Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Intervalo de ano de publicação
1.
B. Inst. Pesca ; 43(n.esp): 54-63, dez. 2017. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-18350

Resumo

This study aimed to estimate the utilization efficiency and optimal intake of digestible protein to maximize weight gain and feed conversion in Nile tilapia juveniles at different development stages. Four trials, each lasting 45 days, were performed using sexually inverted Nile tilapia juveniles with an initial average weight of 2.01 g (phase A), 14.26 g (phase B), 59.96 g (phase C), and 149.11 g (phase D). The experimental design was completely randomized with five treatments and four replicates. The levels of digestible protein ranged from 175 to 425 g kg-1 (phase A), 163 to 390 g kg-1 (phase B), 150 to 360 g kg-1 (phase C), and 138 to 330 g kg-1 (phase D). The maximum responses in terms of weight gain were obtained with protein intakes (digestible protein) of 88, 328, 713, and 855 mg fish-1 day-1, respectively, for phases A, B, C, and D. The maximum feed conversion ratio was obtained with protein intakes of 78, 272, 697, and 793 mg fish-1 day-1, respectively, for phases A, B, C, and D. The protein utilization efficiency was 52, 51, 51, and 50% for phases A, B, C, and D, respectively.(AU)


Objetivou-se estimar a eficiência de utilização e a ingestão ótima de proteína digestível para maximizar o ganho de peso e a conversão alimentar de juvenis de tilápia do Nilo em diferentes fases de crescimento. Cada um dos quatro ensaios durou 45 dias, utilizando-se juvenis revertidos sexualmente com peso médio inicial de 2,01g (fase A), 14,26 g (fase B), 59,96 g (fase C) e 149,11 g (fase D). O delineamento adotado foi o inteiramente ao acaso, com cinco tratamentos e quatro repetições. Os níveis de proteína digestível variaram de 175 a 425 g kg-1 (fase A), de 163 a 390 g kg-1 (fase B), de 150 a 360 g kg-1 (fase C) e de 138 a 330 g kg-1 (fase D). As máximas respostas para ganho de peso foram estimadas com ingestões de proteína de 88, 328, 713 e 855 mg peixe-1 dia-1 nas fases A, B, C e D, respectivamente. Para maximizar a conversão alimentar estimaram-se ingestões de proteína de 78, 272, 697 e 793 mg peixe-1 dia-1 para as fases A, B, C e D, respectivamente. As eficiências de utilização da proteína encontradas para as fases A, B, C e D, foram 52, 51, 51 e 50%, respectivamente.(AU)


Assuntos
Animais , Ciclídeos/crescimento & desenvolvimento , Proteínas Alimentares/administração & dosagem , Aumento de Peso , Ingestão de Alimentos
2.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1465221

Resumo

This study aimed to estimate the utilization efficiency and optimal intake of digestible protein to maximize weight gain and feed conversion in Nile tilapia juveniles at different development stages. Four trials, each lasting 45 days, were performed using sexually inverted Nile tilapia juveniles with an initial average weight of 2.01 g (phase A), 14.26 g (phase B), 59.96 g (phase C), and 149.11 g (phase D). The experimental design was completely randomized, with five treatments and four replicates. The levels of digestible protein ranged from 175 to 425 g kg-1 (phase A), 163 to 390 g kg-1 (phase B), 150 to 360 g kg-1 (phase C), and 138 to 330 g kg-1 (phase D). The maximum responses in terms of weight gain were obtained with protein intakes (digestible protein) of 88, 328, 713, and 855 mg fish-1 day-1, respectively for phases A, B, C, and D. The maximum feed conversion ratio was obtained with protein intakes of 78, 272, 697, and 793 mg fish-1 day-1, respectively for phases A, B, C, and D. The protein utilization efficiency was 52, 51, 51, and 50% for phases A, B, C, and D respectively.


Objetivou-se estimar a eficiência de utilização e a ingestão ótima de proteína digestível para maximizar o ganho de peso e a conversão alimentar de juvenis de tilápia-do-nilo em diferentes fases de crescimento. Cada um dos quatro ensaios durou 45 dias, utilizando-se juvenis revertidos sexualmente com peso médio inicial de 2,01g (fase A); 14,26 g (fase B); 59,96 g (fase C) e 149,11 g (fase D). O delineamento adotado foi o inteiramente ao acaso, com cinco tratamentos e quatro repetições. Os níveis de proteína digestível variaram de 175 a 425 g kg-1 (fase A), de 163 a 390 g kg-1 (fase B), de 150 a 360 g kg-1 (fase C) e de 138 a 330 g kg-1 (fase D). As máximas respostas para ganho de peso foram estimadas com ingestões de proteína de 88, 328, 713 e 855 mg peixe-1 dia-1 nas fases A, B, C e D respectivamente. Para maximizar a conversão alimentar estimaram-se ingestões de proteína de 78, 272, 697 e 793 mg peixe-1 dia-1 para as fases A, B, C e D respectivamente. As eficiências de utilização da proteína encontradas para as fases A, B, C e D foram 52, 51, 51 e 50% respectivamente.

3.
Bol. Inst. Pesca (Impr.) ; 43(n.esp): 54-63, dez. 2017. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1465303

Resumo

This study aimed to estimate the utilization efficiency and optimal intake of digestible protein to maximize weight gain and feed conversion in Nile tilapia juveniles at different development stages. Four trials, each lasting 45 days, were performed using sexually inverted Nile tilapia juveniles with an initial average weight of 2.01 g (phase A), 14.26 g (phase B), 59.96 g (phase C), and 149.11 g (phase D). The experimental design was completely randomized with five treatments and four replicates. The levels of digestible protein ranged from 175 to 425 g kg-1 (phase A), 163 to 390 g kg-1 (phase B), 150 to 360 g kg-1 (phase C), and 138 to 330 g kg-1 (phase D). The maximum responses in terms of weight gain were obtained with protein intakes (digestible protein) of 88, 328, 713, and 855 mg fish-1 day-1, respectively, for phases A, B, C, and D. The maximum feed conversion ratio was obtained with protein intakes of 78, 272, 697, and 793 mg fish-1 day-1, respectively, for phases A, B, C, and D. The protein utilization efficiency was 52, 51, 51, and 50% for phases A, B, C, and D, respectively.


Objetivou-se estimar a eficiência de utilização e a ingestão ótima de proteína digestível para maximizar o ganho de peso e a conversão alimentar de juvenis de tilápia do Nilo em diferentes fases de crescimento. Cada um dos quatro ensaios durou 45 dias, utilizando-se juvenis revertidos sexualmente com peso médio inicial de 2,01g (fase A), 14,26 g (fase B), 59,96 g (fase C) e 149,11 g (fase D). O delineamento adotado foi o inteiramente ao acaso, com cinco tratamentos e quatro repetições. Os níveis de proteína digestível variaram de 175 a 425 g kg-1 (fase A), de 163 a 390 g kg-1 (fase B), de 150 a 360 g kg-1 (fase C) e de 138 a 330 g kg-1 (fase D). As máximas respostas para ganho de peso foram estimadas com ingestões de proteína de 88, 328, 713 e 855 mg peixe-1 dia-1 nas fases A, B, C e D, respectivamente. Para maximizar a conversão alimentar estimaram-se ingestões de proteína de 78, 272, 697 e 793 mg peixe-1 dia-1 para as fases A, B, C e D, respectivamente. As eficiências de utilização da proteína encontradas para as fases A, B, C e D, foram 52, 51, 51 e 50%, respectivamente.


Assuntos
Animais , Aumento de Peso , Ciclídeos/crescimento & desenvolvimento , Proteínas Alimentares/administração & dosagem , Ingestão de Alimentos
4.
Acta Sci. Anim. Sci. ; 31(4): 433-437, out.-dez. 2009. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-3903

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da suplementação de selênio orgânico na dieta de matrizes de tilápia-do-Nilo. Foi avaliado o desempenho zootécnico e reprodutivo das matrizes, assim como o crescimento das larvas (progênies). Utilizaram-se 80 peixes em idade reprodutiva, com peso médio de 121 g, divididos em grupos de quatro animais (três fêmeas e um macho), estocados em 20 tanques de 1,5 m3. Os peixes foram alimentados com cinco dietas contendo níveis crescentes de suplementação com selênio orgânico (0,0; 0,25; 0,50; 0,75 e 1,0 mg kg-1 de ração). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado com cinco tratamentos e quatro repetições. Para avaliar o desempenho zootécnico da progênie, as larvas produzidas de cada tratamento foram divididas em quatro aquários e alimentadas durante 30 dias com ração comercial (45% PB). O desempenho zootécnico e reprodutivo das matrizes não apresentou diferenças estatísticas (p > 0,05). Por outro lado, as matrizes que foram alimentadas com dietas suplementadas com 0,50 mg de selênio orgânico produziram larvas que apresentaram melhor (p < 0,05) ganho de peso em relação as que receberam a dieta-controle.(AU)


The aim of this study to test the effect of organic selenium supplementation in the diets of Nile tilapia broodstock. Growth, reproductive performance and performance of fingerlings were evaluated. Eighty adult fish were used, with average weight of 121.7 g and divided into groups of four animals (3 female and 1 male) stocked in 20 tanks with 1.5 cubic meters. The fish were fed five diets containing different levels of organic selenium (0.0, 0.25, 0.50, 0.75, and 1.0 mg kg-1 ration). In the experimental period, females from all tanks were captured and the eggs collected. The experimental design was entirely randomized, with five treatments and four replicates. To evaluate progeny performance, the fingerlings were shared in four aquariums and fed during 30 days with commercial diet (45% CP). The supplementation with organic selenium did not affect the productive performance as with the reproductive parameters of the broodstock (p > 0.05). On the other hand, the broodstock fed with 0.50 mg of organic selenium produced fingerlings that presented improved weight gain (p < 0.05) compared to fish fed the control diet.(AU)


Assuntos
Animais , Pesqueiros , Tilápia/crescimento & desenvolvimento , Ciclídeos/crescimento & desenvolvimento , Selênio/administração & dosagem , Dieta/veterinária , Reprodução
5.
Acta sci., Anim. sci ; 31(4): 433-437, out.-dez. 2009. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1459219

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da suplementação de selênio orgânico na dieta de matrizes de tilápia-do-Nilo. Foi avaliado o desempenho zootécnico e reprodutivo das matrizes, assim como o crescimento das larvas (progênies). Utilizaram-se 80 peixes em idade reprodutiva, com peso médio de 121 g, divididos em grupos de quatro animais (três fêmeas e um macho), estocados em 20 tanques de 1,5 m3. Os peixes foram alimentados com cinco dietas contendo níveis crescentes de suplementação com selênio orgânico (0,0; 0,25; 0,50; 0,75 e 1,0 mg kg-1 de ração). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado com cinco tratamentos e quatro repetições. Para avaliar o desempenho zootécnico da progênie, as larvas produzidas de cada tratamento foram divididas em quatro aquários e alimentadas durante 30 dias com ração comercial (45% PB). O desempenho zootécnico e reprodutivo das matrizes não apresentou diferenças estatísticas (p > 0,05). Por outro lado, as matrizes que foram alimentadas com dietas suplementadas com 0,50 mg de selênio orgânico produziram larvas que apresentaram melhor (p < 0,05) ganho de peso em relação as que receberam a dieta-controle.


The aim of this study to test the effect of organic selenium supplementation in the diets of Nile tilapia broodstock. Growth, reproductive performance and performance of fingerlings were evaluated. Eighty adult fish were used, with average weight of 121.7 g and divided into groups of four animals (3 female and 1 male) stocked in 20 tanks with 1.5 cubic meters. The fish were fed five diets containing different levels of organic selenium (0.0, 0.25, 0.50, 0.75, and 1.0 mg kg-1 ration). In the experimental period, females from all tanks were captured and the eggs collected. The experimental design was entirely randomized, with five treatments and four replicates. To evaluate progeny performance, the fingerlings were shared in four aquariums and fed during 30 days with commercial diet (45% CP). The supplementation with organic selenium did not affect the productive performance as with the reproductive parameters of the broodstock (p > 0.05). On the other hand, the broodstock fed with 0.50 mg of organic selenium produced fingerlings that presented improved weight gain (p < 0.05) compared to fish fed the control diet.


Assuntos
Animais , Ciclídeos/crescimento & desenvolvimento , Pesqueiros , Selênio/administração & dosagem , Tilápia/crescimento & desenvolvimento , Dieta/veterinária , Reprodução
6.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-761350

Resumo

This study aimed to estimate the utilization efficiency and optimal intake of digestible protein to maximize weight gain and feed conversion in Nile tilapia juveniles at different development stages. Four trials, each lasting 45 days, were performed using sexually inverted Nile tilapia juveniles with an initial average weight of 2.01 g (phase A), 14.26 g (phase B), 59.96 g (phase C), and 149.11 g (phase D). The experimental design was completely randomized, with five treatments and four replicates. The levels of digestible protein ranged from 175 to 425 g kg-1 (phase A), 163 to 390 g kg-1 (phase B), 150 to 360 g kg-1 (phase C), and 138 to 330 g kg-1 (phase D). The maximum responses in terms of weight gain were obtained with protein intakes (digestible protein) of 88, 328, 713, and 855 mg fish-1 day-1, respectively for phases A, B, C, and D. The maximum feed conversion ratio was obtained with protein intakes of 78, 272, 697, and 793 mg fish-1 day-1, respectively for phases A, B, C, and D. The protein utilization efficiency was 52, 51, 51, and 50% for phases A, B, C, and D respectively.


Objetivou-se estimar a eficiência de utilização e a ingestão ótima de proteína digestível para maximizar o ganho de peso e a conversão alimentar de juvenis de tilápia-do-nilo em diferentes fases de crescimento. Cada um dos quatro ensaios durou 45 dias, utilizando-se juvenis revertidos sexualmente com peso médio inicial de 2,01g (fase A); 14,26 g (fase B); 59,96 g (fase C) e 149,11 g (fase D). O delineamento adotado foi o inteiramente ao acaso, com cinco tratamentos e quatro repetições. Os níveis de proteína digestível variaram de 175 a 425 g kg-1 (fase A), de 163 a 390 g kg-1 (fase B), de 150 a 360 g kg-1 (fase C) e de 138 a 330 g kg-1 (fase D). As máximas respostas para ganho de peso foram estimadas com ingestões de proteína de 88, 328, 713 e 855 mg peixe-1 dia-1 nas fases A, B, C e D respectivamente. Para maximizar a conversão alimentar estimaram-se ingestões de proteína de 78, 272, 697 e 793 mg peixe-1 dia-1 para as fases A, B, C e D respectivamente. As eficiências de utilização da proteína encontradas para as fases A, B, C e D foram 52, 51, 51 e 50% respectivamente.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA