Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 11 de 11
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-441887

Resumo

The erythrocytic-stage surface protein, Equi Merozoite Antigen 1 (EMA-1), is a major candidate for the development of a diagnostic antigen for equine piroplasmosis. In order to establish an effective diagnostic method for practical use, the gene encoding the entire EMA-1 of Theileria equi Jaboticabal strain was cloned and expressed in Escherichia coli as a histidine-tagged protein (His6-EMA1). The expressed EMA-1 reacted with specific antibodies in Western blot and had an apparent molecular mass of 34 kDa which was largely consistent with its theoretical value. The nucleotide sequence of the EMA-1 gene of Jaboticabal strain was comparatively analyzed with other published sequences. The results indicated a high degree of homology with EMA-1 genes of all other strains isolated from various countries. The recombinant purified His6-EMA1 protein was tested in an enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) for the detection of antibodies anti-T. equi in horses. The ELISA clearly differentiated T. equi-infected from Babesia caballi-infected horse sera or normal horse sera. Field serum samples collected from horses in the State of São Paulo, Southeastern Brazil, were examined for the diagnosis of T. equi infection by ELISA. Of 170 samples analyzed, 95.88% (163/170) were positive for T. equi infection. These results suggest that the His6-EMA1 protein expressed in E. coli could be a reliable immunodiagnostic antigen for ELISA test and that T. equi infection is a serious concern in the State of São Paulo, Brazil.


A proteína de superfície eritrocitária, Antígeno 1 do Merozoíta de Theileria equi (EMA-1), é um potencial candidato para o desenvolvimento de antígenos de valor diagnóstico para a piroplasmose equina. Com o objetivo de estabelecer um método de diagnóstico efetivo e prático, o gene EMA-1 da amostra Jaboticabal - SP de T. equi foi clonado e expresso em Escherichia coli contendo uma cauda de poli-histidina (His6-EMA1). O EMA-1 expresso reagiu com anticorpos específicos no Western blot e apresentou peso molecular aparente de 34 kDa, sendo altamente consistente com seu valor teórico. A sequência nucleotídica do gene EMA-1 da amostra Jaboticabal foi analisado comparativamente com outras sequências públicas, e os resultados indicam elevado grau de homologia com amostras de diversos países. A proteína recombinante purificada His6-EMA1 foi testada no ensaio imunoenzimático (ELISA) para a detecção de anticorpos anti-T. equi em equinos. O teste de ELISA diferenciou-se claramente entre soros de equinos infectados por T. equi, soros de animais infectados por Babesia caballi e soro normal de equino. Amostras de soros coletadas de equinos do Estado de São Paulo, sudeste do Brasil, foram examinadas para o diagnóstico da infecção por T. equi pelo ELISA. Das 170 amostras analisadas, 95,88% (163/170) foram positivas para T. equi. Os resultados sugerem que a proteína His6-EMA1 expressa em E. coli pode ser um antígeno confiável para diagnóstico imunológico pelo teste de ELISA, e que T. equi merece grande atenção no Estado de São Paulo.

2.
Ci. Rural ; 41(1)2011.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-707137

Resumo

The life cycle of Argas (Persicargas) miniatus in adult stage was studied in controlled conditions (27±1°C and 80±10% RH) and uncontrolled temperature and humidity conditions (room conditions during wet and dry season). Males originated preferentially from N2 and females from N3. Females in controlled conditions laid eggs up to 18 times, while females in uncontrolled room conditions, during wet and dry seasons, laid eggs 9 to 12 times, respectively. In controlled conditions, females laid 1350 eggs, whereas in uncontrolled conditions females laid 443 eggs during the wet season and 894 eggs during the dry season. Male ticks survived without feeding for 165 days in controlled conditions and 135 days in uncontrolled conditions, while females survived for 300 days in controlled conditions and 240 days in uncontrolled conditions. In ambient conditions, biological parameters of Argas (Persicargas) miniatus adult stage were negatively affected especially during the wet season when compared with adult stage kept in controlled condition.


Os parâmetros do ciclo biológico de Argas (Persicargas) miniatus, fase adulta, foram estudados em condições controladas (27±1°C e 80±10% UR) e em condições ambientais não controladas (ambiente de laboratório nas estações chuvosa e seca). Nessas condições, os machos se originaram preferencialmente de N2 e as fêmeas de N3. As fêmeas realizaram até 18 posturas (em condições controladas), enquanto que as fêmeas mantidas nas estações chuvosa e seca realizaram até 9 e 12 posturas, respectivamente. O número total de ovos foi 1350 (em condições controladas), 443 ovos na estação chuvosa e 894 ovos na estação seca. Em jejum, os carrapatos machos sobreviveram por 165 dias (condições controladas) e 135 dias em ambiente de laboratório; as fêmeas sobreviveram por 300 dias em condições controladas e 240 dias no ambiente de laboratório. Nas condições ambientais não controladas, os parâmetros biológicos do estágio adulto de Argas (Persicargas) miniatus sofreram alterações negativas, principalmente durante a estação chuvosa.

3.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1478369

Resumo

The life cycle of Argas (Persicargas) miniatus in adult stage was studied in controlled conditions (27±1°C and 80±10% RH) and uncontrolled temperature and humidity conditions (room conditions during wet and dry season). Males originated preferentially from N2 and females from N3. Females in controlled conditions laid eggs up to 18 times, while females in uncontrolled room conditions, during wet and dry seasons, laid eggs 9 to 12 times, respectively. In controlled conditions, females laid 1350 eggs, whereas in uncontrolled conditions females laid 443 eggs during the wet season and 894 eggs during the dry season. Male ticks survived without feeding for 165 days in controlled conditions and 135 days in uncontrolled conditions, while females survived for 300 days in controlled conditions and 240 days in uncontrolled conditions. In ambient conditions, biological parameters of Argas (Persicargas) miniatus adult stage were negatively affected especially during the wet season when compared with adult stage kept in controlled condition.


Os parâmetros do ciclo biológico de Argas (Persicargas) miniatus, fase adulta, foram estudados em condições controladas (27±1°C e 80±10% UR) e em condições ambientais não controladas (ambiente de laboratório nas estações chuvosa e seca). Nessas condições, os machos se originaram preferencialmente de N2 e as fêmeas de N3. As fêmeas realizaram até 18 posturas (em condições controladas), enquanto que as fêmeas mantidas nas estações chuvosa e seca realizaram até 9 e 12 posturas, respectivamente. O número total de ovos foi 1350 (em condições controladas), 443 ovos na estação chuvosa e 894 ovos na estação seca. Em jejum, os carrapatos machos sobreviveram por 165 dias (condições controladas) e 135 dias em ambiente de laboratório; as fêmeas sobreviveram por 300 dias em condições controladas e 240 dias no ambiente de laboratório. Nas condições ambientais não controladas, os parâmetros biológicos do estágio adulto de Argas (Persicargas) miniatus sofreram alterações negativas, principalmente durante a estação chuvosa.

4.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-441885

Resumo

Visceral leishmaniasis (VL) is a widely spread zoonotic disease. In Brazil the disease is caused by Leishmania (Leishmania) infantum chagasi. Peridomestic sandflies acquire the etiological agent by feeding on blood of infected reservoir animals, such as dogs or wildlife. The disease is endemic in Brazil and epidemic foci have been reported in densely populated cities all over the country. Many clinical features of Leishmania infection are related to the host-parasite relationship, and many candidate virulence factors in parasites that cause VL have been studied such as A2 genes. The A2 gene was first isolated in 1994 and then in 2005 three new alleles were described in Leishmania (Leishmania) infantum. In the present study we amplified by polymerase chain reaction (PCR) and sequenced the A2 gene from the genome of a clonal population of L. (L.) infantum chagasi VL parasites. The L. (L.) infantum chagasi A2 gene was amplified, cloned, and sequenced in. The amplified fragment showed approximately 90% similarity with another A2 allele amplified in Leishmania (Leishmania) donovani and in L.(L.) infantum described in literature. However, nucleotide translation shows differences in protein amino acid sequence, which may be essential to determine the variability of A2 genes in the species of the L. (L.) donovani complex and represents an additional tool to help understanding the role this gene family may have in establishing virulence and immunity in visceral leishmaniasis. This knowledge is important for the development of more accurate diagnostic tests and effective tools for disease control.


A leishmaniose visceral (LV) é uma zoonose amplamente disseminada, causada no Brasil pela Leishmania (Leishmania) infantum chagasi. Flebotomíneos vetores adquirem o agente etiológico, alimentando-se do sangue de animais contaminados, como cachorros ou animais selvagens. A doença é endêmica no Brasil, e focos de epidemia são relatados em cidades densamente povoadas por todo o país. Muitas manifestações clínicas relacionadas à infecção por Leishmania estão ligadas à relação parasito-hospedeiro, e vários possíveis fatores de virulência dos parasitas, que causam a LV, são alvos de estudo, tais como os genes A2. O gene A2 foi isolado pela primeira vez em 1994 e, em seguida, em 2005, três novos alelos foram descritos em Leishmania (Leishmania) infantum. No presente estudo, um fragmento do gene A2 de uma população clonal de L.(L.) infantum chagasi foi amplificado por PCR e sua sequência de nucleotídeos determinada. O fragmento mostrou 90% de similaridade com alelos do gene A2 de Leishmania (Leishmania) donovani e de L. (L.) infantum, descritos na literatura. Entretanto, a tradução da sequência de nucleotídeos mostra diferenças na sequência de aminoácidos da proteína, que podem ser essenciais em determinar a variabilidade do gene A2 em espécies do complexo L. (L.) donovani e representa uma ferramenta adicional na compreenssão do papel dessa família de genes na virulência e imunidade da leishmaniose visceral. O conhecimento dessa variação é importante para o desenvolvimento de testes diagnósticos mais precisos e ferramentas mais eficazes no controle da doença.

5.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-441865

Resumo

Blood and serum samples from 170 horses raised in the Jaboticabal microregion, São Paulo State, Brazil, were collected and tested by microscopic examination of blood smears, indirect fluorescent antibody test (IFAT) and nested polymerase chain reaction (nPCR) for Theileria equi infections. The association among the test results was verified by the McNemar test. During the examination of thin blood smears, parasites were detected in six (3.52%) horses. Anti-T. equi antibodies were detected in 100% sera samples, with titers ranging between 1:80 and 1:5120. The nPCR based on the T. equi merozoite antigen gene (EMA-1) allowed the visualization of specie-specific amplified product in 108 (63.53%) horses. All six samples judged positive microscopically were also positive for nPCR. Statistical analysis indicated general disagreement (p 0.0001) between IFAT and nPCR; IFAT and blood smear; and nPCR and blood smear on the detection of parasite carriers. The results of the present study indicate that T. equi is widely spread among horses in the Jaboticabal microregion, Northeast region of São Paulo State, Brazil.


Amostras de sangue e soro de 170 equinos criados na microrregião de Jaboticabal, Estado de São Paulo, Brasil, foram coletadas e avaliadas pelo exame direto em esfregaço sanguíneo, reação de imunofluorescência indireta (RIFI) e nested reação em cadeia da polimerase (nPCR) para a detecção de infecções por Theileria equi. A concordância dos resultados entre os testes de diagnóstico foi verificada pelo teste de McNemar. Durante o exame dos esfregaços sanguíneos, parasitos foram detectados em seis (3,52%) equinos. Anticorpos anti-T. equi foram detectados em 100% das amostras de soros, com títulos variando entre 1:80 e 1:5120. O nPCR, baseado na sequência do gene do antígeno de merozoíto de T. equi (EMA-1), permitiu a visualização de produtos de amplificação espécie-específico em 108 (63,53%) equinos. Houve diferença altamente significativa (p 0,0001) entre RIFI e nPCR; RIFI e esfregaço sanguíneo; e nPCR e esfregaço na detecção do parasito. O resultado do presente estudo indica que a infecção por T. equi está amplamente distribuída entre os equinos na microrregião de Jaboticabal, região Nordeste do Estado de São Paulo, Brasil.

6.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-441846

Resumo

Ehrlichiosis is a zoonotic disease caused by gram-negative and intracellular obligatory bacterial organisms. Equine Granulocytic Anaplasmosis - EGA (formerly Equine Granulocytic Ehrlichiosis, EGE) is a seasonal disease, normally self-limited in horses. There are few reports in Brazil about this ehrlichial agent, as well as its natural vectors. Nowadays, veterinarians are considering the suspicion of EGA in horses with suggestive symptoms of ehrlichiosis and which do not respond to piroplasmosis treatment. The aim of the present study was to identify horses exposed to the agent A. phagocytophilum by serological and molecular techniques. Twenty equine blood and serum samples from the central West region of Brazil were evaluated by microscopic examination of buffy coat smear, enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA), indirect fluorescent antibody test (IFAT) and nested polymerase chain reaction (nPCR). Additionally, the serodiagnosis of Theileria equi by IFA and ELISA were carried out, as well as molecular diagnosis by nPCR. Thirteen (65%) serum samples were positive for A. phagocytophilum by ELISA, but none of them were positive by buffy-coat smear examination or nPCR. Antibodies IgG anti-T. equi were detected in 18 (90%) and 17 (85%) horses by IFA and ELISA, respectively and the agent was detected in 9 (45%) animals by nPCR. Our data may be considered as important information to understanding the occurrence of EGA and equine piroplasmosis in central West Brazil.


A Erliquiose é uma doença zoonótica causada por bactérias gram-negativas e intracelulares obrigatórias. A Anaplasmose Granulocítica Equina - AGE (anteriormente denominada Erliquiose Granulocítica Equina, EGE) é uma enfermidade sazonal, normalmente auto-limitante em equinos. No Brasil, existem poucos relatos deste agente erliquial, bem como de seus vetores naturais. Atualmente, veterinários têm levantado a suspeita de casos de AGE em equinos com sinais clínicos sugestivos de erliquiose e não responsivos ao tratamento para a piroplasmose equina. O objetivo do presente estudo foi identificar equinos expostos a A. phagocytophilum por meio de técnicas sorológicas e moleculares. Vinte amostras de sangue e soro de equinos da região Centro-oeste do Brasil foram avaliados por meio do exame microscópico de capa leucocitária, ensaio imunoenzimático indireto (ELISA), reação de imunofluorescência indireta (RIFI) e reação em cadeia da polimerase (nested PCR). Adicionalmente, o diagnóstico sorológico de Theileria equi pela RIFI e ELISA foram realizados, assim como o diagnóstico molecular pelo nPCR. Treze (65%) amostras de soro foram positivas para A. phagocytophilum pelo teste de ELISA, entretanto nenhum equino foi positivo pelo exame microscópico da capa leucocitária ou nPCR. Anticorpos IgG anti-T. equi foram detectados em 18 (90%) e 17 (85%) equinos pela RIFI e ELISA, respectivamente e o agente foi detectado em 9 (45%) animais pelo nPCR. Estes dados sugerem importante informação para o entendimento da ocorrência da AGE e piroplasmose equina no Centro-oeste do Brasil.

7.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-441831

Resumo

The aim of this study was to optimize a PCR assay that amplifies an 843 pb fragment from the p28 gene of Ehrlichia canis and compare it with two other PCR methods used to amplify portions of the 16S rRNA and dsb genes of Ehrlichia. Blood samples were collected from dogs suspected of having a positive diagnosis for canine ehrlichiosis. Amplification of the p28 gene by PCR produced an 843-bp fragment and this assay could detect DNA from one gene copy among 1 billion cells. All positive samples detected by the p28-based PCR were also positive by the 16S rRNA nested-PCR and also by the dsb-based PCR. Among the p28-based PCR negative samples, 55.3% were co-negatives, but 27.6% were positive in 16S rRNA and dsb based PCR assays. The p28-based PCR seems to be a useful test for the molecular detection of E. canis, however improvements in this PCR sensitivity are desired, so that it can become an important alternative in the diagnosis of canine ehrlichiosis.


O objetivo deste estudo foi aperfeiçoar um ensaio de PCR que amplificasse um fragmento de 843 pares de bases do gene p28 da Ehrlichia canis e compará-lo com outros dois métodos de PCR utilizados para amplificar partes do gene 16S rRNA e dsb do gênero Ehrlichia. Amostras sanguíneas foram colhidas de cães com diagnóstico clínico de erliquiose. A amplificação do gene p28 pela PCR produziu um fragmento de 843pb e esse ensaio permitiu a detecção do DNA de um parasita dentre 1 bilhão de células. Todas as amostras positivas detectadas pela PCR baseada no gene p28 foram também positivas pela nested PCR para detecção do gene 16S rRNA e também pela PCR dsb. Dentre as amostras negativas para a PCR p28, 55,3% foram co-negativas, mas 27,6% foram positivas pela PCR baseada nos genes 16S rRNA e dsb. A PCR p28 parece ser um teste útil para detecção molecular de E. canis, entretanto otimizações na sensibilidade nesta PCR são necessárias, para que esta técnica se torne uma importante alternativa no diagnóstico da erliquiose canina.

8.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-441851

Resumo

The current study investigated the biology of nymphs of the first and second instars of Argas (Persicargas) miniatus. Nymphs were deprived of food for 15, 30 or 60 days and held at 27 ± 1 ºC and 80 ± 10% relative humidity (controlled conditions) or at room conditions of temperature and relative humidity. Nymphs of first instar deprived of food for 15 or 30 days molted to second and third instars in both controlled and room conditions. Nymphs of the first instar deprived of food for 60 days had 28 and 37% mortality in controlled and room conditions, respectively; and survivors did not attach to the host. Nymphs of the second instar, deprived of food for 60 days, molted either to the third instar or to males after feeding on Gallus gallus, and the nymphs of the third instar developed to adults (42.42% males and 36.36% females when nymphs were held in controlled temperature and humidity conditions, and 40.54% males and 48.65% females when nymphs were held in room conditions). The remainder of the nymphs molted to the fourth instar and then molted to females. In conclusion, the nymphal starvation period of 60 days determined the number of nymph instars in the life cycle of A. miniatus under the experimental conditions studied.


Os aspectos biológicos de ninfas de primeiro e segundo instares de Argas (Persicargas) miniatus quando submetidas a diferentes períodos de jejum (15, 30 e 60 dias), foram estudados em estufa climatizada (27 ± 1 ºC e 80 ± 10% de umidade relativa) e em ambiente de laboratório. Ninfas de primeiro instar que foram submetidas a um período de jejum de 15 e 30 dias mudaram para ninfas de segundo e terceiro instar, em ambas as condições estudadas. No período de 60 dias de jejum verificou-se mortalidade de 28 e 37% das ninfas de primeiro instar, em estufa climatizada e em ambiente de laboratório, respectivamente. As ninfas sobreviventes não se fixaram sobre os hospedeiros. As ninfas de segundo instar, após 60 dias de jejum, desenvolveram-se em ninfas de terceiro instar ou machos, quando alimentadas em Gallus gallus. Ainda neste grupo, as ninfas de terceiro instar mudaram para adultos (42,42 e 40,54% machos; 36,36 e 48,65% fêmeas, nas condições ambiente de laboratório e estufa climatizada, respectivamente) e o restante desenvolveu-se em ninfas de quarto instar que por sua vez mudaram para fêmeas. Então, a situação de jejum (60 dias) em que as ninfas foram submetidas determinou o número de ninfas no ciclo biológico de A. miniatus, sob as condições experimentais estudadas.

9.
Ci. Rural ; 34(5)2004.
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-704531

Resumo

A crude antigenic preparation of Babesia equi was used to develop and establish the suitability of an enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) for the detection of parasite carriers. Optimal dilutions of the antigen, using positive and negative reference sera, were determined by checkboard titrations. The specificity and sensitivity of the ELISA were 100 %. A total of 90 serum samples were taken from horses from the Northeast region of São Paulo State and examined for diagnosis of equine B. equi infection by ELISA. Approximately 75% (n=67) of all the horses tested were found serologically positive for B. equi. These results suggest that the ELISA described may prove to be an appropriate serological test for epidemiological studies on B. equi infections in the field and that equine piroplasmosis is a cause for serious concern in the State of São Paulo, Brazil.


Um ensaio de imunoadsorção enzimática (ELISA) baseado em antígeno bruto de Babesia equi foi desenvolvido para a detecção de portadores crônicos de babesiose eqüina. As diluições ótimas do antígeno e dos soros controles positivo e negativo foram determinadas através de titulação em bloco. A sensibilidade e especificidade do teste foram de 100%. O ELISA foi empregado em 90 soros de eqüinos da região Nordeste do Estado de São Paulo, de modo que aproximadamente 75% (n=67) dos eqüinos foram positivos para B. equi. Estes resultados sugerem que o ELISA descrito pode ser utilizado no diagnóstico sorológico de B. equi e que a piroplasmose eqüina é um problema sério no Estado de São Paulo, Brasil.

10.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1476312

Resumo

A crude antigenic preparation of Babesia equi was used to develop and establish the suitability of an enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) for the detection of parasite carriers. Optimal dilutions of the antigen, using positive and negative reference sera, were determined by checkboard titrations. The specificity and sensitivity of the ELISA were 100 %. A total of 90 serum samples were taken from horses from the Northeast region of São Paulo State and examined for diagnosis of equine B. equi infection by ELISA. Approximately 75% (n=67) of all the horses tested were found serologically positive for B. equi. These results suggest that the ELISA described may prove to be an appropriate serological test for epidemiological studies on B. equi infections in the field and that equine piroplasmosis is a cause for serious concern in the State of São Paulo, Brazil.


Um ensaio de imunoadsorção enzimática (ELISA) baseado em antígeno bruto de Babesia equi foi desenvolvido para a detecção de portadores crônicos de babesiose eqüina. As diluições ótimas do antígeno e dos soros controles positivo e negativo foram determinadas através de titulação em bloco. A sensibilidade e especificidade do teste foram de 100%. O ELISA foi empregado em 90 soros de eqüinos da região Nordeste do Estado de São Paulo, de modo que aproximadamente 75% (n=67) dos eqüinos foram positivos para B. equi. Estes resultados sugerem que o ELISA descrito pode ser utilizado no diagnóstico sorológico de B. equi e que a piroplasmose eqüina é um problema sério no Estado de São Paulo, Brasil.

11.
Acta Vet. bras. ; 6(1): 17-22, 2012.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-722089

Resumo

Com o aumento das exigências dos consumidores por produtos de qualidade e que garantam a inocuidade do mesmo, o processo de rotulagem juntamente com a rastreabilidade passaram a ser uma forma de garantir ao consumidor informações adequadas e pertinentes ao produto industrializado. E, para que estas informações estejam corretas é necessário o entendimento da legislação em vigor que regulamenta estes processos. Assim, o objetivo do presente estudo foi compilar as principais etapas necessárias para a rastreabilidade e rotulagem de produtos de origem bovina.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA