Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 61
Filtrar
1.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 32(4): 90-105, out.-dez. 2022. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1434902

Resumo

O objetivo deste trabalho foifornecer uma visão geral dos mecanismos inflamatórios envolvidos no processo da obesidade, com enfoque nas respostas imunes pró-inflamatórias e no papel das adipocinas nas reações inflamatórias, em humanos e animais, bem como a correlação com a espécie felina. A obesidade é considerada uma doença endócrina cada vez mais prevalente na espécie felina, causada por uma desordem nutricional de balanço energético negativo. É definida como um acúmulo excessivo de tecido adiposo que afeta negativamente a saúde do animal e está associada à diminuição da expectativa de vida, sendo que as causas que a desencadeiam são multifatoriais, sendo atreladas a diversos fatores genéticos e ambientais. O tecido adiposo é um órgão endócrino que participa ativamente do metabolismo energético e concentra fatores hormonais que são secretados pelos adipócitos, os quais modulam o metabolismo e exercem capacidade de envolver diretamente as respostas imunes inatas e adaptativas por meio da atividade dos principais tipos celulares, incluindo adipócitos e macrófagos responsáveis pela ativação e liberação de citocinas que afetam a função fisiológica normal, influenciando no desenvolvimento da inflamação crônica. A produção alterada de adipocinas na obesidade tem sido envolvida na fisiopatologia de diversos grupos de doenças e tem sido relatada sua possível contribuição para o desenvolvimento de resistência insulínica e diabetes mellitus. Apesar do incompleto compreendimento dos fatores desencadeantes da inflamação no tecido adiposo de gatos, sugere-se que estejam envolvidos aspectos associados à disfunção mitocondrial, hipóxia ou, ainda, que estejam associados fatores intrínsecos do adipócito.


This study aimed to provide an overview of the inflammatory mechanisms involved in the obesity process focusing on pro-inflammatory immune responses and the role of adipokines in inflammatory reactionsm in animals and humans, as well as the correlation with the feline specie. Obesity is considered an increasingly prevalent endocrine disease in feline species, caused by a nutritional disorder with negative energy balance. It is defined as an excessive accumulation of adipose tissue that negatively affects the animal's health and is associated with a decrease in life expectancy and as triggering causes are multifactorial, being linked to several genetic and environmental factors. Adipose tissue is an endocrine organ that actively participates in energy metabolism and concentrates hormonal factors that are secreted by adipocytes, which modulate metabolism and exert the ability to directly involve innate and adaptive immune responses through the activity of the main cell types, including adipocytes and macrophages responsible for the activation and release of cytokines that affect normal physiological function, influencing the development of chronic inflammation. The altered production of adipokines in obesity has been implicated in the pathophysiology of several groups of diseases and their possible contribution to the development of insulin resistance and diabetes mellitus. Despite the incomplete understanding of the triggering factors of inflammation in the adipose tissue of cats, it is suggested that aspects associated with mitochondrial dysfunction, hypoxia, or even intrinsic factors of the adipocyte are involved.


Assuntos
Animais , Gatos , Doenças do Gato/imunologia , Adipócitos , Inflamação/veterinária , Obesidade/veterinária
2.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 31(3): 155-171, 2021. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1369132

Resumo

As miocardiopatias são as cardiopatias mais comumente diagnosticadas em felinos domésticos. A cardiomiopatia hipertrófica (CMH) soma a maioria dos casos de cardiomiopatias em pacientes atendidos na rotina da medicina interna de felinos. Gatos com doenças cardíacas podem não apresentar manifestações clínicas evidentes podendo apresentar sinais sutis de insuficiência cardíaca (IC) ao longo do tempo de modo que em um dado momento descompensam e evidenciam sinais clínicos. O pimobendan é um fármaco denominado inodilatador devido a sua capacidade de promover inotropismo positivo e vasodilatação. Apesar de escassos, os estudos existentes com a utilização de pimobendan demonstram boa tolerância em gatos saudáveis e com cardiopatias diversas. Atualmente, o uso do pimobendan em gatos é extra bula e a dose baseia-se em estudos realizados com cães. No entanto, sabe-se que as concentrações plasmáticas diferem entre as espécies o que pode requerer possíveis ajustes. A terapia da IC em gatos é bastante discutida e evidências recentes demonstram que o pimobendan pode ser um aliado no tratamento de diversas doenças cardíacas que levem à disfunção sistólica sendo capaz de prover melhora dos sinais clínicos e até aumento da expectativa de vida desses pacientes. Contudo, pesquisas são necessárias para melhor entendimento dos efeitos hemodinâmicos do medicamento em gatos com disfunção diastólica.


Myocardiopathies are the most diagnosed heart disease in domestic cats. Hypertrophic cardiomyopathy (HCM) adds up to most cases of cardiomyopathies in patients seen in the routine of feline internal medicine. Cats with heart disease may not have evident clinical manifestations and may show subtle signs of heart failure (HF) over time so that at a given moment they decompensate and show clinical symptoms. Pimobendan is an inodilator drug due to its ability to promote positive inotropism and vasodilation. Although scarce, the existing studies with the use of pimobendan demonstrate good tolerance in healthy cats with various heart diseases. Currently, the use of pimobendan in cats is off-label and the dose is based on studies conducted in dogs. However, it is known that plasma concentrations differ between species, which may require possible adjustments. The therapy of HF in cats is widely discussed and recent evidence shows that pimobendan can be an ally in the treatment of various heart diseases that lead to systolic dysfunction, being able to provide improvement in clinical signs and even increase the life expectancy of these patients. However, research is necessary to better understand the hemodynamic effects of the drug in cats with diastolic dysfunction.


Assuntos
Animais , Gatos , Cardiotônicos/análise , Cardiotônicos/uso terapêutico , Insuficiência Cardíaca/tratamento farmacológico , Insuficiência Cardíaca/veterinária , Cardiomiopatias/tratamento farmacológico , Cardiomiopatias/veterinária
3.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 31(4): 92-106, 2021. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1369395

Resumo

A hipertensão arterial sistólica é frequentemente reconhecida na prática clínica da medicina interna felina, sendo um problema comum em gatos mais velhos. Esta enfermidade é, costumeiramente, secundária a outras doenças, tais como, doença renal crônica e hipertireoidismo. No entanto, em alguns pacientes a causa subjacente não é identificada, portanto denominada de hipertensão idiopática. Elevações na pressão arterial, de forma sustentada ou não, podem levar a danos em diversos órgãos como, cérebro, olhos, coração e rins. Essas injúrias são denominadas de lesão de órgãos-alvo. Pressão arterial sistêmica acima de 160mmHg possue risco moderado a grave de dano aos órgãos-alvo. Desta maneira, o tratamento procura idealmente atingir riscos de dano mínimos. Alguns fármacos podem ser utilizados como terapia anti-hipertensiva, dentre elas, a amlodipina, um bloqueador de canal de cálcio, que é o medicamento de primeira escolha para tratamento em gatos. Além disso, é de extrema importância o diagnóstico de doenças que possam gerar o quadro hipertensivo ou estar em associação para que desta forma seja possível um controle adequado da pressão arterial. O diagnóstico precoce da doença é fundamental pois auxilia reduzir as chances de lesão nos órgãos-alvo, e consequentemente, reduz a mortalidade e melhora a qualidade de vida dos pacientes.


Systolic arterial hypertension is often recognized in the clinical practice of feline internal medicine and is a common problem in older cats. This disease is usually secondary to other diseases, such as chronic kidney disease and hyperthyroidism. However, in some patients the underlying cause is not identified, therefore called idiopathic hypertension. Elevations in blood pressure, whether sustained or not, can cause damage to various organs such as the brain, eyes, heart and kidneys. These injuries are called target organ damage. Systemic blood pressure above 160mmHg has a moderate to severe risk of damage to target organs. In this way, the treatment ideally seeks to achieve risks of cognitive damage. Pharmacological substances can be used as antihypertensive therapy, among them, an amlodipine, a calcium channel blocker, which is the drug of choice for treatment in cats. In addition, it is extremely important to diagnose diseases that cause hypertension or to be associated with it, so that this form of blood pressure is adequate. Early diagnosis of the disease is essential because it helps to reduce the chances of target organ damage, and consequently, reduce mortality and improve patients' quality of life.


Assuntos
Animais , Gatos , Pressão Arterial , Hipertensão/complicações , Hipertensão/veterinária
4.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 30(1): 92-104, 2020.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1472607

Resumo

O tecido adiposo já considerado um depósito de armazenamento de energia inerte, é atualmente reconhecido como um órgão endócrino que participa ativamente do metabolismo de carboidratos e lipídeos, da regulação energética e de cascatas inflamatórias. Em indivíduos obesos, o controle destes processos é alterado, e em longo prazo ocorrem mudanças no metabolismo energético que podem predispor a resistência periférica à insulina, a diabetes mellitus tipo 2 e a dislipidemia. Assim como em humanos, a obesidade em gatos também culmina nestas alterações energéticas. Com isto, esta revisão tem como objetivo abordar a função endócrina do tecido adiposo, bem como a sua correlação com a obesidade, usando gatos como modelo experimental, comparando os achados entre os indivíduos obesos e não obesos.


Adipose tissue, once considered an inert energy storage depot, is now recognized as an endocrine organ that actively participates in carbohydrate and lipid metabolism, energy regulation and inflammatory cascades. In obese individuals, the control of these processes is altered, and long-term changes in energy metabolism may predispose to peripheral insulin resistance, type 2 diabetes mellitus and dyslipidemia. As in humans, obesity in cats also culminates in these energy changes. Therefore, this review aims to address the endocrine function of adipose tissue, as well as its correlation with obesity, using cats as an experimental model and comparing the findings between obese and non-obese individuals.


Assuntos
Animais , Gatos , Doenças do Gato , Doenças do Sistema Endócrino/veterinária , Obesidade/veterinária , Tecido Adiposo
5.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 30(1): 92-104, 2020.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-27199

Resumo

O tecido adiposo já considerado um depósito de armazenamento de energia inerte, é atualmente reconhecido como um órgão endócrino que participa ativamente do metabolismo de carboidratos e lipídeos, da regulação energética e de cascatas inflamatórias. Em indivíduos obesos, o controle destes processos é alterado, e em longo prazo ocorrem mudanças no metabolismo energético que podem predispor a resistência periférica à insulina, a diabetes mellitus tipo 2 e a dislipidemia. Assim como em humanos, a obesidade em gatos também culmina nestas alterações energéticas. Com isto, esta revisão tem como objetivo abordar a função endócrina do tecido adiposo, bem como a sua correlação com a obesidade, usando gatos como modelo experimental, comparando os achados entre os indivíduos obesos e não obesos.(AU)


Adipose tissue, once considered an inert energy storage depot, is now recognized as an endocrine organ that actively participates in carbohydrate and lipid metabolism, energy regulation and inflammatory cascades. In obese individuals, the control of these processes is altered, and long-term changes in energy metabolism may predispose to peripheral insulin resistance, type 2 diabetes mellitus and dyslipidemia. As in humans, obesity in cats also culminates in these energy changes. Therefore, this review aims to address the endocrine function of adipose tissue, as well as its correlation with obesity, using cats as an experimental model and comparing the findings between obese and non-obese individuals.(AU)


Assuntos
Animais , Gatos , Obesidade/veterinária , Doenças do Gato , Tecido Adiposo , Doenças do Sistema Endócrino/veterinária
6.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 30(3): 36-47, 2020. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1472647

Resumo

A obstrução uretral é uma condição urológica considerada comum e potencialmente fatal na doença do trato urinário inferior (DTUIF). Os principais sinais clínicos da obstrução uretral são: polaquiúria, disúria, hematúria, periúria, insucesso na micção, angústia, anorexia, hipotermia, ausência de libido ou ereção e durante o exame clínico observa-se a vesícula urinária repleta e firme, condições que conduzem à necessidade de intervenção imediata. Diante disso, o objetivo do trabalho foi descrever e comparar alterações clínicas e hematológicas de gatos com doença do trato urinário inferior obstrutiva e gatos saudáveis. No estudo, foram admitidos 30 gatos e distribuídos em dois grupos: o grupo controle composto por animais sem afecções clínicas notáveis e o grupo obstruído com animais diagnosticados clinicamente com quadro de obstrução urinária. Foi realizada anamnese detalhada dos animais, histórico, realização de exame físico geral com ênfase no trato urinário, ultrassonografia e exame hematológico completo. As principais alterações clínicas dos animais obstruídos foram desidratação, mucosas hipocoradas e hipotermia. O hemograma dos animais obstruídos revelou diferença significativa (p<0,05) para as médias encontradas quando comparados com o grupo controle para contagem de eritrócitos, concentração de hemoglobina e volume globular, tendo o grupo obstruído apresentado valores inferiores ao controle. Pode-se concluir que os exames hematológicos podem identificar alterações importantes do quadro inflamatório geral em animais obstruídos, apresentando neutrofilia, linfopenia e monocitose. Além disso, observou-se que o monitoramento longitudinal possibilita acompanhar a progressão da enfermidade e o risco de anemia bem como a melhora do quadro clínico.


Urethral obstruction is a urological condition considered to be common and potentially fatal in lower urinary tract disease (DTUIF). The main clinical signs of urethral obstruction are: pollakiuria, dysuria, hematuria, periuria, urination failure, anguish, anorexia, hypothermia, absence of libido or erection and during the clinical examination a full and firm urinary vesicle is observed, conditions that lead to the need for immediate intervention. Therefore, the objective of the study was to describe and compare clinical and hematological changes in cats with obstructive lower urinary tract disease and healthy cats. In the study, 30 cats were admitted and distributed in two groups: the control group composed of animals without clinical diseases and the obstructed group with animals clinically diagnosed with urinary obstruction. Detailed anamnesis of the animals, history, general physical examination with emphasis on urinary examination, ultrasound and complete hematological examination were performed. The main clinical changes in the obstructed animals were dehydration, bleached mucous membranes and hypothermia. The blood count of the obstructed animals showed a significant difference (p <0.05) to the average found when compared to the control group for erythrocyte count, hemoglobin concentration and globular volume, and the obstructed group presented values lower than the control. It can be concluded that hematological tests can identify important changes in the general inflammatory condition in obstructed animals, presenting neutrophilia, lymphopenia and monocytosis. In addition, longitudinal monitoring allows the progress of the disease and the risk of anemia to be monitored, as well as improvements in the clinical condition.


Assuntos
Animais , Gatos , Doenças Urológicas/diagnóstico , Doenças Urológicas/sangue , Doenças Urológicas/veterinária , Doenças do Gato , Obstrução Uretral/veterinária
7.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 30(3): 36-47, 2020. tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-29978

Resumo

A obstrução uretral é uma condição urológica considerada comum e potencialmente fatal na doença do trato urinário inferior (DTUIF). Os principais sinais clínicos da obstrução uretral são: polaquiúria, disúria, hematúria, periúria, insucesso na micção, angústia, anorexia, hipotermia, ausência de libido ou ereção e durante o exame clínico observa-se a vesícula urinária repleta e firme, condições que conduzem à necessidade de intervenção imediata. Diante disso, o objetivo do trabalho foi descrever e comparar alterações clínicas e hematológicas de gatos com doença do trato urinário inferior obstrutiva e gatos saudáveis. No estudo, foram admitidos 30 gatos e distribuídos em dois grupos: o grupo controle composto por animais sem afecções clínicas notáveis e o grupo obstruído com animais diagnosticados clinicamente com quadro de obstrução urinária. Foi realizada anamnese detalhada dos animais, histórico, realização de exame físico geral com ênfase no trato urinário, ultrassonografia e exame hematológico completo. As principais alterações clínicas dos animais obstruídos foram desidratação, mucosas hipocoradas e hipotermia. O hemograma dos animais obstruídos revelou diferença significativa (p<0,05) para as médias encontradas quando comparados com o grupo controle para contagem de eritrócitos, concentração de hemoglobina e volume globular, tendo o grupo obstruído apresentado valores inferiores ao controle. Pode-se concluir que os exames hematológicos podem identificar alterações importantes do quadro inflamatório geral em animais obstruídos, apresentando neutrofilia, linfopenia e monocitose. Além disso, observou-se que o monitoramento longitudinal possibilita acompanhar a progressão da enfermidade e o risco de anemia bem como a melhora do quadro clínico.(AU)


Urethral obstruction is a urological condition considered to be common and potentially fatal in lower urinary tract disease (DTUIF). The main clinical signs of urethral obstruction are: pollakiuria, dysuria, hematuria, periuria, urination failure, anguish, anorexia, hypothermia, absence of libido or erection and during the clinical examination a full and firm urinary vesicle is observed, conditions that lead to the need for immediate intervention. Therefore, the objective of the study was to describe and compare clinical and hematological changes in cats with obstructive lower urinary tract disease and healthy cats. In the study, 30 cats were admitted and distributed in two groups: the control group composed of animals without clinical diseases and the obstructed group with animals clinically diagnosed with urinary obstruction. Detailed anamnesis of the animals, history, general physical examination with emphasis on urinary examination, ultrasound and complete hematological examination were performed. The main clinical changes in the obstructed animals were dehydration, bleached mucous membranes and hypothermia. The blood count of the obstructed animals showed a significant difference (p <0.05) to the average found when compared to the control group for erythrocyte count, hemoglobin concentration and globular volume, and the obstructed group presented values lower than the control. It can be concluded that hematological tests can identify important changes in the general inflammatory condition in obstructed animals, presenting neutrophilia, lymphopenia and monocytosis. In addition, longitudinal monitoring allows the progress of the disease and the risk of anemia to be monitored, as well as improvements in the clinical condition.(AU)


Assuntos
Animais , Gatos , Doenças do Gato , Doenças Urológicas/sangue , Doenças Urológicas/diagnóstico , Doenças Urológicas/veterinária , Obstrução Uretral/veterinária
8.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 29(1): 63-82, 2019. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1472460

Resumo

A cistite idiopática felina (CIF) é uma enfermidade que comumente afeta gatos domiciliados, sendo uma das principais causas da doença do trato urinário inferior (DTUIF). O objetivo dessa revisão de literatura é abordar os aspectos gerais sobre a CIF, dados atuais sobre a epidemiologia, fisiopatologia, formas de diagnóstico e terapia, indicados para essa patologia que tanto acomete os felinos. As causas da CIF são pouco conhecidas e sua fisiopatologia é incerta, envolvendo associação entre estímulos estressantes e a resposta do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal e sistema nervoso simpático em gatos susceptíveis. Durante o desenvolvimento do quadro clínico a CIF caracteriza-se pela presença de sinais clínicos recorrentes como periúria, hematúria, disúria, estrangúria, polaquiúria, anúria, anorexia, hiporexia, êmese, apatia, diarreia, isolamento, lambedura excessiva na região perineal e abdome caudal, bem como a remoção de pelos da cauda. O diagnóstico é realizado através de anamnese, sinais clínicos, investigação detalhada através de exames laboratoriais e de imagem que possibilitem a exclusão de outras causas de DTUIF. O tratamento tem como objetivo reduzir a gravidade dos sinais clínicos e aumentar o intervalo entre a ocorrência dos quadros clínicos e, devido à sua fisiopatologia multifatorial, torna-se interessante realizar um tratamento multimodal. Assim, a terapêutica torna-se variável conforme os sinais clínicos apresentados pelo paciente, visando principalmente, o restabelecimento do fluxo urinário e analgesia. Além disso, devem ser realizadas melhores adaptações ao manejo do animal, bem como a adoção de medidas que aumentem a ingestão hídrica e minimizar fatores estressantes que possam contribuir para recorrência do quadro clínico.


Feline idiopathic cystitis (FIC) is a common disease found in domiciled cats, being one of the main causes of lower urinary tract disease (FLUTD). The purpose of this review is to address the general aspects of CIF, current data on the indicated epidemiology, pathophysiology, diagnosis and therapy indicated for this pathology that affects both felines. Its causes are poorly understood and its pathophysiology is uncertain, involving the association between stressful stimuli and the response of the hypothalamic-pituitary-adrenal axis and the sympathetic nervous system in susceptible cats. During the development of the disease, FIC is characterized by the presence of recurrent clinical signs - periuria, hematuria, dysuria, strangury, polaquiuria, anuria, anorexia, hyporexia, emesis, apathy, diarrhea, isolation, excessive licking in the perineal region and caudal abdomen , as well as the removal of tail hairs. The diagnosis is made through anamnesis, clinical signs and detailed investigation through laboratorial and imaging exams that allow the exclusion of other causes of LUTD. The treatment aims to reduce the severity of clinical signs and increase the interval between the occurrence of clinical conditions and, due to its multifactor pathophysiology, it is interesting to perform a multimodal treatment. Thus, the therapy is variable according to the clinical signs presented by the patient aiming, mainly, the reestablishment of the urinary flow and analgesia. In addition, better adaptations to animal management should be made such as the adoption of measures that increase water intake and minimize stressors that may contribute to recurrence of the clinical picture. Keywords: Cat, lower urinary tract disease, stress, multimodal treatment.


Assuntos
Animais , Gatos , Cistite/diagnóstico , Cistite/diagnóstico por imagem , Cistite/patologia , Cistite/terapia , Cistite/veterinária
9.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 29(1): 63-82, 2019. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-21570

Resumo

A cistite idiopática felina (CIF) é uma enfermidade que comumente afeta gatos domiciliados, sendo uma das principais causas da doença do trato urinário inferior (DTUIF). O objetivo dessa revisão de literatura é abordar os aspectos gerais sobre a CIF, dados atuais sobre a epidemiologia, fisiopatologia, formas de diagnóstico e terapia, indicados para essa patologia que tanto acomete os felinos. As causas da CIF são pouco conhecidas e sua fisiopatologia é incerta, envolvendo associação entre estímulos estressantes e a resposta do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal e sistema nervoso simpático em gatos susceptíveis. Durante o desenvolvimento do quadro clínico a CIF caracteriza-se pela presença de sinais clínicos recorrentes como periúria, hematúria, disúria, estrangúria, polaquiúria, anúria, anorexia, hiporexia, êmese, apatia, diarreia, isolamento, lambedura excessiva na região perineal e abdome caudal, bem como a remoção de pelos da cauda. O diagnóstico é realizado através de anamnese, sinais clínicos, investigação detalhada através de exames laboratoriais e de imagem que possibilitem a exclusão de outras causas de DTUIF. O tratamento tem como objetivo reduzir a gravidade dos sinais clínicos e aumentar o intervalo entre a ocorrência dos quadros clínicos e, devido à sua fisiopatologia multifatorial, torna-se interessante realizar um tratamento multimodal. Assim, a terapêutica torna-se variável conforme os sinais clínicos apresentados pelo paciente, visando principalmente, o restabelecimento do fluxo urinário e analgesia. Além disso, devem ser realizadas melhores adaptações ao manejo do animal, bem como a adoção de medidas que aumentem a ingestão hídrica e minimizar fatores estressantes que possam contribuir para recorrência do quadro clínico.(AU)


Feline idiopathic cystitis (FIC) is a common disease found in domiciled cats, being one of the main causes of lower urinary tract disease (FLUTD). The purpose of this review is to address the general aspects of CIF, current data on the indicated epidemiology, pathophysiology, diagnosis and therapy indicated for this pathology that affects both felines. Its causes are poorly understood and its pathophysiology is uncertain, involving the association between stressful stimuli and the response of the hypothalamic-pituitary-adrenal axis and the sympathetic nervous system in susceptible cats. During the development of the disease, FIC is characterized by the presence of recurrent clinical signs - periuria, hematuria, dysuria, strangury, polaquiuria, anuria, anorexia, hyporexia, emesis, apathy, diarrhea, isolation, excessive licking in the perineal region and caudal abdomen , as well as the removal of tail hairs. The diagnosis is made through anamnesis, clinical signs and detailed investigation through laboratorial and imaging exams that allow the exclusion of other causes of LUTD. The treatment aims to reduce the severity of clinical signs and increase the interval between the occurrence of clinical conditions and, due to its multifactor pathophysiology, it is interesting to perform a multimodal treatment. Thus, the therapy is variable according to the clinical signs presented by the patient aiming, mainly, the reestablishment of the urinary flow and analgesia. In addition, better adaptations to animal management should be made such as the adoption of measures that increase water intake and minimize stressors that may contribute to recurrence of the clinical picture. Keywords: Cat, lower urinary tract disease, stress, multimodal treatment.(AU)


Assuntos
Animais , Gatos , Cistite/veterinária , Cistite/diagnóstico , Cistite/diagnóstico por imagem , Cistite/patologia , Cistite/terapia
10.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 29(1): 121-128, 2019. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1472464

Resumo

A doença renal é a enfermidade mais frequentemente diagnosticada em animais de companhia e a segunda causa de morte em gatos, sendo o distúrbio mais comum envolvendo os rins de gatos e cães. O diagnóstico é realizado com base no histórico do animal, sinais clínicos associados à exames séricos e de imagem. A complexidade em se realizar o diagnóstico precoce reside na ausência de sinais clínicos nos estágios iniciais da doença. Geralmente, o diagnóstico ocorre em fases mais avançadas da doença renal em que, devido à elevada perda da função renal, culmina no aparecimento dos sinais clínicos. Neste relato de caso, dois gatos sem raça definida foram atendidos em um hospital veterinário particular em Fortaleza/CE para realização da consulta de rotina e, por meio da dos achados observados através dos exames complementares - bioquímica sérica, urinálise e ultrassonografia - foi possível realizar precocemente o diagnóstico de doença renal crônica.


Kidney disease is the most frequently diagnosed disease in companion animals and the second leading cause of death in cats, being the most common disorder involving the kidneys of cats and dogs. The diagnosis is made based on the animal's history, clinical signs associated with serum and imaging tests. The complexity in performing the early diagnosis is in the absence of clinical signs at the initial stages of the disease. Generally, the diagnosis occurs in more advanced stages of renal disease in which, due to high loss of renal function, culminates in the appearance of clinical signs. In this case report, two undefined cats were treated at a private veterinary hospital in Fortaleza / CE for a routine visit and, through the findings observed through complementary tests - serum biochemistry, urinalysis and ultrasonography - it was possible early diagnosis of chronic kidney disease.


Assuntos
Animais , Gatos , Insuficiência Renal Crônica/diagnóstico , Insuficiência Renal Crônica/diagnóstico por imagem , Insuficiência Renal Crônica/veterinária
11.
Ciênc. anim. bras. (Impr.) ; 20: e.55398, 2019. ilus, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1473707

Resumo

Canine endocrinopathies, such as hypothyroidism and hyperadrenocortism,induce typical dermatological alterations. Collagen fibers are significant for the maintenance of structural integrity,as well as in the determination of tissue function. This study aimed at assessing the coloration caused by Picrosirius Red staining under circular polarization and Masson Trichrome staining, as tools to quantify the total collagen in the skin of dogs exhibiting endocrine dermatopathies. Skin samples taken from dogs with hypothyroidism and hyperadrenocorticism were stained using Hematoxylin and Eosin (HE), Masson’s Trichrome (MT) and Picrosirius Red (PSR). The animals with hyperadrenocorticism revealed a higher percentage of collagen area than did the animals with hypothyroidism PSRp (hypothyroidism = 43.76 ± 0.8255 and hyperadrenocorticism = 47.08 ± 0.8584). The percentage of the collagen area using MT between the groups is given in parenthesis (hypothyroidism = 52.06 ± 0.9371, hyperadrenocorticism = 61 ± 0.7529 and control = 56.88 ± 0.64) (p <0.05). It is therefore, evident that the special stains employed are useful in estimating the percentage of collagen area in the skin, as they revealed that dogs with hypothyroidism had lower collagen deposition whereas those animals with hyperadrenocorticism showed higher quantity of collagen in the dermis.


Endocrinopatias caninas como hipotireoidismo e o hiperadrenocortismo causam alterações dermatológicas características. As fibras de colágeno desempenham um papel vital na manutenção da integridade estrutural e também na determinação da função dos tecidos. O objetivo deste estudo foi avaliar as colorações de picrosirius red sob polarização circular e coloração tricômio de Masson como ferramentas para quantificar o colágeno total da pele de cães com dermatopatias endócrinas. Amostras de pele obtidas de cães com hipotireoidismo e hiperadrenocorticismo foram coradas por Hematoxilina e Eosina (HE), Tricrômio de Masson (MT) e Picrosirius red (PSR). A porcentagem de área de colágeno foi maior nos animais com hiperadrenocorticismo e menor nos animais com hipotireoidismo PSRp (hipotireoidismo = 43,76 ± 0.8255 e hiperadrenocorticismo = 47,08 ± 0.8584). Já a porcentagem de área de colágeno no MT entre os grupos (hipotireoidismo = 52,06 ± 0.9371, hiperadrenocorticismo = 61 ± 0,7529 e controle = 56,88 ± 0.64) (p <0.05). Concluiu-se que as colorações especiais utilizadas são úteis para avaliar a porcentagem de área de colágeno na pele, pois demonstraram que cães com hipotireoidismo demonstraram uma diminuição na deposição de colágeno e os animais com hiperadrenocorticismo apresentaram maior quantidade de colágeno na derme.


Assuntos
Animais , Cães , Colágeno/análise , Dermatopatias/diagnóstico , Dermatopatias/veterinária , Hiperfunção Adrenocortical/diagnóstico , Hiperfunção Adrenocortical/veterinária , Hipotireoidismo/diagnóstico , Hipotireoidismo/veterinária , Doenças do Sistema Endócrino/diagnóstico , Doenças do Sistema Endócrino/veterinária , Fibrose/veterinária
12.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 29(1): 121-128, 2019. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-21636

Resumo

A doença renal é a enfermidade mais frequentemente diagnosticada em animais de companhia e a segunda causa de morte em gatos, sendo o distúrbio mais comum envolvendo os rins de gatos e cães. O diagnóstico é realizado com base no histórico do animal, sinais clínicos associados à exames séricos e de imagem. A complexidade em se realizar o diagnóstico precoce reside na ausência de sinais clínicos nos estágios iniciais da doença. Geralmente, o diagnóstico ocorre em fases mais avançadas da doença renal em que, devido à elevada perda da função renal, culmina no aparecimento dos sinais clínicos. Neste relato de caso, dois gatos sem raça definida foram atendidos em um hospital veterinário particular em Fortaleza/CE para realização da consulta de rotina e, por meio da dos achados observados através dos exames complementares - bioquímica sérica, urinálise e ultrassonografia - foi possível realizar precocemente o diagnóstico de doença renal crônica.(AU)


Kidney disease is the most frequently diagnosed disease in companion animals and the second leading cause of death in cats, being the most common disorder involving the kidneys of cats and dogs. The diagnosis is made based on the animal's history, clinical signs associated with serum and imaging tests. The complexity in performing the early diagnosis is in the absence of clinical signs at the initial stages of the disease. Generally, the diagnosis occurs in more advanced stages of renal disease in which, due to high loss of renal function, culminates in the appearance of clinical signs. In this case report, two undefined cats were treated at a private veterinary hospital in Fortaleza / CE for a routine visit and, through the findings observed through complementary tests - serum biochemistry, urinalysis and ultrasonography - it was possible early diagnosis of chronic kidney disease.(AU)


Assuntos
Animais , Gatos , Insuficiência Renal Crônica/veterinária , Insuficiência Renal Crônica/diagnóstico , Insuficiência Renal Crônica/diagnóstico por imagem
13.
Ci. Anim. bras. ; 20: e.55398, out. 24, 2019. ilus, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-24650

Resumo

Canine endocrinopathies, such as hypothyroidism and hyperadrenocortism,induce typical dermatological alterations. Collagen fibers are significant for the maintenance of structural integrity,as well as in the determination of tissue function. This study aimed at assessing the coloration caused by Picrosirius Red staining under circular polarization and Masson Trichrome staining, as tools to quantify the total collagen in the skin of dogs exhibiting endocrine dermatopathies. Skin samples taken from dogs with hypothyroidism and hyperadrenocorticism were stained using Hematoxylin and Eosin (HE), Massons Trichrome (MT) and Picrosirius Red (PSR). The animals with hyperadrenocorticism revealed a higher percentage of collagen area than did the animals with hypothyroidism PSRp (hypothyroidism = 43.76 ± 0.8255 and hyperadrenocorticism = 47.08 ± 0.8584). The percentage of the collagen area using MT between the groups is given in parenthesis (hypothyroidism = 52.06 ± 0.9371, hyperadrenocorticism = 61 ± 0.7529 and control = 56.88 ± 0.64) (p <0.05). It is therefore, evident that the special stains employed are useful in estimating the percentage of collagen area in the skin, as they revealed that dogs with hypothyroidism had lower collagen deposition whereas those animals with hyperadrenocorticism showed higher quantity of collagen in the dermis.(AU)


Endocrinopatias caninas como hipotireoidismo e o hiperadrenocortismo causam alterações dermatológicas características. As fibras de colágeno desempenham um papel vital na manutenção da integridade estrutural e também na determinação da função dos tecidos. O objetivo deste estudo foi avaliar as colorações de picrosirius red sob polarização circular e coloração tricômio de Masson como ferramentas para quantificar o colágeno total da pele de cães com dermatopatias endócrinas. Amostras de pele obtidas de cães com hipotireoidismo e hiperadrenocorticismo foram coradas por Hematoxilina e Eosina (HE), Tricrômio de Masson (MT) e Picrosirius red (PSR). A porcentagem de área de colágeno foi maior nos animais com hiperadrenocorticismo e menor nos animais com hipotireoidismo PSRp (hipotireoidismo = 43,76 ± 0.8255 e hiperadrenocorticismo = 47,08 ± 0.8584). Já a porcentagem de área de colágeno no MT entre os grupos (hipotireoidismo = 52,06 ± 0.9371, hiperadrenocorticismo = 61 ± 0,7529 e controle = 56,88 ± 0.64) (p <0.05). Concluiu-se que as colorações especiais utilizadas são úteis para avaliar a porcentagem de área de colágeno na pele, pois demonstraram que cães com hipotireoidismo demonstraram uma diminuição na deposição de colágeno e os animais com hiperadrenocorticismo apresentaram maior quantidade de colágeno na derme.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Colágeno/análise , Dermatopatias/diagnóstico , Dermatopatias/veterinária , Hipotireoidismo/diagnóstico , Hipotireoidismo/veterinária , Hiperfunção Adrenocortical/diagnóstico , Hiperfunção Adrenocortical/veterinária , Fibrose/veterinária , Doenças do Sistema Endócrino/diagnóstico , Doenças do Sistema Endócrino/veterinária
14.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 28(3): 106-115, 2018. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-19430

Resumo

O hipotireoidismo canino é uma endocrinopatia comumente diagnosticada em cães. Os principais sinais clínicos presentes são os metabólicos (letargia, ganho de peso e intolerância a exercícios) e dermatológicos (pelagem seca e quebradiça, alopecia endócrina e mixedema). No entanto, alterações neuromusculares, cardíacas e reprodutivas também podem estar presentes. O diagnóstico é realizado através de informações do histórico do animal, sinais clínicos, exames de triagem e testes hormonais. O tratamento de escolha é a suplementação com levotiroxina sódica e a resposta do tratamento é satisfatória com remissão dos sinais clínicos, em até 6 meses de suplementação. O objetivo deste trabalho foi relatar um caso de hipotireoidismo em um cão. Uma paciente canina, SRD, fêmea, castrada, quatro anos e pesando 44,5kg foi encaminhada para a consulta endocrinológica apresentando letargia, ganho de peso, termofilia e discreta rarefação pilosa na cauda. No hemograma e nas dosagens bioquímicas (ALT, GGT, FA, triglicerídeos e colesterol) não foram observadas alterações significativas. As dosagens hormonais de TSH e T4 livre foram realizadas e os resultados mostraram um TSH acima dos valores de referência para a normalidade (3,58 ng/mL) e um T4 livre abaixo dos valores de referência para a normalidade (0,41 ng/mL), assim o diagnóstico foi de hipotireoidismo. O tratamento instituído foi com levotiroxina sódica na dose de 20 mcg/ kg uma vez ao dia. Após 60 dias foi realizado o teste de reposição com levotiroxina e a reavaliação da paciente. Houve resposta satisfatória ao tratamento, com remissão dos sinais clínicos de letargia, intolerância a exercícios e ganho de peso.(AU)


Canine hypothyroidism is an endocrinopathy usually diagnosed in dogs. The main clinical signs present are metabolic (lethargy, weight gain and exercise intolerance) and dermatologic (dry, brittle hair coat, endocrine alopecia and myxedema). However, neuromuscular, cardiac, and reproductive changes may also be present. The diagnosis is accomplished by history, physical examination findings, clinicopathologic and measurement of hormones. The treatment of choice is levothyroxine sodium supplementation and treatment response is satisfactory with remission of clinical signs within 6 months of supplementation. This study aimed to report a case of hypothyroidism in a dog. A canine, mixed-breed, female, neutered, 4 years and weight 44.5 kg was forwarded to endocrinology assignment showing lethargy, weight gain, cold intolerance and discrete hair rarefaction on the tail. At the complete blood count and serum biochemistry (ALT, GGT, AP, triglycerides and cholesterol) no significant changes were observed. Baseline serum TSH and free T4 concentration were performed and the diagnosis of hypothyroidism was achieved by results of high TSH (3.58 ng / mL) and low free T4 (0.41 ng / mL). The treatment instituted was levothyroxine sodium dose of 20 mcg/ kg SID, after 60 days the replacement assay with levothyroxine and patient's evaluation was applied. There was a satisfactory response to the treatment by remission of clinical signs of lethargy, exercise intolerance and weight gain.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Hipotireoidismo/diagnóstico , Hipotireoidismo/tratamento farmacológico , Hipotireoidismo/veterinária , Obesidade/veterinária , Tiroxina/uso terapêutico , Terapia Nutricional/veterinária , Doenças do Sistema Endócrino/tratamento farmacológico , Doenças do Sistema Endócrino/veterinária
15.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 28(3): 106-115, 2018. ilus, tab
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1472404

Resumo

O hipotireoidismo canino é uma endocrinopatia comumente diagnosticada em cães. Os principais sinais clínicos presentes são os metabólicos (letargia, ganho de peso e intolerância a exercícios) e dermatológicos (pelagem seca e quebradiça, alopecia endócrina e mixedema). No entanto, alterações neuromusculares, cardíacas e reprodutivas também podem estar presentes. O diagnóstico é realizado através de informações do histórico do animal, sinais clínicos, exames de triagem e testes hormonais. O tratamento de escolha é a suplementação com levotiroxina sódica e a resposta do tratamento é satisfatória com remissão dos sinais clínicos, em até 6 meses de suplementação. O objetivo deste trabalho foi relatar um caso de hipotireoidismo em um cão. Uma paciente canina, SRD, fêmea, castrada, quatro anos e pesando 44,5kg foi encaminhada para a consulta endocrinológica apresentando letargia, ganho de peso, termofilia e discreta rarefação pilosa na cauda. No hemograma e nas dosagens bioquímicas (ALT, GGT, FA, triglicerídeos e colesterol) não foram observadas alterações significativas. As dosagens hormonais de TSH e T4 livre foram realizadas e os resultados mostraram um TSH acima dos valores de referência para a normalidade (3,58 ng/mL) e um T4 livre abaixo dos valores de referência para a normalidade (0,41 ng/mL), assim o diagnóstico foi de hipotireoidismo. O tratamento instituído foi com levotiroxina sódica na dose de 20 mcg/ kg uma vez ao dia. Após 60 dias foi realizado o teste de reposição com levotiroxina e a reavaliação da paciente. Houve resposta satisfatória ao tratamento, com remissão dos sinais clínicos de letargia, intolerância a exercícios e ganho de peso.


Canine hypothyroidism is an endocrinopathy usually diagnosed in dogs. The main clinical signs present are metabolic (lethargy, weight gain and exercise intolerance) and dermatologic (dry, brittle hair coat, endocrine alopecia and myxedema). However, neuromuscular, cardiac, and reproductive changes may also be present. The diagnosis is accomplished by history, physical examination findings, clinicopathologic and measurement of hormones. The treatment of choice is levothyroxine sodium supplementation and treatment response is satisfactory with remission of clinical signs within 6 months of supplementation. This study aimed to report a case of hypothyroidism in a dog. A canine, mixed-breed, female, neutered, 4 years and weight 44.5 kg was forwarded to endocrinology assignment showing lethargy, weight gain, cold intolerance and discrete hair rarefaction on the tail. At the complete blood count and serum biochemistry (ALT, GGT, AP, triglycerides and cholesterol) no significant changes were observed. Baseline serum TSH and free T4 concentration were performed and the diagnosis of hypothyroidism was achieved by results of high TSH (3.58 ng / mL) and low free T4 (0.41 ng / mL). The treatment instituted was levothyroxine sodium dose of 20 mcg/ kg SID, after 60 days the replacement assay with levothyroxine and patient's evaluation was applied. There was a satisfactory response to the treatment by remission of clinical signs of lethargy, exercise intolerance and weight gain.


Assuntos
Animais , Cães , Hipotireoidismo/diagnóstico , Hipotireoidismo/tratamento farmacológico , Hipotireoidismo/veterinária , Obesidade/veterinária , Terapia Nutricional/veterinária , Tiroxina/uso terapêutico , Doenças do Sistema Endócrino/tratamento farmacológico , Doenças do Sistema Endócrino/veterinária
16.
Braz. J. Vet. Res. Anim. Sci. (Online) ; 55(3): e143345, Outubro 25, 2018. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-969215

Resumo

Feline chronic gingivostomatitis (FCGS) is a challenge for the veterinary practitioner since its etiology and treatments are still undefined. The present paper investigated the role of the feline immunodeficiency virus (FIV) in the severity of the FCGS. Oral mucosal biopsies obtained from 19 cats with FCGS were divided into two groups according to their FIV serology status. Later, the clinical lesion score was correlated with the histopathological grade of FCGS lesions and the degree of immunostaining in both groups. Most of the animals had significant histological changes; however, no correlation with FIV immunostaining intensity was observed. It was concluded that the presence of FIV infection or the animal's seropositivity status does not seem to interfere with the severity of clinical signs nor the degree of histopathological changes when compared to the seronegative group.(AU)


A gengivoestomatite crônica felina (FCGS) é um desafio para o veterinário, uma vez que a sua etiologia e tratamentos permanecem indefinidos. O presente trabalho investigou o papel do vírus da imunodeficiência felina (FIV) na gravidade do FCGS. Biópsias da mucosa oral de 19 gatos com FCGS foram divididas em dois grupos de acordo com o status sorológico de FIV. Mais tarde, o escore de lesão clínica foi correlacionado com o grau histopatológico das lesões FCGS e o grau de imunocoloração em ambos os grupos. A maioria dos animais apresentou alterações histológicas significativas, porém não foi observada correlação com a intensidade de imunocoloração para FIV. Concluiu-se que a presença de infecção por FIV ou o estado soropositivo dos animais não parece interferir com a gravidade dos sinais clínicos nem com o grau de alterações histopatológicas quando comparado ao grupo soronegativo.(AU)


Assuntos
Animais , Gatos , Testes Sorológicos/veterinária , Vírus da Imunodeficiência Felina/patogenicidade , Gengivite Ulcerativa Necrosante/veterinária , Glossite/veterinária
17.
Braz. j. vet. res. anim. sci ; 55(3): e143345, Outubro 25, 2018. ilus, tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-20644

Resumo

Feline chronic gingivostomatitis (FCGS) is a challenge for the veterinary practitioner since its etiology and treatments are still undefined. The present paper investigated the role of the feline immunodeficiency virus (FIV) in the severity of the FCGS. Oral mucosal biopsies obtained from 19 cats with FCGS were divided into two groups according to their FIV serology status. Later, the clinical lesion score was correlated with the histopathological grade of FCGS lesions and the degree of immunostaining in both groups. Most of the animals had significant histological changes; however, no correlation with FIV immunostaining intensity was observed. It was concluded that the presence of FIV infection or the animal's seropositivity status does not seem to interfere with the severity of clinical signs nor the degree of histopathological changes when compared to the seronegative group.(AU)


A gengivoestomatite crônica felina (FCGS) é um desafio para o veterinário, uma vez que a sua etiologia e tratamentos permanecem indefinidos. O presente trabalho investigou o papel do vírus da imunodeficiência felina (FIV) na gravidade do FCGS. Biópsias da mucosa oral de 19 gatos com FCGS foram divididas em dois grupos de acordo com o status sorológico de FIV. Mais tarde, o escore de lesão clínica foi correlacionado com o grau histopatológico das lesões FCGS e o grau de imunocoloração em ambos os grupos. A maioria dos animais apresentou alterações histológicas significativas, porém não foi observada correlação com a intensidade de imunocoloração para FIV. Concluiu-se que a presença de infecção por FIV ou o estado soropositivo dos animais não parece interferir com a gravidade dos sinais clínicos nem com o grau de alterações histopatológicas quando comparado ao grupo soronegativo.(AU)


Assuntos
Animais , Gatos , Testes Sorológicos/veterinária , Vírus da Imunodeficiência Felina/patogenicidade , Gengivite Ulcerativa Necrosante/veterinária , Glossite/veterinária
18.
Artigo em Inglês | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1471099

Resumo

Feline chronic gingivostomatitis (FCGS) is a challenge for the veterinary practitioner since its etiology and treatments are still undefined. The present paper investigated the role of the feline immunodeficiency virus (FIV) in the severity of the FCGS. Oral mucosal biopsies obtained from 19 cats with FCGS were divided into two groups according to their FIV serology status. Later, the clinical lesion score was correlated with the histopathological grade of FCGS lesions and the degree of immunostaining in both groups. Most of the animals had significant histological changes; however, no correlation with FIV immunostaining intensity was observed. It was concluded that the presence of FIV infection or the animals seropositivity status does not seem to interfere with the severity of clinical signs nor the degree of histopathological changes when compared to the seronegative group.


A gengivoestomatite crônica felina (FCGS) é um desafio para o veterinário, uma vez que a sua etiologia e tratamentos permanecem indefinidos. O presente trabalho investigou o papel do vírus da imunodeficiência felina (FIV) na gravidade do FCGS. Biópsias da mucosa oral de 19 gatos com FCGS foram divididas em dois grupos de acordo com o status sorológico de FIV. Mais tarde, o escore de lesão clínica foi correlacionado com o grau histopatológico das lesões FCGS e o grau de imunocoloração em ambos os grupos. A maioria dos animais apresentou alterações histológicas significativas, porém não foi observada correlação com a intensidade de imunocoloração para FIV. Concluiu-se que a presença de infecção por FIV ou o estado soropositivo dos animais não parece interferir com a gravidade dos sinais clínicos nem com o grau de alterações histopatológicas quando comparado ao grupo soronegativo.

19.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 27(1): 20-30, 2017. graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1472302

Resumo

Plants have been used as source of therapeutic elements employed to treat several disorders, such as hypertension and asthma.The discovery of pharmacological agents that act on the contractility of airways smooth muscle can be considered to help in treating diseases of the respiratory tract. In this study, we evaluated the effect of linalool, a terpenic constituent of various aromatic and medicinal plants as an antispasmodic agent in preparations of isolated rat trachea. Linalool fully reversed the electromechanical induced contraction in isolated preparations with (188.46±13.05 μM) and without (135.21±12.76 μM) epithelium. A lower inhibitory potency was observed in phamaco mechanical contractions induced in tracheal rings with preserved epithelium (261.34±38.22 μM) or not (593.45±11.32 μM). Linalool (100 μM and 1000 μM) was Able to inhibit the curves of controlled influx for calcium and barium. In the present study, the inhibitory effect of linalool on pre-contracted rat tracheal rings was more effective in electromechanical conditions, suggesting a possible effect of this monoterpene on calcium influx through voltage-Dependent channels.


As plantas têm sido utilizadas como fonte de elementos terapêuticos empregados para tratar vários distúrbios, como hipertensão e asma. A descoberta de agentes farmacológicos que atuam sobre a contratilidade do músculo liso das vias aéreas pode ser útil no tratamento de doenças do trato respiratório. Neste estudo, avaliamos o efeito do linalol, um constituinte terpênico de várias plantas aromáticas e medicinais como agente antiespasmódico em preparações de traqueia de rato isolada. Ciência Animal26(3), 2016 O linalol reverteu completamente a contração eletromecânica induzida em preparações isoladas com (188,46±13,05 μM) e sem epitélio (135,21±12,76 μM). Observou-se uma menor potência inibitória nas contrações fármaco mecânicas induzidas em anéis traqueais com epitélio preservado (261,34±38,22 μM) ou não (593,45±11,32 μM). O linalol (100 μM e 1000 μM) foi capaz de inibir as curvas de influxo controlado para cálcio e bário. No presente estudo, o efeito inibitório do linalol em anéis traqueais de ratos pré-contraídos foi mais eficaz em condições eletromecânicas, sugerindo um possível efeito deste monoterpeno sobre o influxo de cálcio através de canais dependentes da tensão.


Assuntos
Animais , Ratos , Contração Muscular , Monoterpenos/administração & dosagem , Músculo Liso , Traqueia , Bloqueadores dos Canais de Cálcio , Bário
20.
Ciênc. Anim. (Impr.) ; 27(2): 34-37, 2017.
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1472319

Resumo

Fecaloma or fecolyte refers to the accumulation of feces that become dry, compacted and retained inside the large intestine where they dehydrate and solidify, leading to intestinal constipation. Its etiology is quite heterogeneous, ranging from infections and intestinal tumors, inadequate water consumption, dehydration, unbalanced diet or ingestion of foreign materials. For the treatment, it is possible to perform drug therapy in order to lubricate the intestinal contents and allow it to be moved to the final portion of the rectum and finally expelled from the organism or, depending on the case, surgical intervention is chosen. In this study, a case of fecaloma treated with enterotomy in Fortaleza will be reported.


Assuntos
Animais , Cães , Constipação Intestinal/cirurgia , Constipação Intestinal/terapia , Constipação Intestinal/veterinária , Fezes , Peristaltismo , Radiografia Abdominal/veterinária
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA