Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 14 de 14
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Ciênc. vet. tróp ; 17(3): 53-53, 2014.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1480559

Resumo

O comportamento dos equinos está relacionado a diversos fatores, entre os quais podemos destacar o sistema de criação, a quantidade e qualidade dos alimentos e a socialização com outros cavalos. Em animais estabulados e/ou que foram submetidos a mudanças de manejo observa-se a presença de distúrbios comportamentais característicos de estresse, os quais podem incluir vícios, agressividade e distúrbios sexuais, entre outros. Esta situação de estresse é prejudicial ao animal, podendo afetar não só seu desenvolvimento físico, como também mental.Uma correlação entre o manejo alimentar e alterações comportamentais tem sido observada em cavalos mantidos em situação de estresse e com restrições dietéticas, como por exemplo acesso reduzido aos alimentos volumosos.

2.
Ciênc. vet. tróp ; 17(3): 124-124, 2014.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1480567

Resumo

A evisceração tem como característica a saída de vísceras de uma cavidade para fora do cor­po, ficando essas em contato com o ambiente externo. Pode ser decorrente de uma deiscência de ferida operatória ou por ferida traumática. O diagnóstico é simples e o prognóstico varia de reservado a ruim. O presente relato refere-se à ocorrência de evisceração da flexura esternal com estrangulamento, em uma égua da raça Mangalarga Machador, 6 anos, que teve o abdômen perfurado na região crânio ventral direita, por uma estaca de cerca.

3.
Ciênc. vet. tróp ; 17(3): 48-48, 2014.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1480583

Resumo

As distocias fetal ou materna em asininos são pouco relatadas e consequentemente pou-co estudadas nesta espécie. Este relato tem como objetivo descrever um caso de distocia materno-fetal com realização de cesariana e posteriormente desenvolvimento de um quadro de laminite, três situações pouco vistas e vivenciadas para esta espécie. Foi atendido um asinino de aproximadamente 3,5 anos, primípara, em trabalho de parto há um dia.

4.
Ciênc. vet. tróp ; 17(3): 29-29, 2014.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1480601

Resumo

A babesiose trata-se de uma enfermidade transmitida por carrapatos, causada pela infecção de hemácias por parasitas protozoários, seja Babesia caballi ou Theileria equi. A doença caracteri­za-se em sua forma aguda, pelo surgimento de febre, às vezes de natureza intermitente, anemia, icterícia, hepato e esplenomegalia, bem como bilirrubinúria e hemoglobinúria podem estar presentes na fase nal da doença. Apesar da gravidade da infecção aguda, a maioria dos animais desenvolve a forma crônica, podendo apresentar reagudizações em situações que determinem a diminuição da taxa de anticorpos, como stress.

5.
Ciênc. vet. tróp ; 17(3): 104-104, 2014.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1480607

Resumo

Pneumonias são afecções graves que se caracterizam pela inflamação do parênquima pul­monar, estando frequentemente associada à inflamação dos brônquios, bronquíolos e pleura. As causas são variáveis, podendo ser viral, bacteriana, fúngica, parasitária, falhas imunológicas e iatrogênicas. Os potros são frequentemente acometidos, sendo esta enfermidade considera­da a causa mais importante de morbidade e mortalidade em potros com mais de um mês de vida. A sintomatologia está diretamente ligada ao grau de lesão do parênquima pulmonar.

6.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1502099

Resumo

A via respiratória cranial dos eqüinos apresenta particularidades que a distinguem daquela dos outros animais domésticos, sendo principalmente a laringe o órgão responsável por estas particularidades. Esta pode ser acometida por diversas afecções, entre as quais a hemiplegia laríngea e a condrite aritenóide, as quais possuem tratamento cirúrgico. É freqüente a menção pelos autores da dificuldade de descolar-se a túnica mucosa que reveste a cartilagem aritenóide. No presente estudo foram utilizados dez eqüinos, machos, adultos, divididos em dois grupos experimentais (GI e GII) com o objetivo de avaliar os achados microscópicos das laringes submetidas à aritenoidectomia subtotal sem remoção (GI) e com a remoção do revestimento mucoso (GII). O exame histológico dos fragmentos colhidos revelou que as estruturas avaliadas estavam em processo de reparação, com formação de cartilagem do tipo hialino e infiltrado leucocitário mononuclear mais intenso nos animais do grupo GI, provavelmente porque neste grupo o material de sutura agiu como corpo estranho, uma vez que granulomas do tipo corpo estranho foram observados. Assim, sob o ponto de vista histológico, as técnicas cirúrgicas avaliadas neste trabalho não mostraram diferenças significativas e a realização da aritenoidectomia subtotal com a remoção em bloco da cartilagem e da mucosa que a reveste (GII), facilitou a técnica operatória,

7.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1502091

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi estimar a soroprevalência da Leptospirose e da Brucelose em rebanhos leiteiros de Pernambuco. Seiscentas amostras de soro sangüíneo de 16 rebanhos leiteiros de diversas regiões de Pernambuco foram examinadas sorologicamente para detectar bovinos portadores de anticorpos anti-leptospirais pela técnica de soroaglutinação microscópica e anti- Brucella abortus pelo teste do AAT. As positivas ao AAT foram submetidas à soroaglutinação lenta em tubos (SAL) e 2-Mercaptoetanol (2-ME). Anticorpos anti-Brucella abortus foram detectados em 4,2% dos animais, em cinco rebanhos. Dois rebanhos tinham prevalência de 17,9% e 16,5%, respectivamente. Das amostras testadas, 57,7% reagiram positivamente a algum dos 24 antígenos vivos de Leptospira em todos os rebanhos examinados, com variações de até 95,0%. Os resultados obtidos neste estudo permitem concluir que deve-se incluir a brucelose a leptospirose no diagnóstico diferencial de doenças reprodutivas de bovinos desta região.

8.
Ci. Vet. Tróp. ; 17(3): 104-104, 2014.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-689957

Resumo

Pneumonias são afecções graves que se caracterizam pela inflamação do parênquima pul­monar, estando frequentemente associada à inflamação dos brônquios, bronquíolos e pleura. As causas são variáveis, podendo ser viral, bacteriana, fúngica, parasitária, falhas imunológicas e iatrogênicas. Os potros são frequentemente acometidos, sendo esta enfermidade considera­da a causa mais importante de morbidade e mortalidade em potros com mais de um mês de vida. A sintomatologia está diretamente ligada ao grau de lesão do parênquima pulmonar. 

9.
Ci. Vet. Tróp. ; 17(3): 29-29, 2014.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-689951

Resumo

A babesiose trata-se de uma enfermidade transmitida por carrapatos, causada pela infecção de hemácias por parasitas protozoários, seja Babesia caballi ou Theileria equi. A doença caracteri­za-se em sua forma aguda, pelo surgimento de febre, às vezes de natureza intermitente, anemia, icterícia, hepato e esplenomegalia, bem como bilirrubinúria e hemoglobinúria podem estar presentes na fase nal da doença. Apesar da gravidade da infecção aguda, a maioria dos animais desenvolve a forma crônica, podendo apresentar reagudizações em situações que determinem a diminuição da taxa de anticorpos, como stress.

10.
Ci. Vet. Tróp. ; 17(3): 48-48, 2014.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-689933

Resumo

As distocias fetal ou materna em asininos são pouco relatadas e consequentemente pou-co estudadas nesta espécie. Este relato tem como objetivo descrever um caso de distocia materno-fetal com realização de cesariana e posteriormente desenvolvimento de um quadro de laminite, três situações pouco vistas e vivenciadas para esta espécie. Foi atendido um asinino de aproximadamente 3,5 anos, primípara, em trabalho de parto há um dia.

11.
Ci. Vet. Tróp. ; 17(3): 124-124, 2014.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-689917

Resumo

A evisceração tem como característica a saída de vísceras de uma cavidade para fora do cor­po, ficando essas em contato com o ambiente externo. Pode ser decorrente de uma deiscência de ferida operatória ou por ferida traumática. O diagnóstico é simples e o prognóstico varia de reservado a ruim. O presente relato refere-se à ocorrência de evisceração da flexura esternal com estrangulamento, em uma égua da raça Mangalarga Machador, 6 anos, que teve o abdômen perfurado na região crânio ventral direita, por uma estaca de cerca. 

12.
Ci. Vet. Tróp. ; 17(3): 53-53, 2014.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-689909

Resumo

O comportamento dos equinos está relacionado a diversos fatores, entre os quais podemos destacar o sistema de criação, a quantidade e qualidade dos alimentos e a socialização com outros cavalos. Em animais estabulados e/ou que foram submetidos a mudanças de manejo observa-se a presença de distúrbios comportamentais característicos de estresse, os quais podem incluir vícios, agressividade e distúrbios sexuais, entre outros. Esta situação de estresse é prejudicial ao animal, podendo afetar não só seu desenvolvimento físico, como também mental.Uma correlação entre o manejo alimentar e alterações comportamentais tem sido observada em cavalos mantidos em situação de estresse e com restrições dietéticas, como por exemplo acesso reduzido aos alimentos volumosos.

13.
Vet. Not. ; 11(2)2005.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-711536

Resumo

A via respiratória cranial dos eqüinos apresenta particularidades que a distinguem daquela dos outros animais domésticos, sendo principalmente a laringe o órgão responsável por estas particularidades. Esta pode ser acometida por diversas afecções, entre as quais a hemiplegia laríngea e a condrite aritenóide, as quais possuem tratamento cirúrgico. É freqüente a menção pelos autores da dificuldade de descolar-se a túnica mucosa que reveste a cartilagem aritenóide. No presente estudo foram utilizados dez eqüinos, machos, adultos, divididos em dois grupos experimentais (GI e GII) com o objetivo de avaliar os achados microscópicos das laringes submetidas à aritenoidectomia subtotal sem remoção (GI) e com a remoção do revestimento mucoso (GII). O exame histológico dos fragmentos colhidos revelou que as estruturas avaliadas estavam em processo de reparação, com formação de cartilagem do tipo hialino e infiltrado leucocitário mononuclear mais intenso nos animais do grupo GI, provavelmente porque neste grupo o material de sutura agiu como corpo estranho, uma vez que granulomas do tipo corpo estranho foram observados. Assim, sob o ponto de vista histológico, as técnicas cirúrgicas avaliadas neste trabalho não mostraram diferenças significativas e a realização da aritenoidectomia subtotal com a remoção em bloco da cartilagem e da mucosa que a reveste (GII), facilitou a técnica operatória,

14.
Vet. Not. ; 11(2)2005.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-711329

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi estimar a soroprevalência da Leptospirose e da Brucelose em rebanhos leiteiros de Pernambuco. Seiscentas amostras de soro sangüíneo de 16 rebanhos leiteiros de diversas regiões de Pernambuco foram examinadas sorologicamente para detectar bovinos portadores de anticorpos anti-leptospirais pela técnica de soroaglutinação microscópica e anti- Brucella abortus pelo teste do AAT. As positivas ao AAT foram submetidas à soroaglutinação lenta em tubos (SAL) e 2-Mercaptoetanol (2-ME). Anticorpos anti-Brucella abortus foram detectados em 4,2% dos animais, em cinco rebanhos. Dois rebanhos tinham prevalência de 17,9% e 16,5%, respectivamente. Das amostras testadas, 57,7% reagiram positivamente a algum dos 24 antígenos vivos de Leptospira em todos os rebanhos examinados, com variações de até 95,0%. Os resultados obtidos neste estudo permitem concluir que deve-se incluir a brucelose a leptospirose no diagnóstico diferencial de doenças reprodutivas de bovinos desta região.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA