Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros

Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1487641

Resumo

ABSTRACT: Equine leukoencephalomalacia (LEM) is a disease caused by the ingestion of food, especially corn, contaminated by fumonisin, a Fusarium verticillioides (synonymous with F. moniliforme) metabolite. The clinical signs of brain injuries have an acute onset and rapid evolution. This study aimed to describe the clinical findings in 11 animals diagnosed with LEM, including cerebrospinal fluid (CSF) analysis. Of these animals, 91% (10/11) were horses, and only 9% (1/11) were asinine. The clinical localization of the lesions was 64% (7/10) cerebral, manifested mainly by altered mental state and behavioral disturbance, and 36% (4/11) were brainstem lesions, manifested by incoordination, head tilt, nystagmus, facial hypoalgesia, difficulty in apprehension, chewing, and swallowing food. Postmortem findings revealed that 82% (9/11) of the lesions were in the cerebrum and 18% (2/11) in the brainstem. CSF findings, such as xanthochromia (43%, 3/7), hyperproteinorrachia (50%, 3/6), and pleocytosis (43%, 3/7) were observed. The affected animals showed neurological signs that were compatible with cerebral and/or brainstem injuries. The CSF from animals with LEM may present with xanthochromia, hyperproteinorrachia, and pleocytosis, reinforcing the fact that this disease should be included in the differential diagnosis of encephalomyelopathies.


RESUMO: A leucoencefalomalácia (LEM) é uma enfermidade que acomete equídeos causada pela ingestão de milho e seus derivados e feno contaminados pela micotoxina fumonisina, um metabólito do fungo Fusarium verticillioides (sinônimo para F. moniliforme). Os sinais clínicos apresentam início agudo e evolução rápida e são decorrentes de lesões encefálicas. O objetivo deste estudo é descrever os achados clínicos de 11 equídeos diagnosticados com LEM, incluindo a análise do líquido cefalorraquidiano (LCR). 91% dos animais afetados eram equinos e somente 9% (1/11) era asinino. A localização clínica das lesões era 64% (7/10) cerebrais, manifestadas por alterações no estado mental e comportamento e 36% (4/10) no tronco encefálico, manifestadas por incoordenação, desvio lateral de cabeça, nistagmo, hipoalgesia da face e dificuldade de apreensão, mastigação e deglutição de alimentos. Comparativamente, os achados post mortem revelaram que 82% (9/11) das lesões eram no cérebro e 18% (2/11) no tronco encefálico. Alterações no LCR, tais como xantocromia (43%, 3/7), hiperproteinorraquia (50%, 3/6) e pleocitose (43%, 3/7), foram observadas. Os animais afetados apresentaram sinais clínicos compatíveis com lesões encefálicas e/ou de tronco cerebral. O LCR de animais com LEM pode apresentar xantocromia, hiperproteinorraquia, e pleocitose, reforçando que esta doença deve ser incluída como diagnóstico diferencial de encefalomielites.

2.
Pesqui. vet. bras ; 41: e06912, 2021. tab, graf, ilus
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1346689

Resumo

Equine leukoencephalomalacia (LEM) is a disease caused by the ingestion of food, especially corn, contaminated by fumonisin, a Fusarium verticillioides (synonymous with F. moniliforme) metabolite. The clinical signs of brain injuries have an acute onset and rapid evolution. This study aimed to describe the clinical findings in 11 animals diagnosed with LEM, including cerebrospinal fluid (CSF) analysis. Of these animals, 91% (10/11) were horses, and only 9% (1/11) were asinine. The clinical localization of the lesions was 64% (7/10) cerebral, manifested mainly by altered mental state and behavioral disturbance, and 36% (4/11) were brainstem lesions, manifested by incoordination, head tilt, nystagmus, facial hypoalgesia, difficulty in apprehension, chewing, and swallowing food. Postmortem findings revealed that 82% (9/11) of the lesions were in the cerebrum and 18% (2/11) in the brainstem. CSF findings, such as xanthochromia (43%, 3/7), hyperproteinorrachia (50%, 3/6), and pleocytosis (43%, 3/7) were observed. The affected animals showed neurological signs that were compatible with cerebral and/or brainstem injuries. The CSF from animals with LEM may present with xanthochromia, hyperproteinorrachia, and pleocytosis, reinforcing the fact that this disease should be included in the differential diagnosis of encephalomyelopathies.(AU)


A leucoencefalomalácia (LEM) é uma enfermidade que acomete equídeos causada pela ingestão de milho e seus derivados e feno contaminados pela micotoxina fumonisina, um metabólito do fungo Fusarium verticillioides (sinônimo para F. moniliforme). Os sinais clínicos apresentam início agudo e evolução rápida e são decorrentes de lesões encefálicas. O objetivo deste estudo é descrever os achados clínicos de 11 equídeos diagnosticados com LEM, incluindo a análise do líquido cefalorraquidiano (LCR). 91% dos animais afetados eram equinos e somente 9% (1/11) era asinino. A localização clínica das lesões era 64% (7/10) cerebrais, manifestadas por alterações no estado mental e comportamento e 36% (4/10) no tronco encefálico, manifestadas por incoordenação, desvio lateral de cabeça, nistagmo, hipoalgesia da face e dificuldade de apreensão, mastigação e deglutição de alimentos. Comparativamente, os achados post mortem revelaram que 82% (9/11) das lesões eram no cérebro e 18% (2/11) no tronco encefálico. Alterações no LCR, tais como xantocromia (43%, 3/7), hiperproteinorraquia (50%, 3/6) e pleocitose (43%, 3/7), foram observadas. Os animais afetados apresentaram sinais clínicos compatíveis com lesões encefálicas e/ou de tronco cerebral. O LCR de animais com LEM pode apresentar xantocromia, hiperproteinorraquia, e pleocitose, reforçando que esta doença deve ser incluída como diagnóstico diferencial de encefalomielites.(AU)


Assuntos
Animais , Lesões Encefálicas , Líquido Cefalorraquidiano , Leucoencefalopatias/microbiologia , Fusarium , Cavalos , Leucocitose , Micotoxinas , Ingestão de Alimentos
3.
Pesqui. vet. bras ; 41: e06912, 2021. tab, graf, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-765223

Resumo

Equine leukoencephalomalacia (LEM) is a disease caused by the ingestion of food, especially corn, contaminated by fumonisin, a Fusarium verticillioides (synonymous with F. moniliforme) metabolite. The clinical signs of brain injuries have an acute onset and rapid evolution. This study aimed to describe the clinical findings in 11 animals diagnosed with LEM, including cerebrospinal fluid (CSF) analysis. Of these animals, 91% (10/11) were horses, and only 9% (1/11) were asinine. The clinical localization of the lesions was 64% (7/10) cerebral, manifested mainly by altered mental state and behavioral disturbance, and 36% (4/11) were brainstem lesions, manifested by incoordination, head tilt, nystagmus, facial hypoalgesia, difficulty in apprehension, chewing, and swallowing food. Postmortem findings revealed that 82% (9/11) of the lesions were in the cerebrum and 18% (2/11) in the brainstem. CSF findings, such as xanthochromia (43%, 3/7), hyperproteinorrachia (50%, 3/6), and pleocytosis (43%, 3/7) were observed. The affected animals showed neurological signs that were compatible with cerebral and/or brainstem injuries. The CSF from animals with LEM may present with xanthochromia, hyperproteinorrachia, and pleocytosis, reinforcing the fact that this disease should be included in the differential diagnosis of encephalomyelopathies.(AU)


A leucoencefalomalácia (LEM) é uma enfermidade que acomete equídeos causada pela ingestão de milho e seus derivados e feno contaminados pela micotoxina fumonisina, um metabólito do fungo Fusarium verticillioides (sinônimo para F. moniliforme). Os sinais clínicos apresentam início agudo e evolução rápida e são decorrentes de lesões encefálicas. O objetivo deste estudo é descrever os achados clínicos de 11 equídeos diagnosticados com LEM, incluindo a análise do líquido cefalorraquidiano (LCR). 91% dos animais afetados eram equinos e somente 9% (1/11) era asinino. A localização clínica das lesões era 64% (7/10) cerebrais, manifestadas por alterações no estado mental e comportamento e 36% (4/10) no tronco encefálico, manifestadas por incoordenação, desvio lateral de cabeça, nistagmo, hipoalgesia da face e dificuldade de apreensão, mastigação e deglutição de alimentos. Comparativamente, os achados post mortem revelaram que 82% (9/11) das lesões eram no cérebro e 18% (2/11) no tronco encefálico. Alterações no LCR, tais como xantocromia (43%, 3/7), hiperproteinorraquia (50%, 3/6) e pleocitose (43%, 3/7), foram observadas. Os animais afetados apresentaram sinais clínicos compatíveis com lesões encefálicas e/ou de tronco cerebral. O LCR de animais com LEM pode apresentar xantocromia, hiperproteinorraquia, e pleocitose, reforçando que esta doença deve ser incluída como diagnóstico diferencial de encefalomielites.(AU)


Assuntos
Animais , Lesões Encefálicas , Líquido Cefalorraquidiano , Leucoencefalopatias/microbiologia , Fusarium , Cavalos , Leucocitose , Micotoxinas , Ingestão de Alimentos
4.
Pesqui. vet. bras ; 39(11): 909-914, Nov. 2019. tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-26436

Resumo

The Labrador Retriever is among the main breeds with the greatest predisposition to obesity. Several factors, especially the interrelationships between food management, exercise and social factors; influence the likelihood of a dog becoming obese. Furthermore, genetic factors are also responsible for obesity in dogs, and in Labrador Retriever, a frameshift mutation (P187fs) in pro-opiomelanocortin (POMC) gene is strongly associated with obesity. There is no knowledge of studies that have previously evaluated the prevalence of the canine POMC deletion (P187fs) in Brazilian Labrador Retriever. Therefore, the objective of this study was to investigate this mutation in Labrador Retriever dogs in Brazil. Of the 108 Labrador Retrievers that were assessed in this study, 59 were from a previous study, composed by animals assisted in a veterinary hospital with unknown lineage, and 49 were from a prospective study, composed of 19 pet and 30 assistance/rescue Labrador Retriever dogs. The obesity risk and appetite questionnaire were applied, with some modifications, to tutors of the animals used in the prospective study. Fragments of the DNA, containing the mutation, were amplified by PCR and submitted to direct gene sequencing. The allele frequency of the mutation was 21.3% and was out of Hardy-Weinberg equilibrium (P<0.05). Using only the data of animals with known lineage, the presence of the mutated allele was higher in the Assistance/rescue Group than Pet Group (P<0.01), furthermore, the allele frequencies observed in Assistance Group (31.7%) was out of Hardy-Weinberg equilibrium (P<0.05), while that in the Pet Group (18.4%) was in equilibrium (P>0.05). Although the mutation has increased the food-motivation in the assistance/rescue dogs, other variables, especially frequent exercising, favored that these animals maintained the ideal body weight (body condition score = 5). In summary, the Hardy-Weinberg disequilibrium observed in the allele distribution of the deletion POMC_P187fs in this study, independently of the Labrador Retriever group assessed, suggesting the possibility of positive selection of the mutated allele, which may lead to the maintenance of this deleterious allele in the studied population.(AU)


O Labrador Retriever é uma das principais raças caninas com maior predisposição à obesidade. Vários fatores, especialmente as interrelações entre a alimentação, exercício e fatores sociais, influenciam a probabilidade de um cão se tornar obeso. Além disso, fatores genéticos são também responsáveis pela obesidade em cães, e no Labrador Retriever a mutação "frameshift" P187fs no gene pró-opiomelanocortina (POMC) está fortemente associada à obesidade. Não existem estudos prévios de prevalência da deleção P187fs no gene POMC em cães Labrador Retriever no Brasil. Portanto, o objetivo deste estudo foi investigar esta mutação em cães da raça Labrador Retriever no Brasil. Dos 108 Labradores Retrievers avaliados neste estudo, 59 eram de um estudo retrospectivo (composto por animais atendido no hospital veterinário e sem linhagem conhecida) e 49 eram de um estudo prospectivo (composto por 19 cães pet e 30 cães de assistência/resgate). Um questionário de risco de obesidade modificado foi aplicado nos tutores dos animais usados no estudo prospectivo. Fragmentos de DNA, contendo a mutação, foram amplificados por PCR e submetidos ao sequenciamento gênico direto. A frequência alélica da mutação foi de 21,3% e estava fora do equilíbrio de Hardy-Weinberg (P<0,05). Usando somente os dados dos animais de linhagem conhecida, a presença do alelo mutado foi maior no Grupo de cães de Assistência/resgate que no Grupo de Pets (P<0,01), além disso, as frequências alélicas nos Grupos de Assistência/resgate (31,7%) e no de pets (18,4%) estavam fora e em equilíbrio de Hardy-Weinberg (P<0,05), respectivamente. Embora a mutação tenha aumentado a motivação pelo alimento em cães Labrador Retriever do Grupo de Assistência/resgate, outras variáveis, especialmente o frequente exercício, favoreceu a manutenção o peso corporal ideal (peso corporal = 5). Em resumo, o desequilíbrio de Hardy-Weinberg observado na distribuição do alelo POMC_P187fs observado neste estudo, independentemente do grupo de Labrador Retriever avaliado, sugere a possibilidade de uma seleção positiva para o alelo mutado, o qual poderá levar a manutenção desse alelo deletério nesta população.(AU)


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Cães , Pró-Opiomelanocortina/genética , Obesidade/genética , Obesidade/veterinária
5.
Pesqui. vet. bras ; 39(11): 909-914, Nov. 2019. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1056917

Resumo

The Labrador Retriever is among the main breeds with the greatest predisposition to obesity. Several factors, especially the interrelationships between food management, exercise and social factors; influence the likelihood of a dog becoming obese. Furthermore, genetic factors are also responsible for obesity in dogs, and in Labrador Retriever, a frameshift mutation (P187fs) in pro-opiomelanocortin (POMC) gene is strongly associated with obesity. There is no knowledge of studies that have previously evaluated the prevalence of the canine POMC deletion (P187fs) in Brazilian Labrador Retriever. Therefore, the objective of this study was to investigate this mutation in Labrador Retriever dogs in Brazil. Of the 108 Labrador Retrievers that were assessed in this study, 59 were from a previous study, composed by animals assisted in a veterinary hospital with unknown lineage, and 49 were from a prospective study, composed of 19 pet and 30 assistance/rescue Labrador Retriever dogs. The obesity risk and appetite questionnaire were applied, with some modifications, to tutors of the animals used in the prospective study. Fragments of the DNA, containing the mutation, were amplified by PCR and submitted to direct gene sequencing. The allele frequency of the mutation was 21.3% and was out of Hardy-Weinberg equilibrium (P<0.05). Using only the data of animals with known lineage, the presence of the mutated allele was higher in the Assistance/rescue Group than Pet Group (P<0.01), furthermore, the allele frequencies observed in Assistance Group (31.7%) was out of Hardy-Weinberg equilibrium (P<0.05), while that in the Pet Group (18.4%) was in equilibrium (P>0.05). Although the mutation has increased the food-motivation in the assistance/rescue dogs, other variables, especially frequent exercising, favored that these animals maintained the ideal body weight (body condition score = 5). In summary, the Hardy-Weinberg disequilibrium observed in the allele distribution of the deletion POMC_P187fs in this study, independently of the Labrador Retriever group assessed, suggesting the possibility of positive selection of the mutated allele, which may lead to the maintenance of this deleterious allele in the studied population.(AU)


O Labrador Retriever é uma das principais raças caninas com maior predisposição à obesidade. Vários fatores, especialmente as interrelações entre a alimentação, exercício e fatores sociais, influenciam a probabilidade de um cão se tornar obeso. Além disso, fatores genéticos são também responsáveis pela obesidade em cães, e no Labrador Retriever a mutação "frameshift" P187fs no gene pró-opiomelanocortina (POMC) está fortemente associada à obesidade. Não existem estudos prévios de prevalência da deleção P187fs no gene POMC em cães Labrador Retriever no Brasil. Portanto, o objetivo deste estudo foi investigar esta mutação em cães da raça Labrador Retriever no Brasil. Dos 108 Labradores Retrievers avaliados neste estudo, 59 eram de um estudo retrospectivo (composto por animais atendido no hospital veterinário e sem linhagem conhecida) e 49 eram de um estudo prospectivo (composto por 19 cães pet e 30 cães de assistência/resgate). Um questionário de risco de obesidade modificado foi aplicado nos tutores dos animais usados no estudo prospectivo. Fragmentos de DNA, contendo a mutação, foram amplificados por PCR e submetidos ao sequenciamento gênico direto. A frequência alélica da mutação foi de 21,3% e estava fora do equilíbrio de Hardy-Weinberg (P<0,05). Usando somente os dados dos animais de linhagem conhecida, a presença do alelo mutado foi maior no Grupo de cães de Assistência/resgate que no Grupo de Pets (P<0,01), além disso, as frequências alélicas nos Grupos de Assistência/resgate (31,7%) e no de pets (18,4%) estavam fora e em equilíbrio de Hardy-Weinberg (P<0,05), respectivamente. Embora a mutação tenha aumentado a motivação pelo alimento em cães Labrador Retriever do Grupo de Assistência/resgate, outras variáveis, especialmente o frequente exercício, favoreceu a manutenção o peso corporal ideal (peso corporal = 5). Em resumo, o desequilíbrio de Hardy-Weinberg observado na distribuição do alelo POMC_P187fs observado neste estudo, independentemente do grupo de Labrador Retriever avaliado, sugere a possibilidade de uma seleção positiva para o alelo mutado, o qual poderá levar a manutenção desse alelo deletério nesta população.(AU)


Assuntos
Animais , Masculino , Feminino , Cães , Pró-Opiomelanocortina/genética , Obesidade/genética , Obesidade/veterinária
6.
Pesqui. vet. bras ; 39(11)2019.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-745792

Resumo

ABSTRACT: The Labrador Retriever is among the main breeds with the greatest predisposition to obesity. Several factors, especially the interrelationships between food management, exercise and social factors; influence the likelihood of a dog becoming obese. Furthermore, genetic factors are also responsible for obesity in dogs, and in Labrador Retriever, a frameshift mutation (P187fs) in pro-opiomelanocortin (POMC) gene is strongly associated with obesity. There is no knowledge of studies that have previously evaluated the prevalence of the canine POMC deletion (P187fs) in Brazilian Labrador Retriever. Therefore, the objective of this study was to investigate this mutation in Labrador Retriever dogs in Brazil. Of the 108 Labrador Retrievers that were assessed in this study, 59 were from a previous study, composed by animals assisted in a veterinary hospital with unknown lineage, and 49 were from a prospective study, composed of 19 pet and 30 assistance/rescue Labrador Retriever dogs. The obesity risk and appetite questionnaire were applied, with some modifications, to tutors of the animals used in the prospective study. Fragments of the DNA, containing the mutation, were amplified by PCR and submitted to direct gene sequencing. The allele frequency of the mutation was 21.3% and was out of Hardy-Weinberg equilibrium (P 0.05). Using only the data of animals with known lineage, the presence of the mutated allele was higher in the Assistance/rescue Group than Pet Group (P 0.01), furthermore, the allele frequencies observed in Assistance Group (31.7%) was out of Hardy-Weinberg equilibrium (P 0.05), while that in the Pet Group (18.4%) was in equilibrium (P>0.05). Although the mutation has increased the food-motivation in the assistance/rescue dogs, other variables, especially frequent exercising, favored that these animals maintained the ideal body weight (body condition score = 5). In summary, the Hardy-Weinberg disequilibrium observed in the allele distribution of the deletion POMC_P187fs in this study, independently of the Labrador Retriever group assessed, suggesting the possibility of positive selection of the mutated allele, which may lead to the maintenance of this deleterious allele in the studied population.


RESUMO: O Labrador Retriever é uma das principais raças caninas com maior predisposição à obesidade. Vários fatores, especialmente as interrelações entre a alimentação, exercício e fatores sociais, influenciam a probabilidade de um cão se tornar obeso. Além disso, fatores genéticos são também responsáveis pela obesidade em cães, e no Labrador Retriever a mutação frameshift P187fs no gene pró-opiomelanocortina (POMC) está fortemente associada à obesidade. Não existem estudos prévios de prevalência da deleção P187fs no gene POMC em cães Labrador Retriever no Brasil. Portanto, o objetivo deste estudo foi investigar esta mutação em cães da raça Labrador Retriever no Brasil. Dos 108 Labradores Retrievers avaliados neste estudo, 59 eram de um estudo retrospectivo (composto por animais atendido no hospital veterinário e sem linhagem conhecida) e 49 eram de um estudo prospectivo (composto por 19 cães pet e 30 cães de assistência/resgate). Um questionário de risco de obesidade modificado foi aplicado nos tutores dos animais usados no estudo prospectivo. Fragmentos de DNA, contendo a mutação, foram amplificados por PCR e submetidos ao sequenciamento gênico direto. A frequência alélica da mutação foi de 21,3% e estava fora do equilíbrio de Hardy-Weinberg (P 0,05). Usando somente os dados dos animais de linhagem conhecida, a presença do alelo mutado foi maior no Grupo de cães de Assistência/resgate que no Grupo de Pets (P 0,01), além disso, as frequências alélicas nos Grupos de Assistência/resgate (31,7%) e no de pets (18,4%) estavam fora e em equilíbrio de Hardy-Weinberg (P 0,05), respectivamente. Embora a mutação tenha aumentado a motivação pelo alimento em cães Labrador Retriever do Grupo de Assistência/resgate, outras variáveis, especialmente o frequente exercício, favoreceu a manutenção o peso corporal ideal (peso corporal = 5). Em resumo, o desequilíbrio de Hardy-Weinberg observado na distribuição do alelo POMC_P187fs observado neste estudo, independentemente do grupo de Labrador Retriever avaliado, sugere a possibilidade de uma seleção positiva para o alelo mutado, o qual poderá levar a manutenção desse alelo deletério nesta população.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA