Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Ciênc. rural (Online) ; 53(7): 20220072, 2023. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1404272

Resumo

ABSTRACT: Rhizosphere microorganisms play an important role in the growth and health of plants. Around the world, diverse soil-borne pathogens attack Capsicum annuum causing significant damage and economic losses. This study determined whether the diversity and composition of microbial communities in the rhizosphere soil of C. annuum plants is significantly changed by wilt disease. We used the 16S rRNA gene for bacteria and the internal transcribed spacer region for fungi to characterize the rhizosphere microbiomes of healthy and wilted plants. The most abundant bacterial phyla were Proteobacteria and Gemmatimonadetes, while the most abundant fungal phyla were Ascomycota and Mucoromycota. The bacterial α-diversity did not show significant differences in richness and diversity, but did show a significant difference in evenness and dominance of species. Rare taxa were present in both healthy and wilted conditions with relative abundances < 1%. In the fungi, all evaluated estimators showed a significant reduction in the wilted condition. The β-diversity showed significant differences in the structure of bacterial and fungal communities, which were segregated according to plant health conditions. The same occurred when comparing the alpha and beta diversity of this study based on organic agriculture with that of other studies based on conventional agriculture. We observed a significant difference with estimators analyzed by segregating rhizosphere communities depending on the farming method used. Finally, the differential abundance analysis did not show significant results in the bacterial communities; however, in the fungal communities, Fusarium, Thanatephorus, Rhizopus, Curvularia, Cladosporium, and Alternaria were more abundant in the rhizosphere of wilted than healthy plants. Species from these genera have been previously reported as phytopathogens of several plants, including C. annuum.


RESUMO: Microrganismos na rizosfera desempenham um papel importante no crescimento e saúde das plantas. Em todo o mundo, vários patógenos do solo atacam o Capsicum annuum causando danos significativos e perdas econômicas. Este estudo teve como objetivo determinar se a diversidade e composição das comunidades microbianas no solo da rizosfera de plantas de C. annuum é alterada significativamente pela murcha. Usamos o gene 16S rRNA para bactérias e a região espaçadora transcrita interna para fungos para caracterizar os microbiomas da rizosfera de plantas saudáveis e plantas com murcha. Os filos bacterianos mais abundantes foram Proteobacteria e Gemmatimonadetes, enquanto os filos fúngicos foram Ascomycota e Mucoromycota. A diversidade alfa bacteriana não mostrou diferenças significativas na riqueza e diversidade, mas mostrou uma diferença significativa na uniformidade e dominância das espécies. Táxons raros estavam presentes em condições saudáveis e murchas com abundância relativa < 1%. Em fungos, todos os estimadores avaliados apresentaram redução significativa na condição de murcha. A diversidade beta apresentou diferenças significativas na estrutura das comunidades bacterianas e fúngicas, que foram segregadas de acordo com as condições fitossanitárias. O mesmo aconteceu ao comparar a diversidade alfa e beta deste estudo baseado na agricultura orgânica com a de outros estudos baseados na agricultura convencional. Uma diferença significativa foi observada com os estimadores analisados segregando as comunidades da rizosfera dependendo do método de cultivo utilizado. Por fim, a análise de abundância diferencial não apresentou resultados significativos nas comunidades bacterianas; entretanto, nas comunidades fúngicas, os gêneros Fusarium, Thanatephorus, Rhizopus, Curvularia, Cladosporium e Alternaria foram mais abundantes na rizosfera de plantas murchas do que saudáveis. Várias espécies desses gêneros foram previamente relatadas como fitopatógenos de várias plantas, incluindo C. annuum.

2.
Ci. Rural ; 51(6)2021. graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-31294

Resumo

Biofortification of food crops is implemented through the application of mineral fertilizers, to improve the levels of essential mineral elements for human nutrition. Magnesium is a key macronutrient in crop production and quality; however, worldwide, it is the most limiting macronutrient in agriculture. Magnesium plays an important role in manipulating physiological and biochemical processes in plants. Therefore, the objective of this study was to evaluate the efficacy of biofortification with magnesium chloride and sulfate on the accumulation of bioactive compounds and antioxidant capacity in snap bean cv. Strike. Two sources of Magnesium were applied via edaphic route: Magnesium chloride and magnesium sulfate at doses of 0, 50, 100 and 200 ppm during 2018 in Mexico. Accumulation of bioactive compounds (total phenols, total flavonoids and total anthocyanins) and antioxidant capacity in snap bean fruits were evaluated. Results obtained indicate that the concentration of total flavonoids, total anthocyanins and antioxidant capacity in the edible parts of snap beans were higher in the MgSO4 treatment than in the MgCl2 treatments, exceeding 30, 59 and 6% respectively. This is one of the first studies on the edaphic agronomic biofortification of Mg+ and its effect on nutraceutical quality in snap bean. An interesting result is that MgSO4 produced high concentrations of anthocyanins in edible snap beans. These results can be applied as a new strategy to reduce malnutrition and improve the health of the population in poor urban and rural communities in developing countries.(AU)


A biofortificação de culturas alimentares é implementada através da aplicação de fertilizantes minerais, para melhorar os níveis de elementos minerais essenciais para a nutrição humana. O magnésio é um macronutriente essencial na produção e qualidade das culturas, no entanto, em todo o mundo, é o macronutriente mais limitante da agricultura. O magnésio desempenha um papel importante na manipulação de processos fisiológicos e bioquímicos nas plantas. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia da biofortificação com cloreto e sulfato de magnésio no acúmulo de compostos bioativos e capacidade antioxidante em feijões verdes cv. Strike. Duas fontes de magnésio foram aplicadas por via edáfica: cloreto de magnésio e sulfato de magnésio nas doses de 0, 50, 100 e 200 ppm durante o ano de 2018 no México. Foram avaliados o acúmulo de compostos bioativos (fenóis totais, flavonóides totais e antocianinas totais) e a capacidade antioxidante em frutos de feijão-vagem. Os resultados obtidos indicam que a concentração de flavonoides totais, antocianinas totais e capacidade antioxidante nas partes comestíveis do feijão-vagem foram maiores no tratamento com MgSO4 do que nos tratamentos com MgCl2, ultrapassando 30, 59 e 6% respectivamente. Este é um dos primeiros estudos sobre a biofortificação agronômica edáfica do Mg+ e seu efeito na qualidade nutracêutica do feijão-vagem. Um resultado interessante é que o MgSO4 produziu altas concentrações de antocianinas no feijão-vagem comestível. Esses resultados podem ser aplicados como uma nova estratégia para reduzir a desnutrição e melhorar a saúde da população em comunidades urbanas e rurais pobres em países em desenvolvimento.(AU)


Assuntos
Fabaceae/química , Magnésio/administração & dosagem , Antocianinas/biossíntese , Flavonoides/análise , Proteínas de Vegetais Comestíveis
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA