Your browser doesn't support javascript.

Biblioteca Virtual em Saúde

Brasil

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Training of executive functionsin healthy elderly: results of a pilot study / Treino de funções executivas para idosos saudáveis: resultados de um estudo piloto

Lima-Silva, Thaís Bento; Fabrício, Aline Teixeira; Vinholi e Silva, Laís dos Santos; Oliveira, Glaúcia Martins de; Silva, Wesley Turci da; Kissaki, Priscilla Tiemi; Silva, Anna Pereira Fernandes da; Sasahara, Tamiris Fessel Sasahara; Ordonez, Tiago Nascimento; Oliveira, Thalita Bianchi de; Aramaki, Flávia Ogava Aramaki; Buriti, Adriana; Yassuda, Mônica Sanches.
Dement. neuropsychol; 6(1)mar. 2012.
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-621587
As funções executivas (FE) representam as capacidades cognitivas necessárias para formular um objetivo, planejar, executar planos de modo eficiente, monitorizar-se e autocorrigir-se. As FE sofrem alterações durante o processode envelhecimento normal.

Objetivos:

Treinar habilidades relacionadas às funções executivas em idosos e detectar impactosem testes objetivos de FE e em autorrelato de desempenho funcional.

Métodos:

Trata-se de um estudo transversal, comintervenção e pré e pós testagem. Participaram do estudo 26 idosos que compuseram o grupo experimental (GE) quereceberam intervenção cognitiva de seis sessões e 17 idosos do grupo controle (GC) que completaram apenas pré e pós testagem, matriculados em atividades em uma Universidade Aberta à Terceira Idade. Como medida de eficácia foram usadoso Mini-Exame do Estado Mental (MEEM), Escala de Depressão Geriátrica (EDG), o subteste História do Teste Comportamentalde Memória de Rivermead (versões A e B), fluência verbal categoria semântica frutas (FV), e com restrição fonológica (FAS), Dígitos da bateria WAIS-III, o Teste do Desenho do Relógio (TDR), Trilha A e o Questionário de Avaliação Funcional dePfeffer (PFAQ). Para a avaliação do impacto da intervenção foram calculados deltas (escore do pós-teste menos o escoredo pré-teste).

Resultados:

No pós-teste o GC apresentou melhora no resgate da História e no desempenho nos Dígitos,entretanto, apresentou pior desempenho em fluência verbal. A pontuação do GE permaneceu inalterada.

Conclusões:

Osdados sugerem que a intervenção não gerou impacto nos testes associados ao conceito de FE. Destaca-se que os idososdo GE receberam um número limitado de sessões que pode não ter sido suficiente para gerar alterações. Alternativamente,a ausência de diferença entre os grupos pode estar associada à participação em outras oficinas oferecidas na universidade.
Biblioteca responsável: BR15.3
Selo DaSilva