Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros

Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 70(1): 82-92, Jan.-Feb. 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-888062

Resumo

Gene expression of CDKN1A, CDKN1B, and TP53, and immunostaining of p21, p27 and p53 were evaluated to verify the role of these cell cycle inhibitors in canine prostates with proliferative inflammatory atrophy-PIA and prostatic carcinoma-PC. Seventy samples, 15 normal, 30PIA and 25PC. Regarding number of p27 and p53 labeled cells, difference between normal and PIA and PC was observed, as well as between PIA and PC for p53. Immunostaining intensities of p21, p27 and p53 were different when comparing normal tissues to PIA and PC. Sixteen cDNA of canine prostatic FFPE tissue were subjected to RT-PCR and RT-qPCR, four normal, three PIA, and nine PC. CDKN1A mRNA was detected in four PC by RT-PCR, and it was overexpressed when compared to normal by RT-qPCR, in one PIA and six PC. CDKN1B mRNA was detected in three PC by RT-PCR and it was overexpressed in three PC and decreased in one PC. TP53 mRNA was overexpressed in one PIA and three PC. In conclusion, when overexpressed in canine prostate with premalignant and malignant, p21 and p27 play a role controlling cell proliferation, working as a protective factor in the evolution of PIA to PC, and in the PC development, even in the presence of altered p53.(AU)


A expressão gênica de CDKN1A, CDKN1B e TP53, assim como imunomarcação de p21, p27 e p53 foram realizadas a fim de verificar o papel desses inibidores do ciclo celular na próstata canina com atrofia inflamatória proliferativa (PIA) e carcinoma prostático (PC). Foram obtidas70 amostras de próstata canina, sendo 15 de tecido normal, 30 de PIA e 25 de PC. Quanto ao número de células imunomarcadas foi observada diferença entre amostras normais, com PIA e PC para p27 e p53, assim como entre PIA e PC para p53. Para a intensidade de imunomarcação houve diferença entre os tecidos normais e com PIA e PC para p21, p27 e p53. Foram obtidas dezesseis amostras de cDNA a partir de amostras de próstatas caninas embebidas em parafina para a realização da RT-PCR e RT-qPCR, sendo quatro normais, três com PIA, e nove com o PC. O gene CDKN1A foi detectado em quatro das amostras com PC por RT-PCR, e pela RT-qPCR este estava superexpresso em uma PIA e em seis PC quando da comparação com o tecido prostático normal. O CDKN1B foi detectado em três PC por RT-PCR e pela RT-qPCR estava superexpresso em três PC e reduzido em um PC. O TP53 foi detectado em todas as próstatas caninas com PIA e PC por RT-PCR, sendo também superexpresso em uma glândula com PIA e em três com PC. Concluiu-se que p21 e p27 quando superexpressas na próstata canina com lesões pré-malignas (PIA) e malignas (PC) desempenham ação no controle da proliferação celular, possivelmente atuando como fator de proteção na evolução da PIA para PC, e no desenvolvimento do PC, mesmo na presença de p53 alterada. Assim, o próximo passo é avaliar essas proteínas do ciclo celular em casos de PC canino com metástase.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Próstata/fisiologia , Atrofia/diagnóstico , Carcinoma , Ciclo Celular , Cães/anatomia & histologia , Cães/anormalidades
2.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 70(1): 82-92, jan.-fev. 2018. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-18032

Resumo

Gene expression of CDKN1A, CDKN1B, and TP53, and immunostaining of p21, p27 and p53 were evaluated to verify the role of these cell cycle inhibitors in canine prostates with proliferative inflammatory atrophy-PIA and prostatic carcinoma-PC. Seventy samples, 15 normal, 30PIA and 25PC. Regarding number of p27 and p53 labeled cells, difference between normal and PIA and PC was observed, as well as between PIA and PC for p53. Immunostaining intensities of p21, p27 and p53 were different when comparing normal tissues to PIA and PC. Sixteen cDNA of canine prostatic FFPE tissue were subjected to RT-PCR and RT-qPCR, four normal, three PIA, and nine PC. CDKN1A mRNA was detected in four PC by RT-PCR, and it was overexpressed when compared to normal by RT-qPCR, in one PIA and six PC. CDKN1B mRNA was detected in three PC by RT-PCR and it was overexpressed in three PC and decreased in one PC. TP53 mRNA was overexpressed in one PIA and three PC. In conclusion, when overexpressed in canine prostate with premalignant and malignant, p21 and p27 play a role controlling cell proliferation, working as a protective factor in the evolution of PIA to PC, and in the PC development, even in the presence of altered p53.(AU)


A expressão gênica de CDKN1A, CDKN1B e TP53, assim como imunomarcação de p21, p27 e p53 foram realizadas a fim de verificar o papel desses inibidores do ciclo celular na próstata canina com atrofia inflamatória proliferativa (PIA) e carcinoma prostático (PC). Foram obtidas70 amostras de próstata canina, sendo 15 de tecido normal, 30 de PIA e 25 de PC. Quanto ao número de células imunomarcadas foi observada diferença entre amostras normais, com PIA e PC para p27 e p53, assim como entre PIA e PC para p53. Para a intensidade de imunomarcação houve diferença entre os tecidos normais e com PIA e PC para p21, p27 e p53. Foram obtidas dezesseis amostras de cDNA a partir de amostras de próstatas caninas embebidas em parafina para a realização da RT-PCR e RT-qPCR, sendo quatro normais, três com PIA, e nove com o PC. O gene CDKN1A foi detectado em quatro das amostras com PC por RT-PCR, e pela RT-qPCR este estava superexpresso em uma PIA e em seis PC quando da comparação com o tecido prostático normal. O CDKN1B foi detectado em três PC por RT-PCR e pela RT-qPCR estava superexpresso em três PC e reduzido em um PC. O TP53 foi detectado em todas as próstatas caninas com PIA e PC por RT-PCR, sendo também superexpresso em uma glândula com PIA e em três com PC. Concluiu-se que p21 e p27 quando superexpressas na próstata canina com lesões pré-malignas (PIA) e malignas (PC) desempenham ação no controle da proliferação celular, possivelmente atuando como fator de proteção na evolução da PIA para PC, e no desenvolvimento do PC, mesmo na presença de p53 alterada. Assim, o próximo passo é avaliar essas proteínas do ciclo celular em casos de PC canino com metástase.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Cães/anatomia & histologia , Ciclo Celular , Próstata/fisiologia , Atrofia/diagnóstico , Cães/anormalidades , Carcinoma
3.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 68(3): 658-666, ilus
Artigo em Inglês | LILACS, VETINDEX | ID: lil-785681

Resumo

The canine transmissible venereal tumor (TVT) affects the external genitalia of dogs by the natural transplant of viable tumor cells. Thus, this research aimed to diagnose and characterize TVT morphological patterns, identify the insertion of the LINE-1 element in C-MYC gene, by means of the polymerase chain reaction (PCR), and evaluate the immunohistochemical expression of C-MYC, p53, p21 and p27 proteins. The relationship between C-MYC and p53 proteins and their interference on the expression of p21 and p27 were also studied. For that, 20 samples of naturally occurring TVT were used, subjected to cytopathological, histopathological and immunohistochemical analysis, and to molecular diagnosis of neoplasia. The increased tissue expression and the correlation among C-MYC, p53, p21 and p27 proteins indicate reduction and/or loss of their functionality in the TVT microenvironment, with consequent apoptotic suppression, maintenance of cell growth and progression of neoplasia.(AU)


O tumor venéreo transmissível canino (TVT) afeta a genitália externa de cães pelo transplante natural de células tumorais viáveis. Assim, esta pesquisa teve como objetivo diagnosticar e caracterizar TVT em padrões morfológicos, identificar a inserção do elemento LINE-1 em gene C-MYC, por meio da reação em cadeia da polimerase (PCR), e avaliar a expressão imuno-histoquímica do C-MYC, p53, p21 e p27. A relação entre C-MYC e as proteínas p53 e a sua interferência na expressão de p21 e p27 foram também estudadas. Para isso, foram utilizadas 20 amostras de ocorrência natural de TVT, submetido a exame citopatológico, histopatológica e imuno-histoquímica e ao diagnóstico molecular de neoplasia. A expressão aumentada do tecido e a correlação entre a C-MYC e as proteínas p53, p21 e p27 indicam redução e/ou perda de funcionalidade na TVT em seu microambiente, com consequente supressão apoptótica, manutenção do crescimento celular e progressão da neoplasia.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Genes myc , Genitália Masculina/patologia , Células Neoplásicas Circulantes/imunologia , Tumores Venéreos Veterinários/diagnóstico , Tumores Venéreos Veterinários/imunologia , Biologia Celular , Forma do Núcleo Celular , Testes Imunológicos/veterinária , Neoplasias/veterinária , Reação em Cadeia da Polimerase/veterinária
4.
Arq. bras. med. vet. zootec. (Online) ; 68(3): 658-666, 2016. graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-338203

Resumo

The canine transmissible venereal tumor (TVT) affects the external genitalia of dogs by the natural transplant of viable tumor cells. Thus, this research aimed to diagnose and characterize TVT morphological patterns, identify the insertion of the LINE-1 element in C-MYC gene, by means of the polymerase chain reaction (PCR), and evaluate the immunohistochemical expression of C-MYC, p53, p21 and p27 proteins. The relationship between C-MYC and p53 proteins and their interference on the expression of p21 and p27 were also studied. For that, 20 samples of naturally occurring TVT were used, subjected to cytopathological, histopathological and immunohistochemical analysis, and to molecular diagnosis of neoplasia. The increased tissue expression and the correlation among C-MYC, p53, p21 and p27 proteins indicate reduction and/or loss of their functionality in the TVT microenvironment, with consequent apoptotic suppression, maintenance of cell growth and progression of neoplasia.(AU)


O tumor venéreo transmissível canino (TVT) afeta a genitália externa de cães pelo transplante natural de células tumorais viáveis. Assim, esta pesquisa teve como objetivo diagnosticar e caracterizar TVT em padrões morfológicos, identificar a inserção do elemento LINE-1 em gene C-MYC, por meio da reação em cadeia da polimerase (PCR), e avaliar a expressão imuno-histoquímica do C-MYC, p53, p21 e p27. A relação entre C-MYC e as proteínas p53 e a sua interferência na expressão de p21 e p27 foram também estudadas. Para isso, foram utilizadas 20 amostras de ocorrência natural de TVT, submetido a exame citopatológico, histopatológica e imuno-histoquímica e ao diagnóstico molecular de neoplasia. A expressão aumentada do tecido e a correlação entre a C-MYC e as proteínas p53, p21 e p27 indicam redução e/ou perda de funcionalidade na TVT em seu microambiente, com consequente supressão apoptótica, manutenção do crescimento celular e progressão da neoplasia.(AU)


Assuntos
Animais , Cães , Tumores Venéreos Veterinários/diagnóstico , Tumores Venéreos Veterinários/imunologia , Genitália Masculina/patologia , Células Neoplásicas Circulantes , Genes myc , Neoplasias/veterinária , Biologia Celular , Reação em Cadeia da Polimerase/veterinária , Forma do Núcleo Celular , Testes Imunológicos/veterinária
5.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 63(6): 1368-1376, 2011. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-1183

Resumo

Confeccionou-se um microarranjo de tecido (TMA) com 146 amostras de lesões prostáticas caninas. Este continha 17,2 por cento de hiperplasia prostática benigna (HPB), 32,4 por cento de atrofia inflamatória proliferativa (PIA), 2,6 por cento de prostatite, 8,6 por cento de focos de neoplasia intraepitelial prostática (PIN), 29,1 por cento de carcinomas e 9,3 por cento de próstatas normais. Cortes histológicos sequenciais foram feitos e utilizados para reação de imunoistoquímica com os anticorpos primários anti-p-53, anti-NOS-2 e anti-GSTP. Avaliou-se de cada core o escore de células marcadas para cada anticorpo utilizado. Os resultados foram tabulados por grupo diagnóstico e submetidos ao teste Tuckey. Os carcinomas prostáticos do cão e a PIA apresentaram maior número de amostras (41) com mais de 75 por cento das células positivas para NOS-2, demonstrando a influência do estresse oxidativo no desenvolvimento dessas lesões. As próstatas normais e as afecções desta glândula, HPB, PIA, PIN, prostatite e carcinoma, expressaram a proteína GSTP-1, o que conferiu proteção ao tecido prostático canino a danos oxidativos. A proteína p53 estava presente em todas as amostras estudadas, incluindo o tecido prostático normal, porém as lesões prostáticas apresentaram maior número de amostras com escores mais elevados de marcação (escores três e quatro), presente em 95 por cento dos focos de PIA e carcinoma. Concluiu-se que o aumento de expressão de óxido nítrico nas lesões prostáticas no cão e a expressão de GSTP-1 podem ter protegido o tecido prostático canino e que a expressão de p53 foi positiva e uniforme nas próstatas normais e com lesões hiperplásicas e displásicas.(AU)


A tissue microarray (TMA) with 149 samples of canine prostatic lesions contained 17.2 percent benign prostatic hyperplasia (BPH), 32.4 percent proliferative inflammatory atrophy (PIA), 2.6 percent prostatitis, 8.6 percent foci prostatic intraepithelial neoplasia (PIN), 29.1 percent carcinomas and 9.3 percent normal prostates. Sequential histological sections were made and used for immunohistochemistry reaction with primary antibodies anti p-53, anti-NOS-2 and anti-GSTP. The score for each antibody employed was evaluated. The results were tabulated by diagnostic group and subjected to Tuckey test. Prostatic carcinomas and PIA had a higher number of samples (41) with over 75 percent of cells positive for NOS-2, demonstrating the influence of oxidative stress in the development of these lesions. The prostates of normal dogs, as well as the disorders of this gland (BPH, PIA, PIN, prostatitis and carcinoma), expressed GSTP-1 protein, which gives protection to the canine prostate tissue against oxidative damage. The p53 protein was present in all samples studied, including normal prostate tissue, but the prostatic lesions had a higher number of samples with higher scores (more than 50 percent of positive cells), in 95 percent of foci of PIA and carcinoma. It was found that an increased expression of NO in prostatic lesions of dogs and that the expression of GSTP-1 can protect the canine prostate tissue, which would contribute to the low frequency of prostate adenocarcinoma in this species. The expression of p53 was positive in all lesions as well as the in normal prostate.(AU)


Assuntos
Animais , Cães/classificação , Ferimentos e Lesões/veterinária , Próstata/anatomia & histologia , Óxido Nítrico , Biomarcadores Farmacológicos , Imuno-Histoquímica/instrumentação
6.
Arq. bras. med. vet. zootec ; 62(3): 596-602, jun. 2010. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-5850

Resumo

Avaliou-se histologicamente a próstata de 30 cães adultos e idosos sexualmente intactos que apresentavam ou não sintomatologia clínica de doença prostática, e verificou-se a incidência de possíveis alterações da glândula. Dentre as alterações encontradas, a hiperplasia prostática benigna constituiu o diagnóstico mais comum, 85,6 por cento (n=24), seguida por prostatite crônica, 64,3 por cento (n=18), displasia do epitélio glandular, 42,8 por cento (n=12), atrofia do epitélio glandular, 39,3 por cento (n=11), infiltrado inflamatório focal, 25 por cento (n=7), dilatação glandular focal, 21,4 por cento (n=6), prostatite aguda, 7,1 por cento (n=2), metaplasia escamosa, 3,6 por cento, (n=1), metástase de neoplasia sistêmica, 3,6 por cento (n=1) e abscesso prostático, 3,6 por cento (n=1). Como em muitos casos os cães são assintomáticos, ressalta-se a importância da realização rotineira de exames clínicos específicos, como o toque retal e a ultrassonografia, para o diagnóstico precoce e o tratamento das afecções prostáticas.(AU)


The prostates of 30 not castrated old dogs with or without clinical symptoms of prostatic disease were histologically evaluated. It was observed the incidence of possible changes in the gland. Among the changes, benign prostatic hyperplasia (BPH) was the most common diagnosis, accounting for 85.6 percent (n=24), followed by chronic prostatitis, 64.3 percent (n=18), dysplasia of the glandular epithelium, 42.8 percent (n=12), atrophy of the glandular epithelium, 39.3 percent (n=11), focal inflammatory infiltrate, 25 percent (n=7), focal glandular dilation, 21.4 percent (n=6), acute prostatitis, 7.1 percent (n=2), squamous metaplasia, 3.6 percent (n=1), metastasis of systemic neoplasia, 3.6 percent (n=1), and prostatic abscess, 3.6 percent (n=1). Because the lack of symptoms in most of dogs with prostatic changes, the specific clinic exams in routine, as rectal palpation and ultrasonography, are very important to early diagnosis and treatment of dogs with prostatic disease.(AU)


Assuntos
Animais , Masculino , Cães , Próstata/anatomia & histologia , Doenças Prostáticas/veterinária , Prevenção de Doenças , Cães , Hiperplasia Prostática/veterinária , Prostatite/veterinária
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA