Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 2 de 2
Filtrar
Mais filtros

Ano de publicação
Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Arq. Ciênc. Vet. Zool. UNIPAR (Online) ; 25(2): e8810, jul-dez. 2022. tab
Artigo em Português | LILACS, VETINDEX | ID: biblio-1399619

Resumo

Esse estudo seccional, realizado no período 2014-2015, com aplicação de questionários, teve por objetivo conhecer a percepção sobre vertebrados em condição de sinantropia e a opinião sobre controle populacional para a população do município de Niterói, RJ. Dentre os 474 entrevistados, 76,8% aceitavam o controle populacional para ratos, 63,3% para pombos, 40,5% para cães, 33,8% para gatos, 25,5% para morcegos, 16,5% para serpentes e 14,1% para gambás. As serpentes foram os animais mais associados ao medo (59,1%) e risco de agressão (47,7%), pombos (89,2%) e morcegos ao risco de doenças (57,4%), ratos à nojo/repulsa (56,6%), gambás à natureza (73,8%), cães à companhia (79,8%), e gatos à amizade (57,4%). O estudo demonstrou que as relações dos humanos com os animais podem ser complexas, ambíguas e paradoxais, e fornece dados que poderão ser utilizados para políticas públicas de manejo dessas espécies.(AU)


This study (sectional investigation), in the 2014-2015, using questionnaires, aimed to understand the perception of vertebrates in synanthropic conditions and the opinion about their population control for the population of the municipality the Niterói, RJ. Among the 474 people interviewed, 76.8% accepted population control for rats, 63.3% for pigeons, 40.5% for dogs, 33.8% for cats, 25.5 % for bats, 16.5% for snakes and 14.1% for possums. Snakes were the animals most associated with the representation of fear (59.1%) and risk of aggression (47.7%), pigeons (89.2%) and bats with risk of disease (57.4%), rats with disgust and repulsion (56.6%), possums with nature (73.8%), dogs with company (79.8%), and cats with friendship (57.4%). In addition to demonstrating how complex human relations with animals can be ambiguous and paradoxical, this study provides data that can be used for public policies for the management of these species.(AU)


El objetivo de este estudio fue conocer la percepción de los vertebrados en condiciones de sinantropía y la opinión sobre el control poblacional de la población del municipio de Niterói, RJ. Entre los 474 entrevistados, el 76,8% aceptó el control de la población de ratas, el 63,3% de palomas, el 40,5% de perros, el 33,8% de gatos, el 25,5% de murciélagos, el 16,5% de serpientes y el 14,1% de zarigüeyas. Las serpientes fueron los animales más asociados al miedo (59,1%) y al riesgo de agresión (47,7%), las palomas (89,2%) y los murciélagos al riesgo de enfermedad (57,4%), las ratas al asco/repulsión (56,6%), las zarigüeyas a la naturaleza (73,8%), los perros a la compañía (79,8%) y los gatos a la amistad (57,4%). El estudio demostró que las relaciones de los humanos con los animales pueden ser complejas, ambiguas y paradójicas, y aporta datos que podrían utilizarse para las políticas públicas de gestión de estas especies.(AU)


Assuntos
Animais , Simbiose , Inquéritos e Questionários/estatística & dados numéricos , Animais Selvagens , Bioética , Controle da População/estatística & dados numéricos
2.
Artigo em Português | LILACS-Express | VETINDEX | ID: biblio-1432640

Resumo

Esse estudo seccional, realizado no período 2014-2015, com aplicação de questionários, teve por objetivo conhecer a percepção sobre vertebrados em condição de sinantropia e a opinião sobre controle populacional para a população do município de Niterói, RJ. Dentre os 474 entrevistados, 76,8% aceitavam o controle populacional para ratos, 63,3% para pombos, 40,5% para cães, 33,8% para gatos, 25,5% para morcegos, 16,5% para serpentes e 14,1% para gambás. As serpentes foram os animais mais associados ao medo (59,1%) e risco de agressão (47,7%), pombos (89,2%) e morcegos ao risco de doenças (57,4%), ratos à nojo/repulsa (56,6%), gambás à natureza (73,8%), cães à companhia (79,8%), e gatos à amizade (57,4%). O estudo demonstrou que as relações dos humanos com os animais podem ser complexas, ambíguas e paradoxais, e fornece dados que poderão ser utilizados para políticas públicas de manejo dessas espécies.

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA