Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 3 de 3
Filtrar
Mais filtros

Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. bras. parasitol. vet ; 31(1): e021321, 2022. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1365760

Resumo

Abstract The aim of this study was to determine the occurrence of tick-borne pathogens (Ehrlichia canis, Babesia vogeli, Hepatozoon spp. and Rickettsia spp.) in dogs in Vila de Jericoacoara, coastal region of Ceará, Brazil. Blood samples were collected from 153 animals and analyzed using molecular and serological methods. Sixty animals were found to be infected or exposed to at least one of the pathogens studied. Babesia vogeli was the most prevalent pathogen (15%), followed by E. canis (13.7%) and Hepatozoon spp. (11.8%), which was identified as Hepatozoon canis through sequencing. Twenty dogs (13%) were seroreactive to Rickettsia spp. Rhipicephalus sanguineus sensu lato was observed on 11.8% of the animals. There were associations between age (< 3 years old) and positivity for B. vogeli, and between habitation (stray dogs) and positivity for H. canis. There were also associations between anemia and infection with H. canis, and between leukopenia and exposure to Rickettsia spp. No association was detected between clinical alterations and infection with or exposure to the pathogens studied. The results confirmed that pathogens of veterinary importance are circulating in northeastern Brazil and showed that dogs are exposed to Rickettsia species with zoonotic potential, thus indicating a need for vector control measures.


Resumo O objetivo deste estudo foi determinar a ocorrência de patógenos transmitidos por carrapatos (Ehrlichia canis, Babesia vogeli, Hepatozoon spp. e Rickettsia spp.) em cães na Vila de Jericoacoara, região costeira do Ceará, Brasil. Amostras de sangue foram coletadas de 153 animais e analisadas por métodos moleculares e sorológicos. Sessenta animais foram encontrados infectados ou expostos a pelo menos a um dos patógenos estudados. Babesia vogeli foi o patógeno mais prevalente (15%), seguido por E. canis (13,7%) e Hepatozoon spp. (11,8%), que foi identificado como Hepatozoon canis por sequenciamento. Vinte cães (13%) foram sororreativos à Rickettsia spp. Rhipicephalus sanguineus sensu lato foi observado em 11,8% dos animais. Houve associações entre idade (<3 anos) e positividade para B. vogeli, e entre habitação (cães de rua) e positividade para H. canis. Também houve associações entre anemia e infecção por H. canis, e entre leucopenia e exposição a Rickettsia spp. Não foi detectada associação entre alterações clínicas e infecção ou exposição aos patógenos estudados. Os resultados confirmaram que patógenos de importância veterinária estão circulando no nordeste do Brasil e mostraram que cães estão expostos a espécies de Rickettsia com potencial zoonótico, indicando a necessidade de medidas de controle do vetor.


Assuntos
Animais , Cães , Babesia/genética , Doenças Transmitidas por Carrapatos/microbiologia , Doenças Transmitidas por Carrapatos/veterinária , Doenças Transmitidas por Carrapatos/epidemiologia , Rhipicephalus sanguineus/microbiologia , Doenças do Cão/parasitologia , Brasil/epidemiologia , Ehrlichia canis
2.
Semina Ci. agr. ; 35(2): 891-900, Mar.-Apr.2014. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-26142

Resumo

O objetivo desse estudo foi avaliar os efeitos da infecção pelo vírus da leucose bovina (VLB) na produção de vacas leiteiras no Brasil. Foram analisadas 158 amostras de sangue de vacas adultas em lactação puras da raça Holandesa e mestiças Holandês X Zebu. As amostras foram testadas pela Imunodifusão em Gel de Ágar (IDGA) e pelo leucograma. De acordo com os resultados da IDGA e do leucograma, os animais estudados foram agrupados em três categorias: soronegativos, soropositivos sem linfocitose persistente e soropositivos com linfocitose persistente. Os dados de produção leiteira foram comparados entre os grupos, de acordo com a raça. Vacas infectadas com o VLB apresentaram produção de leite inferior que de vacas não infectadas, tanto puras como mestiças. Não houve diferença na produção de leite de vacas positivas com e sem linfocitose persistente. Esses resultados indicam a associação da infecção pelo VLB com a queda na produção de leite, e esse é o primeiro estudo a mostrar tais efeitos em vacas mestiças Holandês X Zebu.(AU)


The aim of this study was to evaluate the effects of bovine leukemia virus (BLV) infection on productive performance of dairy cattle in Brazil. A total of 158 blood samples from lactating adult cows, purebred Holstein and crossbred Holstein X Zebu, were analyzed by Agar Gel Immunodifusion Test (AGID) and leukogram. According to AGID and leukogram results, animals were grouped into three categories: seronegative, seropositive without persistent lymphocytosis, and seropositive with persistent lymphocytosis. Milk production data were compared between groups, according to breed. BLV infected females showed lower milk yield than uninfected ones, both purebred and crossbred ones. There was no difference between milk yield of seropositive cows with or without persistent lymphocytosis. These results indicate an association between BLV infection and reduction of milk production, and this study is the first one to show these effects in crossbred Holstein X Zebu cows.(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Bovinos , Leucose Enzoótica Bovina/complicações , Leucose Enzoótica Bovina/fisiopatologia , Leite/economia , Imunodifusão
3.
Semina ciênc. agrar ; 35(2): 891-900, 2014. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1499567

Resumo

O objetivo desse estudo foi avaliar os efeitos da infecção pelo vírus da leucose bovina (VLB) na produção de vacas leiteiras no Brasil. Foram analisadas 158 amostras de sangue de vacas adultas em lactação puras da raça Holandesa e mestiças Holandês X Zebu. As amostras foram testadas pela Imunodifusão em Gel de Ágar (IDGA) e pelo leucograma. De acordo com os resultados da IDGA e do leucograma, os animais estudados foram agrupados em três categorias: soronegativos, soropositivos sem linfocitose persistente e soropositivos com linfocitose persistente. Os dados de produção leiteira foram comparados entre os grupos, de acordo com a raça. Vacas infectadas com o VLB apresentaram produção de leite inferior que de vacas não infectadas, tanto puras como mestiças. Não houve diferença na produção de leite de vacas positivas com e sem linfocitose persistente. Esses resultados indicam a associação da infecção pelo VLB com a queda na produção de leite, e esse é o primeiro estudo a mostrar tais efeitos em vacas mestiças Holandês X Zebu.


The aim of this study was to evaluate the effects of bovine leukemia virus (BLV) infection on productive performance of dairy cattle in Brazil. A total of 158 blood samples from lactating adult cows, purebred Holstein and crossbred Holstein X Zebu, were analyzed by Agar Gel Immunodifusion Test (AGID) and leukogram. According to AGID and leukogram results, animals were grouped into three categories: seronegative, seropositive without persistent lymphocytosis, and seropositive with persistent lymphocytosis. Milk production data were compared between groups, according to breed. BLV infected females showed lower milk yield than uninfected ones, both purebred and crossbred ones. There was no difference between milk yield of seropositive cows with or without persistent lymphocytosis. These results indicate an association between BLV infection and reduction of milk production, and this study is the first one to show these effects in crossbred Holstein X Zebu cows.


Assuntos
Feminino , Animais , Bovinos , Leite/economia , Leucose Enzoótica Bovina/complicações , Leucose Enzoótica Bovina/fisiopatologia , Imunodifusão
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA