Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Braz. j. biol ; 83: e270067, 2023. tab, graf, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1430002

Resumo

This study aimed to search parasites in 333 ornamental fish from five Brazilian states (Ceará, Minas Gerais, São Paulo, Paraná and Santa Catarina). Fish were sent from eight farms located in the municipalities of Fortaleza, Patrocínio do Muriaé, São Francisco do Glória, Cascavel, Timbó, Iguape, Jacareí and Mairinque. All fish received anesthesia earlier to euthanasia procedures. After the search for parasites, it was verified that 70.6% (235/333) of fishes were infected by at least one type of parasite, being 12 types of parasites identified: monogeneans, digenean metacercariae, cestodes, nematodes, Lernaea cyprinacea, trichodinids, Piscinoodinium pillulare, Ichthyophthirius multifiliis, diplomonad flagellates, Ichthyobodo sp., Chilodonella sp., and Tetrahymena sp. The proportion of infected fishes among the farms is compared through statistical tests, besides, animal handling adopted in each farm is also discussed. The importance of ensuring fish health in order to make the ornamental freshwater fish industry economically viable and reduce losses in production is highlighted.


O objetivo deste estudo foi pesquisar parasitas presentes em 333 peixes ornamentais de cinco estados brasileiros (Ceará, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Santa Catarina). Os peixes eram oriundos de oito pisciculturas localizadas nos municípios de Fortaleza, Patrocínio do Muriaé, São Francisco do Glória, Cascavel, Timbó, Iguape, Jacareí e Mairinque. Todos os peixes foram anestesiados e eutanasiados para a pesquisa de parasitas. Após análise microscópica, foi verificado que 70.6% (235/333) dos peixes estavam infectados por ao menos uma espécie de parasita, sendo identificados 12 tipos: monogenoides, metacercárias, cestoides, nematoides, Lernaea cyprinacea, tricodinídeos, Piscinoodinium pillulare, Ichthyophthirius multifiliis, flagelados diplomonados, Ichthyobodo sp., Chilodonella sp., e Tetrahymena sp. A proporção de peixes infectados entre cada piscicultura é comparada através de testes estatísticos, além disso, o manejo adotado pelas diferentes pisciculturas também é discutido. A importância de assegurar a sanidade de peixes ornamentais, de forma a tornar a atividade economicamente viável e reduzir perdas na produção é enfatizada.


Assuntos
Animais , Qualidade da Água , Pesqueiros , Peixes/parasitologia
2.
Rev. Educ. Contin. CRMV-SP (Impr.) ; 14(1): 06-11, 2016. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1488737

Resumo

Lymphocystis is a chronic viral disease found in both fresh and marine water fishes, characterized by nodules that typically appear on the skin or fins. Lymphocystis is the most common viral infection of ornamental fish. This study aimed to identify fish showing clinical signs of Lymphocystis virus in an ornamental fish importation company and to highlight the importance of involving veterinary doctors to assure the health of ornamental fish, a relatively unexplored practice in Brazil. Seventeen ornamental fishes studied during quarantine presented with clinical signs of the disease, confirmed after microscopic analysis. Every single fish presented with enlarged fibroblastic cells typical of the Lymphocystis virus. In this case, lesions were removed with a scalpel blade and the fish were treated with an antibiotic in a hospital aquarium for seven days. Thirty days later, the fish were healthy and ready for sale. The study also reinforces the fact that it is extremely important to provide the staff with examples of good practices in handling fishes, provide the technical team with professional training, and avoid situations of stress on fishes in order to restrain opportunistic diseases. The enablement of veterinary doctors in establishments that trade aquatic ornamental fishes is also essential to allow them to perform their work in prevention and disease control.


Linfocitose é uma doença viral crônica encontrada em peixes de água doce e marinha, caracterizada por nódulos principalmente na pele e/ou nadadeiras. É a doença viral mais comum nos peixes de aquário. O objetivo do presente estudo de caso foi identificar os animais com sintomatologia clínica condizente com infecção por Lymphocystis vírus, em um estabelecimento importador de organismos aquáticos ornamentais, além de alertar para a importância de médicos veterinários capacitados na área de sanidade de animais aquáticos, relativamente a um agente pouco explorado nessa área no Brasil. Um total de dezessete peixes ornamentais foram estudados durante o período de quarentena, no qual apresentaram sinais clínicos da doença, confirmada por análise microscópica. Todos os peixes apresentaram células fibroblásticas de tamanho aumentado, típicas de Lymphocystis vírus. As lesões foram removidas com lâmina de bisturi e os peixes foram tratados com antibiótico em um aquário hospital por sete dias para prevenir contra infecções bacterianas secundárias. Após trinta dias, os peixes estavam completamente curados e disponíveis para venda. Este relato reforça a importância de hábitos de boas práticas de higiene e manipulação, além do fornecimento de treinamentos aos profissionais que manipulam diretamente os animais comercializados, a fim de diminuir situações desnecessárias de estresse


Assuntos
Animais , Linfocitose/diagnóstico , Linfocitose/veterinária , Peixes/anormalidades , Peixes/virologia , Medicina Veterinária
3.
R. Educ. contin. Med. Vet. Zoot. ; 14(1): 06-11, 2016. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-483090

Resumo

Lymphocystis is a chronic viral disease found in both fresh and marine water fishes, characterized by nodules that typically appear on the skin or fins. Lymphocystis is the most common viral infection of ornamental fish. This study aimed to identify fish showing clinical signs of Lymphocystis virus in an ornamental fish importation company and to highlight the importance of involving veterinary doctors to assure the health of ornamental fish, a relatively unexplored practice in Brazil. Seventeen ornamental fishes studied during quarantine presented with clinical signs of the disease, confirmed after microscopic analysis. Every single fish presented with enlarged fibroblastic cells typical of the Lymphocystis virus. In this case, lesions were removed with a scalpel blade and the fish were treated with an antibiotic in a hospital aquarium for seven days. Thirty days later, the fish were healthy and ready for sale. The study also reinforces the fact that it is extremely important to provide the staff with examples of good practices in handling fishes, provide the technical team with professional training, and avoid situations of stress on fishes in order to restrain opportunistic diseases. The enablement of veterinary doctors in establishments that trade aquatic ornamental fishes is also essential to allow them to perform their work in prevention and disease control.(AU)


Linfocitose é uma doença viral crônica encontrada em peixes de água doce e marinha, caracterizada por nódulos principalmente na pele e/ou nadadeiras. É a doença viral mais comum nos peixes de aquário. O objetivo do presente estudo de caso foi identificar os animais com sintomatologia clínica condizente com infecção por Lymphocystis vírus, em um estabelecimento importador de organismos aquáticos ornamentais, além de alertar para a importância de médicos veterinários capacitados na área de sanidade de animais aquáticos, relativamente a um agente pouco explorado nessa área no Brasil. Um total de dezessete peixes ornamentais foram estudados durante o período de quarentena, no qual apresentaram sinais clínicos da doença, confirmada por análise microscópica. Todos os peixes apresentaram células fibroblásticas de tamanho aumentado, típicas de Lymphocystis vírus. As lesões foram removidas com lâmina de bisturi e os peixes foram tratados com antibiótico em um aquário hospital por sete dias para prevenir contra infecções bacterianas secundárias. Após trinta dias, os peixes estavam completamente curados e disponíveis para venda. Este relato reforça a importância de hábitos de boas práticas de higiene e manipulação, além do fornecimento de treinamentos aos profissionais que manipulam diretamente os animais comercializados, a fim de diminuir situações desnecessárias de estresse(AU)


Assuntos
Animais , Peixes/anormalidades , Peixes/virologia , Linfocitose/diagnóstico , Linfocitose/veterinária , Medicina Veterinária
4.
Braz. j. biol ; 84: e262851, 2024. tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1374687

Resumo

Nontuberculous mycobacteria infection is one of the most common chronic bacterial diseases in ornamental aquarium fish and appears to be directly related to stressful husbandry practices. Furthermore, it also represents zoonotic potential. Here we present the isolation and characterization of non-tuberculous mycobacteria from diseased freshwater angelfish (Pterophyllum scalare) in São Paulo, Brazil. Nine discarded breeding females with signs of disease were evaluated. The fish exhibited lethargy, loss of appetite, cachexia, skin ulcers, and exophthalmia. At necropsy, four fishes presented macroscopic granulomas in the spleen. Mycobacterium chelonae, M. fortuitum, M. gordonae, M. intracellulare and M. peregrinum were isolated and identified by hsp65 PCR restriction analysis. Histopathological analysis revealed microscopic lesions compatible with mycobacteriosis, and Mycobacterium bacillus were observed by Ziehl-Neelsen stain. Notably, all Mycobacterium species identified in this study have already been reported in human patients; therefore, diseased animals may be a source of infection for people who handle fish and aquariums.


A infecção por micobactérias não tuberculosas é uma das doenças bacterianas crônicas mais comuns em peixes ornamentais de aquário e parece estar diretamente relacionada a práticas de manejo estressantes. Além disso, também representa potencial zoonótico. Aqui, apresentamos o isolamento e a caracterização de micobactérias não tuberculosas de peixes-anjo de água doce doentes (Pterophyllum scalare) em São Paulo, Brasil. Foram avaliadas nove fêmeas reprodutoras descartadas com sinais de doença. Os peixes exibiam letargia, perda de apetite, caquexia, úlceras cutâneas e exoftalmia. Na necropsia, quatro peixes apresentaram granulomas macroscópicos no baço. Mycobacterium chelonae, M. fortuitum, M. gordonae, M. intracellulare e M. peregrinum foram isolados e identificados por análise de restrição por PCR de hsp65. A análise histopatológica revelou lesões microscópicas compatíveis com micobacteriose, e o bacilo de Mycobacterium foi observado pela coloração de Ziehl-Neelsen. Notavelmente, todas as espécies de Mycobacterium identificadas neste estudo já foram relatadas em pacientes humanos; portanto, animais doentes podem ser uma fonte de infecção para pessoas que manipulam peixes e aquários.


Assuntos
Animais , Manejo de Espécimes , Infecções Bacterianas , Mycobacterium chelonae , Peixes , Micobactérias não Tuberculosas , Infecções por Mycobacterium
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA