Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 68
Filtrar
1.
Braz. j. biol ; 84: e256945, 2024. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1374655

RESUMO

The gastrointestinal microflora regulates the body's functions and plays an important role in its health. Dysbiosis leads to a number of chronic diseases such as diabetes, obesity, inflammation, atherosclerosis, etc. However, these diseases can be prevented by using probiotics ­ living microorganisms that benefit the microflora and, therefore, improve the host organism's health. The most common probiotics include lactic acid bacteria of the Bifidobacterium and Propionibacterium genera. We studied the probiotic properties of the following strains: Bifidobacterium adolescentis АС-1909, Bifidobacterium longum infantis АС-1912, Propionibacterium jensenii В-6085, Propionibacterium freudenreichii В-11921, Propionibacterium thoenii В-6082, and Propionibacterium acidipropionici В-5723. Antimicrobial activity was determined by the 'agar blocks' method against the following test cultures: Escherichia coli ATCC 25922, Salmonella enterica ATCC 14028, Staphylococcus aureus ATCC 25923, Pseudomonas aeruginosa B6643, Proteus vulgaris ATCC 63, and Listeria monocytogenes ATCC 7644. Moderate antimicrobial activity against all the test cultures was registered in Bifidobacterium adolescentis АС-1909, Propionibacterium jensenii В-6085, and Propionibacterium thoenii В-6082. Antioxidant activity was determined by the DPPH inhibition method in all the lactic acid strains. Our study indicated that some Propionibacterium and Bifidobacterium strains or, theoretically, their consortia could be used as probiotic cultures in dietary supplements or functional foods to prevent a number of chronic diseases.


A microbiota gastrointestinal regula as funções do corpo e desempenha um papel importante na sua saúde. A disbiose leva a uma série de doenças crônicas, como diabetes, obesidade, inflamação, aterosclerose, etc. No entanto, essas doenças podem ser prevenidas pelo uso de probióticos − microrganismos vivos que beneficiam a microflora e, portanto, melhoram a saúde do organismo hospedeiro. Os probióticos mais comuns incluem bactérias do ácido láctico dos gêneros Bifidobacterium e Propionibacterium. Nós estudamos as propriedades probióticas das seguintes cepas: Bifidobacterium adolescentis АС-1909, Bifidobacterium longum infantis АС-1912, Propionibacterium jensenii В-6085, Propionibacterium freudenreichii В-11921, Propionibacterium thoenii В-6082 В-6082 acid e Propionibacterium thoenii В-6082 В-6082 acidibion. A atividade antimicrobiana foi determinada pelo método de 'blocos de ágar' contra as seguintes culturas de teste: Escherichia coli ATCC 25922, Salmonella enterica ATCC 14028, Staphylococcus aureus ATCC 25923, Pseudomonas aeruginosa B6643, Proteus vulgaris ATCC 63 e Listeria monocytogenes moderada atividade ATCC 7644. Uma atividade antimicrobiana moderada contra todas as culturas de teste foi registrado em Bifidobacterium adolescentis АС-1909, Propionibacterium jensenii В-6085 e Propionibacterium thoenii В-6082. A atividade antioxidante foi determinada pelo método de inibição do DPPH em todas as cepas de ácido lático. Nosso estudo indicou que algumas cepas de Propionibacterium e Bifidobacterium − ou, teoricamente, seus consórcios − poderiam ser usadas ​​como culturas probióticas em suplementos dietéticos ou alimentos funcionais para prevenir uma série de doenças crônicas.


Assuntos
Animais , Propionibacterium , Bifidobacterium , Ácido Láctico , Probióticos , Lactobacillales , Microbioma Gastrointestinal
2.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-220218

RESUMO

A biocompatibilidade da membrana de celulose bacteriana foi estudada in vivo para estabelecer protocolos e desenvolvimento de dispositivos médicos viáveis para o uso clínico-cirúrgico. O presente estudo teve como objetivo avaliar o comportamento da membrana de celulose bacteriana implantada no subcutâneo (SC), intramuscular (IM) e intraperitoneal (IP) de ratos Wistar. Cento e cinco ratos Wistar adultos foram divididos em três grupos experimentais de acordo com o tempo de coleta da amostra, sendo 15, 30 e 60 dias de pós-operatório. Análises histológicas e histoquímicas foram realizadas. Os dados quantitativos foram submetidos ao teste de Qui-Quadrado, e p 0,05 foi considerado significativo. Aos 15 dias de pós-operatório, no SC e IP estavam presentes fibras colágenas tipo III de aspecto espesso e desorganizado na periferia da membrana, enquanto no IM havia predominância do tipo I com mesmo aspecto, e aos 30 e 60 dias, houve predomínio do tipo I, e o colágeno se apresentou mais organizado em todos os sítios. Observou-se presença de arranjo de delicadas fibras de reticulina com discretas ramificações adentrando a membrana aos 15 dias, tornando-se mais organizada e retilínea aos 60 dias. O processo inflamatório, células gigantes, neovascularização e discreta cápsula de tecido conjuntivo estiveram presentes em todos os grupos e em todos os tempos experimentais. Concluiu-se que apesar da promissora aplicação da membrana de celulose bacteriana na cicatrização de tecidos moles, ela não apresentou biocompatibilidade no tempo estudado.


The biocompatibility of bacterial cellulose membrane was studied in vivo to establish protocols and development of viable medical devices for clinical-surgical use. This study aimed to evaluate the behavior of bacterial cellulose membrane implanted in the subcutaneous (SC), intramuscular (IM) and intraperitoneal (IP) of Wistar rats. One hundred and five adult Wistar rats were divided into three experimental groups according to the sample collection time, 15, 30 and 60 days after surgery. Histological and histochemical analyzes were performed. Quantitative data were submitted to the Chi-Square test, and p 0.05 was considered significant. At 15 days after the operation, type III collagen fibers with a thick and disorganized aspect were present in the SC and PI, while in the IM there was a predominance of type I with the same aspect, and at 30 and 60 days, there was a predominance of type I, and collagen was more organized in all sites. It was observed the presence of an arrangement of delicate reticulin fibers with discrete ramifications entering the membrane at 15 days, becoming more organized and straight after 60 days. The inflammatory process, giant cells, neovascularization and discrete connective tissue capsule were present in all groups and at all experimental times. It was concluded that despite the promising application of bacterial cellulose membrane in soft tissue healing, it did not show biocompatibility during the time studied.

3.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-219802

RESUMO

A busca por compostos bioativos provenientes de plantas medicinais para uso cicatrizante, o desenvolvimento de novas formas farmacêuticas para veicular os mesmos é uma demanda crescente na atualidade. Neste contexto, o presente trabalho teve como objetivo, produzir filmes poliméricos baseados em blendas entre opoli(álcool vinílico) (PVA), amido de milho e o poli(ácido acrílico) (PAA), contendo extrato seco total das cascas de Punica granatum (romã) (ESTCR), com vistas ao uso como cobertura bioativa na farmacoterapia veterinária. O trabalho foi desenvolvido emduas etapas. Na primeira, após determinação da concentração inibitória mínima do ESTCR sobre cepas de bactérias Gram-positivas, Gram-negativas e um fungo e, definição da melhor concentração do extrato nas formulações, foram preparados filmes com diferentes proporções dos polímeros, que foram caracterizados por análises térmicas (DSC e TG/DTG) e tiveram as propriedades de barreira pesquisadas. Ainda, a biocompatibilidade e a capacidade cicatrizante foram preliminarmente avaliadas empregando técnicas in vitro. A partir da análise dos dados, foi eleita a melhor formulação, preparada a partir dos polímeros na razão 75:15:10 (PVA/amido/PAA) e na presença de 1,25% p/p do extrato. Na segunda etapa, a melhorformulação, foi submetida à ensaios complementares de caracterização físico-químicapor microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia na região do infravermelho por transformada de Fourier (FTIR) e difração de raios X (DRX); ensaiosde tração, para pesquisa das propriedades mecânicas; e, a testes de disco-difusão, para avaliação da atividade antifúngica. Foram obtidos filmes lisos, transparentes, brilhantes, de cor amarelo-clara, sem a presença de domínios quando avaliados visualmente. As diferentes proporações dos polímeros nas blendas provocou alterações nas características estudadas dos filmes. A blenda PVA:S:PAA:PPE4originou um filme liso, transparente, livre de domínio e sem separação de fases. Além disso, o filme apresentou propriedades de barreira adequadas para o uso como cobertura bioativa. Quando submetido ao ensaio de atividade hemolítica in vitro, o filme se mostrou não hemolítico e biocompatível. Além da confirmação da atividade antibacteriana sobre as cepas pesquisadas, os filmes foram eficientes em promover a proliferação celular in vitro, em 48 h, sem citotoxicidade. Análises complementares no filme eleito (PVA:S:PAA:PPE4) comprovaram a existência de interações químicas entre os componentes do extrato e os polímeros, contribuindo para a formação de filmes íntegros, uniformes, resistentes ao manuseio e com propriedades mecânicas consideradas apropriadas para o uso como coberturas bioativas. Análises das fotomicrografias das superfícies fraturadas apontam a presença de descontinuidades na matriz, justificando a pequena redução observada nos parâmetros de resistência mecânica quando comparados aos valores para o filme sem extrato. A alteração na organização das cadeias poliméricas também foi confirmada por DRX. Finalmente, os filmes com extrato apresentaram atividade antifúngica sobre a cepa estudada Candida albicans. A análise conjunta de todos os resultados permite inferir que o filme PVA:S:PAA:PPE4, preparado a partir dos polímeros na proporção 75:15:10 (PVA:amido:PAA) contendo o ESTCR na concentração de 1,25% p/p é potencialmente últil para o uso como cobertura bioativa.


The search for bioactive compounds from medicinal plants with healing activity, the development of new pharmaceutical dosage forms to convey them is a growing demand. In this context, the present work aimed to produce polymeric films based on blends between poly(vinyl alcohol) (PVA), corn starch and poly (acrylic acid) (PAA), containing total dry extract of Punica granatum (pomegranate) peels (ESTCR), to use as bioactive wound dressing in veterinary pharmacotherapy. The work was carried out in two stages. In the first phase, the minimum inhibitory concentration of ESTCR on Gram-positive and Gram-negative bacteria strains and a fungus and, the best concentration of the extract in films prepared by solvent casting with different proportions of polymers were defined. The films were characterized by thermal analysis (DSC and TG/DTG) and their barrier properties were evaluated. Furthermore, biocompatibility and healing activity were preliminarily evaluated using in vitro techniques. From the data analysis, the best formuation was chosen, prepared from polymers in the 75:15:10 ratio (PVA/starch/PAA) and in the presence of 1.25% w/w of the extract. In the second phase, the best formulation was submitted to complementary tests of physicochemical characterization: scanning electron microscopy (SEM), Fourier transform infrared spectroscopy (FTIR) and X-ray diffraction (XRD); tensile tests to investigate mechanical properties; and, to disc diffusion tests, to evaluate the antifungal activity. Were obtained smooth, transparent, bright, light yellow films, without the presence of domains when evaluated visually. The different proportions of polymers in the formulations caused changes in the studied characteristics of the films. The PVA:S:PAA:PPE4 produced a smooth, transparent film, free of domination and without phase separation. Furthermore, the film showed barrier properties appropriate for use as a bioactive wound dressing. When submitted to the in vitro hemolytic activity assay, the film proved to be non-hemolytic and biocompatible. In addition to the antibacterial activity on the strains studied, the films were efficient in promoting cell proliferation in vitro, within 48 h, without cytotoxicity. Complementary analysis in the chosen film (PVA:S:PAA:PPE4) proved the existence of interactions between the extract components and the polymers, contributing to the formation of uniform, handling-resistant films with mechanical properties necessary for use as bioactive covers. Analysis of the photomicrographs of the fractured surfaces point to the presence of discontinuities in the matrix, justifying the small reduction observed in the parameters of mechanical resistance when compared to the values for the film without extract. The change in the organization of polymer chains was also confirmed by XRD. Finally, films with extract showed antifungal activity on the studied Candida albicans strain. The analysis of all results allows us to infer that the film PVA:S:PAA:PPE4, prepared from polymers in the proportion 75:15:10 (PVA:starch:PAA) containing ESTCR at a concentration of 1.25% w/w is potentially useful for use as a bioactive cover

4.
Braz. dent. sci ; 24(4): 1-13, 2021. tab, ilus, graf
Artigo em Inglês | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1293139

RESUMO

Objective: Evaluation of the biocompatibility of Bio-High Performance Polymer (Bio HPP) crowns veneered with Visio-Ling versus e.max crowns veneered with e.max veneering system. Material and Methods: 42 full-coverage crowns were fabricated for maxillary anterior teeth. A swap was obtained using a sterile paper cone to determine bacterial count and type. Pocket depth (PD) was determined using a William Periodontal probe. Measurements were repeated after 3, 6, 9 and 12 months respectively. Patients were randomly divided into: Group A fabricated from IPS e.max crowns and Group B fabricated from Bio HPP crowns. The preparations were standardized with an equi-gingival, finish line. Fisher's test was used to compare between the two groups. The significance level was set at P ≤ 0.05. Statistical analysis was performed with Windows, Version 23.0. (IBM SPSS Statistics) Armonk, NY: IBM Corp. Results: Bio HPP and e.max showed no statistically significant difference in bleeding on probing and PD except after 9and 12 months; Bio HPP showed statistically significantly higher PD than e.max (P-value = 0.027, Effect size = 0.245) and (P-value = 0.011, Effect size = 0.310), respectively. Fisher's test showed there was no statistically significant difference between total bacterial counts and the type of the two materials. Conclusion: Both e.max and Bio HPP crowns revealed successful biological behavior. No significant difference between the materials regarding the bacterial count and type as well as the pocket depth, however after 9 and 12 months, Bio HPP showed a higher significant difference PD than e.max. (AU)


Objetivo: Avaliação da biocompatibilidade de coroas de Polímero Bio-High Performance (Bio HPP) estratificadas com Visio-Ling versus coroas e.max estratificadas com sistema de estratificação e.max. Material e Métodos: 42 coroas totais foram confeccionadas para dentes anteriores superiores. Uma amostra foi obtida usando um cone de papel estéril para determinar a contagem e o tipo de bactérias. A profundidade de bolsa (PD) foi determinada usando uma sonda periodontal de William. As medições foram repetidas após 3, 6, 9 e 12 meses, respectivamente. Os pacientes foram divididos aleatoriamente em: Grupo A fabricado com coroas IPS e.max e Grupo B fabricado com coroas Bio HPP. As preparações foram padronizadas com uma linha de término no nível da gengiva marginal. O teste de Fisher foi usado para comparação entre os dois grupos. O nível de significância foi estabelecido em P ≤ 0,05. A análise estatística foi realizada com Windows, versão 23.0. (IBM SPSS Statistics) Armonk, NY: IBM Corp. Resultados: Bio HPP e e.max não mostraram nenhuma diferença estatisticamente significativa no sangramento à sondagem e PD, exceto após 9 e 12 meses; Bio HPP mostrou PD estatisticamente significativa maior do que e.max (valor P = 0,027, tamanho do efeito = 0,245) e (valor P = 0,011, tamanho do efeito = 0,310), respectivamente. O teste de Fisher mostrou que não houve diferença estatisticamente significativa entre as contagens bacterianas totais e o tipo dos dois materiais. Conclusão: As coroas e.max e Bio HPP revelaram comportamento biológico bem-sucedidos. Não houve diferença significativa entre os materiais em relação à contagem e tipo de bactérias, bem como à profundidade da bolsa, no entanto, após 9 e 12 meses, o Bio HPP apresentou uma diferença significativamente mais elevada de PD do que e.max. (AU)


Assuntos
Humanos , Bactérias , Teste de Materiais , Coroas
5.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 72(3): 647-654, May-June, 2020. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-29769

RESUMO

The elastic cartilage is composed by chondroblasts and chondrocytes, extracellular matrix and surrounded by perichondrium. It has a low regeneration capacity and is a challenge in surgical repair. One of obstacles in engineering a structurally sound and long-lasting tissue is selecting the most appropriate scaffold material. One of the techniques for obtaining biomaterials from animal tissues is the decellularization that decreases antigenicity. In this work, alkaline solution was used in bovine ear elastic cartilages to evaluate the decellularization and the architecture of the extracellular matrix. The cartilages were treated in alkaline solution (pH13) for 72 hours and lyophilized to be compared with untreated cartilages by histological analysis (hematoxylin-eosin, Masson's trichrome and Verhoeff slides). Areas of interest for cell counting and elastic fiber quantification were delineated, and the distribution of collagen and elastic fibers and the presence of non-fibrous proteins were observed. The results demonstrated that the alkaline solution caused 90% decellularization in the middle and 13% in the peripheral region, and maintenance of the histological characteristics of the collagen and elastic fibers and non-fibrous protein removal. It was concluded that the alkaline solution was efficient in the decellularization and removal of non-fibrous proteins from the elastic cartilages of the bovine ear.(AU)


A cartilagem elástica é composta por condroblastos e condrócitos, matriz extracelular e envolta por pericôndrio. Possui uma baixa capacidade de regeneração e é um desafio em reparos cirúrgicos. Um dos obstáculos na engenharia de tecido estruturalmente sólido e de longa duração é a seleção do material de arcabouço mais adequado. Uma das técnicas para obtenção de biomateriais oriundos de tecidos animais é a descelularização, que diminui a antigenicidade. Neste trabalho, foi utilizada solução alcalina em cartilagem elástica auricular bovina para avaliar a descelularização e a arquitetura da matriz extracelular. As cartilagens foram tratadas em solução alcalina (pH13) durante 72 horas e liofilizadas, e comparadas com cartilagens não tratadas por análise histológica (hematoxilina-eosina, tricrômio de Masson e Verhoeff). Foram determinadas as áreas de interesse para contagem celular e quantificação de fibras elásticas, observada a distribuição de colágeno e fibras elásticas e a presença de proteínas não fibrosas. Os resultados demonstraram que a solução alcalina causou 90% de descelularização na região central e 13% na região periférica, manutenção das características histológicas do colágeno e fibras elásticas e remoção das proteínas não fibrosas. Concluiu-se que a solução alcalina foi eficiente na descelularização e retirada de proteínas não fibrosas de cartilagens elásticas da orelha de bovinos.(AU)


Assuntos
Materiais Biocompatíveis , Condrócitos , Engenharia Tecidual/veterinária , Cartilagem Elástica , Matriz Extracelular , Bovinos , Cartilagem , Amarelo de Eosina-(YS) , Álcalis
6.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 72(3): 647-654, May-June, 2020. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1128504

RESUMO

The elastic cartilage is composed by chondroblasts and chondrocytes, extracellular matrix and surrounded by perichondrium. It has a low regeneration capacity and is a challenge in surgical repair. One of obstacles in engineering a structurally sound and long-lasting tissue is selecting the most appropriate scaffold material. One of the techniques for obtaining biomaterials from animal tissues is the decellularization that decreases antigenicity. In this work, alkaline solution was used in bovine ear elastic cartilages to evaluate the decellularization and the architecture of the extracellular matrix. The cartilages were treated in alkaline solution (pH13) for 72 hours and lyophilized to be compared with untreated cartilages by histological analysis (hematoxylin-eosin, Masson's trichrome and Verhoeff slides). Areas of interest for cell counting and elastic fiber quantification were delineated, and the distribution of collagen and elastic fibers and the presence of non-fibrous proteins were observed. The results demonstrated that the alkaline solution caused 90% decellularization in the middle and 13% in the peripheral region, and maintenance of the histological characteristics of the collagen and elastic fibers and non-fibrous protein removal. It was concluded that the alkaline solution was efficient in the decellularization and removal of non-fibrous proteins from the elastic cartilages of the bovine ear.(AU)


A cartilagem elástica é composta por condroblastos e condrócitos, matriz extracelular e envolta por pericôndrio. Possui uma baixa capacidade de regeneração e é um desafio em reparos cirúrgicos. Um dos obstáculos na engenharia de tecido estruturalmente sólido e de longa duração é a seleção do material de arcabouço mais adequado. Uma das técnicas para obtenção de biomateriais oriundos de tecidos animais é a descelularização, que diminui a antigenicidade. Neste trabalho, foi utilizada solução alcalina em cartilagem elástica auricular bovina para avaliar a descelularização e a arquitetura da matriz extracelular. As cartilagens foram tratadas em solução alcalina (pH13) durante 72 horas e liofilizadas, e comparadas com cartilagens não tratadas por análise histológica (hematoxilina-eosina, tricrômio de Masson e Verhoeff). Foram determinadas as áreas de interesse para contagem celular e quantificação de fibras elásticas, observada a distribuição de colágeno e fibras elásticas e a presença de proteínas não fibrosas. Os resultados demonstraram que a solução alcalina causou 90% de descelularização na região central e 13% na região periférica, manutenção das características histológicas do colágeno e fibras elásticas e remoção das proteínas não fibrosas. Concluiu-se que a solução alcalina foi eficiente na descelularização e retirada de proteínas não fibrosas de cartilagens elásticas da orelha de bovinos.(AU)


Assuntos
Materiais Biocompatíveis , Condrócitos , Engenharia Tecidual/veterinária , Cartilagem Elástica , Matriz Extracelular , Bovinos , Cartilagem , Amarelo de Eosina-(YS) , Álcalis
7.
CES odontol ; 33(1): 53-63, ene.-jun. 2020.
Artigo em Espanhol | LILACS-Express | LILACS | ID: biblio-1149171

RESUMO

Resumen El objetivo de este artículo de revisión es abordar el tema de la amalgama dental en relación con el Convenido de Minamata Sobre el Mercurio. Las decisiones que, al amparo de dicho convenio, se vienen tomando en el mundo, incluyendo Colombia, y que afectan la continuidad de la amalgama como material de restauración dental, siendo esto agravado por los altos niveles de prevalencia de la caries dental a nivel global. Se revisa la posición de algunas organizaciones internacionales y sus decisiones basadas en lo que la evidencia científica disponible muestra sobre la toxicidad y biocompatibilidad de la amalgama, y sus posibles materiales de reemplazo. Se revisa el panorama nacional y el impacto de las decisiones gubernamentales sobre la profesión odontológica.


Abstract The aim of this review article is to address the issue of dental amalgam in relation to the Minamata Convention on Mercury. The decisions that, under this convention, are being taken in the world, including Colombia, and which affect the continuity of amalgam as dental restoration material, this is being aggravated due to the high levels of prevalence of dental caries globally. The position of some international organizations, their decisions based on the available scientific evidence about the toxicity and biocompatibility of amalgam, and its possible replacement materials are reviewed. The national landscape and the impact of government decisions on the dental profession are reviewed.


Sumário O objetivo deste artigo de revisão é abordar a questão da amálgama dental em relação ao Acordo de Minamata sobre Mercúrio. As decisões que, sob este acordo, estão sendo tomadas no mundo, incluindo a Colômbia, e que afetam a continuidade do amálgama como material de restauração dentária, agravadas pelos altos níveis de prevalência mundial de cárie dentária. A posição de algumas organizações internacionais e suas decisões são revisadas com base no que as evidências científicas disponíveis mostram sobre a toxicidade e biocompatibilidade do amálgama e seus possíveis materiais de substituição. A paisagem nacional e o impacto das decisões do governo na profissão odontológica são revistos.

8.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 71(6): 1873-1879, Nov.-Dec. 2019. graf, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-26585

RESUMO

Hydroxyapatite (HA) is widely used as a biomaterial for bone repair and metallic prostheses coating. The main limitations of the current commercial synthetic hydroxyapatite compounds include high cost and decreased availability, especially for veterinary medicine purposes. Additionally, it is thought that HA biocompatibility and bioactivity could be enhanced by the addition of metal compounds. The objective of this work was to compare the subcutaneous tissue response of commercial and engineered hydroxyapatite obtained from the bovine femur diaphysis mixed with different concentrations of hexa-hydrated Zinc Nitrate in rabbits. Twenty-Five New Zealand female rabbits were used. Five treatments were done according to HA composition (commercial HA, no Zn-HA, 0.1M Zn, 0.2M Zn, and 0.3M Zn). Each treatment was evaluated at five time-points (8, 15, 30, 60 and 90 days post-implantation). Histopathologic analysis was performed to assess inflammation by polymorphonuclear cells infiltration, neovascularization, and fibrosis. Results obtained in this work suggest that general inflammation decreased after 60 days of implantation regardless of Zn concentration. Fibrosis score was increased in the commercial HP compared to control and Zn-hydrated HA. This paper shows that bovine hydroxyapatite is a biocompatible material regardless of nitrate Zinc concentration and has the same properties of commercial hydroxyapatite.(AU)


A hidroxiapatita (HA) é amplamente utilizada como biomaterial para reparo ósseo e revestimento de próteses metálicas. As principais limitações dos atuais compostos comerciais de hidroxiapatita sintética incluem alto custo e menor disponibilidade, especialmente para fins de medicina veterinária. Além disso, acredita-se que a biocompatibilidade e a bioatividade da HA poderiam ser aumentadas pela adição de compostos metálicos. O objetivo deste trabalho foi comparar a resposta tecidual subcutânea de hidroxiapatita comercial e da obtida da diáfise do fêmur bovino misturada com diferentes concentrações de nitrato de zinco hexa-hidratado em coelhos. Foram utilizadas 25 coelhas fêmeas Nova Zelândia. Cinco tratamentos foram feitos de acordo com os compostos de HA (HA comercial, no Zn-HA, 0,1M Zn, 0,2M Zn e 0,3M Zn). Cada tratamento foi avaliado em cinco momentos (oito, 15, 30, 60 e 90 dias após a implantação). A análise histopatológica foi realizada para avaliar a inflamação por infiltração de células polimorfonucleares, neovascularização e fibrose. Os resultados obtidos neste trabalho sugerem que a inflamação geral diminuiu após 60 dias de implantação, independentemente da concentração de Zn. O escore de fibrose foi aumentado na HA comercial comparada com o controle e com a HA hidratada com Zn. Este trabalho mostra que a hidroxiapatita bovina é um material biocompatível independentemente da concentração de nitrato de zinco e possui as mesmas propriedades da hidroxiapatita comercial.(AU)


Assuntos
Animais , Coelhos , Zinco , Materiais Biocompatíveis , Osseointegração , Hidroxiapatitas , Modelos Animais
9.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 71(6): 1873-1879, Nov.-Dec. 2019. graf, ilus
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1055121

RESUMO

Hydroxyapatite (HA) is widely used as a biomaterial for bone repair and metallic prostheses coating. The main limitations of the current commercial synthetic hydroxyapatite compounds include high cost and decreased availability, especially for veterinary medicine purposes. Additionally, it is thought that HA biocompatibility and bioactivity could be enhanced by the addition of metal compounds. The objective of this work was to compare the subcutaneous tissue response of commercial and engineered hydroxyapatite obtained from the bovine femur diaphysis mixed with different concentrations of hexa-hydrated Zinc Nitrate in rabbits. Twenty-Five New Zealand female rabbits were used. Five treatments were done according to HA composition (commercial HA, no Zn-HA, 0.1M Zn, 0.2M Zn, and 0.3M Zn). Each treatment was evaluated at five time-points (8, 15, 30, 60 and 90 days post-implantation). Histopathologic analysis was performed to assess inflammation by polymorphonuclear cells infiltration, neovascularization, and fibrosis. Results obtained in this work suggest that general inflammation decreased after 60 days of implantation regardless of Zn concentration. Fibrosis score was increased in the commercial HP compared to control and Zn-hydrated HA. This paper shows that bovine hydroxyapatite is a biocompatible material regardless of nitrate Zinc concentration and has the same properties of commercial hydroxyapatite.(AU)


A hidroxiapatita (HA) é amplamente utilizada como biomaterial para reparo ósseo e revestimento de próteses metálicas. As principais limitações dos atuais compostos comerciais de hidroxiapatita sintética incluem alto custo e menor disponibilidade, especialmente para fins de medicina veterinária. Além disso, acredita-se que a biocompatibilidade e a bioatividade da HA poderiam ser aumentadas pela adição de compostos metálicos. O objetivo deste trabalho foi comparar a resposta tecidual subcutânea de hidroxiapatita comercial e da obtida da diáfise do fêmur bovino misturada com diferentes concentrações de nitrato de zinco hexa-hidratado em coelhos. Foram utilizadas 25 coelhas fêmeas Nova Zelândia. Cinco tratamentos foram feitos de acordo com os compostos de HA (HA comercial, no Zn-HA, 0,1M Zn, 0,2M Zn e 0,3M Zn). Cada tratamento foi avaliado em cinco momentos (oito, 15, 30, 60 e 90 dias após a implantação). A análise histopatológica foi realizada para avaliar a inflamação por infiltração de células polimorfonucleares, neovascularização e fibrose. Os resultados obtidos neste trabalho sugerem que a inflamação geral diminuiu após 60 dias de implantação, independentemente da concentração de Zn. O escore de fibrose foi aumentado na HA comercial comparada com o controle e com a HA hidratada com Zn. Este trabalho mostra que a hidroxiapatita bovina é um material biocompatível independentemente da concentração de nitrato de zinco e possui as mesmas propriedades da hidroxiapatita comercial.(AU)


Assuntos
Animais , Coelhos , Zinco , Materiais Biocompatíveis , Osseointegração , Hidroxiapatitas , Modelos Animais
10.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-213959

RESUMO

Atualmente têm se desenvolvido substitutos ósseos, com propósito de auxiliar na regeneração óssea em casos de perda tecidual. Para avaliação da biocompatibilidade e osteocondução, é necessária sua implantação in vivo, em animais de laboratório e grandes animais, para aprovação em uso clínico futuro. Ratos e ovinos são modelos experimentais em engenharia tecidual. Podem ser adicionados aos biomateriais, células-tronco mesenquimais para potencialização do efeito regenerativo ósseo. O objetivo desse estudo foi avaliar a biocompatibilidade e osteocondução de compósito de nanotubo de carbono, quitosana e hidroxiapatita (CNQH), enriquecidos ou não com células-tronco mesenquimais oriundas de medula óssea de ovino (CTMO) em ratos e ovinos. Inicialmente, sessenta ratos foram divididos em grupos, sendo que o implante de CNQH com ou sem CTMO, em subcutâneo, foi realizado em 20 animais (submetidos a eutanásia após 7 e 30 dias da cirurgia), comparando com 10 animais controle, e em 20 animais em defeito na calvária (submetidos a eutanásia após 20 e 60 dias da cirurgia) comparando com 10 animais controle. Foram realizadas avaliações histológicas de tecido subcutâneo e calvária, após eutanásia, comparando-se os grupos. Posteriormente, dezoito ovelhas foram submetidas à ostectomia em tíbia e osteossíntese com placa de compressão bloqueada. Seis animais não tiveram suas falhas preenchidas (Grupo I), seis animais tiveram suas falhas preenchidas com CNQH (Grupo II) e seis animais com CNQH com CTMO (Grupo III), sendo avaliados até 90 dias após a cirurgia. No período pré e pósoperatório (30, 60 e 90 dias) os animais foram submetidos às avaliações radiográficas, sendo as imagens analisadas em relação a efetividade da osteossíntese e a preenchimento da falha por escore, comparando-se os grupos. Após 90 dias, as ovelhas foram submetidas à eutanásia. Observou-se ausência de sinais de toxicidade ou necrose em subcutâneo dos ratos, denotando a biocompatibilidade do compósito e não reação imunogênica às CTMO. A análise histomorfológica por escore da calvária dos ratos demonstrou, em relação ao infiltrado inflamatório que o Grupo Controle apresentou escores mais baixos que os demais grupos, somente aos 20 dias, denotando a diminuição da reação inflamatória ao longo do tempo. O Grupo Controle apresentou pontuações mais baixas de escore aos 20 e 60 dias, para tecido de granulação e neoformação óssea, respectivamente, em relação aos grupos com compósito, que não apresentaram diferenças estatísticas significativas, sugerindo que o compósito auxiliou no processo regenerativo dos defeitos em calvária. Nas avaliações radiográficas em ovinos, os escores de preenchimento de falha nos Grupo I foi menor ao longo do tempo em relação aos Grupos II e III, que apresentaram escores semelhantes. As avaliações histológicas no tecido ósseo de ovinos demonstraram ausência de tecido ósseo neoformado em Grupo I e nos Grupos II e III ausência de reação de corpo estranho, com trabéculas ósseas de tecido neoformado entremeadas ao compósito, em conectividade com tecido pré-existente. Na histomorfometria dos Grupos II e III, observou-se porcentagens semelhantes em relação de tecido ósseo neoformado. Foi possível concluir que o CNQH apresenta biocompatibilidade e perfil osteocondutor para ser utilizado como coadjuvante em casos de perda tecidual óssea.


Research on bone substitutes and bone healing enhancers for critical defects has expanded considerably in recent years. Pre-clinical evaluation of biocompatibility and the osteoconductive potential using in vivo animal models is paramount. Sheep and rats are considered standard models in tissue engineering. Enhancement of bone regeneration can be achieved by using mesenchymal stem cells. The purpose of this study was to evaluate the biocompatibility and osteoconductivity of carbon nanotube/chitosan/hydroxyapatite (CNT/CS/HA) composite scaffolds enriched or not with ovine bone marrow derived mesenchymal stem cells (MSCs) in murine and ovine models. Initially, sixty rats were divided into 2 groups. The CNT/CS/HA composites with or without (MSCs) were implanted in the subcutaneous tissue of 20 animals (euthanized 7 and 30 days after surgical implantation). They were compared to 10 control animals. The CNT/CS/HA composites with or without (MSCs) were also implanted in the calvarial bone defects of another 20 rats (euthanized 20 and 60 days after surgical implantation). They were compared to 10 control animals. Post-mortem histology examinations were performed to compare results between subcutaneous and calvarial tissue groups. At a second moment, we performed tibial ostectomy on eighteen sheep followed by osteosynthesis using locked compression plate. The bone void was left empty on six animals (Group I), filled with CNT/CS/HA on six animals (Group II), and filled with CNT/CS/HA enhanced with MSCs on six animals (Group III). Assessment was performed up to 90 days after surgery. Radiographic assessments were performed before surgery and on days 30, 60 and 90 after surgery. Effectiveness of osteosynthesis and void filling score were compared between groups. The animals were euthanized 90 days after surgery. On post-mortem evaluation the rats subcutaneous tissues were free of any toxicity signs or necrosis. The absence of immunogenic reactions to MSCs denotes the composites biocompatibility. Histomorphological analysis of the rat calvarial score (considering inflammatory infiltrate) showed that Control Group presented lower scores only at the assessment performed on the 20th day after surgery. This finding denotes a decrease trend on the inflammatory reaction over time. Animals from Control Group had lower granulation tissue and bone neoformation scores at days 20 and 60, respectively, when compared to composite groups. Lack of statistically significant differences suggest that the composite material assisted the regeneration of the calvarial defects. On radiographic assessment of the sheep, the void filling scores of Group I were lower than Groups II and III over time. Groups II and III had similar scores. Histological evaluations of the sheeps bone tissues denoted absence of bone neoformation in Group I. Foreign body reaction was not encountered on Groups II and III. Newly formed bone trabeculae entangled to composite and connected to pre-existing tissue were observed. Histomorphometry analysis showed similar newly formed bone tissue ratios in Groups II and III. We concluded the CNT/CS/HA composite is biocompatible and has osteoconductive profile that enables its use as bone enhancer in cases of critical sized bone defects causes by bone tissue loss.

11.
São José dos Campos; s.n; 2019. 77 p. il., tab., graf..
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1017100

RESUMO

Neste estudo foram caracterizadas superfícies de titânio (Ti) obtidas após utilização de diferentes temperaturas pela técnica de implantação iônica por imersão em plasma de oxigênio (O-IIIP), bem como correlacionado o efeito deste tratamento com a osteogênese e formação de biofilmes microbianos monotípicos. As amostras foram caracterizadas por meio de análises de química de superfície, rugosidade e textura da superfície, molhabilidade e resistência à corrosão. Além disso, análises de biocompatibilidade por meio de interação e viabilidade celular, conteúdo de proteína total, atividade de fosfatase alcalina e quantificação de nódulos de mineralização foram realizadas sobre a linhagem celular MG-63 (osteoblato humano). Análise de formação de biofilmes de Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus, Streptococcus mutans e Candida albicans sobre as superfícies também foi realizada. Os dados foram estatisticamente analisados por teste ANOVA e Tukey (p<0,05, p<0,001 e p<0,0001). Os resultados das análises de química de superfície demonstraram um aumento proporcional da quantidade de O conforme aumento da temperatura utilizada na técnica de O-IIIP, verificando ainda a presença de TiO2 nos grupos tratados a 500ºC e 600ºC. Foi observado que, em escala nanométrica, houve um aumento significativo da rugosidade e da área superficial nas amostras tratadas com O-IIIP conforme aumento da temperatura utilizada, apresentando ainda, um aumento significativo da hidrofobicidade e resistência à corrosão nas amostras tratadas com O-IIIP. A análise de biocompatibilidade demonstrou aumento significativo em relação à viabilidade celular, produção de proteína total, atividade de fosfatase alcalina e formação de nódulos de mineralização no grupo tratado com OIIIP a 600ºC, em relação aos demais grupos. Nas análises realizadas com biofilmes microbianos monotípicos foi verificada redução significativa de microorganismos, principalmente nos grupos submetidos ao tratamento com O-IIIP a 500ºC e 600ºC. Com isso, foi concluído que, as amostras submetidas à técnica O-IIIP apresentaram superfícies com variações químicas e físicas, as quais foram proporcionais ao aumento da temperatura utilizada no tratamento, sendo que o grupo tratado com temperatura mais elevada (600ºC) demonstrou influência positiva na atividade e diferenciação celular, além de exibir redução na formação de biofilmes monomicrobianos(AU)


In this study, titanium surfaces were produced by the ion implantation technique, immersing samples in oxygen plasma (O-IIIP), at different temperatures. Therapeutic effects of the surface modification were evaluated for osteogenesis and formation of monotypic microbial biofilms. Roughness, texture, wettability, corrosion resistance and chemical composition of the samples were characterized. Moreover, biocompatibility of the produced materials was verified by cell interaction and viability, total protein content, alkaline phosphatase activity, and quantification of mineralization nodules assays were performed on MG-63 (human osteoblate) cells. Biofilm formation of Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus, Streptococcus mutans and Candida albicans on surfaces was also evaluated. Data were statistically analyzed by ANOVA and Tukey test. A proportional intensification in the amount of oxygen was observed as the temperature used in the O-IIIP technique raised, also, TiO2 was observed in the groups treated at 500 ºC and 600 ºC. At nanoscale, there was a statistic increase in both roughness and surface area in samples treated with O-IIIP as a result of the increase of the temperature used. Hydrophobicity and corrosion resistance were also higher in samples treated with OIIIP. According to the performed biocompatibility analyzes, cell viability, total protein production, alkaline phosphatase activity and the formation of mineralized nodules were stimulated and increased in the group treated with O-IIIP at 600 ºC, compared to the other groups. In the assays performed with monotypic microbial biofilms, a statistic reduction of microorganisms was observed especially in the groups submitted to O-IIIP treatment at 500 ºC and 600 ºC. Therefore, we demonstrated here that O-IIIP technique was able to chemically and physically modify surfaces, and these modifications were proportional to the increase in temperature used in the treatment. Samples treated with the highest evaluated temperature (600ºC) had a positive influence in cell activity and differentiation, and in reducing monomicrobial biofilms formation(AU)


Assuntos
Humanos , Osteogênese , Teste de Materiais/métodos , Biofilmes/classificação
12.
Pesqui. vet. bras ; 38(10): 1909-1912, out. 2018. ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-19717

RESUMO

Technological and tissue engineering have enabled available, biologically inert, and low cost materials to be considered as viable alternatives in the surgical treatment of long bone fractures in birds. The aim of this study was to microscopically analyse osteotomized humerus of birds following the insertion of solid laser-sintered polyamide 12 rods in order to detect foreign body reaction and, thus, verify the bioinert property of the material in the bone fracture environment. Polyamide 12 intramedullary rods were inserted into the osteotomized humerus of 10 birds (white Plymouth Rock) and blocked using 2mm diameter cortical screws of varying lengths. The birds were operated at 60 days of age and monitored post-operatively for three months. Animals were euthanized at 150 days old and samples of the operated humerus collected for immunohistochemistry, light and scanning electron microscopy analysis. Results show bone consolidation without rejection of the implant and absence of inflammatory cells. Vascular Endothelial Growth Factor (VEGF) was expressed in the endothelial cells of the blood vessels at the site of the newly formed bone surrounding the implant, indicative of local angiogenesis. There was no bone growth on the surface of the rod; however, the implant did not interfere with the circumjacent bone repair. Thus, the findings of this study corroborate with the literature in characterizing polyamide as a bioinert material and, under the studied conditions, it can be concluded that polyamide 12 intramedullary rod is biocompatible and provides adequate bone consolidation in humeral fractures with no signs of rejection.(AU)


Com o desenvolvimento tecnológico e crescimento da engenharia de tecidos, o uso de materiais disponíveis, bioinertes e debaixo custo pode ser alternativa viável para o tratamento cirúrgico de fraturas em ossos longos nas aves. O objetivo do estudo foi realizar avaliação microscópica óssea após a implantação de haste maciça de poliamida, implantada em úmeros osteotomizados de galinhas para detectar reação do tipo corpo estranho, verificando a propriedade "bioinerte" do material no ambiente de fratura óssea. Foram utilizados 10 galos (Plymouth rock branca) e implantou-se a haste perfazendo o bloqueio das mesmas com parafusos corticais de 2 mm de diâmetro com comprimentos de acordo com a necessidade. As aves foram operadas aos 60 dias de vida e o acompanhamento pós-operatório ocorreu por três meses. Após a eutanásia, foram realizadas coletas do úmero operado (local de consolidação óssea) paraexame histopatológico, imuno-histoquímico e de microscopia eletrônica de varredura. Os resultados demonstraram consolidação óssea, sem presença de rejeição do material, com ausência de células inflamatórias. A neoformação óssea ao redor do implante expressou VEGF (fator de crescimento endotelial vascular) nas células endoteliais dos vasos sanguíneos caracterizando angiogênese no local. Na região de interface de tecido ósseo com a poliamida não foram observadas micro fraturas. Não houve crescimento ósseo na superfície da haste, porém a mesma não atrapalhou o reparo ósseo circunjacente. Assim, esse estudo corrobora com a literatura caracterizando a poliamida como um material bioinerte, e nas condições estudadas pode-se concluir que o uso da haste intramedular de poliamida 12 proporcionou consolidação óssea nesse modelo biológico nesse tipo de fratura, não havendo indícios de induzir rejeição.(AU)


Assuntos
Animais , Materiais Biocompatíveis , Materiais Biocompatíveis/efeitos adversos , Galinhas , Fixação Interna de Fraturas/veterinária , Fixação Intramedular de Fraturas/veterinária , Reação Hospedeiro-Enxerto , Nylons
13.
Pesqui. vet. bras ; 38(10): 1909-1912, out. 2018. ilus
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-976373

RESUMO

Technological and tissue engineering have enabled available, biologically inert, and low cost materials to be considered as viable alternatives in the surgical treatment of long bone fractures in birds. The aim of this study was to microscopically analyse osteotomized humerus of birds following the insertion of solid laser-sintered polyamide 12 rods in order to detect foreign body reaction and, thus, verify the bioinert property of the material in the bone fracture environment. Polyamide 12 intramedullary rods were inserted into the osteotomized humerus of 10 birds (white Plymouth Rock) and blocked using 2mm diameter cortical screws of varying lengths. The birds were operated at 60 days of age and monitored post-operatively for three months. Animals were euthanized at 150 days old and samples of the operated humerus collected for immunohistochemistry, light and scanning electron microscopy analysis. Results show bone consolidation without rejection of the implant and absence of inflammatory cells. Vascular Endothelial Growth Factor (VEGF) was expressed in the endothelial cells of the blood vessels at the site of the newly formed bone surrounding the implant, indicative of local angiogenesis. There was no bone growth on the surface of the rod; however, the implant did not interfere with the circumjacent bone repair. Thus, the findings of this study corroborate with the literature in characterizing polyamide as a bioinert material and, under the studied conditions, it can be concluded that polyamide 12 intramedullary rod is biocompatible and provides adequate bone consolidation in humeral fractures with no signs of rejection.(AU)


Com o desenvolvimento tecnológico e crescimento da engenharia de tecidos, o uso de materiais disponíveis, bioinertes e debaixo custo pode ser alternativa viável para o tratamento cirúrgico de fraturas em ossos longos nas aves. O objetivo do estudo foi realizar avaliação microscópica óssea após a implantação de haste maciça de poliamida, implantada em úmeros osteotomizados de galinhas para detectar reação do tipo corpo estranho, verificando a propriedade "bioinerte" do material no ambiente de fratura óssea. Foram utilizados 10 galos (Plymouth rock branca) e implantou-se a haste perfazendo o bloqueio das mesmas com parafusos corticais de 2 mm de diâmetro com comprimentos de acordo com a necessidade. As aves foram operadas aos 60 dias de vida e o acompanhamento pós-operatório ocorreu por três meses. Após a eutanásia, foram realizadas coletas do úmero operado (local de consolidação óssea) paraexame histopatológico, imuno-histoquímico e de microscopia eletrônica de varredura. Os resultados demonstraram consolidação óssea, sem presença de rejeição do material, com ausência de células inflamatórias. A neoformação óssea ao redor do implante expressou VEGF (fator de crescimento endotelial vascular) nas células endoteliais dos vasos sanguíneos caracterizando angiogênese no local. Na região de interface de tecido ósseo com a poliamida não foram observadas micro fraturas. Não houve crescimento ósseo na superfície da haste, porém a mesma não atrapalhou o reparo ósseo circunjacente. Assim, esse estudo corrobora com a literatura caracterizando a poliamida como um material bioinerte, e nas condições estudadas pode-se concluir que o uso da haste intramedular de poliamida 12 proporcionou consolidação óssea nesse modelo biológico nesse tipo de fratura, não havendo indícios de induzir rejeição.(AU)


Assuntos
Animais , Materiais Biocompatíveis , Materiais Biocompatíveis/efeitos adversos , Galinhas , Fixação Interna de Fraturas/veterinária , Fixação Intramedular de Fraturas/veterinária , Reação Hospedeiro-Enxerto , Nylons
14.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-217528

RESUMO

As ceratites ulcerativas são comuns na rotina do médico veterinário de pequenos animais, visto que a córnea é uma estrutura vulnerável devido sua exposição ao meio externo. Por compreender uma das estruturas responsáveis pela refração luminosa e participante do mecanismo de formação da imagem, é de extrema importância a integridade da anatomia e transparência da córnea para esta continuar de sempenhando suas funções. Estudos ainda são realizados com o intuito de viabilizar opções terapêuticas cirúrgicas para o tratamento de úlceras de córnea complicadas, tentando alcançar uma cicatrização com um menor dano à estrutura corneal e menor opacidade cicatricial, devolvendo a transparência da córnea. Visto que os polímeros biodegradáveis tem se mostrado alvo de pesquisas atuais para aplicações médicas, com este estudo objetivou-se avaliar originalmente a biocompatibilidade da membrana do polímero poli(butileno adipato-co-tereftalato) (PBAT) na córnea e posterior aplicação clínica deste material nas ceratites ulcerativas profundas. Para tal, foi realizada avaliação clínica experimental e histopatológica após enxertia interlamelar do PBAT em córnea de coelhos, ao longo de 60 dias, e acompanhamento da evolução clínica do emprego da membrana de PBAT no tratamento de ceratites ulcerativas complicadas em cães, comparando ao uso do enxerto conjuntival, ao longo de 90 dias. Devido aos baixos sinais de inflamação corneal clínicos e histopatológicos nos coelhos e a cicatrização corneal em todos os cães, sem ocorrência de déficit visual, com o presente estudo acreditamos ter viabilizado mais uma opção terapêutica para as ceratites ulcerativas na medicina veterinária. Palavras-chave


Ulcerative keratitis are common in the routine of a small animals veterinary doctor, given that the cornea is a vulnerable structure due to its exposure to external environment. For containing one of the structures responsible for light refraction and participant in the mechanism of formation of images, it is of extreme importance the integrity and transparency of the cornea in order for it to continue to develop its functions. Studies are still performed with the intent of making feasible surgical therapeutic options for the treatment of complicated corneal ulcers, trying to reach cicatrization with less damage to the corneal structure and less scar opacity, seeking corneal transparency. Given that biodegradable polymers have been target of current research for medical applications, the objective of this study was to evaluate originally the biocompatibility of the poly (butylene adipate-co-terephthalate) polymer (PBAT) in the cornea and posterior clinical application of this material in deep ulcerative keratitis. It was performed clinical and histopathological evaluation after interlamellar grafting of PBAT in the cornea of rabbits, over 60 days, and follow -up of the clinical evolution of PBAT membrane in the treatment of complicated ulcerative keratitis in dogs, comparing to the use of conjunctival graft, over 90 days. Due to low levels of clinical and histopathological corneal inflammation found in rabbits and corneal cicatrization in all dogs, without occurence of visual deficit, with this study we believe it was made feasible another therapeutic option for ulcerative keratitis in veterinary medicine.

15.
Rio de janeiro; s.n; 2018. 76 p. ilus.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-1016644

RESUMO

Este estudo teve como objetivo avaliar a biocompatibilidade, através de análise histopatológica e de imuno-histoquímica, de um novo cimento reparador à base de MTA com alta plasticidade: MTA HP (Angelus Londrina, PR). O MTA branco (Angelus Londrina, PR), e um material a base de óxido de zinco e eugenol (IRM, Dentsply, Petrópolis, RJ) foram utilizados como referências para comparação. Para isso, trinta ratos machos de linhagem Wistar tiveram inoculados no tecido subcutâneo um tubo de polietileno vazio (controle negativo) e mais três tubos, cada um preenchido com um dos materiais testados. Os animais foram eutanasiados após 7, 30 e 60 dias da implantação dos tubos e as amostras foram fixadas e incluídas em parafina. Os cortes histológicos foram corados com hematoxilina e eosina e tricômico de gomori para avaliação das reações inflamatórias e a presença de angiogênese foi realizada utilizando o marcador VEGF (do inglês vascular endothelial growth factor). Os cortes também foram corados com Picrosirius Red para quantificar as fibras colágenas do tipo I e tipo III, assim como a coloração de Weigert foi realizada para observar as fibras elásticas. Os dados não-paramétricos foram analisados usando o ensaio de Kruskal-Wallis seguido do teste de Dunn. Os níveis de significância adotados foram de 5% (P < 0,05). Os resultados mostraram diferença significativa da resposta inflamatória após 60 dias entre os grupos IRM e tubo vazio (P < 0,05). O MTA HP apresentou biocompatibilidade similar ao MTA branco e ao grupo controle negativo em todos os períodos experimentais. Além disso, após 7 dias o MTA HP estimulou a angiogênese de forma menos acentuada que o MTA branco, assim como apresentou inicialmente um remodelamento mais lento da matriz extracelular quando comparado ao MTA branco e o IRM. Foi observado uma diminuição da espessura da cápsula fibrosa, da quantidade de fibras elásticas e da imonumarcação com VEGF em todos os grupos experimentais e controle negativo ao longo do processo de cicatrização. Após 60 dias os grupos experimentais apresentaram matriz extracelular com tecido conjuntivo mais maduro, com predominância de fibras colágenas do tipo I. De acordo com os resultados obtidos no presente estudo, pode-se concluir que o novo cimento reparador com alta plasticidade, MTA HP, apresentou-se biocompatível em todos os períodos experimentais, com resultados similares aos grupos controle negativo e experimentais com MTA branco e IRM.


This study evaluated the biocompatibility, through histopathological analysis and immunohistochemistry of a new repair cement based on MTA with high plasticity: MTA HP (Angelus Londrina, PR). White MTA (Angelus Londrina, PR), and a material based on zinc oxide and eugenol (IRM, Dentsply, Petrópolis, RJ) were used as references for comparison. Thirty male Wistar rats had inoculated into the subcutaneous tissue an empty polyethylene tube (negative control) and three more tubes, each filled with one of the tested materials. The animals were euthanized after 7, 30 and 60 days of tube implantation and the specimens were fixed and embedded in paraffin. The sections were stained with hematoxylin and eosin and gomori trichrome to assess inflammatory reactions, and the presence of angiogenesis was performed using the VEGF (vascular endothelial growth factor) marker. The sections were also stained with Picrosirius Red to quantify as type I and type III collagen fibers, as well as a Weigert staining was performed to observe elastic fibers. Non-parametric data were analyzed using the Kruskal-Wallis assay followed Dunn's test. The significance levels adopted were 5% (P < 0.05). The results demonstrated a significant difference in inflammatory response after 60 days between IRM and empty tube groups (P < 0.05). MTA HP showed similar biocompatibility to the White MTA and the negative control group in all experimental periods. Furthermore, after 7 days MTA HP stimulated less pronounced angiogenesis than White MTA, as it initially exhibited slower extracellular matrix remodeling when compared to White MTA and IRM. A decrease in the thickness of the fibrous capsule, the amount of elastic fibers and the immunostaining with VEGF in all experimental groups and control throughout the healing process was observed. After 60 days, the experimental groups presented extracellular matrix with more mature connective tissue, with predominance of type I collagen fibers. According to the results obtained in the present study, it can be concluded that the new repair cement with high plasticity, MTA HP, was biocompatible in all the experimental periods, presenting similar results to the control and experimental groups with White MTA and IRM.


Assuntos
Animais , Ratos , Óxidos/farmacologia , Silicatos/farmacologia , Compostos de Cálcio/farmacologia , Compostos de Alumínio/farmacologia , Tela Subcutânea/efeitos dos fármacos , Cimentos Dentários , Teste de Materiais , Imuno-Histoquímica , Ratos Wistar , Estatísticas não Paramétricas , Combinação de Medicamentos
16.
São José dos Campos; s.n; 2017. 68 p. ^ctab., graf.68 ilus.
Tese em Português | LILACS, BBO - Odontologia | ID: biblio-847897

RESUMO

O peptídeo LL-37 (catelicidina derivada de humano), é liberado por algumas células humanas e capaz de neutralizar os tecidos com lipopolissacarídeo (LPS), além de atrair células da polpa, e induzir a angiogênese, características que o tornam um possível adjunto para a regeneração do complexo dentino-pulpar. O objetivo desse trabalho foi avaliar in vitro a biocompatibilidade do peptídeo LL-37 nas concentrações de 5 e 10 µg/mL, e sua possível atuação na diferenciação de células-tronco da polpa dentária (DPSC) para odontoblastoslike. Com esse propósito, foram avaliados: (a) a citotoxicidade, pelo teste MTT; (b) a genotoxicidade, através do ensaio do micronúcleo; (c) a produção e quantificação de óxido nítrico; (d) as fases do ciclo celular, por citometria; (e) a expressão de alguns genes associados à formação de tecido mineralizado, através do teste qRT-PCR; (f) o conteúdo de proteína total; (g) a atividade de fosfatase alcalina (ALP); e (h) a produção de sialofosfoproteína dentinária (DSPP), pelo ensaio imunoenzimático ELISA. Foi observado que as concentrações de 5 e 10 µg/mL de LL-37 não foram citotóxicas e ainda aumentaram, em geral, a viabilidade celular (p<0,05), sendo que os maiores valores de absorbância foram observados no 3° dia de contato. As concentrações testadas também não induziram genotoxicidade, após 7 dias de contato, tendo sido genotóxico apenas o grupo controle positivo (EMS) (p<0,05). Ainda, não foi observado diferença estatisticamente significativa na produção de nitrito, pelas células expostas ao LL-37 após 7 dias, em ambas as concentrações. A análise do ciclo celular, evidenciou maior porcentual de células na fase G0/G1, em todos os grupos (p<0,05). Quando estes foram comparados, foi observado maior quantidade de células na fase G0/G1 na concentração de 10 µg/mL de LL- 37 comparada ao grupo controle (p<0,05). Por outro lado, o grupo controle exibiu mais células na fase G2 e em mitose (M) que os grupos tratados com 5 e 10 µg/mL de LL-37 (p<0,05), e mais células na interfase (S) que o grupo tratado com 10 µg/mL de LL-37 (p<0,05). A análise da expressão gênica demonstrou que não houve aumento de expressão dos genes fosfatase alcalina, osteocalcina, osteopontina e Runx2 após tratamento com ambas as concentrações do peptídeo, no 3° dia. Além disso, não foi observado diferença estatisticamente significativa na ALP nos grupos tratados e controle, após 3 e 14 dias, enquanto o conteúdo de proteína total foi maior aos 14 dias nos grupos tratados com LL-37 (p<0,05) Ainda, aos 3 dias, a produção da proteína DSPP foi maior no grupo tratado com 10 µg/mL de LL-37 (p<0,05). Com base nesses resultados, pode-se concluir que o LL-37 é biocompatível nas concentrações testadas nesse trabalho, e ainda aumenta o número de células viáveis, principalmente em período inicial. Além disso, aos 3 dias, na concentração de 10 µg/mL, ele retarda o ciclo celular e aumenta a expressão da proteína DSPP, além de aumentar a síntese proteica aos 14 dias, o que indica que esse peptídeo pode desempenhar algum tipo de função na diferenciação odontoblástica (AU)


The LL-37 peptide (human derived cathelicidin) is released by some human cells and able of neutralizing the tissues that present lipopolysaccharide (LPS), as well as, attracts pulp cells and induces angiogenesis; characteristics that makes it a possible adjunct for regeneration of the dentin-pulp complex. The aim of this study was evaluate in vitro the biocompatibility of LL-37 in the concentrations of 5 and 10 µg/mL, and its possible performance in the differentiation of dental pulp stem cells (DPSC) into odontoblasts-like cells. For this purpose, it was evaluated: (a) the cytotoxicity by MTT assay; (b) the genotoxicity by the micronucleus test; (c) the production and quantification of nitric oxide; (d) the cell cycle, by flow cytometry; (e) the expression of genes associated with the mineralization by qRT-PCR; (f) the total protein content; (g) the alkaline phosphatase activity (ALP); and (h) the production of dentine sialofosfoprotein (DSPP) by indirect enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA). It was observed that the concentrations of 5 and 10 µg/ml of LL-37 were not cytotoxic, in addition to they increased, in general, the cell viability (p<0,05). Moreover, higher absorbance values were observed on 3rd day of contact. After 7 days, the tested concentrations also did not induce genotoxicity, (p<0,05); only the positive control group (EMS) was genotoxic (p<0.05). Furthermore, there was not statistical significance in the nitrite production by the cells exposed to LL-37 for 7 days, in both concentrations. The cell cycle test showed higher percentage of cells in the phase G0/G1 in all groups (p<0.05). When they were compared, it was noticied that concentration of 10 ug/ml of LL-37 arrested the cells in G0/G1 compared to the control group (p<0.05). On the other hand, the control group, exhibited higher amount of cells in G2 and mitosis (M) than the others (p<0.05) and also higher number of cells in interfase (S) than the group treated with 10 µg/mL of LL-37 (p<0.05). On the 3rd day, the analysis of gene expression demonstrated no increase in the expression of the genes alkaline phosphatase, osteocalcin, osteopontin and Runx2, after treatment with both peptide concentrations. Furthermore, it was not observed statistical significance in the ALP in the treated and control groups after 3 and 14 days, while total protein content was higher in the groups treated with LL-37, at 14 days (p<0.05). On the 3rd day, the production of DSPP protein was higher in the group treated with 10 µg/mL of LL-37 (p<0.05). Based on these results, it can be concluded that LL-37 is biocompatible at these concentrations and increases the number of viable cells, especially in the initial period. Moreover, on the 3rd day, the concentration of 10 µg/mL arrests the cell cycle, and increases the expression of DSPP protein, in addition to raising the protein content at 14 days, which indicates that this peptide may present some kind of function in the odontoblastic differentiation(AU)


Assuntos
Humanos , Polpa Dentária , Células , Polpa Dentária , Teste de Materiais , Células-Tronco
17.
São Paulo; s.n; s.n; 2017. 99p ilus, graf, tab.
Tese em Português | LILACS | ID: biblio-876413

RESUMO

A busca contínua por tecnologias de esterilização a baixa temperatura deve-se à necessidade de adequação dos agentes esterilizantes às características físicoquímicas dos produtos, à conveniência de maior rapidez no processamento, além dos apelos ambientais, em comparação, por exemplo, com o método de esterilização por óxido de etileno. Desta forma surgiu interesse pelo ozônio (O3), o qual pode ser considerado o mais potente germicida natural que existe, sendo capaz de eliminar microrganimos (na forma vegetativa e esporulada) com alta eficiência e rapidez, graças a sua atividade altamente oxidante. O presente trabalho teve por objetivo proceder estudos para a determinação de parâmetros para o processo de esterilização empregando ozônio, além de avaliar a eficácia do agente esterilizante em questão. O processo de esterilização foi desafiado com esporos de Geobacillus stearothermophilus ATCC 7953 o qual se caracteriza frente as mesmas com elevada resistência. A eficácia esterilizante do ozônio foi avaliada através de carreadores inoculados com 106 do esporo, introduzidos em seringas de 3 mL e tubos com diferentes comprimentos e diâmetros, simulando produtos médico hospitalares. Tais dispositivos foram submetidos a meio ciclo e ciclo completo do processo de esterilização por ozônio. A validação do processo foi comprovada através dos resultados satisfatórios para meio ciclo, obtidos com os testes efetuados. Desta forma, foi possível constatar a eficácia do processo de esterilização por ozônio. Adicionalmente, foram objeto de investigação materiais termossensíveis distintos obtidos de produtos médico-hospitalares, a fim de estudar a influência do ozônio sobre as características intrínsecas desses materiais. As amostras foram submetidas ao ciclo completo de esterilização e analisadas pelo teste de citotoxicidade in vitro e avaliação da superfície dos materiais por espectrofotometria com transformadas de Fourier com acessório de refletância atenuada (ATR-FTIR) para esclarecer eventuais efeitos do processo sobre a biocompatibilidade das mesmas. Embora os materiais estudados não demonstraram efeito citotóxico após serem submetidos à esterilização por ozônio, a superfície do derivado de polietileno (PE) demonstrou uma banda de oxidação em consequência da ação do agente esterilizante


Ozone (O3) can be considered the most potent natural germicide against microorganisms (in vegetative and spore forms) with high efficiency and speed, because of its highly oxidizing activity. Despite this, there are a few studies describing the application of ozone as a sterilizing agent of medical devices. The aim of this paper was to describe the development and validation of a sterilization cycle applied to medical devices. The sterilization process was challenged with Geobacillus stearothermophilus ATCC 7953 spores, which have shown great resistance. The sterilizing effect of ozone was measured using carriers inoculated with 106 spores, introduced into a 3 mL syringe and lumens of tubes of different sizes and diameters simulating hospital medical products, which have undergone a half-cycle or complete cycle. The validation process was confirmed by the satisfactory results for the half cycle, which indicate an appropriate sterility assurance level. Thus, one can consider the ozone sterilization process effective for medical devices. On the other hand, there was a need to evaluate the safety of ozone sterilization in terms of medical device materials in order to clarify the influence of ozone on the intrinsic characteristics of these materials. The samples were submitted to the complete cycle of sterilization and analysis by the "in vitro" cytotoxicity test and evaluation of the surface of the materials using ATR-FTIR spectrometry to clarify eventual of the process on a biocompatibility. Although the materials studied did not demonstrate a cytotoxic effect after being subjected to ozone sterilization, the surface of the polyethylene (PE) derivative demonstrated an oxidation band as a consequence of the action of the sterilizing agent


Assuntos
Ozônio/análise , Esterilização/métodos , Materiais Biocompatíveis , Espectroscopia de Infravermelho com Transformada de Fourier/instrumentação
18.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 68(6): 1531-1538, nov.-dez. 2016. tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-17326

RESUMO

As lesões em membros de grandes animais são um desafio para médicos veterinários, uma vez que somente a osteossíntese não garante resultados satisfatórios. Muitos pesquisadores vêm se dedicando ao desenvolvimento e estudo de substitutos ósseos produzidos de materiais naturais, como quitosana, colágeno e hidroxiapatita, que auxiliam na regeneração óssea. Seis ovinos fêmeas da raça Santa Inês foram submetidos a ostectomias unicorticais de sete milímetros de diâmetro na região proximal da superfície dorsomedial dos III/IV metacarpianos. Foi implantado compósito de quitosana, colágeno e hidroxiapatita em um membro torácico para avaliação da biocompatibilidade do material ao tecido ósseo ovino, e no membro contralateral foi reproduzida a mesma técnica, porém foi mantido sem preenchimento, como controle. Após 60 dias do procedimento cirúrgico, realizou-se biópsia óssea na área de interface entre biomaterial/osso (membro com compósito) e tecido neoformado/osso (membro controle), para realização de avaliação histológica do material não descalcificado, por meio de microscopia de luz e microscopia eletrônica de varredura. Na análise histomorfométrica, mediante microscopia de luz, foi possível identificar maior porcentagem de tecido neoformado em membro controle, quando comparado ao membro com compósito (80% e 63,5%, respectivamente; P<0,05). Por meio da microscopia eletrônica de varredura, observou-se invasão da estrutura interna do compósito por tecido ósseo neoformado. Não houve formação de tecido cicatricial, reação de corpo estranho ou resposta inflamatória crônica nas amostras analisadas. Conclui-se que o compósito de quitosana, colágeno e hidroxiapatita, quando implantado em tecido ósseo ovino, apresenta biocompatibilidade e perfil osteocondutor.(AU)


Fracture management poses a great challenge to large animal practitioners. Osteosynthesis alone is often insufficient to provide satisfactory outcomes in large animals; therefore, several research efforts have been made to investigate and develop bone substitutes capable of promoting bone regeneration. Chitosan-collagen-hydroxyapatite composites constitute a promising alternative given their similar composition to bone. Six Santa Inês ewes were submitted to the creation of experimental 7mm wide unicortical defects on the dorsomedial aspect of the proximal III/IV metacarpal bone diaphysis. Limbs were randomly selected for treatment with chitosan-collagen-hydroxyapatite composite or to serve as untreated controls. Biopsy fragments were collected from the bone/new bone or the bone/biomaterial interface (control and treated defects respectively) within 60 days of surgery; composite biocompatibility was assessed using light and scanning electron microscopy. Histomorphometric analysis under light microscopy revealed greater percentage of new bone tissue in control compared to treated defects (80% and 63.5% respectively; P<0.05). No scar tissue formation, foreign body or chronic inflammatory reactions were observed. Scanning electron microscopy revealed invasion of the composite by new bone tissue. The chitosan-collagen-hydroxyapatite composite studied is biocompatible with bone and shows osteoconductive properties in sheep.(AU)


Assuntos
Animais , Ovinos , Materiais Biocompatíveis/análise , Osso e Ossos , Substitutos Ósseos/análise , Quitosana/uso terapêutico , Colágeno/uso terapêutico , Hidroxiapatitas , Microscopia Eletrônica de Varredura/veterinária , Regeneração Óssea
19.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 68(6): 1531-1538, nov.-dez. 2016. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-827927

RESUMO

As lesões em membros de grandes animais são um desafio para médicos veterinários, uma vez que somente a osteossíntese não garante resultados satisfatórios. Muitos pesquisadores vêm se dedicando ao desenvolvimento e estudo de substitutos ósseos produzidos de materiais naturais, como quitosana, colágeno e hidroxiapatita, que auxiliam na regeneração óssea. Seis ovinos fêmeas da raça Santa Inês foram submetidos a ostectomias unicorticais de sete milímetros de diâmetro na região proximal da superfície dorsomedial dos III/IV metacarpianos. Foi implantado compósito de quitosana, colágeno e hidroxiapatita em um membro torácico para avaliação da biocompatibilidade do material ao tecido ósseo ovino, e no membro contralateral foi reproduzida a mesma técnica, porém foi mantido sem preenchimento, como controle. Após 60 dias do procedimento cirúrgico, realizou-se biópsia óssea na área de interface entre biomaterial/osso (membro com compósito) e tecido neoformado/osso (membro controle), para realização de avaliação histológica do material não descalcificado, por meio de microscopia de luz e microscopia eletrônica de varredura. Na análise histomorfométrica, mediante microscopia de luz, foi possível identificar maior porcentagem de tecido neoformado em membro controle, quando comparado ao membro com compósito (80% e 63,5%, respectivamente; P<0,05). Por meio da microscopia eletrônica de varredura, observou-se invasão da estrutura interna do compósito por tecido ósseo neoformado. Não houve formação de tecido cicatricial, reação de corpo estranho ou resposta inflamatória crônica nas amostras analisadas. Conclui-se que o compósito de quitosana, colágeno e hidroxiapatita, quando implantado em tecido ósseo ovino, apresenta biocompatibilidade e perfil osteocondutor.(AU)


Fracture management poses a great challenge to large animal practitioners. Osteosynthesis alone is often insufficient to provide satisfactory outcomes in large animals; therefore, several research efforts have been made to investigate and develop bone substitutes capable of promoting bone regeneration. Chitosan-collagen-hydroxyapatite composites constitute a promising alternative given their similar composition to bone. Six Santa Inês ewes were submitted to the creation of experimental 7mm wide unicortical defects on the dorsomedial aspect of the proximal III/IV metacarpal bone diaphysis. Limbs were randomly selected for treatment with chitosan-collagen-hydroxyapatite composite or to serve as untreated controls. Biopsy fragments were collected from the bone/new bone or the bone/biomaterial interface (control and treated defects respectively) within 60 days of surgery; composite biocompatibility was assessed using light and scanning electron microscopy. Histomorphometric analysis under light microscopy revealed greater percentage of new bone tissue in control compared to treated defects (80% and 63.5% respectively; P<0.05). No scar tissue formation, foreign body or chronic inflammatory reactions were observed. Scanning electron microscopy revealed invasion of the composite by new bone tissue. The chitosan-collagen-hydroxyapatite composite studied is biocompatible with bone and shows osteoconductive properties in sheep.


Assuntos
Animais , Materiais Biocompatíveis/análise , Osso e Ossos , Substitutos Ósseos/análise , Ovinos , Regeneração Óssea , Quitosana/uso terapêutico , Colágeno/uso terapêutico , Hidroxiapatitas , Microscopia Eletrônica de Varredura/veterinária
20.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 68(2): l5473, mar.-abr. 2016. ilus, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-17312

RESUMO

O presente trabalho teve como objetivo avaliar a biocompatibilidade e a osseointegração de compósitos de hidroxiapatita (HA), policaprolactona (PCL) e alendronato (ALN) em defeitos ósseos produzidos no olécrano de coelhos. Trinta e seis coelhos foram distribuídos em quatro grupos, recebendo como tratamento: (1) compósito de HA (49,5%), PCL (49,5%) e ALN (1%); (2) HA (50%) e PCL (50%); (3) PCL (100%); e (4) solução salina 0,9%. As amostras para análise histológica foram coletadas de três animais de cada grupo aos oito, 45 e 90 dias de pós-operatório. No oitavo dia, as bordas do defeito ainda eram identificáveis em todos os grupos. Tecido ósseo novo era formado em contato com o biomaterial apenas nas formulações que incluíam HA. Essas características continuaram evidentes nos outros momentos analisados, embora o defeito estivesse preenchido pelo tecido regenerado. A presença dos biomateriais foi verificada nos três momentos em todos os grupos. Não houve evidências de reação indesejável ao biomaterial. As análises histológicas e histomorfométricas mostraram que os biomateriais são biocompatíveis e aqueles contendo a hidroxiapatita favoreceram a formação óssea no início do processo de regeneração, embora o alendronato não tenha apresentado qualquer efeito.(AU)


Assuntos
Animais , Coelhos , Olécrano/anormalidades , Materiais Biocompatíveis/análise , Regeneração Óssea , Hidroxiapatitas/uso terapêutico , Alendronato/uso terapêutico , Materiais Biocompatíveis/uso terapêutico , Osso e Ossos/anatomia & histologia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA