Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 8 de 8
Filtrar
Mais filtros

Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Ciênc. anim. bras. (Impr.) ; 24: e-75114E, 2023. ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1447897

Resumo

This study describes a corrective procedure for a metatarsal angular malformation using wedge ostectomy in a 41-day-old Thoroughbred filly. A 41.6 °angular malformation of the metatarsus was corrected with wedge ostectomy of the left hindlimb in association with a type II external fixator and methyl methacrylate resin. The animal was subjected to the surgical procedure under general anesthesia. The filly was placed in dorsal recumbency with the left hind limb free for manipulation. A bone saw was used for the wedge ostectomy, while the bars for external fixation were placed using a drill. A Kirschner pin and acrylic resin were then applied. Radiographic images obtained immediately after surgery confirmed a total malformation reduction of 32.6 (from 41.6° to 9°). With medication and a Robert Jones bandage, intensive postoperative care was instituted to ensure that the animal adapted properly to the linear external fixator without overloading the pins and connection bars. No postoperative complications were observed. On the day after surgery, the filly was standing and walking with no signs of pain. After 180 days, total osseous calcification was achieved, and the implants were removed during the second surgery. The filly demonstrated adequate locomotion, performed all the movements, and ran without any difficulty in the paddock. The remaining discrete angular deviations were partially corrected using hoof trimming.


O objetivo desse estudo é descrever o procedimento de correção da malformação de desvio angular metatársico, utilizando ostectomia em cunha, em uma potra puro-sangue de 41 dias de idade. Uma malformação metatársica angular de 41.6º foi corrigida com a técnica de ostectomia em cunha, em associação com fixador externo tipo II e resina de metilmetacrilato, no membro pélvico esquerdo. O animal foi submetido à cirurgia sob protocolo de anestesia geral. A potra foi posicionada em decúbito dorsal, com o membro pélvico esquerdo livre para manipulação. Para a realização da ostectomia em cunha, foi utilizada uma serra óssea. Para a instalação das barras do fixador externo, uma furadeira foi utilizada e, para fixá-los, pinos de Kirschner e resina acrílica foram aplicados. Logo após a cirurgia, imagens radiográficas foram obtidas para confirmar a redução total de 32,6º (de 41,6º para 9º) de angulação. Para garantir que o animal se adaptasse ao fixador externo linear e não sobrecarregasse os pinos e barras, foram instituídos cuidados pós-operatórios intensos, com medicações e bandagem de Robert Jones. Não houve complicações no pós-operatório. No dia seguinte à cirurgia, a potra estava em pé, caminhando e sem sinais de dor. Após 180 dias, alcançou total calcificação óssea e os implantes puderam ser removidos em um segundo tempo cirúrgico. A potra demonstrou locomoção adequada, realizando todos os movimentos normais e pôde correr pelo pasto sem dificuldades. Um discreto desvio angular remanescente foi parcialmente corrigido por casqueamento.


Assuntos
Animais , Deformidades do Pé/veterinária , Metatarso/cirurgia , Doenças dos Cavalos
2.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 25(2): 7-12, 2015. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1472202

Resumo

O melanoma é a neoplasia oral maligna de maior incidência em cães domésticos, sendo considerada a de pior prognóstico, entre o fibrossarcoma e o carcinoma de células escamosas. O objetivo deste estudo foi descrever quatro casos de cães com melanoma oral, confirmados histopatologicamente, seus aspectos clínicos, epidemiológicos e radiográficos, baseados no estadiamento tumoral. Foram avaliadas as queixas dos proprietários, o histórico, os sinais clínicos e radiográficos, a terapêutica e o tempo de sobrevida destes animais, por meio de fichas descritivas, exames radiográficos e histopatológicos. No exame clínico foram detectados sinais como: halitose, sialorréia, linfoadenomegalia submandibular, perda de peso, cansaço, dispnéia, apatia, dificuldade de apreensão do alimento, dor intensa, anorexia e dificuldade de ingestão de água. A idade média dos cães avaliados foi de 10,75±1,5 anos, o tempo médio de evolução do melanoma foi de 8,3±11 meses e o tamanho dos tumores orais foi de 6±2,36 centímetros. Conclui-se que apesar da variedade dos métodos diagnósticos e terapêuticos existentes, o melanoma oral em cães constitui um desafio, clínico e cirúrgico, devido ao alto grau de malignidade e recidivas apresentadas; o quê até o momento reflete em prognóstico reservado a desfavorável com avançado grau de estadiamento tumoral, para os pacientes. Consequente, do atraso diagnóstico ocasionado pela demora dos proprietários em procurar atendimento.


Melanoma is oral malignant tumor of higher incidence in domestic dogs. It is being considered the worst prognosis of fibrosarcoma and squamous cell carcinoma. The objective of this study was to describe four cases of dogs with oral melanoma, confirmed histopathologically. Its clinical, epidemiological and radiographic findings, based on tumor staging. We evaluated the complaints of owners, the history, clinical signs and radiographic findings, treatment and survival time of these animals, through fact sheets, radiographic and histopathologic findings. Clinical examination detected signs such as halitosis, drooling, submandibular lymphadenopathy, weight loss, fatigue, dyspnea, lethargy, difficulty in seizing the food, pain, anorexia and difficulty of swallowing water. The average age of dogs evaluated was 10.75 ± 1.5 years, the average time to progression of melanoma was 8.3 ± 11 months and size of oral tumors was 6 ± 2.36 cm. It is concluded that despite the variety of diagnostic and therapeutic methods existing, oral melanoma in dogs is a challenge, medical and surgical, due to high rate of malignancy and recurrence presented. What yet reflected in the unfavorable booked with advanced degree of tumor staging prognosis for patients. Consequently, the diagnostic delay caused by the delay of the owners to seek care.


Assuntos
Animais , Doenças do Cão , Melanoma/veterinária , Neoplasias Bucais/veterinária , Cães , Diagnóstico , Diagnóstico Bucal , Diagnóstico Clínico/veterinária , Neoplasias/veterinária
3.
Acta Vet. Brasilica ; 9(4): 354-361, 2015. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1453589

Resumo

Meloxicam é um anti-inflamatório não esteroidal amplamente utilizado em cães para o alívio sintomático da inflamação e dor de intensidade leve a moderada. O objetivo do presente estudo foi avaliar aeficácia e segurança do meloxicam em cães adultos não politraumatizados que foram submetidos à operações ortopédicas. Foram avaliados 47 cães, operados na Unidade Hospitalar para Animais de Companhia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná , durante o período de seis meses. Estes cães receberam por via subcutânea, meloxicam na dose de 0,2 mg/kg de peso no dia do procedimento cirúrgico e, subsequente, a dose de 0,1 mg/kgpor via oral a cada 24 horas, por um período que variou de sete a 14 dias. A eficácia foi avaliada por escalas visuais numéricas de dor e de deambulação e questionário especialmente elaborado para este estudo. A segurança foi avaliada com base nos sinais clínicos e eventos adversos relatados. Os cães sem raça definida representaram a maior parte dos cães (40,42%) e a operação mais frequente foi osteossíntese em diáfise de osso longo (42,55%). A média de dias de tratamento com meloxicam foi de 9,11 dias, nenhum cão precisou de analgesia de resgate, 22dias foi o tempo médio para os cães recuperarem a funcionalidade do membro. Somente três animais apresentaram efeitos adversos decorrentes do uso do fármaco (vômito, epigastralgia e hiporexia), representando 6,38%. Conclui-se que a atividade anti-inflamatória e analgésica do meloxicam, na posologia estudada, apresentou-se eficiente em situações pós-operatórias musculoesqueléticas com baixos índices de efeitos colaterais


Meloxicam is anonsteroidal anti-inflammatory widely used in dogs for the symptomatic relief of inflammation and pain mild to moderate. The aim of this study was to evaluate the efficacy and safety of meloxicam in adult dogs not polytrauma submitted orthopedic operations. Were evaluated 47 dogs, operated on Hospital for Small Animals at the Pontifícia Universidade Católica do Paraná during the six-month period. These dogs received a subcutaneous dose of meloxicam 0.2 mg/kg on the day of surgery, and there after the dose of 0.1mg / kg or ally every 24 hours for a period ranging seven to 14 days. Efficacy was evaluated by visual numeric scales of pain and ambulation and questionnaire especially designed for this study. Safety was assessed based on clinical signs and reported adverse events. The animals no defined breed represented the majority of dogs(40.42%) and the most frequent operation was osteosynthesis in diaphyseal with simple fracture (42.55%). The average days of meloxicam treatment was 9.11 days, no dogs required rescue analgesia, 22 days was the averagetime for dogs recover the functionality of the member. Only three animals showed adverse effects of using the drug (vomiting, epigastric pain and hyporexia), representing 6.38%. It is concluded that the anti-inflammatory and analgesic activity of meloxicam in dosage studied, presented efficient in musculoskeletal postoperative situations with low incidence of side effects


Assuntos
Animais , Cães , Anti-Inflamatórios não Esteroides/efeitos adversos , Anti-Inflamatórios não Esteroides/uso terapêutico , Procedimentos Ortopédicos/veterinária , Analgesia/veterinária , Medição da Dor , Medição da Dor/veterinária
4.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 25(2): 7-12, 2015. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-481238

Resumo

O melanoma é a neoplasia oral maligna de maior incidência em cães domésticos, sendo considerada a de pior prognóstico, entre o fibrossarcoma e o carcinoma de células escamosas. O objetivo deste estudo foi descrever quatro casos de cães com melanoma oral, confirmados histopatologicamente, seus aspectos clínicos, epidemiológicos e radiográficos, baseados no estadiamento tumoral. Foram avaliadas as queixas dos proprietários, o histórico, os sinais clínicos e radiográficos, a terapêutica e o tempo de sobrevida destes animais, por meio de fichas descritivas, exames radiográficos e histopatológicos. No exame clínico foram detectados sinais como: halitose, sialorréia, linfoadenomegalia submandibular, perda de peso, cansaço, dispnéia, apatia, dificuldade de apreensão do alimento, dor intensa, anorexia e dificuldade de ingestão de água. A idade média dos cães avaliados foi de 10,75±1,5 anos, o tempo médio de evolução do melanoma foi de 8,3±11 meses e o tamanho dos tumores orais foi de 6±2,36 centímetros. Conclui-se que apesar da variedade dos métodos diagnósticos e terapêuticos existentes, o melanoma oral em cães constitui um desafio, clínico e cirúrgico, devido ao alto grau de malignidade e recidivas apresentadas; o quê até o momento reflete em prognóstico reservado a desfavorável com avançado grau de estadiamento tumoral, para os pacientes. Consequente, do atraso diagnóstico ocasionado pela demora dos proprietários em procurar atendimento.(AU)


Melanoma is oral malignant tumor of higher incidence in domestic dogs. It is being considered the worst prognosis of fibrosarcoma and squamous cell carcinoma. The objective of this study was to describe four cases of dogs with oral melanoma, confirmed histopathologically. Its clinical, epidemiological and radiographic findings, based on tumor staging. We evaluated the complaints of owners, the history, clinical signs and radiographic findings, treatment and survival time of these animals, through fact sheets, radiographic and histopathologic findings. Clinical examination detected signs such as halitosis, drooling, submandibular lymphadenopathy, weight loss, fatigue, dyspnea, lethargy, difficulty in seizing the food, pain, anorexia and difficulty of swallowing water. The average age of dogs evaluated was 10.75 ± 1.5 years, the average time to progression of melanoma was 8.3 ± 11 months and size of oral tumors was 6 ± 2.36 cm. It is concluded that despite the variety of diagnostic and therapeutic methods existing, oral melanoma in dogs is a challenge, medical and surgical, due to high rate of malignancy and recurrence presented. What yet reflected in the unfavorable booked with advanced degree of tumor staging prognosis for patients. Consequently, the diagnostic delay caused by the delay of the owners to seek care.(AU)


Assuntos
Animais , Neoplasias Bucais/veterinária , Melanoma/veterinária , Doenças do Cão , Cães , Neoplasias/veterinária , Diagnóstico Clínico/veterinária , Diagnóstico , Diagnóstico Bucal
5.
Acta Vet. bras. ; 9(4): 354-361, 2015. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-304279

Resumo

Meloxicam é um anti-inflamatório não esteroidal amplamente utilizado em cães para o alívio sintomático da inflamação e dor de intensidade leve a moderada. O objetivo do presente estudo foi avaliar aeficácia e segurança do meloxicam em cães adultos não politraumatizados que foram submetidos à operações ortopédicas. Foram avaliados 47 cães, operados na Unidade Hospitalar para Animais de Companhia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná , durante o período de seis meses. Estes cães receberam por via subcutânea, meloxicam na dose de 0,2 mg/kg de peso no dia do procedimento cirúrgico e, subsequente, a dose de 0,1 mg/kgpor via oral a cada 24 horas, por um período que variou de sete a 14 dias. A eficácia foi avaliada por escalas visuais numéricas de dor e de deambulação e questionário especialmente elaborado para este estudo. A segurança foi avaliada com base nos sinais clínicos e eventos adversos relatados. Os cães sem raça definida representaram a maior parte dos cães (40,42%) e a operação mais frequente foi osteossíntese em diáfise de osso longo (42,55%). A média de dias de tratamento com meloxicam foi de 9,11 dias, nenhum cão precisou de analgesia de resgate, 22dias foi o tempo médio para os cães recuperarem a funcionalidade do membro. Somente três animais apresentaram efeitos adversos decorrentes do uso do fármaco (vômito, epigastralgia e hiporexia), representando 6,38%. Conclui-se que a atividade anti-inflamatória e analgésica do meloxicam, na posologia estudada, apresentou-se eficiente em situações pós-operatórias musculoesqueléticas com baixos índices de efeitos colaterais(AU)


Meloxicam is anonsteroidal anti-inflammatory widely used in dogs for the symptomatic relief of inflammation and pain mild to moderate. The aim of this study was to evaluate the efficacy and safety of meloxicam in adult dogs not polytrauma submitted orthopedic operations. Were evaluated 47 dogs, operated on Hospital for Small Animals at the Pontifícia Universidade Católica do Paraná during the six-month period. These dogs received a subcutaneous dose of meloxicam 0.2 mg/kg on the day of surgery, and there after the dose of 0.1mg / kg or ally every 24 hours for a period ranging seven to 14 days. Efficacy was evaluated by visual numeric scales of pain and ambulation and questionnaire especially designed for this study. Safety was assessed based on clinical signs and reported adverse events. The animals no defined breed represented the majority of dogs(40.42%) and the most frequent operation was osteosynthesis in diaphyseal with simple fracture (42.55%). The average days of meloxicam treatment was 9.11 days, no dogs required rescue analgesia, 22 days was the averagetime for dogs recover the functionality of the member. Only three animals showed adverse effects of using the drug (vomiting, epigastric pain and hyporexia), representing 6.38%. It is concluded that the anti-inflammatory and analgesic activity of meloxicam in dosage studied, presented efficient in musculoskeletal postoperative situations with low incidence of side effects(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Procedimentos Ortopédicos/veterinária , Anti-Inflamatórios não Esteroides/efeitos adversos , Anti-Inflamatórios não Esteroides/uso terapêutico , Medição da Dor , Medição da Dor/veterinária , Analgesia/veterinária
6.
MEDVEP. Rev. cient. Med. Vet. ; 7(23): 547-551, out.-dez.2009. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-1498

Resumo

O objetivo deste estudo foi comparar os efeitos do midazolam com acepromazina associado com cetamina, xi¬lazina e butorfanol em coelhos submetidos a osteotomia femoral simples e osteossíntese experimental. Foram utilizados 22 coelhos, divididos em dois grupos de 11 animais. Os dois grupos receberam sulfato de atropina, por via intramuscular (IM), 10 minutos antes do protocolo estudado. Grupo (CXBA) cetamina 30 mg/kg + xilazina 5 mg/kg + butorfanol 0,2 mg/kg + acepromazina 0,1 mg/kg e Grupo (CXBM) cetamina 30 mg/kg + xilazina 5 mg/ kg + butorfanol 0,2 mg/kg + midazolam 1 mg/kg (IM), mantidos anestesiados por 60 minutos com associação de cetamina e xilazina quando necessário. Avaliou-se: padrão e freqüência respiratória (FR), freqüência cardíaca (FC), pressão arterial média (P AM), requerimento anestésico, relaxamento muscular e tempo para recuperação anestésica. Todos os grupos sofreram significativa depressão respiratória. No CXBM cinco coelhos apresentaram apneia respiratória. Não houve diferença significativa sobre FC e P AM entre os grupos, entretanto quatro coelhos do CXBA e um coelho do CXBM obtiveram P AM inferior á 60 mmHg. Não houve diferença significativa sobre o requerimento anestésico entre os grupos. Os dois protocolos proporcionaram um relaxamento muscular ade¬quado. O tempo para recuperação anestésica do CXBA foi de 55 minutos, enquanto que para o CXBM foi de 31 minutos. A acepromazina em dose mínima combinada com outros fármacos estudados produziu efeitos sedativos consideráveis com menor risco de apneia comparado ao midazolam, entretanto com maior tendência à hipotensão e maior tempo para recuperação anestésica(AU)


The objective of this study was to compare the effects of midazolam with acepromazine associated with ketamine, xylazine and butorphanol in rabbits submitted to the simple femoral osteotomy and experimental osteosynthese. Were used 22 rabbits, divided in two groups of 11. The two groups received atropine sulfate, by intramuscular road (IM), 10 minutes before the studied protocol. The group ketamine 30 mg/kg + xylazine 5 mg/kg + butor¬phanol 0,2 mg/kg + acepromazine 0,1 mg/kg (KXBA) and the group ketamine 30 mg/kg + xylazine 5 mg/ kg + butorphanol 0,2 mg/kg + midazolam 1 mg/kg (KXBM), 1M, maintained anesthetized for 60 minutes with association of ketamine and xylazine when it was necessary. It was evaluated: pattern and breathing frequency (BF), heart frequency (HF), mean arterial pressure (MAP), anesthetic requirement, muscular relaxation and time for anesthetic recovery. All the groups admitted significant breathing depression. In the KXBM five rabbits pre¬sented breathing apnea. There was not significant difference on HF and MAP among the groups; however four rabbits of the KXBA and a rabbit of the KXBM obtained MAP lower than 60 mmHg. Also, there was not significant difference on the anesthetic requirement among the groups. The two protocols provided an appropriate muscular relaxation. The time for anesthetic recovery of the KXBA group was 55 min, while KXBM group was 31min. The acepromazine in minimum dose combined with other pharmacos studied, produced considerable sedative effects with smaller apnea risk compared to the midazolam, however there is a high tendency for hypotension and for time to recovery anesthetic(AU)


Assuntos
Animais , Coelhos , Coelhos , Anestésicos Combinados , Adjuvantes Anestésicos
7.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1485283

Resumo

O objetivo deste estudo foi comparar os efeitos do midazolam com acepromazina associado com cetamina, xi¬lazina e butorfanol em coelhos submetidos a osteotomia femoral simples e osteossíntese experimental. Foram utilizados 22 coelhos, divididos em dois grupos de 11 animais. Os dois grupos receberam sulfato de atropina, por via intramuscular (IM), 10 minutos antes do protocolo estudado. Grupo (CXBA) cetamina 30 mg/kg + xilazina 5 mg/kg + butorfanol 0,2 mg/kg + acepromazina 0,1 mg/kg e Grupo (CXBM) cetamina 30 mg/kg + xilazina 5 mg/ kg + butorfanol 0,2 mg/kg + midazolam 1 mg/kg (IM), mantidos anestesiados por 60 minutos com associação de cetamina e xilazina quando necessário. Avaliou-se: padrão e freqüência respiratória (FR), freqüência cardíaca (FC), pressão arterial média (P AM), requerimento anestésico, relaxamento muscular e tempo para recuperação anestésica. Todos os grupos sofreram significativa depressão respiratória. No CXBM cinco coelhos apresentaram apneia respiratória. Não houve diferença significativa sobre FC e P AM entre os grupos, entretanto quatro coelhos do CXBA e um coelho do CXBM obtiveram P AM inferior á 60 mmHg. Não houve diferença significativa sobre o requerimento anestésico entre os grupos. Os dois protocolos proporcionaram um relaxamento muscular ade¬quado. O tempo para recuperação anestésica do CXBA foi de 55 minutos, enquanto que para o CXBM foi de 31 minutos. A acepromazina em dose mínima combinada com outros fármacos estudados produziu efeitos sedativos consideráveis com menor risco de apneia comparado ao midazolam, entretanto com maior tendência à hipotensão e maior tempo para recuperação anestésica


The objective of this study was to compare the effects of midazolam with acepromazine associated with ketamine, xylazine and butorphanol in rabbits submitted to the simple femoral osteotomy and experimental osteosynthese. Were used 22 rabbits, divided in two groups of 11. The two groups received atropine sulfate, by intramuscular road (IM), 10 minutes before the studied protocol. The group ketamine 30 mg/kg + xylazine 5 mg/kg + butor¬phanol 0,2 mg/kg + acepromazine 0,1 mg/kg (KXBA) and the group ketamine 30 mg/kg + xylazine 5 mg/ kg + butorphanol 0,2 mg/kg + midazolam 1 mg/kg (KXBM), 1M, maintained anesthetized for 60 minutes with association of ketamine and xylazine when it was necessary. It was evaluated: pattern and breathing frequency (BF), heart frequency (HF), mean arterial pressure (MAP), anesthetic requirement, muscular relaxation and time for anesthetic recovery. All the groups admitted significant breathing depression. In the KXBM five rabbits pre¬sented breathing apnea. There was not significant difference on HF and MAP among the groups; however four rabbits of the KXBA and a rabbit of the KXBM obtained MAP lower than 60 mmHg. Also, there was not significant difference on the anesthetic requirement among the groups. The two protocols provided an appropriate muscular relaxation. The time for anesthetic recovery of the KXBA group was 55 min, while KXBM group was 31min. The acepromazine in minimum dose combined with other pharmacos studied, produced considerable sedative effects with smaller apnea risk compared to the midazolam, however there is a high tendency for hypotension and for time to recovery anesthetic


Assuntos
Animais , Coelhos , Adjuvantes Anestésicos , Anestésicos Combinados , Coelhos
8.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-1891

Resumo

Várias considerações devem ser tomadas no manejo da dor em ovinos, uma vez que qualquer analgésico só deverá ser administrado em uma espécie com base científica em relação à eficácia analgésica verificada. Este estudo teve por objetivo avaliar os efeitos sobre a nocicepção e sedação promovidos com a administração intramuscular de xilazina, cetamina + xilazina, meperidina + midazolam e butorfanol em ovinos. Oito ovinos mestiços Ile de France e Texel, pesando 52,8 ± 2,9 (Kg) e aproximadamente um ano foram distribuídos em um estudo clínico cruzado comparando quatro grupos em um período de 60 minutos. Grupo xilazina (XIL) 0,05 mg/kg; Grupo cetamina 2 mg/kg + xilazina 0,05 mg/kg (CET+XIL); Grupo butorfanol (BUT) 0,4 mg/kg; Grupo meperidina 4 mg/kg + midazolam 0,4 mg/kg (M+M). O limiar nociceptivo foi avaliado por um teste baseado na resposta de retirada do membro por meio de um estímulo elétrico subcutâneo (mA). Para avaliar a sedação foi mensurada a distância entre altura da cabeça do ovino com a superfície e um escore (0-10) baseado nas alterações clínicas e comportamentais. Os resultados encontrados indicam que a administração intramuscular de xilazina associada ou não à cetamina resultou em uma maior elevação no limiar nociceptivo comparado aos demais tratamentos opioides (XIL: 11,2±3,5 mA; CET+XIL: 9,4±2,3 mA; M+M: 9,0±2,5 mA; BUT: 7,8±2 mA). A dose estudada de cetamina não melhorou os efeitos sobre o limiar nociceptivo do grupo CET+XIL comparado ao grupo XIL. Embora o valor máximo do escore de sedação do grupo M+M (5) tenha sido superior ao grupo XIL (3) e CET+XIL (3), não houve diferença significativa sobre o escore de sedação entre as medianas dos três grupos (3). O grupo BUT obteve ovinos com disforia sem sinais de sedação (0). Considerando proporcionar um maior efeito antinociceptivo, com sinais clínicos de sedação menos intensos e sem excitação dos ovinos, os protocolos utilizados no grupo XIL e CET+XIL se adequaram com maior consistência em relação aos grupos opioides

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA