Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 14 de 14
Filtrar
Mais filtros

Intervalo de ano de publicação
1.
Neotrop. ichthyol ; 21(1): e220086, 2023. ilus, tab, mapas
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1428611

Resumo

A new species of Poptella is described from the rio Xingu basin, Pará and Mato Grosso states, Brazil. The new species is distinguished from all congeners by having a greater number of scales around the caudal peduncle (15­18 vs. 13­14). Furthermore, this species can be easily distinguished from P. brevispina, P. longipinnis, and P. fuscata by the lower number of branched rays in the dorsal fin (9 vs. 10­11). The description of new taxon represents the third species of the genus Poptella described in the last five years.(AU)


Uma nova espécie de Poptella é descrita da bacia do rio Xingu, estados do Pará e Mato Grosso, Brasil. A nova espécie é distinguida de todas as espécies congêneres por apresentar maior número de escamas ao redor do pedúnculo caudal (15­18 vs. 13­14). Além disso, esta espécie pode ser facilmente distinguida de P. brevispina P. longipinnis e P. fuscata pelo menor número de raios ramificados na nadadeira dorsal (9 vs.10-11). A descrição do novo táxon representa a terceira espécie do gênero Poptella descrita nos últimos cinco anos.(AU)


Assuntos
Animais , Nadadeiras de Animais/anatomia & histologia , Caraciformes/classificação , Especificidade da Espécie , Brasil , Biodiversidade
2.
Neotrop. ichthyol ; 18(3): e200025, 2020. tab, ilus, mapas
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1135394

Resumo

Moenkhausia melogramma is herein redescribed, based on the examination of the holotype plus additional specimens from the western Amazon basin in Brazil, Colombia, Peru, and Ecuador. Moenkhausia melogramma shares with M. collettii, M. conspicua, M. copei, M. venerei, and M. flava a broad dark longitudinal stripe across the eye, and a well-defined dark stripe on the anal-fin base. It can be promptly distinguished from these species by having two humeral blotches. Additionally, we provide comments on the putative relationships of Moenkhausia melogramma with the aforementioned congeners and the Hemigrammus lunatus species-group.(AU)


RESUMO Moenkhausia melogramma é redescrita com base no exame do holótipo e exemplares adicionais da bacia amazônica ocidental no Brasil, Colômbia, Peru e Equador. Moenkhausia melogramma compartilha com M. collettii, M. conspicua, M. copei, M. venerei e M. flava a presença de uma faixa larga longitudinal escura que atravessa os olhos e uma linha escura bem definida na base da nadadeira anal. Ela pode ser prontamente distinguida dessas espécies por ter duas manchas umerais. Adicionalmente, fornecemos comentários sobre as possíveis relações filogenéticas de Moenkhausia melogramma com as congêneres supramencionadas e com o grupo de espécies Hemigrammus lunatus.


Assuntos
Animais , Ecossistema Amazônico , Characidae/classificação , Pinos Ortopédicos
3.
Neotrop. ichthyol ; 18(3): e200025, 2020. tab, ilus, mapas
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-31507

Resumo

Moenkhausia melogramma is herein redescribed, based on the examination of the holotype plus additional specimens from the western Amazon basin in Brazil, Colombia, Peru, and Ecuador. Moenkhausia melogramma shares with M. collettii, M. conspicua, M. copei, M. venerei, and M. flava a broad dark longitudinal stripe across the eye, and a well-defined dark stripe on the anal-fin base. It can be promptly distinguished from these species by having two humeral blotches. Additionally, we provide comments on the putative relationships of Moenkhausia melogramma with the aforementioned congeners and the Hemigrammus lunatus species-group.(AU)


RESUMO Moenkhausia melogramma é redescrita com base no exame do holótipo e exemplares adicionais da bacia amazônica ocidental no Brasil, Colômbia, Peru e Equador. Moenkhausia melogramma compartilha com M. collettii, M. conspicua, M. copei, M. venerei e M. flava a presença de uma faixa larga longitudinal escura que atravessa os olhos e uma linha escura bem definida na base da nadadeira anal. Ela pode ser prontamente distinguida dessas espécies por ter duas manchas umerais. Adicionalmente, fornecemos comentários sobre as possíveis relações filogenéticas de Moenkhausia melogramma com as congêneres supramencionadas e com o grupo de espécies Hemigrammus lunatus.


Assuntos
Animais , Ecossistema Amazônico , Characidae/classificação , Pinos Ortopédicos
4.
Neotrop. ichthyol ; 17(2): e180149, 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1002716

Resumo

A new species of Poptella is described from the Rio Juma, a tributary of the lower Rio Aripuanã, Rio Madeira basin, Amazonas, Brazil. The new species is distinguished from all congeners, except P. brevispina, by having a lower number of scale rows between the lateral line and dorsal-fin origin (7 vs. 8-10). The new species can be readily distinguished from P. brevispina by the lower number of branched dorsal-fin rays (9 vs. 10). This is the first description of a new species of Poptella since the revisionary study of the Stethaprioninae, published 30 years ago.(AU)


Uma nova espécie de Poptella é descrita do Rio Juma, tributário do baixo Rio Aripuanã, bacia do rio Madeira, Amazonas, Brasil. A nova espécie é distinguida de todas suas congêneres, exceto P. brevispina, por apresentar menor número de séries de escamas entre a linha lateral e origem da nadadeira dorsal (7 vs. 8-10). A nova espécie pode ser facilmente diferenciada de P. brevispina pelo menor número de raios ramificados na nadadeira dorsal (9 vs. 10). Esta é a primeira descrição de uma nova espécie de Poptella desde a última revisão taxonômica de Stethaprioninae, publicada há trinta anos.(AU)


Assuntos
Animais , Ecossistema Amazônico/análise , Biodiversidade , Caraciformes/classificação
5.
Neotrop. ichthyol ; 17(2): e180149, 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-22255

Resumo

A new species of Poptella is described from the Rio Juma, a tributary of the lower Rio Aripuanã, Rio Madeira basin, Amazonas, Brazil. The new species is distinguished from all congeners, except P. brevispina, by having a lower number of scale rows between the lateral line and dorsal-fin origin (7 vs. 8-10). The new species can be readily distinguished from P. brevispina by the lower number of branched dorsal-fin rays (9 vs. 10). This is the first description of a new species of Poptella since the revisionary study of the Stethaprioninae, published 30 years ago.(AU)


Uma nova espécie de Poptella é descrita do Rio Juma, tributário do baixo Rio Aripuanã, bacia do rio Madeira, Amazonas, Brasil. A nova espécie é distinguida de todas suas congêneres, exceto P. brevispina, por apresentar menor número de séries de escamas entre a linha lateral e origem da nadadeira dorsal (7 vs. 8-10). A nova espécie pode ser facilmente diferenciada de P. brevispina pelo menor número de raios ramificados na nadadeira dorsal (9 vs. 10). Esta é a primeira descrição de uma nova espécie de Poptella desde a última revisão taxonômica de Stethaprioninae, publicada há trinta anos.(AU)


Assuntos
Animais , Ecossistema Amazônico/análise , Biodiversidade , Caraciformes/classificação
6.
Neotrop. ichthyol ; 16(2): [e170086], jun. 2018. ilus, graf, tab
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-948562

Resumo

A new species of Moenkhausia is described from tributaries of the upper rio Sepotuba, Paraguay basin, Brazil. The new species is distinguished from its congeners by a combination of characters, including an inconspicuous oval-shaped vertically elongated humeral blotch, extending horizontally from third through five lateral-line scales, and vertically from third row above lateral line to first row below it, followed by a diffuse field of dark chromatophores in the flank, combined with a well-defined dark line at the base of the anal fin. Furthermore, the phylogenetic position of the new species is presented based on molecular data, showing a close relationship among species of Moenkhausia and Hemigrammus that have a well-defined dark line at the base of the anal fin. Until this moment, this species is only known from in the upper rio Sepotuba basin.(AU)


Uma nova espécie de Moenkhausia é descrita nos afluentes do rio Sepotuba, bacia do Paraguai, no Brasil. A nova espécie se distingue dos seus congêneres por uma combinação de caracteres, incluindo uma mancha umeral discreta de forma oval, alongada verticalmente, que se estende horizontalmente da terceira a quinta escamas da linha lateral e, verticalmente, da terceira fila de escamas acima da linha lateral até a primeira fila abaixo da linha lateral; seguida por escassos cromatóforos no flanco, combinado com uma linha escura bem definida na base da nadadeira anal. Além disso, a posição filogenética da nova espécie é apresentada com base em dados moleculares, mostrando um relacionamento próximo entre as espécies de Moenkhausia e Hemigrammus que possuem uma linha escura bem definida na base da nadadeira anal. Até o momento, essa espécie é conhecida apenas da bacia do Alto Sepotuba.(AU)


Assuntos
Animais , Filogenia , Characidae/classificação , Characidae/genética
7.
Neotrop. ichthyol ; 16(2): e170086, jun. 2018. ilus, graf, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-18912

Resumo

A new species of Moenkhausia is described from tributaries of the upper rio Sepotuba, Paraguay basin, Brazil. The new species is distinguished from its congeners by a combination of characters, including an inconspicuous oval-shaped vertically elongated humeral blotch, extending horizontally from third through five lateral-line scales, and vertically from third row above lateral line to first row below it, followed by a diffuse field of dark chromatophores in the flank, combined with a well-defined dark line at the base of the anal fin. Furthermore, the phylogenetic position of the new species is presented based on molecular data, showing a close relationship among species of Moenkhausia and Hemigrammus that have a well-defined dark line at the base of the anal fin. Until this moment, this species is only known from in the upper rio Sepotuba basin.(AU)


Uma nova espécie de Moenkhausia é descrita nos afluentes do rio Sepotuba, bacia do Paraguai, no Brasil. A nova espécie se distingue dos seus congêneres por uma combinação de caracteres, incluindo uma mancha umeral discreta de forma oval, alongada verticalmente, que se estende horizontalmente da terceira a quinta escamas da linha lateral e, verticalmente, da terceira fila de escamas acima da linha lateral até a primeira fila abaixo da linha lateral; seguida por escassos cromatóforos no flanco, combinado com uma linha escura bem definida na base da nadadeira anal. Além disso, a posição filogenética da nova espécie é apresentada com base em dados moleculares, mostrando um relacionamento próximo entre as espécies de Moenkhausia e Hemigrammus que possuem uma linha escura bem definida na base da nadadeira anal. Até o momento, essa espécie é conhecida apenas da bacia do Alto Sepotuba.(AU)


Assuntos
Animais , Filogenia , Characidae/classificação , Characidae/genética
8.
Neotrop. ichthyol ; 16(2): [e170158], jun. 2018. mapas, ilus, tab
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-948413

Resumo

A new species of Tetragonopterus is described from lowland rivers of Central Amazon. It differs from congeners by having a vertically-oriented patch of dark pigmentation limited to posterior portion of the caudal peduncle and by bearing five thin and sharp teeth on dentary, along with other morphometric and meristic features. We hypothesize that the new taxon belongs to the herein named "Tetragonopterus anostomus clade" that includes T. anostomus, T. denticulatus, T. kuluene, and T. juruena.(AU)


Uma espécie nova de Tetragonopterus é descrita de rios de terra baixa da Amazônia Central. Ela difere de suas congêneres por possuir uma mancha escura orientada verticalmente, limitada à porção posterior do pedúnculo caudal, e por possuir cinco dentes principais finos e afiados no dentário, além de outras características morfométricas e merísticas. Nós levantamos a hipótese que o novo táxon pertença ao clado Tetragonopterus anostomus, o qual inclui T. anostomus, T. denticulatus, T. kuluene e T. juruena.(AU)


Assuntos
Animais , Biodiversidade , Characidae/anatomia & histologia , Characidae/classificação
9.
Neotrop. ichthyol ; 16(2): e170158, jun. 2018. mapas, ilus, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-19943

Resumo

A new species of Tetragonopterus is described from lowland rivers of Central Amazon. It differs from congeners by having a vertically-oriented patch of dark pigmentation limited to posterior portion of the caudal peduncle and by bearing five thin and sharp teeth on dentary, along with other morphometric and meristic features. We hypothesize that the new taxon belongs to the herein named "Tetragonopterus anostomus clade" that includes T. anostomus, T. denticulatus, T. kuluene, and T. juruena.(AU)


Uma espécie nova de Tetragonopterus é descrita de rios de terra baixa da Amazônia Central. Ela difere de suas congêneres por possuir uma mancha escura orientada verticalmente, limitada à porção posterior do pedúnculo caudal, e por possuir cinco dentes principais finos e afiados no dentário, além de outras características morfométricas e merísticas. Nós levantamos a hipótese que o novo táxon pertença ao clado Tetragonopterus anostomus, o qual inclui T. anostomus, T. denticulatus, T. kuluene e T. juruena.(AU)


Assuntos
Animais , Biodiversidade , Characidae/anatomia & histologia , Characidae/classificação
10.
Neotrop. ichthyol ; 9(2): 371-376, Apr.-June 2011. ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-2970

Resumo

The genus Markiana was until recently recognized as incertae sedis in the family Characidae, even though alternative placements for this genus have been advanced since its original description. More recently, it was hypothesized that Markiana nigripinnis is part of a clade informally named the Astyanax clade, indicating the putative close relationship of Markiana with the genus Astyanax. Examination of sperm ultrastructure of representatives of Astyanax and M. nigripinnis shows no evidence for this hypothesized close relationship. Rather, the spermatozoa of M. nigripinnis share characters found in spermatozoa of the non-inseminating members of the subfamily Stevardiinae, such as an angle of nuclear rotation equal to 85º resulting in a lateral position of the double nuclear fossa and flagellum. As with the non-inseminating Stevardiinae, sperm nuclei are also slightly elongate toward the flagellum, the proximal centriole is partially inside the nuclear fossa and anterior and oblique to the distal centriole, and the midpiece is short and strongly asymmetric. Additionally, M. nigripinnis shares with the other members of the Stevardiinae the presence of only four teeth in the inner row of the premaxillary and a short triangular ectopterygoid, which is never more than twice the length of the palatine.(AU)


O gênero Markiana até recentemente foi reconhecido como incertae sedis na família Characidae, apesar da localização alternativa para este gênero desde sua descrição original. Mais recentemente, surgiu a hipótese de que Markiana nigripinnis faz parte de um clado chamado informalmente de "Astyanax clade", indicando a suposta relação de Markiana com o gênero Astyanax. A análise da ultraestrutura dos espermatozoides de representantes do gênero Astyanax e M. nigripinnis não mostra nenhuma evidência de estreita relação. Pelo contrário, os espermatozóides de M. nigripinnis compartilham o padrão encontrado nos espermatozoides dos membros não-inseminadores da subfamília Stevardiinae, tais como, um ângulo de rotação nuclear igual a 85º resultando em uma posição de lateral da fossa dupla nuclear e do flagelo. Assim como nos Stevardiinae não inseminadores, os núcleos dos espermatozoides também são ligeiramente alongados em direção ao flagelo, o centríolo proximal é anterior e oblíquo em relação ao centríolo distal e parcialmente inserido na fossa nuclear, e a peça intermediária é curta e fortemente assimétrica. Além disso, M. nigripinnis compartilha com os outros membros da Stevardiinae a presença de apenas quatro dentes na série interna da pré-maxila e um osso ectopterigoide curto e triangular, que nunca ultrapassa o dobro do comprimento do osso palatino.(AU)


Assuntos
Animais , Peixes/anatomia & histologia , Espermatogênese/genética , Microscopia Eletrônica de Transmissão/veterinária
11.
Neotrop. ichthyol ; 9(2): 377-392, Apr.-June 2011.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-2974

Resumo

The monophyly and phylogenetic relationships among the members of Clade A characids (sensu Malabarba & Weitzman), later redefined and named as the Stevardiinae (sensu Mirande), have been primarily supported by traditional morphological and molecular data. Herein were examined, described and compared spermiogenesis and sperm ultrastructure of 12 species of the genera Boehlkea, Bryconacidnus, Bryconamericus, Creagrutus, Cyanocharax, Hemibrycon, Knodus, Odontostoechus, Piabina, and Rhinobrycon in order to evaluate possible phylogenetic signals and their potential use in recovering relationships of the Stevardiinae. All examined species demonstrated a nuclear rotation equal or less than 95º resulting in a lateral position of the double nuclear fossa and flagellum. In all species, sperm nuclei are slightly elongate toward the flagellum, the proximal centriole is partially inside the nuclear fossa and lies anterior and oblique to the distal centriole, and the midpiece is short and strongly asymmetric. All species analyzed herein and other species previously examined for these systems in the Stevardiinae share homologous sperm characteristics as evidenced by spermiogenesis, further supporting the monophyly of this clade. Spermatozoa of the Stevardiinae further show three morphotypes (M1, M2, M3) of arrangement of centrioles, flagellum, nucleus and midpiece, hypothesized as successively derived in a series of transformation from the most basal morphotype (M1).(AU)


A monofilia e filogenia dos membros do Clado A (sensu Malabarba & Weitzman), mais tarde redefinido e nomeado Stevardiinae (sensu Mirande), é suportada por dados morfológicos e moleculares. Aqui são examinadas, descritas e comparadas a espermiogênese e ultraestrutura do espermatozoide de 12 espécies dos gêneros Boehlkea, Bryconacidnus, Bryconamericus, Creagrutus, Cyanocharax, Hemibrycon, Knodus, Odontostoechus, Piabina e Rhinobrycon, a fim de avaliar possíveis sinais filogenéticos e seu uso potencial no estudo de relações filogenéticas em Stevardiinae. Em todas as espécies examinadas observa-se uma rotação nuclear igual ou menor que 95º, resultando em uma posição lateral da fossa nuclear dupla e do flagelo. Em todas as espécies o núcleo do espermatozoide é alongado em direção ao flagelo, o centríolo proximal é anterior e oblíquo ao centríolo distal e localiza-se parcialmente inserido na fossa nuclear, e a peça intermediária é pequena e fortemente assimétrica. Todas as espécies de Stevardiinae analisadas aqui e outras analisadas previamente compartilham características homólogas dos espermatozoides evidenciadas por sua espermiogênese, corroborando a monofilia deste clado. Os espermatozoides de Stevardiinae apresentam ainda três morfotipos (M1, M2, M3) de acordo com o arranjo dos centríolos, flagelo e peça intermediária, considerados como sucessivamente derivados em uma série de transformações a partir do morfotipo mais basal (M1).(AU)


Assuntos
Animais , Peixes , Espermatogênese/genética , Filogenia
12.
Neotrop. ichthyol ; 9(1): 49-56, 2011.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-2920

Resumo

Uma espécie nova de Tetragonopterus é descrita do rio Jari, um tributário da margem esquerda do rio Amazonas, na divisa entre os Estados do Amapá e Pará, norte do Brasil. Esta é morfologicamente diferenciada das outras espécies do gênero (T. argenteus, T. chalceus e T. rarus combinação nova) pelo formato losangular da mancha no pedúnculo caudal contra uma mancha arredondada a quadrangular nas demais espécies. Sequências parciais do gene mitocondrial citocromo oxidase C subunidade I de representantes de todas as espécies válidas de Tetragonopterus, incluindo esta espécie nova, foram analisadas. Os resultados obtidos revelaram uma significante distância genética entre esta espécie nova e as demais do gênero. É apresentada uma discussão sobre a nova combinação, Tetragonopterus rarus.(AU)


A new species of Tetragonopterus is described from the rio Jari, a tributary to the left margin of rio Amazonas, at the border


between Amapá and Pará States, northern Brazil. It is morphologically diagnosed from the other species of the genus (T. argenteus, T. chalceus, and T. rarus new combination) by the lozenge-shaped spot on the caudal peduncle vs. rounded to square spot on the other species. Partial sequences of the mitochondrial gene Cytochrome Oxidase C subunit I, from representatives of all valid species of Tetragonopterus, including this new species, were analyzed. The obtained results revealed a significant genetic distance between the new species and its congeners. A discussion on the new combination, Tetragonopterus rarus, is also provided.(AU)


Assuntos
Animais , Transferência Genética Horizontal/fisiologia , Peixes/classificação , Genética/instrumentação , DNA Mitocondrial/genética , Classificação/métodos
13.
Neotrop. ichthyol ; 7(2): 161-168, Apr.-June 2009. ilus, mapas, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-2038

Resumo

A new species of Moenkhausia is described from tributaries of the rio Paraguay, Brazil. The new species is diagnosed from congeners by characters related to body coloration, the number of lateral line scales, the degree of poring of the lateral line, and number of scales rows above and below the lateral line. Molecular analyses using partial sequences of the mitochondrial gene Cytochrome Oxidase I from specimens of the new species and specimens belonging to morphologically similar species demonstrated that the new species is easily differentiated by their high genetic distance and by their position in the phylogenetic hypothesis obtained through the Maximum Parsimony methodology. The analyses of three samples of M. oligolepis also revealed that they have high genetic distances and belong to different monophyletic groups suggesting that this species corresponds to a species complex rather than a single species.(AU)


Uma nova espécie de Moenkhausia é descrita de tributários do rio Paraguai, Brasil. Essa nova espécie é diagnosticada de seus congêneres por caracteres relacionados ao padrão de colorido do corpo, número de escamas da linha lateral, grau de desenvolvimento dos poros sensoriais na linha lateral e número de séries de escamas acima e abaixo da linha lateral. Um análise molecular usando sequências parciais do gene mitocondrial Citocromo Oxidase I de espécimes representativos da nova espécie e espécimes pertencentes a espécies morfologicamente similares demonstrou que a nova espécie é facilmente diferenciada por sua elevada distância genética e por sua posição na hipótese filogenética obtida pelo método de máxima parcimônia. A análise de três amostras de M. oligolepis também revelou que estas apresentam distâncias genéticas elevadas e pertencem a grupos monofiléticos distintos, sugerindo que esta espécie corresponda a um complexo de espécies e não uma única espécie.(AU)


Assuntos
Animais , Peixes/anatomia & histologia , Peixes/classificação , Peixes/genética , Complexo IV da Cadeia de Transporte de Elétrons , Biodiversidade
14.
Neotrop. ichthyol ; 5(3): 259-262, July-Sept. 2007. ilus, tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-1751

Resumo

Moenkhausia diamantina, new species, is described from tributaries of the rio Paraguaçu, BA, northeastern Brazil. This species is distinguished from all congeners by features of body color pattern, the presence of scales on the predorsal median line and the number of anal-fin rays(AU)


Moenkhausia diamantina, nova espécie, é descrita de tributário do rio Paraguaçu, BA, nordeste do Brasil. Esta espécie é distinguida das demais congêneres por caracteres relacionados ao padrão de coloração do corpo, pela presença de escamas na linha mediana pré-dorsal e número de raios da nadadeira anal(AU)


Assuntos
Animais , Peixes , Peixes , Biodiversidade , Fauna Aquática
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA