Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-219678

Resumo

Os anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs) são amplamente utilizados na medicina humana e veterinária por seus efeitos anti-inflamatório, analgésico e antipirético. Os principais efeitos adversos do uso de anti-inflamatórios estão relacionados aos distúrbios renais e gástricos. Os inibidores da COX-2 apresentam um bom perfil de ação e maior segurança, sem a toxicidade dos AINEs tradicionais, o que levou a busca por novos fármacos, porém, suspeita-se que o uso por tempo prolongado também pode levar aos mesmos efeitos adversos dos inibidores não-seletivos. Esta tese foi dividida em três capítulos. O primeiro, é uma revisão de literatura que aborda o tema central da tese e teve por objetivo levantar informações sobre os efeitos adversos do uso prolongado de AINEs inibidores da COX-2 na espécie equina. Para isso foi realizada uma revisão bibliográfica de artigos (recorte temporal, 2000 a 2020). No segundo artigo, avaliou-se a prescrição de AINEs no nordeste brasileiro. Foi realizada uma pesquisa com médicos veterinários e vendedores/balconistas de lojas agropecuárias na região Nordeste do Brasil, todos atuantes na área equina. Foram aplicados 100 questionários (50 por grupo) com o objetivo de identificar quais os principais AINEs recomendados por eles para as afecções do sistema locomotor e digestório da espécie equina. Para as afecções do sistema locomotor: como primeira opção, a fenilbutazona foi descrita como principal AINE nos dois grupos (G1: 58% e G2: 28%). Como segunda opção, o flunixin meglumine foi o mais recomendado (G1: 32% e G2: 24%). Como terceira opção, o meloxicam foi o mais recomendado também por ambos (G1:26% e G2: 16%). Para as afecções do sistema digestório: como primeira opção, o flunixin meglumine foi o fármaco mais recomendado (G1: 54% e G2: 40%). Como segunda opção, para o G1, flunixin meglumine (36%) e para o G2, a dipirona (30%). Como terceira opção, para o G1, o meloxicam e o DMSO foram os mais citados (18% cada) e para o G2, a fenilbutazona (18%). Os AINEs não seletivos são os mais recomendados por veterinários e vendedores de lojas agropecuárias do Nordeste do Brasil para tratamento das afecções locomotoras e digestivas de equinos, enquanto que os inibidores seletivos para COX-2 ainda são pouco recomendados, sendo o meloxicam o mais apontado pelos entrevistados, o que nos guiou para o desenvolvimento do terceiro capítulo da tese. Para o terceiro capítulo, foi feito um estudo para avaliação dos efeitos adversos do uso prolongado do meloxicam em equinos hígidos. Foi realizado um teste pareado utilizando 7 cavalos, que receberam a dose de 0,6 mg/kg de meloxicam pasta, por via oral, uma vez ao dia, durante 28 dias e avaliados os parâmetros clínicos, hematológico, bioquímico, teste de tempo de sangramento, gastroscopia (avaliados em cinco momentos: M0, M7, M14, M21 e M28) e eletrocardiograma (em três momentos: M0, M14 e M28). Não foram observados efeitos adversos relevantes nos animais, nas circunstâncias do estudo. Embora os AINEs inibidores da COX-2 sejam propostos como seguros, estes possuem efeitos adversos relevantes, principalmente se usados em sobredoses e por tempo prolongado. Os AINEs tradicionais fenilbutazona, flunixin meglumine e dipirona são os anti-inflamatórios mais prescritos por veterinários e vendedores de lojas agropecuárias no nordeste do Brasil, enquanto que o meloxicam é o inibidor da COX-2 mais recomendado. Medidas de controle na venda de AINEs, assim como orientações aos profissionais do cavalo são necessárias. O uso do meloxicam por 28 dias não causou efeitos adversos de importância clínica sobre os parâmetros avaliados.


Non-steroidal anti-inflammatory drugs (NSAIDs) are widely used in human and veterinary medicine for their anti-inflammatory, analgesic and antipyretic effects. The main adverse effects of the use of anti-inflammatory drugs are related to kidney and gastric disorders. COX-2 inhibitors have a good action profile and greater safety, without the toxicity of traditional NSAIDs, which led to the search for new drugs, however, it is suspected that their prolonged use can also lead to the same adverse effects of non-selective inhibitors. This thesis was divided into three chapters. The first is a literature review that addresses the central theme of the thesis and aimed to raise information about the adverse effects of prolonged use of COX-2 inhibitory NSAIDs in equine species. For this, a bibliographic review of articles was performed (time cut, 2000 to 2020). In the second article, the prescription of NSAIDs in northeastern Brazil was evaluated. A survey was conducted with veterinarians and salespeople/counters of agricultural stores in the Northeast region of Brazil, all working in the equine area. One hundred questionnaires (50 per group) were applied in order to identify the main NSAIDs recommended by them for affections of the locomotor and digestive system of the equine species. For disorders of the locomotor system: as a first option, phenylbutazone was described as the main NSAID in both groups (G1: 58% and G2: 28%). As a second option, flunixin meglumine was the most recommended (G1: 32% and G2: 24%). As a third option, meloxicam was also the most recommended by both (G1:26% and G2: 16%). For digestive system disorders: as a first option, flunixin meglumine was the most recommended drug (G1: 54% and G2: 40%). As a second option, for G1, flunixin meglumine (36%) and for G2, dipyrone (30%). As a third option, for G1, meloxicam and DMSO were the most mentioned (18% each) and for G2, phenylbutazone (18%). Non-selective NSAIDs are the most recommended by veterinarians and sellers of agricultural stores in Northeast Brazil for the treatment of locomotor and digestive disorders in horses, while selective inhibitors for COX-2 are still little recommended, with meloxicam being the most mentioned by interviewees, which guided us to the development of the third chapter of the thesis. For the third chapter, a study was carried out to assess the adverse effects of prolonged use of meloxicam in healthy horses. A paired test was carried out using 7 horses, which received a dose of 0.6 mg/kg of meloxicam paste, orally, once a day, for 28 days, and evaluated the clinical, hematological, biochemical, time test parameters. bleeding, gastroscopy (assessed at five times: M0, M7, M14, M21 and M28) and electrocardiogram (at three times: M0, M14 and M28). No relevant adverse effects were observed in animals under the circumstances of the study. Although COX-2 inhibitory NSAIDs are proposed as safe, they have relevant adverse effects, especially if used in overdoses and for a long time. The traditional NSAIDs phenylbutazone, flunixin meglumine and dipyrone are the most prescribed anti-inflammatory drugs by veterinarians and agricultural store vendors in northeastern Brazil, while meloxicam is the most recommended COX-2 inhibitor. Control measures in the sale of NSAIDs, as well as guidance to horse professionals are necessary. The use of meloxicam for 28 days did not cause adverse effects of clinical importance on the evaluated parameters.

2.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-200224

Resumo

As enfermidades infecciosas e metabólicas dos pequenos ruminantes são grandes entraves para uma produção sustentável, principalmente a nível de nordeste. Dentre essas enfermidades, podemos destacar a mastite, principalmente nos rebanhos leiteiros e a deficiência de vitamina E e Selênio, acometendo principalmente os animais de corte. Esta dissertação foi dividida em dois capítulos. O primeiro foi submetido ao Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia caracterizando os aspectos clínicos e epidemiológicos da mastite caprina no Estado da Paraíba, Nordeste do Brasil. Nas mastites subclínicas, a correlação do CMT com o isolamento microbiano, a identificação dos patógenos, a idade de maior susceptibilidade à infecção, a persistência desta durante a lactação e testes de sensibilidade in vitro aos fármacos foram avaliados. Um total de 1990 amostras de leite foi submetida ao CMT, isolamento microbiano, exames bacterioscópicos e provas de identificação. O CMT apresentou correlação fraca com o isolamento microbiano. Foram identificadas 12,41% de infecções intramamárias e 248 isolamentos bacterianos com predominância de Staphylococcus spp. Nos casos de mastite clínica foram coletadas 85 amostras de leite, o que resultou em 34 isolamentos com predominância de Staphylococcus spp (44,11%) e Trueperella pyogenes (23,52%). Os maiores índices de resistência na mastite subclínica foram para penicilina (62,61%), tetraciclina (23,53%) e oxacilina (19,75%); nas mastites clínicas as maiores resistências foram para penicilina (40%) e oxacilina (13,33%). O segundo artigo foi submetido à Revista Ciência Rural, onde foi relatado um surto de deficiência de vitamina E e selênio em ovinos criados a pasto na região agreste da Paraíba, no município de Queimadas. Foi realizado exame clínico dos doentes e um animal que estava moribundo, foi eutanasiado e necropsiado. Os achados nos músculos esqueléticos são compatíveis com as características observadas na miopatia nutricional, caracterizadas por necrose e calcificação de miofibrilas. Foi verificada vasculite necrosante em arteríolas hepáticas e necrose hepatocelular de coagulação em hepatócitos, provavelmente desencadeadas pela peroxidação lipídica de membranas celulares. Foram tomadas medidas terapêuticas com suplementação mineral adequada para a espécie ovina o que promoveu melhora clínica dos animais que não apresentaram ainda decúbito esternal permanente. É de suma importância o estudo das doenças infecciosas e minerais no nordeste, pois essas representam um fator limitante na criação em pequenos ruminantes.


Infectious and metabolic diseases of small ruminants are major obstacles to sustainable production, mainly in northeast. Among these diseases, we can highlight the mastitis, mainly in dairy herds and vitamin E deficiency and Selenium, affecting mainly the slaughter of animals. This work was divided into two chapters. The first was submitted to the Brazilian Journal of Veterinary Medicine and Animal Sciencecharacterizing the clinical and epidemiological aspects of goat mastitis in the state of Paraíba, Northeast Brazil. In the subclinical mastitis, the correlation with the CMT with isolation microbial, the identification of pathogens, the age of increased susceptibility to infection, the persistence of this during lactation and in sensitivity tests to drugs was evaluated in vitro. A total of 1990 samples of milk was subjected to the CMT, microbial isolation, bacterioscopic examination and identification tests. The CMT had a weak correlation with the microbial isolation. Were identified 12.41% of mammary infections and 248 bacterial isolates with a predominance of Staphylococcus spp.. In cases of clinical mastitis were collected 85 milk samples, which resulted in 34 isolates with a predominance of Staphylococcus spp. (44.11%) and Trueperella pyogenes (23,52%). The highest resistance rates in subclinical mastitis were to penicillin (62.61%), tetracycline (23.53%) and oxacillin (19.75%); in clinical mastitis have the greatest resistance to penicillin (40%) and oxacillin (13.33%). The second paper was submitted to the journal Rural Science, where a deficiency of vitamin E and selenium outbreak in sheep raised on pasture in the wild country of Paraíba was reported in the municipality of Queimadas. We performed clinical examination of patients and an animal that was dying, was euthanized and necropsied. The findings in skeletal muscles are compatible with the characteristics observed in the nutritional myopathy, characterized by necrosis and calcification of myofibrils. Was verified necrotizing vasculitis in hepatic arterioles and hepatocellular coagulation necrosis of hepatocytes, probably triggered by lipid peroxidation of cell membranes. Therapeutic measures were taken with adequate mineral supplementation for the sheep that clinical improvement of the animals that did not show even permanent sternal recumbency. It is extremely important the study of infectious diseases in the northeast and minerals, as these are a limiting factor in the creation in small ruminants.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA