Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros

Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Arq. Inst. Biol ; 87: e0902018, 2020. tab
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1100113

Resumo

Organic agriculture is distinguished by practices that benefit the environment and support sustainable agriculture. In the present study, leafy kale, Brassica oleracea L. var. acephala DC., was submitted to chemical and organic (castor bean cake and bovine manure) fertilization treatments aiming to verify the influence of these fertilizers on the occurrence of insect pests and natural enemies. The insects were sampled by visual examination of plants and pitfall traps. Brevicoryne brassicae (L.) and Myzus persicae (Sulzer) (Hemiptera: Aphididae) were the phytophagous insects that occurred more significantly in kale, under chemical rather than organic fertilization, whereas Harmonia axyridis (Pallas), Hippodamia convergens (Guérin-Méneville) (Coleoptera: Coccinellidae), Diaeretiella rapae (M'Intosh) (Hymenoptera: Braconidae) and spiders (Arachnida: Araneae) were abundant in kale under organic fertilizer. The study showed that castor bean cake and bovine manure as leafy kale fertilizers can reduce the use of insecticides and provide quality food.(AU)


A agricultura orgânica destaca-se pelo emprego de práticas que beneficiam o meio ambiente e aumentam a sustentabilidade na agricultura. No presente estudo, a couve-de-folha, Brassica oleracea L. var. acephala DC., foi submetida a tratamentos de adubação química e orgânica à base de torta de mamona e esterco bovino para se verificar a influência dos fertilizantes na ocorrência de insetos pragas e inimigos naturais. Os insetos foram amostrados por meio de exame visual de plantas e armadilhas tipo alçapão. Brevicoryne brassicae (L.) e Myzus persicae (Sulzer) (Hemiptera: Aphididae) foram os insetos fitófagos que ocorreram significativamente em maior número em couve sob adubação química que orgânica, enquanto Harmonia axyridis (Pallas), Hippodamia convergens (Guérin-Méneville) (Coleoptera: Coccinellidae), Diaeretiella rapae (M'Intosh) (Hymenoptera: Braconidae) e aranhas (Arachnida: Araneae) foram abundantes em couve sob adubo orgânico. O estudo evidenciou que o uso de torta de mamona e esterco bovino como adubo de couve-de-folha pode reduzir o uso de inseticidas e fornecer alimentos de qualidade.(AU)


Assuntos
Brassica , Controle de Pragas/métodos , Controle Biológico de Vetores , Fertilizantes , Agricultura Sustentável , Agricultura Orgânica , Insetos
2.
Arq. Inst. Biol. ; 87: e0902018, 2020. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-27587

Resumo

Organic agriculture is distinguished by practices that benefit the environment and support sustainable agriculture. In the present study, leafy kale, Brassica oleracea L. var. acephala DC., was submitted to chemical and organic (castor bean cake and bovine manure) fertilization treatments aiming to verify the influence of these fertilizers on the occurrence of insect pests and natural enemies. The insects were sampled by visual examination of plants and pitfall traps. Brevicoryne brassicae (L.) and Myzus persicae (Sulzer) (Hemiptera: Aphididae) were the phytophagous insects that occurred more significantly in kale, under chemical rather than organic fertilization, whereas Harmonia axyridis (Pallas), Hippodamia convergens (Guérin-Méneville) (Coleoptera: Coccinellidae), Diaeretiella rapae (M'Intosh) (Hymenoptera: Braconidae) and spiders (Arachnida: Araneae) were abundant in kale under organic fertilizer. The study showed that castor bean cake and bovine manure as leafy kale fertilizers can reduce the use of insecticides and provide quality food.(AU)


A agricultura orgânica destaca-se pelo emprego de práticas que beneficiam o meio ambiente e aumentam a sustentabilidade na agricultura. No presente estudo, a couve-de-folha, Brassica oleracea L. var. acephala DC., foi submetida a tratamentos de adubação química e orgânica à base de torta de mamona e esterco bovino para se verificar a influência dos fertilizantes na ocorrência de insetos pragas e inimigos naturais. Os insetos foram amostrados por meio de exame visual de plantas e armadilhas tipo alçapão. Brevicoryne brassicae (L.) e Myzus persicae (Sulzer) (Hemiptera: Aphididae) foram os insetos fitófagos que ocorreram significativamente em maior número em couve sob adubação química que orgânica, enquanto Harmonia axyridis (Pallas), Hippodamia convergens (Guérin-Méneville) (Coleoptera: Coccinellidae), Diaeretiella rapae (M'Intosh) (Hymenoptera: Braconidae) e aranhas (Arachnida: Araneae) foram abundantes em couve sob adubo orgânico. O estudo evidenciou que o uso de torta de mamona e esterco bovino como adubo de couve-de-folha pode reduzir o uso de inseticidas e fornecer alimentos de qualidade.(AU)


Assuntos
Brassica , Controle de Pragas/métodos , Controle Biológico de Vetores , Fertilizantes , Agricultura Sustentável , Agricultura Orgânica , Insetos
3.
Bol. ind. anim. (Impr.) ; 70(1): 59-66, 2013.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1466565

Resumo

Procedeu-se à avaliação do nível de infestação e respectivos danos associados à presen- ça das lagartas Spodoptera frugiperda e Helicoverpa zea, em dois milhos híbridos geneticamente modificados (OGM), Dekalb DKB390 e Agroceres AG8088, que expressam a proteína Cry1Ab. Foi estabelecido em blocos casualizados, com dois fatores (hibrido e gene cry1Ab), sendo utilizadas como controles os mesmos híbridos sem a proteína Cry1Ab (NOGM). A concentração da proteína Cry1Ab foi determinada pela técnica ELISA em caules, folhas e grãos dos milhos OGM, previamente desidratados por liofilização. A contabilização do número de lagartas de S. frugiperda e danos associados foi realizada aos 15, 22, 29, 36 e 42 dias após a semeadura, segundo uma escala com 5 níveis (0-ausência praga; 5-planta morta). A contabilização do número de lagartas de H. zea e danos associados foi realizada aos 57, 71, 78 e 85 dias após a semeadura, segundo uma escala com 4 níveis (0-ausência praga; 4- o inseto penetrou até o sabugo, não se aprofundando mais que 3 cm). O número de larvas foi contabilizado segundo dois níveis, menores ou iguais a 15mm e maiores de 15mm. Nenhuma aplicação inseticida foi realizada nos talhões com milhos OGM enquanto os talhões com milhos NOGM foram pulverizados com uma aplicação de deltametrina (2,8%) 42 dias após a semeadura. O nível de infestação e danos associados a S. frugiperda foram significativamente menores (p<0,05) nos milhos OGM em comparação com os milhos NOGM. Todavia, o número e danos associados a lagartas de S. frugiperda inferiores a 15 mm, foram superiores no milho OGM DKB390 quando comparado com o milho OGM AG8088. Não se verificaram diferen- ças no nível de infestação por lagartas-do-cartucho e danos associados entre milhos OGM e entre milhos NOGM. Em média, a concentração da proteína associada ao gene cry1Ab foi superior nas folhas e caules em comparação com a concentração presente nos grãos e, em média, superior no milho OGM AG8088 relativamente ao milho OGM DKB390. Não foram encontradas diferenças no nível de danos causados por lagartas de H. zea no milho AG8088 OGM e NOGM, após 71, 78 e 85 dias da semeadura. Conclui-se que embora os milhos OGM tenham sido eficientes na limitação das duas pragas, foram mais eficientes na limitação de S. frugiperda em comparação com H. zea resultado que estará associado à maior concentração da proteína nas folhas (8,062 ug/g de tecido fresco) e caules (5,626 ug/g de tecido fresco), em comparação com a existente no grão (0,372 ug/g de tecido fresco). Por sua vez, o teste ELISA foi eficiente na quantificação da proteína Cry1Ab em tecidos vegetais de milho.


A study was carried out to evaluate the infestation and associated damages to the presence of the Spodoptera frugiperda and Helicoverpa zea caterpillars, in two genetically modified (GM) corn, Dekalb DKB390 and Agroceres AG8088, expressing the cry1Ab protein. For this objective, an split-splot design with two factors (hybrid x gene) was carried out. Negative controls were made with the same corn hybrids without the gene cry1Ab (NoGM). The concentration of the protein Cry1Ab was determined by the ELISA (enzyme linked immuno sorbent assay) technique in previously dehydrated stems, leaves and grains of GM corns. Caterpillars sampling of S. frugiperda and associated damage survey were accomplished at 15, 22, 29, 36 and 42 days after the sowing, according to a damage scale with 5 levels (0- pest absence to 5- dead plant). Countings of H. zea caterpillars and associated damage were assessed at 57, 71, 78 and 85 days after the sowing, according to a damage scale with 4 levels (0-pest absence curse to 4-gallery in the corn cob minor than 3cm). Sampled caterpillars were divided in two groups, smaller or equal to 15mm and bigger than 15mm. No insecticide application was accomplished in the GM blocks while NoGM blocks were sprayed with deltametrina (2,8%), 42 days after the sowing. The infestation level and associated damage due to S. frugiperda presence was significantly smaller (p < 0,05) in the GM corns in comparison to NoGM corns. Nevertheless, the number and associated damage of S. frugiperda caterpillars, smaller than 15 mm, were superior in the GM DKB390 corn when compared to the GM AG8088 corn. Differences were not observed in the S. frugiperda infestation and associated damage between GM corns and between NoGM corns. On average, the concentration of Cry1Ab protein was significantly superior in leaves and stems in comparison to the grain and, usually, superior in the GM AG8088 corn comparatively to GM DKB390 corn. No differences were found on level damages caused by caterpillars of H. zea in GM and NoGM AG8088 corns, after 71, 78 and 85 days of sowing. In conclusion, GM corns were more efficient in the limitation of S. frugiperda in comparison with H. zea, a result that can be associated to the largest Cry1Ab protein concentration observed in leafs (8.062 ug/g fresh tissue) and stems (5.626 ug/g fresh tissue) in comparison to the existent in the grain (0.372 ug/g fresh tissue). Also, ELISA technique proved to be very efficient in Cry1Ab protein quantification on corn.


Assuntos
Animais , Controle de Pragas/métodos , Lepidópteros/classificação , Zea mays
4.
B. Indústr. Anim. ; 70(1): 59-66, 2013.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-11720

Resumo

Procedeu-se à avaliação do nível de infestação e respectivos danos associados à presen- ça das lagartas Spodoptera frugiperda e Helicoverpa zea, em dois milhos híbridos geneticamente modificados (OGM), Dekalb DKB390 e Agroceres AG8088, que expressam a proteína Cry1Ab. Foi estabelecido em blocos casualizados, com dois fatores (hibrido e gene cry1Ab), sendo utilizadas como controles os mesmos híbridos sem a proteína Cry1Ab (NOGM). A concentração da proteína Cry1Ab foi determinada pela técnica ELISA em caules, folhas e grãos dos milhos OGM, previamente desidratados por liofilização. A contabilização do número de lagartas de S. frugiperda e danos associados foi realizada aos 15, 22, 29, 36 e 42 dias após a semeadura, segundo uma escala com 5 níveis (0-ausência praga; 5-planta morta). A contabilização do número de lagartas de H. zea e danos associados foi realizada aos 57, 71, 78 e 85 dias após a semeadura, segundo uma escala com 4 níveis (0-ausência praga; 4- o inseto penetrou até o sabugo, não se aprofundando mais que 3 cm). O número de larvas foi contabilizado segundo dois níveis, menores ou iguais a 15mm e maiores de 15mm. Nenhuma aplicação inseticida foi realizada nos talhões com milhos OGM enquanto os talhões com milhos NOGM foram pulverizados com uma aplicação de deltametrina (2,8%) 42 dias após a semeadura. O nível de infestação e danos associados a S. frugiperda foram significativamente menores (p<0,05) nos milhos OGM em comparação com os milhos NOGM. Todavia, o número e danos associados a lagartas de S. frugiperda inferiores a 15 mm, foram superiores no milho OGM DKB390 quando comparado com o milho OGM AG8088. Não se verificaram diferen- ças no nível de infestação por lagartas-do-cartucho e danos associados entre milhos OGM e entre milhos NOGM. Em média, a concentração da proteína associada ao gene cry1Ab foi superior nas folhas e caules em comparação com a concentração presente nos grãos e, em média, superior no milho OGM AG8088 relativamente ao milho OGM DKB390. Não foram encontradas diferenças no nível de danos causados por lagartas de H. zea no milho AG8088 OGM e NOGM, após 71, 78 e 85 dias da semeadura. Conclui-se que embora os milhos OGM tenham sido eficientes na limitação das duas pragas, foram mais eficientes na limitação de S. frugiperda em comparação com H. zea resultado que estará associado à maior concentração da proteína nas folhas (8,062 ug/g de tecido fresco) e caules (5,626 ug/g de tecido fresco), em comparação com a existente no grão (0,372 ug/g de tecido fresco). Por sua vez, o teste ELISA foi eficiente na quantificação da proteína Cry1Ab em tecidos vegetais de milho.(AU)


A study was carried out to evaluate the infestation and associated damages to the presence of the Spodoptera frugiperda and Helicoverpa zea caterpillars, in two genetically modified (GM) corn, Dekalb DKB390 and Agroceres AG8088, expressing the cry1Ab protein. For this objective, an split-splot design with two factors (hybrid x gene) was carried out. Negative controls were made with the same corn hybrids without the gene cry1Ab (NoGM). The concentration of the protein Cry1Ab was determined by the ELISA (enzyme linked immuno sorbent assay) technique in previously dehydrated stems, leaves and grains of GM corns. Caterpillars sampling of S. frugiperda and associated damage survey were accomplished at 15, 22, 29, 36 and 42 days after the sowing, according to a damage scale with 5 levels (0- pest absence to 5- dead plant). Countings of H. zea caterpillars and associated damage were assessed at 57, 71, 78 and 85 days after the sowing, according to a damage scale with 4 levels (0-pest absence curse to 4-gallery in the corn cob minor than 3cm). Sampled caterpillars were divided in two groups, smaller or equal to 15mm and bigger than 15mm. No insecticide application was accomplished in the GM blocks while NoGM blocks were sprayed with deltametrina (2,8%), 42 days after the sowing. The infestation level and associated damage due to S. frugiperda presence was significantly smaller (p < 0,05) in the GM corns in comparison to NoGM corns. Nevertheless, the number and associated damage of S. frugiperda caterpillars, smaller than 15 mm, were superior in the GM DKB390 corn when compared to the GM AG8088 corn. Differences were not observed in the S. frugiperda infestation and associated damage between GM corns and between NoGM corns. On average, the concentration of Cry1Ab protein was significantly superior in leaves and stems in comparison to the grain and, usually, superior in the GM AG8088 corn comparatively to GM DKB390 corn. No differences were found on level damages caused by caterpillars of H. zea in GM and NoGM AG8088 corns, after 71, 78 and 85 days of sowing. In conclusion, GM corns were more efficient in the limitation of S. frugiperda in comparison with H. zea, a result that can be associated to the largest Cry1Ab protein concentration observed in leafs (8.062 ug/g fresh tissue) and stems (5.626 ug/g fresh tissue) in comparison to the existent in the grain (0.372 ug/g fresh tissue). Also, ELISA technique proved to be very efficient in Cry1Ab protein quantification on corn.(AU)


Assuntos
Animais , Zea mays , Controle de Pragas/métodos , Lepidópteros/classificação
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA