Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Vet. Not. (Online) ; 29(1): e66886, 2023.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1418624

Resumo

This study compared three methods for estimating forage mass and its morphological components in canopies of Urochloa brizantha cv. Marandu (marandu palisadegrass). Two experiments were carried out, the fi rst simulating deferment and the second, continuous stocking. In the fi rst experiment, three methods for estimating forage mass (square, row, and tiller methods) were evaluated in different canopies with three initial heights (15, 30, and 45 cm). In the second experiment, two methods for estimating forage mass (square and tiller methods) were evaluated in canopies with three average heights (15, 30, and 45 cm) in summer. The experiments were conducted in a completely randomized design, in a split-plot scheme, with four replications. The plots were canopy heights and the subplots, the forage mass estimation methods. In general, taller canopies have greater forage mass. The tiller method resulted in lower total forage and senescent forage masses than the other methods. The tiller method underestimates total forage and senescent forage masses. The square and line methods are suitable to estimate the pasture total and senescent forage masses.(AU)


Este estudo comparou três métodos para a estimativa das massas de forragem e dos seus componentes morfológicos em dosséis de Urochloa brizantha cv. Marandu (capim-marandu). Dois experimentos foram realizados, sendo o primeiro simulando o diferimento e o segundo, a lotação contínua. No primeiro experimento, foram avaliados três métodos para estimativa de massa de forragem (métodos do quadrado, da linha e do perfilho) em dosséis diferidos com três alturas iniciais (15, 30 e 45 cm). No segundo experimento, foram avaliados dois métodos para estimativa de massa de forragem (métodos do quadrado e do perfilho) em dosséis com três alturas médias (15, 30 e 45 cm) no verão. Os experimentos foram conduzidos em delineamento inteiramente casualizado, em esquema de parcelas subdivididas, com quatro repetições. As parcelas foram as alturas dos dosséis e as subparcela, os métodos de estimativa da massa de forragem. Em geral, os dosséis mais altos apresentam maior massa de forragem. O método do perfilho resultou em massas de forragem total e de forragem senescente inferiores ao demais métodos. O método do perfilho subestima as massas de forragem total e de forragem senescente. Para estimar as massas de forragem total e de forragem senescente do pasto, os métodos do quadrado e da linha são adequados.(AU)


Assuntos
Biomassa , Poaceae/crescimento & desenvolvimento , 24444 , Pastagens
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA