Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 1 de 1
Filtrar
Mais filtros

Base de dados
Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Ci. Rural ; 51(7)2021. tab, ilus
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-31571

Resumo

The purpose of this research was to study the histology and describe the microscopy findings of the epididymis epithelium of greater Rhea americana at three time periods: November 2005 (n=14), December 2006 (n= 20), and May 2007 (n= 20), to observe and compare the differences that occurred. We studied the epididymis from 54 rheas, bred in Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brazil. The epididymis were collected during commercial slaughter and fixed in bouin. Optical microscopy was used to measure the cellular structure, types of cells, tubules, and stereological values like the epididymis epithelium diameters, lumen, thickness, and relative volume of the tissue structure. Additionally, electron microscopy was studied. In December 2006 and May 2007, the means of the epididymis tubular diameter were: 79.1 and 58.1 µm, epithelium thickness: 24.0 and 52.2 µm, and lumen diameter: 55.0 and 5.8 µm, respectively. Regarding the volumetric proportion, we reported the following values: epithelium volume 36.2 and 80.4%, lumen without spermatozoon 19.6 and 3.0%, lumen with spermatozoon 5.4 and 0.0%, interstitium 35.4 and 12.0%, blood vessels 3.5 and 4.6%, structures in cellular superficies 1.4 and 0%, lamina 1.4 and 3.2%, and artifacts 0.3 and 1.3%, respectively. The epididymis ducts had a circular form in transverse sections with spermatozoon only in November 2005 and December 2006. The Rheas epididymis morphology was found to be similar to ostriches, roosters, and Japanese quail. Here, we present data from stereological microscopy (tubular diameter, epithelium thickness, and lumen diameter), volumetric proportion (epithelium, lumen without spermatozoon, lumen with spermatozoon, interstitium, blood vessels, structures in cellular superficies; cilium, estereocilium, and lamina) in this species during the repose and sexual activity period (reproductive season).(AU)


O objetivo desta pesquisa foi estudar a histologia e descrever os achados microscópicos do epitélio epidídimo de ema em três períodos: novembro/2005 (n = 14), dezembro/2006 (n = 20) e maio/2007 (n = 20), para observação e comparação das diferenças que ocorreram nesses tempos distintos. Estudamos o epidídimo de 54 animais, criados em Santa Maria, RS. Durante o abate comercial, os epidídimos foram coletados e fixados em Bouin. A microscopia óptica mede a estrutura celular, tipos de células, túbulos e valores estereológicos, como os diâmetros do epitélio do epidídimo, lúmen, espessura, volume relativo da estrutura do tecido. Em dezembro/2006 e maio/2007, as médias do diâmetro tubular do epidídimo foram: 79,1 e 58,1µm, espessura do epitélio: 24,0 e 52,2µm, diâmetro do lúmen: 55,0 e 5,8µm, respectivamente. Em relação à proporção volumétrica, encontramos os seguintes valores: volume epitelial 36,2 e 80,4%, lúmen sem espermatozoide 19,6 e 3,0%, lúmen com espermatozoide 5,4 e 0,0%, intestínio 35,4 e 12,0%, vasos sanguíneos 3,5 e 4,6%, estruturas celulares superfícies 1,4 e 0%, lâmina 1,4 e 3,2%, artefatos 0,3 e 1,3%, respectivamente. Os ductos do epidídimo apresentaram forma circular em cortes transversais com espermatozoide apenas em novembro/2005 e dezembro/2006. A morfologia do epidídimo de Rhea foi semelhante ao avestruz, galo e codornas japonesas. Apresentamos dados de microscopia estereológica (diâmetro tubular, espessura do epitélio, diâmetro do lúmen), proporção volumétrica, em porcentagem (epitélio, lúmen sem espermatozóide, lúmen com espermatozoide, intestório, vasos sanguíneos, estruturas em superfícies celulares - cílio - estereocílio, lâmina e artefatos) nesta espécie nos períodos de repouso e atividade sexual (estação reprodutiva).(AU)


Assuntos
Animais , Feminino , Reiformes/anormalidades , Reiformes/anatomia & histologia , Epididimo/anatomia & histologia , Aves
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA