Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros

Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Pesqui. vet. bras ; 38(10): 1972-1980, out. 2018. tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-19672

Resumo

The inflammatory infiltrate in the tumor microenvironment, particularly in mammary tumors, has aroused great interest in oncology, to play different roles in the progression or tumor regression dependent on the types and cell subsets involved. The present study aimed to evaluate (1) the occurrence and intensity of macrophage infiltration in the mammary carcinoma microenvironment, (2) the expression of SOCS1 and SOCS3 proteins in tumor associated macrophages, (3) any association between these parameters and tumor development, as well as survival rates in female dogs. Twenty-two female dogs diagnosed as carcinoma arising in a mixed tumor (CMT) by histopathology were divided into two groups following mastectomy: dogs without metastasis (CMT(-)=11) and those with metastasis (CMT(+)=11). The following parameters were analyzed: tumor size, lymph node metastasis, clinical stage, histological grade, distribution and intensity of inflammatory infiltrate, tumor macrophage quantification by immunohistochemical analysis of SOCS1 and SOCS3 expression, and immunophenotyping of peripheral blood leukocytes by flow cytometry. Dogs with the higher proportions of macrophages in the inflammatory infiltrate (≥400/tumor) also had higher survival rates in comparison with dogs with less macrophages. Immunostaining revealed higher proportions of SOCS3-positive macrophages in dogs without lymph node metastasis, while SOCS1-positive macrophages were predominant in dogs with metastasis (p<0.05). Multivariate analysis found associations between survival rate and clinical staging (p=0.025), histological grade (p=0.007), and the expression of MHC-CI in circulating monocytes (p=0.018)...(AU)


O infiltrado inflamatório no microambiente tumoral, particularmente nos tumores mamários, tem despertado grande interesse na oncologia, por desempenhar diferentes funções na progressão ou regressão tumoral, dependendo dos tipos e subtipos celulares envolvidos. O presente estudo teve como objetivo avaliar: (1) a ocorrência e a intensidade do infiltrado macrofágico no microambiente do carcinoma mamário; (2) a expressão das proteínas SOCS1 e SOCS3 nos macrófagos associados ao tumor; (3) qualquer associação relacionada ao prognóstico entre estes parâmetros e o desenvolvimento tumoral, assim como a taxa de sobrevida. Vinte e duas cadelas diagnosticadas com carcinoma em tumor misto (CTM) por exame histopatológico foram divididas em dois grupos após a mastectomia: cadelas sem metástase (CTM(-)=11) e cadelas com metástase (CTM(+)=11). Foram analisados os seguintes parâmetros: tamanho do tumor, metástase para linfonodo, estadiamento clínico, grau histológico, distribuição e intensidade do infiltrado inflamatório, quantificação dos macrófagos tumorais por análise imuno-histoquímica da expressão de SOCS1 e SOCS3, e imunofenotipagem dos leucócitos (monócitos e linfócitos) do sangue periférico por citometria de fluxo. Cadelas que apresentavam maiores proporções de macrófagos no infiltrado inflamatório (≥400/tumor) também tiveram maior taxa de sobrevida em comparação àquelas com menos macrófagos. A imunomarcação revelou maiores proporções de macrófagos SOCS3-positivos em cães sem metástase para linfonodo, enquanto que macrófagos SOCS1-positivos foram predominantes naqueles com metástase (p<0,05). A análise multivariada identificou associações entre a taxa de sobrevida e o estadiamento clínico (p=0,025), grau histológico (p=0,007) e a expressão de MHC-CI em monócitos circulantes (p=0,018)...(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Carcinoma/patologia , Carcinoma/veterinária , Neoplasias Mamárias Animais/patologia , Cães , Proteína 1 Supressora da Sinalização de Citocina , Proteína 3 Supressora da Sinalização de Citocinas
2.
Pesqui. vet. bras ; 38(10): 1972-1980, out. 2018. tab, ilus
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-976388

Resumo

The inflammatory infiltrate in the tumor microenvironment, particularly in mammary tumors, has aroused great interest in oncology, to play different roles in the progression or tumor regression dependent on the types and cell subsets involved. The present study aimed to evaluate (1) the occurrence and intensity of macrophage infiltration in the mammary carcinoma microenvironment, (2) the expression of SOCS1 and SOCS3 proteins in tumor associated macrophages, (3) any association between these parameters and tumor development, as well as survival rates in female dogs. Twenty-two female dogs diagnosed as carcinoma arising in a mixed tumor (CMT) by histopathology were divided into two groups following mastectomy: dogs without metastasis (CMT(-)=11) and those with metastasis (CMT(+)=11). The following parameters were analyzed: tumor size, lymph node metastasis, clinical stage, histological grade, distribution and intensity of inflammatory infiltrate, tumor macrophage quantification by immunohistochemical analysis of SOCS1 and SOCS3 expression, and immunophenotyping of peripheral blood leukocytes by flow cytometry. Dogs with the higher proportions of macrophages in the inflammatory infiltrate (≥400/tumor) also had higher survival rates in comparison with dogs with less macrophages. Immunostaining revealed higher proportions of SOCS3-positive macrophages in dogs without lymph node metastasis, while SOCS1-positive macrophages were predominant in dogs with metastasis (p<0.05). Multivariate analysis found associations between survival rate and clinical staging (p=0.025), histological grade (p=0.007), and the expression of MHC-CI in circulating monocytes (p=0.018). Higher SOCS3 expression in activated macrophages within the inflammatory infiltrate were considered indicative of an antitumor immune response, improved clinicopathological parameters and longer survival, whereas SOCS1-related activation was associated with tumor progression, metastasis development and reduced survival in female dogs with mammary carcinomas.(AU)


O infiltrado inflamatório no microambiente tumoral, particularmente nos tumores mamários, tem despertado grande interesse na oncologia, por desempenhar diferentes funções na progressão ou regressão tumoral, dependendo dos tipos e subtipos celulares envolvidos. O presente estudo teve como objetivo avaliar: (1) a ocorrência e a intensidade do infiltrado macrofágico no microambiente do carcinoma mamário; (2) a expressão das proteínas SOCS1 e SOCS3 nos macrófagos associados ao tumor; (3) qualquer associação relacionada ao prognóstico entre estes parâmetros e o desenvolvimento tumoral, assim como a taxa de sobrevida. Vinte e duas cadelas diagnosticadas com carcinoma em tumor misto (CTM) por exame histopatológico foram divididas em dois grupos após a mastectomia: cadelas sem metástase (CTM(-)=11) e cadelas com metástase (CTM(+)=11). Foram analisados os seguintes parâmetros: tamanho do tumor, metástase para linfonodo, estadiamento clínico, grau histológico, distribuição e intensidade do infiltrado inflamatório, quantificação dos macrófagos tumorais por análise imuno-histoquímica da expressão de SOCS1 e SOCS3, e imunofenotipagem dos leucócitos (monócitos e linfócitos) do sangue periférico por citometria de fluxo. Cadelas que apresentavam maiores proporções de macrófagos no infiltrado inflamatório (≥400/tumor) também tiveram maior taxa de sobrevida em comparação àquelas com menos macrófagos. A imunomarcação revelou maiores proporções de macrófagos SOCS3-positivos em cães sem metástase para linfonodo, enquanto que macrófagos SOCS1-positivos foram predominantes naqueles com metástase (p<0,05). A análise multivariada identificou associações entre a taxa de sobrevida e o estadiamento clínico (p=0,025), grau histológico (p=0,007) e a expressão de MHC-CI em monócitos circulantes (p=0,018). A maior expressão de SOCS3 nos macrófagos ativados foi considerada indicativa de uma resposta imune antitumoral, melhores parâmetros clínicos e maior taxa de sobrevida, ao passo que a ativação relacionada com SOCS1 foi associada à progressão tumoral, desenvolvimento de metástase e redução na taxa de sobrevida em cadelas com carcinoma mamário.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Cães , Carcinoma/patologia , Carcinoma/veterinária , Neoplasias Mamárias Animais/patologia , Proteínas Supressoras da Sinalização de Citocina , Cães , Proteína 1 Supressora da Sinalização de Citocina , Proteína 3 Supressora da Sinalização de Citocinas
3.
Pesqui. vet. bras ; 34(6): 569-575, jun. 2014. ilus, graf, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-10598

Resumo

Alterações neurológicas em cães são comuns na rotina da clínica médica, sendo necessário identificar o sítio de lesão quando da ocorrência de neuropatias por compressão em estruturas do Sistema Nervoso Central (SNC). O objetivo deste trabalho foi realizar um estudo epidemiológico das alterações neurológicas compressivas em medula espinal de cães domiciliados em Salvador e região metropolitana: Discopatias, Neoplasias e Traumas identificadas através da Tomografia Computadorizada (TC). Foram avaliados 17 cães de diversas raças com idade entre 2 e 10 anos e de ambos os sexos, atendidos na rotina de dois serviços médicos-veterinários e encaminhados para realização do exame conforme indicação clínica. Imagens em cortes com espessura variando de 0,5 a 2mm em rotação foram produzidas com o Tomógrafo. Dos animais que apresentaram discopatia 12/17 (70,58 por cento), por mielopatia extradural 6/12 (50 por cento), foram da raça Dachshund com idade média 7,33±1,97 anos e para todos os outros a ocorrência foi pontual; 23,53 por cento de osteopatias vertebrais, neoplasias ósseas e fraturas, e 5,89 por cento correspondente a neoplasia de medula. Houve uma maior frequência de lesões nos segmentos C4-C6 3/12 (25 por cento), T12-T13 (25 por cento) e L2-L3 (25 por cento) dos casos.(AU)


Neurological disorders in dogs are common in veterinary medical practice routine, being necessary to identify the site of injury in the event of compression on structures of the central nervous system (CNS). The aim of this work was an epidemiological study of neurological changes in compressive spinal cord of pet dogs in Salvador and the metropolitan area. Discopathies, neoplasms and trauma were identified by Computed Tomography (CT). We evaluated 17 dogs of various breeds, aged between 2 and 10 years old and of both sexes, from two veterinary medical routine services and forwarded to the examination as clinically indicated. Slice images with a thickness ranging from 0.5 to 2mm were produced in rotation with the tomograph. Animals that showed disc disease (70.58 percent) for extradural myelopathy 6/12 (50 percent) were the breed Dachshund, mean age 7.33±1.97 years and for all other occurrence was timely; 23.53 percent of vertebral bone disease, bone tumors and fractures, and 5.89 percent corresponding to neoplasm marrow. There was a higher incidence of injuries segments L2-L3 (25 percent), followed by C4-C6 (16.67 percent), T12-T13 (16.67 percent), L7-S1 (16.67 percent) of cases.(AU)


Assuntos
Animais , Cães/anormalidades , Cães/lesões , Tomografia Computadorizada por Raios X/veterinária , Compressão da Medula Espinal/veterinária , Diagnóstico por Imagem/veterinária , Sistema Nervoso Central/lesões , Transtornos Neurológicos da Marcha/veterinária
4.
Pesqui. vet. bras ; 27(8): 319-324, 2007. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-159

Resumo

Foram investigadas áreas de risco de leishmaniose visceral canina no município de Camaçari, Bahia. Um total de 278 cães distribuídos em 141 residências, pertencentes a 20 áreas de risco investigadas, foi examinado sorologicamente (ELISA). A soroprevalência geral foi 21,7 por cento (56/258) depois da exclusão dos 20 cães usados no início do estudo para delimitar a área. Os resultados respectivos das análises univariada e multivariada dos fatores relacionados à infecção do cão por Leishmania chagasi, a captura e distribuição do vetor na área e a metodologia usada para localizar os focos caninos são discutidos.(AU)


Risk areas of canine visceral leishmaniasis in the city of Camaçari, Bahia, Brazil, were investigated. A total of 278 dogs from 141 homes pertaining to 20 investigated risk areas was serologically screened (ELISA). The general seroprevalence was 21.7 percent (56/258) after exclusion of 20 dogs used at the beginning of the survey to limit the study area. The respective results of the univariated and multivariated analysis of factors related to infection of dogs by Leishmania chagasi, to vector distribu-tion pattern in the area and to the methodology used to localize the canine focuses are discussed.(AU)


Assuntos
Leishmaniose Visceral/diagnóstico , Leishmaniose Visceral/epidemiologia , Leishmaniose Visceral/veterinária , Estudos Soroepidemiológicos , Ensaio de Imunoadsorção Enzimática/métodos , Zona de Risco de Desastre/análise , Zona de Risco de Desastre/prevenção & controle , Cães
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA