Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 6 de 6
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Rev. Soc. Bras. Ciênc. Anim. Lab ; 7(1): 33-51, jun. 2019. tab, ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1489778

Resumo

A violência é um grave problema de saúde pública. O desenvolvimento de modelos experimentais para o estudo do comportamento agressivo torna-se altamente relevante. Através da aplicação do Modelo Espontâneo de Agressividade (MEA), observamos que alguns camundongos machos adultos Swiss Webster apresentaram comportamento altamente agressivo, enquanto em outros grupos os animais demonstraram uma interação social harmônica. O objetivo deste estudo foi dar continuidade à investigação da capacidade de respiração celular através da análise dos processos de autofagia e morte celular por apoptose no córtex frontal cerebral de camundongos. O MEA foi estruturado, basicamente, pelo agrupamento de camundongos jovens e o reagrupamento dos mesmos indivíduos na idade adulta. Este reagrupamento promove uma situação de estresse social onde observamos indivíduos altamente agressivos (Agg), subordinados (Sub) e harmônicos (Har). Nossas análises basearam-se na avaliação dos processos de autofagia e apoptose através dos métodos de imunofluorescência por LC3-II e ensaio TUNEL, respectivamente. Na imunofluorescência por autofagia, os animais reagrupados Har e Agg apresentaram aumento moderado da quantidade de células autofágicas em comparação aos NR. Além disso, foi notório que no córtex dos animais Sub, a autofagia ocorreu de forma significativamente mais intensa que nas outras categorias comportamentais. O estresse também promoveu aumento no percentual de células que sofreram apoptose, sendo que este resultado foi mais evidente nos animais Agg. Nosso estudo demonstrou que há uma possível conexão entre a condição de estresse, o metabolismo energético mitocondrial, a influência nos processos de autofagia e apoptose que em conjunto poderia influenciar no comportamento altamente agressivo.


Violence is a serious public health problem. The development of experimental models for the study of aggressive behavior becomes highly relevant. Through the application of the Spontaneous Aggression Model (MEA), we observed that some Swiss Webster male mice presented a highly aggressive behavior, while in other groups the animals showed a harmonic social interaction. The aim of this study was to continue the inves-tigation of the cellular respiration capacity, autophagy and cell death by apoptosis in the cerebral frontal cortex of mice. MEA was structured, basically, by grouping young mice and regrouping the same individuals in adulthood. This regrouping promotes a social stress situation where we observe highly aggressive (Agg), subordinate (Sub) and harmonic (Har) individuals. Our analyzes were based on the evaluation of mitochondrial energy metabolism, quantification of mitochondrial protein expression, autophagy and apoptosis through LC3-II immunofluorescent methods and TUNEL assay, respectively. In immunofluorescence by autophagy, Har and Agg regrouped animals showed a moderate increase in the number of autophagic cells compared to NR. In addition, it was noted that in the sub-cortex, autophagy occurred significantly more strongly than in other behavioral categories. Stress also promoted an increase in the percentage of cells that underwent apoptosis, and this result was more evident in Agg animals. Our study demonstrated that there is a possible connection between stress condition, mitochondrial energy metabolism, influence on autophagy and apoptosis processes that together could influence the highly aggressive behavior.


Assuntos
Animais , Cobaias , Camundongos , Agressão/fisiologia , Animais de Laboratório/fisiologia , Apoptose/fisiologia , Autofagia/fisiologia , Comportamento Animal , Córtex Cerebral/fisiologia , Metabolismo Energético/fisiologia
2.
R. Soc. bras. Ci. Anim. Lab. ; 7(1): 33-51, jun. 2019. tab, ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-22049

Resumo

A violência é um grave problema de saúde pública. O desenvolvimento de modelos experimentais para o estudo do comportamento agressivo torna-se altamente relevante. Através da aplicação do Modelo Espontâneo de Agressividade (MEA), observamos que alguns camundongos machos adultos Swiss Webster apresentaram comportamento altamente agressivo, enquanto em outros grupos os animais demonstraram uma interação social harmônica. O objetivo deste estudo foi dar continuidade à investigação da capacidade de respiração celular através da análise dos processos de autofagia e morte celular por apoptose no córtex frontal cerebral de camundongos. O MEA foi estruturado, basicamente, pelo agrupamento de camundongos jovens e o reagrupamento dos mesmos indivíduos na idade adulta. Este reagrupamento promove uma situação de estresse social onde observamos indivíduos altamente agressivos (Agg), subordinados (Sub) e harmônicos (Har). Nossas análises basearam-se na avaliação dos processos de autofagia e apoptose através dos métodos de imunofluorescência por LC3-II e ensaio TUNEL, respectivamente. Na imunofluorescência por autofagia, os animais reagrupados Har e Agg apresentaram aumento moderado da quantidade de células autofágicas em comparação aos NR. Além disso, foi notório que no córtex dos animais Sub, a autofagia ocorreu de forma significativamente mais intensa que nas outras categorias comportamentais. O estresse também promoveu aumento no percentual de células que sofreram apoptose, sendo que este resultado foi mais evidente nos animais Agg. Nosso estudo demonstrou que há uma possível conexão entre a condição de estresse, o metabolismo energético mitocondrial, a influência nos processos de autofagia e apoptose que em conjunto poderia influenciar no comportamento altamente agressivo.(AU)


Violence is a serious public health problem. The development of experimental models for the study of aggressive behavior becomes highly relevant. Through the application of the Spontaneous Aggression Model (MEA), we observed that some Swiss Webster male mice presented a highly aggressive behavior, while in other groups the animals showed a harmonic social interaction. The aim of this study was to continue the inves-tigation of the cellular respiration capacity, autophagy and cell death by apoptosis in the cerebral frontal cortex of mice. MEA was structured, basically, by grouping young mice and regrouping the same individuals in adulthood. This regrouping promotes a social stress situation where we observe highly aggressive (Agg), subordinate (Sub) and harmonic (Har) individuals. Our analyzes were based on the evaluation of mitochondrial energy metabolism, quantification of mitochondrial protein expression, autophagy and apoptosis through LC3-II immunofluorescent methods and TUNEL assay, respectively. In immunofluorescence by autophagy, Har and Agg regrouped animals showed a moderate increase in the number of autophagic cells compared to NR. In addition, it was noted that in the sub-cortex, autophagy occurred significantly more strongly than in other behavioral categories. Stress also promoted an increase in the percentage of cells that underwent apoptosis, and this result was more evident in Agg animals. Our study demonstrated that there is a possible connection between stress condition, mitochondrial energy metabolism, influence on autophagy and apoptosis processes that together could influence the highly aggressive behavior.(AU)


Assuntos
Animais , Cobaias , Camundongos , Comportamento Animal , Animais de Laboratório/fisiologia , Autofagia/fisiologia , Apoptose/fisiologia , Córtex Cerebral/fisiologia , Metabolismo Energético/fisiologia , Agressão/fisiologia
3.
Rev. Soc. Bras. Ciênc. Anim. Lab ; 5(1): 52-63, jun. 2017. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1489755

Resumo

A violência é um grave problema de saúde pública. Aproximadamente 1.6 milhões de pessoas anualmente são vítimas de atos violentos, levando a óbito. Além de um grande impacto econômico, esse comportamento demonstra um marcante impacto social. A proposta dessa revisão é buscar entender a presença da violência entre seres humanos e buscar translacionar através do desenvolvimento de um modelo experimental a possibilidade de investigar as causas do comportamento agressivo exacerbado em camundongos da linhagem SW-M em biotério. Nosso ponto chave do estudo foi a aplicação do Modelo Espontâneo de Agressividade (MEA), com o qual foi possível selecionar animais altamente agressivos quando reagrupados na idade adulta. Através dessa seleção, foi possível comparar com animais reagrupados nas mesmas condições que apresentaram convívio harmônico. Nosso conjunto de resultados demonstraram que os camundongos altamente agressivos não apresentaram uma adequada adaptação a situação de estresse promovida pelo reagrupamento de indivíduos adultos. Essa má adaptação, sugerimos como perspectiva de estudo estar relacionada a modulação da liberação do Hormônio Liberador de Corticotrofina (CRF), sendo esse, por sua vez, relacionada a expressão de um outro hormônio chamado de leptina. Em conclusão, essa revisão fornece novos dados e busca o embasamento tecnológico/científico para o aprofundamento da investigação do comportamento agressivo, ou violento, na qual o seu surgimento esteja relacionado a presença de fatores estressores.


Violence is a serious public health problem. Approximately 1.6 million people annually are victims of violent acts, leading to death. In addition to a major economic impact, this behavior demonstrates a significant social impact. The purpose of this review is to understand the presence of violence among humans and to translate through the development of an experimental model the possibility of investigating the causes of the aggressive behavior exacerbated in mice of the SW-M lineage in animal facilities. Our key point of the study was the application of the Spontaneous Aggression Model (MEA), with which it was possible to select highly aggressive animals when regrouped in adulthood. Through this selection, it was possible to compare with animals regrouped under the same conditions that showed harmonic interactions. Our set of results demonstrated that the highly aggressive mice did not present an adequate adaptation to the stress situation promoted by the regrouping of adult individuals. This poor adaptation, we suggest as a study perspective is related to the modulation of the release of Corticotropin Releasing Hormone (CRF), which in turn, is related to the expression of another hormone called leptin. In conclusion, this review provides new data and seeks the technological/scientific basis for deepening the investigation of aggressive or violent behavior, in which its emergence is related to the presence of stressors.


Assuntos
Animais , Camundongos , Agressão/psicologia , Estresse Psicológico , Experimentação Animal , Modelos Animais , Violência/psicologia , Animais de Laboratório , Hormônio Liberador da Corticotropina , Leptina
4.
R. Soc. bras. Ci. Anim. Lab. ; 5(1): 52-63, jun. 2017. ilus
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-16763

Resumo

A violência é um grave problema de saúde pública. Aproximadamente 1.6 milhões de pessoas anualmente são vítimas de atos violentos, levando a óbito. Além de um grande impacto econômico, esse comportamento demonstra um marcante impacto social. A proposta dessa revisão é buscar entender a presença da violência entre seres humanos e buscar translacionar através do desenvolvimento de um modelo experimental a possibilidade de investigar as causas do comportamento agressivo exacerbado em camundongos da linhagem SW-M em biotério. Nosso ponto chave do estudo foi a aplicação do Modelo Espontâneo de Agressividade (MEA), com o qual foi possível selecionar animais altamente agressivos quando reagrupados na idade adulta. Através dessa seleção, foi possível comparar com animais reagrupados nas mesmas condições que apresentaram convívio harmônico. Nosso conjunto de resultados demonstraram que os camundongos altamente agressivos não apresentaram uma adequada adaptação a situação de estresse promovida pelo reagrupamento de indivíduos adultos. Essa má adaptação, sugerimos como perspectiva de estudo estar relacionada a modulação da liberação do Hormônio Liberador de Corticotrofina (CRF), sendo esse, por sua vez, relacionada a expressão de um outro hormônio chamado de leptina. Em conclusão, essa revisão fornece novos dados e busca o embasamento tecnológico/científico para o aprofundamento da investigação do comportamento agressivo, ou violento, na qual o seu surgimento esteja relacionado a presença de fatores estressores.(AU)


Violence is a serious public health problem. Approximately 1.6 million people annually are victims of violent acts, leading to death. In addition to a major economic impact, this behavior demonstrates a significant social impact. The purpose of this review is to understand the presence of violence among humans and to translate through the development of an experimental model the possibility of investigating the causes of the aggressive behavior exacerbated in mice of the SW-M lineage in animal facilities. Our key point of the study was the application of the Spontaneous Aggression Model (MEA), with which it was possible to select highly aggressive animals when regrouped in adulthood. Through this selection, it was possible to compare with animals regrouped under the same conditions that showed harmonic interactions. Our set of results demonstrated that the highly aggressive mice did not present an adequate adaptation to the stress situation promoted by the regrouping of adult individuals. This poor adaptation, we suggest as a study perspective is related to the modulation of the release of Corticotropin Releasing Hormone (CRF), which in turn, is related to the expression of another hormone called leptin. In conclusion, this review provides new data and seeks the technological/scientific basis for deepening the investigation of aggressive or violent behavior, in which its emergence is related to the presence of stressors.(AU)


Assuntos
Animais , Camundongos , Modelos Animais , Experimentação Animal , Violência/psicologia , Agressão/psicologia , Estresse Psicológico , Animais de Laboratório , Hormônio Liberador da Corticotropina , Leptina
5.
Rev. Soc. Bras. Ciênc. Anim. Lab ; 4(1): 32-43, 2016. tab, ilus, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: biblio-1489742

Resumo

The mouse of Swiss Webster lineage, widely used in the vivarium, demonstrate a complex and varied repertoire of individual and social behavior. The importance of knowledge of these behaviors can be directly associated with routine handling and increase of animal welfare. When used in experimental animal facilities, the refinement of techniques, use of non-invasive parameters and development of cli¬nical/behavioral models becomes essential to have knowledge of the main physical characteristics, the dynamics of its healthy development and reproductive aspects. We also emphasize that knowledge of the animal model is a basic requirement for any kind of use of such individuals in biomedical assays. Furthermore, it is impor¬tant to recognize and avoid behavioral changes, such as aggression and violence among adult male groups, in order to minimize the emergence of these behaviors that directly compromise the animal welfare, the confiability and reproducibility projects and experiments.


O camundongo da linhagem Swiss Webster (SW), amplamente utilizado em biotérios, apresenta um complexo e variado repertório de comportamentos individuais e sociais. A importância do conhecimento desses comportamentos pode estar diretamente as-sociada a rotina de manipulação e a elevação do bem-estar animal. Ao ser usado em biotérios de experimentação, o refinamento das técnicas, a utilização de parâmetros não invasivos e o desenvolvimento de modelos clínicos/comportamentais torna-se essencial que se tenha conhecimento das principais características físicas, dinâmica de sua evolução saudável e aspectos reprodutivos. Ressaltamos que o conhecimen¬to do modelo animal é um requisito básico para qualquer tipo de utilização desses indivíduos em ensaios biomédicos. Além disso, é importante saber reconhecer e evitar alterações comportamentais, como a agressividade e a violência entre grupos de machos adultos, de forma a minimizar o surgimento desses comportamentos que comprometem diretamente o bem-estar animal, a confiabilidade e a reprodutibilidade dos projetos e experimentos.


Assuntos
Animais , Camundongos , Camundongos , Comportamento Animal , Bem-Estar do Animal , Modelos Animais
6.
R. Soc. bras. Ci. Anim. Lab. ; 4(1): 32-43, 2016. tab, ilus, graf
Artigo em Português | VETINDEX | ID: vti-341219

Resumo

The mouse of Swiss Webster lineage, widely used in the vivarium, demonstrate a complex and varied repertoire of individual and social behavior. The importance of knowledge of these behaviors can be directly associated with routine handling and increase of animal welfare. When used in experimental animal facilities, the refinement of techniques, use of non-invasive parameters and development of cli¬nical/behavioral models becomes essential to have knowledge of the main physical characteristics, the dynamics of its healthy development and reproductive aspects. We also emphasize that knowledge of the animal model is a basic requirement for any kind of use of such individuals in biomedical assays. Furthermore, it is impor¬tant to recognize and avoid behavioral changes, such as aggression and violence among adult male groups, in order to minimize the emergence of these behaviors that directly compromise the animal welfare, the confiability and reproducibility projects and experiments. (AU)


O camundongo da linhagem Swiss Webster (SW), amplamente utilizado em biotérios, apresenta um complexo e variado repertório de comportamentos individuais e sociais. A importância do conhecimento desses comportamentos pode estar diretamente as-sociada a rotina de manipulação e a elevação do bem-estar animal. Ao ser usado em biotérios de experimentação, o refinamento das técnicas, a utilização de parâmetros não invasivos e o desenvolvimento de modelos clínicos/comportamentais torna-se essencial que se tenha conhecimento das principais características físicas, dinâmica de sua evolução saudável e aspectos reprodutivos. Ressaltamos que o conhecimen¬to do modelo animal é um requisito básico para qualquer tipo de utilização desses indivíduos em ensaios biomédicos. Além disso, é importante saber reconhecer e evitar alterações comportamentais, como a agressividade e a violência entre grupos de machos adultos, de forma a minimizar o surgimento desses comportamentos que comprometem diretamente o bem-estar animal, a confiabilidade e a reprodutibilidade dos projetos e experimentos.(AU)


Assuntos
Animais , Camundongos , Camundongos , Comportamento Animal , Bem-Estar do Animal , Modelos Animais
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA