Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros

Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. bras. ciênc. vet ; 13(3)set.-dez. 2006.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1491335

Resumo

Foram realizadas cento e cinqüenta necropsias em cinco espécies de peixes teleósteos de origem marinha comercializadosno Mercado São Pedro, Município de Niterói, Rio de Janeiro. Utilizaram-se trinta exemplares para cada espécie de Pagruspagrus, Pomatomus saltator, Priacanthus arenatus, Cynoscion sp. e Caranx latus, com o objetivo de verificar a prevalência eintensidade média de infecção de parasitas da ordem Trypanorhyncha. Com o auxílio de estereomicroscópio, os plerocercosforam liberados por meio de estiletes, colocados em placas de Petri com água e levados ao refrigerador por 24 horas. Apóseste tempo, foram processados segundo a técnica descrita por Amato et al. (1990) e identificados segundo Beveridge eCampbell (1994). As espécies Pagrus pagrus e Priacanthus arenatus estavam negativas para parasitas da ordemTrypanorhyncha. No gênero Cynoscion sp. foram observadas prevalência de 16,67% e média de intensidade de infecção de0,17 parasitas por hospedeiro para Pterobotrium crassicolle. Em Caranx latus e Pomatomus saltator verificaram-se prevalênciae intensidade média de infecção para Callitetrarhynchus gracilis de 33,33% e 0,57 parasitas por hospedeiro e, de 36,67% e0,60 parasitos por hospedeiro, respectivamente, sendo encontrado em P. saltator para C. speciosus prevalência de 3,33% eintensidade média de infecção de 0,03 parasitas por peixe. Os inspetores de pescado devem estar

2.
Rev. bras. ciênc. vet ; 13(3)set.-dez. 2006.
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1491336

Resumo

Este estudo objetivou avaliar a qualidade de peixes anchovados de diferentes marcas e origens comercializadas no mercadovarejista de Niterói-RJ. Foram estudadas através de parâmetros bacteriológicos e físico-químicos, 17 amostras processadasno Brasil, Peru, Itália, Argentina e Marrocos. Os resultados demonstraram que os valores de N-BVT extrapolaram, em 100%das amostras, o limite oficial (30mgN/100g) variando entre 42,84 203,80 mg N/100g. Todas as amostras apresentaramhistamina, sendo que em 76,47% (13 amostras), o limite oficial (10mg/100g) foi extrapolado. Somente em três amostras nãoforam observadas a presença de putrescina e cadaverina. Os valores de pH variaram entre 5,08 e 5,73, de Atividade de águaentre 0,55 e 0,70. O percentual de cloretos observado foi de 9,78 a 17,50. Quanto aos parâmetros bacteriológicos, as amostrasanalisadas encontram-se dentro do padrão oficial, no que se refere à análise qualitativa de Salmonella spp. Para coliformestermotolerantes também se encontram adequados à legislação. Dentre as amostras analisadas, somente duas estãoinadequadas quando avaliada a presença de Staphylococcus coagulase positivo. A enumeração de Enterococcus spp., noproduto analisado não é prevista pela Resolução da Diretoria Colegiada n 12 de 2 de janeiro de 2001. Entretanto, osresultados obtidos sugerem uma relação entre a presença desta bactéria e a produção de histamina.

3.
R. bras. Ci. Vet. ; 13(3)2006.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-712925

Resumo

Este estudo objetivou avaliar a qualidade de peixes anchovados de diferentes marcas e origens comercializadas no mercadovarejista de Niterói-RJ. Foram estudadas através de parâmetros bacteriológicos e físico-químicos, 17 amostras processadasno Brasil, Peru, Itália, Argentina e Marrocos. Os resultados demonstraram que os valores de N-BVT extrapolaram, em 100%das amostras, o limite oficial (30mgN/100g) variando entre 42,84 203,80 mg N/100g. Todas as amostras apresentaramhistamina, sendo que em 76,47% (13 amostras), o limite oficial (10mg/100g) foi extrapolado. Somente em três amostras nãoforam observadas a presença de putrescina e cadaverina. Os valores de pH variaram entre 5,08 e 5,73, de Atividade de águaentre 0,55 e 0,70. O percentual de cloretos observado foi de 9,78 a 17,50. Quanto aos parâmetros bacteriológicos, as amostrasanalisadas encontram-se dentro do padrão oficial, no que se refere à análise qualitativa de Salmonella spp. Para coliformestermotolerantes também se encontram adequados à legislação. Dentre as amostras analisadas, somente duas estãoinadequadas quando avaliada a presença de Staphylococcus coagulase positivo. A enumeração de Enterococcus spp., noproduto analisado não é prevista pela Resolução da Diretoria Colegiada n 12 de 2 de janeiro de 2001. Entretanto, osresultados obtidos sugerem uma relação entre a presença desta bactéria e a produção de histamina.

4.
R. bras. Ci. Vet. ; 13(3)2006.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-712882

Resumo

Foram realizadas cento e cinqüenta necropsias em cinco espécies de peixes teleósteos de origem marinha comercializadosno Mercado São Pedro, Município de Niterói, Rio de Janeiro. Utilizaram-se trinta exemplares para cada espécie de Pagruspagrus, Pomatomus saltator, Priacanthus arenatus, Cynoscion sp. e Caranx latus, com o objetivo de verificar a prevalência eintensidade média de infecção de parasitas da ordem Trypanorhyncha. Com o auxílio de estereomicroscópio, os plerocercosforam liberados por meio de estiletes, colocados em placas de Petri com água e levados ao refrigerador por 24 horas. Apóseste tempo, foram processados segundo a técnica descrita por Amato et al. (1990) e identificados segundo Beveridge eCampbell (1994). As espécies Pagrus pagrus e Priacanthus arenatus estavam negativas para parasitas da ordemTrypanorhyncha. No gênero Cynoscion sp. foram observadas prevalência de 16,67% e média de intensidade de infecção de0,17 parasitas por hospedeiro para Pterobotrium crassicolle. Em Caranx latus e Pomatomus saltator verificaram-se prevalênciae intensidade média de infecção para Callitetrarhynchus gracilis de 33,33% e 0,57 parasitas por hospedeiro e, de 36,67% e0,60 parasitos por hospedeiro, respectivamente, sendo encontrado em P. saltator para C. speciosus prevalência de 3,33% eintensidade média de infecção de 0,03 parasitas por peixe. Os inspetores de pescado devem estar

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA