Cães
15.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 58(4): 518-524, ago. 2006. graf
Artigo em Português, Inglês | LILACS | ID: lil-438719

RESUMO

Estudaram-se as alterações hemodinâmicas e respiratórias em cadelas, decorrentes do parto normal e da cesariana, utilizando-se sevofluorano como agente de manutenção anestésica. Foram acompanhados seis partos normais e seis cesarianas, sendo as últimas realizadas sob anestesia geral utilizando-se acepromazina, propofol e sevofluorano. Durante o parto normal, ao nascimento de cada filhote, as gestantes foram monitoradas (temperatura retal, pressão arterial não-invasiva, freqüências respiratória e cardíaca, tempo de reperfusão capilar e gasometria). Durante a cesariana foram avaliadas as mesmas características citadas para o parto normal, acrescentando-se a temperatura esofágica e a pressão arterial invasiva, ao longo de todo o período anestésico, além da qualidade da recuperação anestésica. Os valores das variáveis: freqüência cardíaca, pressão arterial, freqüência respiratória, tempo de reperfusão capilar e o pH do sangue arterial no grupo submetido à cesariana foram menores que os das cadelas de partos normais, evidenciando a relativa depressão cardiorrespiratória produzida pelo procedimento anestésico. O protocolo anestésico empregado não comprometeu a viabilidade e a saúde das parturientes e dos filhotes e é seguro em cadelas gestantes, podendo ser utilizado nas operações cesarianas.


Haemodynamic and respiratory changes in 12 bitches, being six of natural birth and six caesarean using sevoflurane as an anaesthetic maintenance agent, were studied. The caesarean sections were performed using general anaesthesia, employing acepromazine maleate, propofol and sevoflurane. During natural birth, as each puppy was being delivered, the bitches were evaluated (rectal temperature, non-invasive arterial blood pressure respiratory and cardiac rate, capillary time reperfusion and blood gas values). During the caesarean, the same parameters mentioned for the natural birth were measured, in addition to the esophagus temperature and invasive arterial blood pressure throughout the anaesthetic period, besides the anaesthetic recovery quality. The bitches, submitted to the caesarean sections showed lower values of cardiac frequency, arterial pressure, respiratory frequency, time of capilar reperfusion and arterial blood pH when compared to the bitches which underwent natural birth, showing the cardiorespiratoy depression induced by the anaesthetic procedure. In spite of the anaesthetic depression, the anaesthetic protocol employed had no effect on the viability and health of the bitches and the puppies, and can be safely recommend for caesarean sections.


Assuntos
Anestesia por Inalação/efeitos adversos , Anestésicos Combinados/administração & dosagem , Cães , Gravidez/fisiologia , Parto/fisiologia
16.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 58(4): 518-524, ago. 2006. graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-7006

RESUMO

Estudaram-se as alterações hemodinâmicas e respiratórias em cadelas, decorrentes do parto normal e da cesariana, utilizando-se sevofluorano como agente de manutenção anestésica. Foram acompanhados seis partos normais e seis cesarianas, sendo as últimas realizadas sob anestesia geral utilizando-se acepromazina, propofol e sevofluorano. Durante o parto normal, ao nascimento de cada filhote, as gestantes foram monitoradas (temperatura retal, pressão arterial não-invasiva, freqüências respiratória e cardíaca, tempo de reperfusão capilar e gasometria). Durante a cesariana foram avaliadas as mesmas características citadas para o parto normal, acrescentando-se a temperatura esofágica e a pressão arterial invasiva, ao longo de todo o período anestésico, além da qualidade da recuperação anestésica. Os valores das variáveis: freqüência cardíaca, pressão arterial, freqüência respiratória, tempo de reperfusão capilar e o pH do sangue arterial no grupo submetido à cesariana foram menores que os das cadelas de partos normais, evidenciando a relativa depressão cardiorrespiratória produzida pelo procedimento anestésico. O protocolo anestésico empregado não comprometeu a viabilidade e a saúde das parturientes e dos filhotes e é seguro em cadelas gestantes, podendo ser utilizado nas operações cesarianas.(AU)


Haemodynamic and respiratory changes in 12 bitches, being six of natural birth and six caesarean using sevoflurane as an anaesthetic maintenance agent, were studied. The caesarean sections were performed using general anaesthesia, employing acepromazine maleate, propofol and sevoflurane. During natural birth, as each puppy was being delivered, the bitches were evaluated (rectal temperature, non-invasive arterial blood pressure respiratory and cardiac rate, capillary time reperfusion and blood gas values). During the caesarean, the same parameters mentioned for the natural birth were measured, in addition to the esophagus temperature and invasive arterial blood pressure throughout the anaesthetic period, besides the anaesthetic recovery quality. The bitches, submitted to the caesarean sections showed lower values of cardiac frequency, arterial pressure, respiratory frequency, time of capilar reperfusion and arterial blood pH when compared to the bitches which underwent natural birth, showing the cardiorespiratoy depression induced by the anaesthetic procedure. In spite of the anaesthetic depression, the anaesthetic protocol employed had no effect on the viability and health of the bitches and the puppies, and can be safely recommend for caesarean sections.(AU)


Assuntos
Parto/fisiologia , Anestesia por Inalação/efeitos adversos , Gravidez/fisiologia , Anestésicos Combinados/administração & dosagem , Cães
17.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 52(2): 130-7, abr. 2000. graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-261122

RESUMO

Com o objetivo de avaliar as alteraçöes cardiocirculatórias resultantes da manutençäo anestésica com sevofluorano, três grupos de 10 cäes cada foram anestesiados por 60 minutos com fluxo diluente de 100 por cento de oxigênio (grupo 1), de 50 por cento de oxigênio e de óxido nitroso (grupo 2) ou 27 por cento de oxigênio e 63 por cento de óxido nitroso (grupo 3). A tranqüilizaçäo foi realizada com levomepromazina (0,5 mg/kg) e a induçäo com tiopental (12,5 mg/lg). A freqüência cardíaca apresentou elevaçäo significativa após a induçäo (P<0,05), mantendo-se mais alta que a basal, em todos os grupos, durante toda a anestesia. As variaçöes das pressöes arteriais sistólica, média e diastólica foram pouco significativas e mantiveram-se em todos os grupos dentro de valores aceitáveis para a espécie e a utilizaçäo do óxido nitroso näo interferiu nessa variaçäo. O sevofluorano demonstrou ser um bom agente de manutençäo anestésica em cäes, e a adiçäo de 63 por cento de óxido nitroso ao fluxo diluente de oxigênio reduziu a necessidade anestésica de maneira significativa


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Adulto , Anestesia , Cães , Óxido Nitroso
18.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-447609

RESUMO

Thirty healthy mongrel dogs, premedicated with levomepromazine (0.5mg/kg) and induced with tiopental sodium were anesthetized for 60 minutes as follow:group 1 (G1) sevoflurane in oxygen 100%; group 2 (G2) sevoflurane in nitrous oxide and oxygen 50% each and group 3 (G3) sevoflurane in oxygen 27% and nitrous oxide 63%. Heart rate increased significantly after induction (P 0.05), maintaining higher than baseline values in all groups. Mean and systolic arterial pressures decreased (P 0.05) along the time but the mean blood pressure variation was different between groups (G1 G2 G3). Diastolic blood pressure also decreased significantly after induction (P 0.05) maintaining higher than baseline values in all groups. Sevoflurane should be a good agent for the anesthesia maintenance in dogs, with minimal cardiocirculatory effects and, at 63% nitrous oxide concentration, the anesthetical requirement decrease significantly.


Com o objetivo de avaliar as alterações cardiocirculatórias resultantes da manutenção anestésica com sevofluorano, três grupos de 10 cães cada foram anestesiados por 60 minutos com fluxo diluente de 100% de oxigênio (grupo 1), de 50% de oxigênio e de óxido nitroso (grupo 2) ou 27% de oxigênio e 63% de óxido nitroso (grupo 3). A tranqüilização foi realizada com levomepromazina (0,5 mg/kg) e a indução com tiopental (12,5 mg/kg). A freqüência cardíaca apresentou elevação significativa após a indução (P 0,05), mantendo-se mais alta que a basal, em todos os grupos, durante toda a anestesia. As variações das pressões arteriais sistólica, média e diastólica foram pouco significativas e mantiveram-se em todos os grupos dentro de valores aceitáveis para a espécie e a utilização do óxido nitroso não interferiu nessa variação. O sevofluorano demonstrou ser um bom agente de manutenção anestésica em cães, e a adição de 63% de óxido nitroso ao fluxo diluente de oxigênio reduziu a necessidade anestésica de maneira significativa.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA