Your browser doesn't support javascript.
loading
The potential use of ozone as antifungal and antiaflatoxigenic agent in nuts and its effect on nutritional quality / O potencial uso do ozônio como agente antifúngico e antiaflatoxigênico em castanhas e seu efeito na qualidade nutricional
Ali, E. M; Abdallah, B. M.
Afiliação
  • Ali, E. M; King Faisal University. College of Science. Department of Biological Sciences. Al-Ahsa. SA
  • Abdallah, B. M; King Faisal University. College of Science. Department of Biological Sciences. Al-Ahsa. SA
Braz. j. biol ; 84: e263814, 2024. tab, graf, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1384079
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1
ABSTRACT
Ozone gas is considered as a safe antimicrobial agent in food industries. Here, we evaluated the antifungal and antiaflatoxigenic activities of ozone against fungal contamination in nuts. The most predominant fungal genera in nuts were Aspergillus, Penicillium, Fusarium, and Rhizopus. Ozone (4 ppm) significantly reduced the fungal sporulation of A. flavus and their aflatoxin production. Interestingly, ozone treatment of nuts reduced the total fungal count and increased aflatoxins degradation by approximately 95% and 85%, respectively. Ozone displayed high efficiency to increase the permeability of cell membrane and injury of cell wall of fungi. Increasing the exposure time of ozone in nuts up to 180 minutes showed to reduce the total lipid, carbohydrates, and protein by around 41.2%, 42.7% and 38.4% respectively, in pistachio, almond and peanuts. In conclusion, ozonation is a suitable decontaminating approach for reducing the microbial load in nuts, when used with suitable exposure time.
RESUMO
O gás ozônio é considerado um agente antimicrobiano seguro em indústrias alimentícias. Aqui, avaliamos as atividades antifúngicas e antiaflatoxigênicas do ozônio contra a contaminação fúngica em nozes. Os gêneros fúngicos mais predominantes em nozes foram Aspergillus, Penicillium, Fusarium e Rhizopus. O ozônio (4 ppm) reduziu significativamente a esporulação fúngica de A. flavus e sua produção de aflatoxinas. Curiosamente, o tratamento de nozes com ozônio reduziu a contagem total de fungos e aumentou a degradação de aflatoxinas em aproximadamente 95% e 85%, respectivamente. O ozônio apresentou alta eficiência para aumentar a permeabilidade da membrana celular e a lesão da parede celular dos fungos. O aumento do tempo de exposição do ozônio em nozes em até 180 minutos levou à redução do total de lipídios, carboidratos e proteínas em 41,2%, 42,7% e 38,4%, respectivamente, em pistache, amêndoa e amendoim. Em conclusão, a ozonização é uma abordagem de descontaminação adequada para reduzir a carga microbiana em nozes, quando usada com tempo de exposição adequado.
Assuntos


Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados temática Base de dados: VETINDEX Assunto principal: Ozonização / Antifúngicos / Valor Nutritivo / Nozes Idioma: Inglês Revista: Braz. j. biol Ano de publicação: 2024 Tipo de documento: Artigo

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS


Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados temática Base de dados: VETINDEX Assunto principal: Ozonização / Antifúngicos / Valor Nutritivo / Nozes Idioma: Inglês Revista: Braz. j. biol Ano de publicação: 2024 Tipo de documento: Artigo