Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. bras. parasitol. vet ; 30(3): e006621, 2021. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1288698

Resumo

Abstract The aim of this study was to investigate the level of exposure to Leishmania infection in stray dogs in an area of intense visceral leishmaniasis transmission in the state of Pernambuco, Brazil. Blood samples from 178 dogs were analyzed using serological and molecular assays: rapid immunochromatographic test (ICT), enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA), immunofluorescence antibody test (IFAT), and conventional and quantitative polymerase chain reaction (cPCR and qPCR). Positivity values obtained with serological tests were 71.4% (127/178), 70.2% (125/178), and 50.6% (90/178) using ICT, ELISA, and IFAT, respectively, with 38.8% (69/178) of the dogs were simultaneously positive for all three tests. The positivity values obtained with cPCR and qPCR were 20.2% (36/178) and 38.8% (69/178), respectively, with 11.8% (21/178) testing positive in both molecular assays. Overall, 87.1% (155/178) were positive for anti-Leishmania spp. antibodies and/or Leishmania spp. DNA. Positivity to one or more tests was statistically associated with lymphadenomegaly, skin lesions, lymphocytosis, anemia and hyperproteinemia. The results of this study revealed a high level of exposure to Leishmania in stray dogs in an area of intense human visceral leishmaniasis transmission, suggesting that dogs play a role as reservoirs in the transmission cycle of this zoonosis.


Resumo O objetivo deste estudo foi investigar o nível de exposição à infecção por Leishmania em cães errantes de uma área de transmissão intensa de leishmaniose visceral no estado de Pernambuco. Amostras de sangue de 178 cães foram avaliadas por testes sorológicos e moleculares: teste imunocromatográfico (IC), ensaio imunoenzimático (ELISA), teste de imunofluorescência de anticorpos (RIFI), reação em cadeia da polimerase convencional e quantitativa (cPCR e qPCR). Os valores de positividade obtidos com os testes sorológicos foram 71,4% (127/178), 70,2% (125/178) e 50,6% (90/178) com IC, ELISA e RIFI, respectivamente. E com 38,8% (69/178) dos cães mostraram-se simultaneamente positivos aos três testes. Os valores de positividade obtidos por cPCR e qPCR foram 20,2% (36/178) e 38,8% (69/178), respectivamente. E com 11,8% (21/178) dos cães foram positivos em ambos os testes moleculares. No geral, 87,1% (155/178) foram positivos para anticorpos anti-Leishmania spp. e/ou material genético de Leishmania spp. A positividade a um ou mais testes foi estatisticamente associada à linfonodomegalia, lesões cutâneas, linfocitose, anemia e hiperproteinemia. Os resultados do estudo revelam um alto nível de exposição à Leishmania spp. em cães errantes em uma área de transmissão intensa de leishmaniose visceral humana, sugerindo que eles podem desempenhar um papel como reservatórios no ciclo de transmissão dessa zoonose.


Assuntos
Humanos , Animais , Cães , Leishmaniose/veterinária , Leishmania infantum/genética , Doenças do Cão/diagnóstico , Doenças do Cão/epidemiologia , Leishmania/genética , Leishmaniose Visceral/diagnóstico , Brasil/epidemiologia , Ensaio de Imunoadsorção Enzimática/veterinária , Leishmaniose Visceral/veterinária , Leishmaniose Visceral/epidemiologia
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA