Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 4 de 4
Filtrar
Mais filtros

Tipo de documento
Intervalo de ano de publicação
1.
Ciênc. rural (Online) ; 47(3): 1-4, 2017. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: biblio-1479897

Resumo

Lowland Tapir ( Tapirus terrestris ) is the second largest South American land mammal. It is strictly herbivorous and its exposure to Toxoplasma gondii should be indicative of environmental contamination by oocysts.In the present study antibodies to T. gondii in 47 Brazilian tapirs maintained ex situ in 10 Brazilian and in one Paraguayan institution were sought in serum samples by the modified agglutination test (MAT ≥25). None of the animals presented clinical signs during the study. From 47 animals 35 (74.5%) were positive with titers of 25 in 8, 50 in 6, 100 in 12, 200 in 5, 400 in 1 and 800 in 3. One animal had samples collected on twice, and 19 were born in captivity. There was no association between occurrence of T. gondii antibodies and gender, and positive animals were reported in all institutions. The high occurrence of seropositive tapirs born ininstitutions (54.3%) confirmed the high exposure of these mammals to T. gondii in captivity. Only two cases ofabortion were reported, but it was not possible to correlate these abortions to T. gondii infection.


A anta brasileira ( Tapirus terrestris ) é o segundo maior mamífero terrestre da América do Sul. É estritamente herbívora e sua exposição ao Toxoplasma gondii indica contaminação ambiental por oocistos. No presente estudo, 47 antas brasileiras mantidas ex-situ, em 10 instituições brasileiras e em uma paraguaia, tiveram amostras de soro avaliadas para a presença de anticorpos para T. gondii pelo Teste de Aglutinação Modificada (MAT ≥25). Dos 47 animais, 35 (74,5%) foram positivos, com títulos de 25 em 8, 50 em 6, 100 em 12, 200 em 5, 400 em 1 e 800 em 3 animais. Um animal teve amostras coletadas em duas ocasiões e, 19 nasceram em cativeiro.Não houve associação entre ocorrência de anticorpos para T. gondii e gênero e, animais positivos foram encontrados em todas as instituições. A alta ocorrência de antas soropositivas nascidas nas instituições (54,3%) confirma a alta exposição desses mamíferos para T. gondii em cativeiro. Apenas dois casos de aborto foram relatados, porém, não foi possível correlacioná-los à infecção pelo T. gondii.


Assuntos
Animais , Anticorpos , Brasil , Paraguai , Perissodáctilos/imunologia , Toxoplasma , Estudos Transversais , Poluição Ambiental
2.
Ci. Rural ; 47(3): 1-4, 2017. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-686977

Resumo

Lowland Tapir ( Tapirus terrestris ) is the second largest South American land mammal. It is strictly herbivorous and its exposure to Toxoplasma gondii should be indicative of environmental contamination by oocysts.In the present study antibodies to T. gondii in 47 Brazilian tapirs maintained ex situ in 10 Brazilian and in one Paraguayan institution were sought in serum samples by the modified agglutination test (MAT ≥25). None of the animals presented clinical signs during the study. From 47 animals 35 (74.5%) were positive with titers of 25 in 8, 50 in 6, 100 in 12, 200 in 5, 400 in 1 and 800 in 3. One animal had samples collected on twice, and 19 were born in captivity. There was no association between occurrence of T. gondii antibodies and gender, and positive animals were reported in all institutions. The high occurrence of seropositive tapirs born ininstitutions (54.3%) confirmed the high exposure of these mammals to T. gondii in captivity. Only two cases ofabortion were reported, but it was not possible to correlate these abortions to T. gondii infection. (AU)


A anta brasileira ( Tapirus terrestris ) é o segundo maior mamífero terrestre da América do Sul. É estritamente herbívora e sua exposição ao Toxoplasma gondii indica contaminação ambiental por oocistos. No presente estudo, 47 antas brasileiras mantidas ex-situ, em 10 instituições brasileiras e em uma paraguaia, tiveram amostras de soro avaliadas para a presença de anticorpos para T. gondii pelo Teste de Aglutinação Modificada (MAT ≥25). Dos 47 animais, 35 (74,5%) foram positivos, com títulos de 25 em 8, 50 em 6, 100 em 12, 200 em 5, 400 em 1 e 800 em 3 animais. Um animal teve amostras coletadas em duas ocasiões e, 19 nasceram em cativeiro.Não houve associação entre ocorrência de anticorpos para T. gondii e gênero e, animais positivos foram encontrados em todas as instituições. A alta ocorrência de antas soropositivas nascidas nas instituições (54,3%) confirma a alta exposição desses mamíferos para T. gondii em cativeiro. Apenas dois casos de aborto foram relatados, porém, não foi possível correlacioná-los à infecção pelo T. gondii. (AU)


Assuntos
Animais , Anticorpos , Toxoplasma , Perissodáctilos/imunologia , Paraguai , Brasil , Poluição Ambiental , Estudos Transversais
3.
R. bras. Parasitol. Vet. ; 25(4): 536-539, Sept.-Dec. 2016. mapas
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-744052

Resumo

Abstract The aim of this study was to determine the presence of antibodies to Neospora caninum and Toxoplasma gondii in serum samples of 187 dogs from 30 rural properties surrounding Córrego do Veado Biological Reserve, Espírito Santo State, Brazil. The Reserve is one of the last lowland Atlantic Forest remnants of the region, surrounded by agriculture farms and cattle pastures. The presence of IgG antibodies was determined by the Indirect Fluorescent Antibody Test for T. gondii (cut-off 1:16) and N. caninum (cut-off 1:50). Positive samples were diluted 2-fold until the last positive dilution. Antibodies to T. gondii were found in 77 (47.05%) dogs and antibodies to N. caninum in 22 dogs (11.76%) and one only dog was positive for both infections. No association between T. gondii and N. caninum infection and sex was observed (p>0.05). Control measures to prevent those infections in dogs that living surrounding the reserve and that had contact with wild animals are important to avoid the introduction of N. caninum in wild animals. This was the first study of frequency of occurrence of T. gondii and N. caninum in dogs from Espírito Santo, Brazil.(AU)


Resumo O objetivo deste estudo foi determinar a presença de anticorpos contra Neospora caninum e Toxoplasma gondii em amostras de soro de 187 cães de 30 propriedades rurais do entorno da Reserva Biológica Córrego do Veado, Espírito Santo, Brasil. A Reserva é um dos últimos remanescentes de Mata Atlântica da região, cercada por fazendas com agricultura e pastagens. A presença de anticorpos IgG foi determinada pela reação de imunofluorescência indireta para T. gondii (ponto de corte de 1:16) e para N. caninum (ponto de corte de 1:50). As amostras positivas foram diluídas na base dois e tituladas. Anticorpos para T. gondii foram encontrados em 77 (47,05%) cães e para N. caninum em 22 (11,76%). Um cão foi positivo para ambas as infecções. Não houve associação entre a infecção pelo T. gondii e N. caninum e o sexo (p>0,05). Medidas de controle, para prevenir essas infecções em cães que vivem no entorno da reserva e com possibilidade de contato com animais selvagens, são importantes para evitar a introdução de N. caninum nos animais selvagens. Este foi o primeiro relato da frequência de anticorpos contra estes coccídios em cães do Espírito Santo, Brasil.(AU)


Assuntos
Animais , Bovinos , Cães , Coccidiose/imunologia , Coccidiose/veterinária , Doenças do Cão/imunologia , Neospora/imunologia , Toxoplasma/imunologia , Toxoplasmose Animal/imunologia , Anticorpos Antiprotozoários/sangue , Brasil , Estudos Soroepidemiológicos
4.
Tese em Português | VETTESES | ID: vtt-486

Resumo

Avaliou-se a saúde de antas-brasileiras (Tapirus terrestris) de dez Instituições brasileiras e uma paraguaia e de indivíduos de populações de duas áreas onde a espécie ainda ocorre no Espírito Santo: Rebio Córrego do Veado e RPPN Recanto das Antas. Em cativeiro 48 animais foram manejados entre novembro de 2010 e junho de 2012 e tiveram amostras de sangue e ectoparasitos coletados. Um animal teve amostras coletadas em novembro de 2010 e outubro de 2011. Os carrapatos foram identificados como Amblyomma cajennense, A. incisum e A. dubitatum. Hematologia e bioquímica sérica de 26 animais foram realizadas. Os valores de hemácias, VG, hemoglobina, VGM, HGM, CHGM, bastonetes, albumina, globulina, proteínas totais, ALT, creatinina, glicose, cálcio, leucócitos, linfócitos, BUN, CK e colesterol diferiram estatisticamente dos dados de uma população de vida-livre do Pontal do Paranapanema e/ou dos valores de referência postulados pelo ISIS. Tais diferenças podem ser resultado da alimentação e ambiente adotados. Dos 47 soros testados com a técnica de soroaglutinação microscópica (SAM - 36 sorovares), um apresentou título para Leptospira interrogans sorovar pomona e um para o sorovar copenhageni. Todos os animais foram negativos para anemia infecciosa equina pela técnica de imunodifusão em gel de ágar (IDGA) e Brucella abortus pela técnica do antígeno acidificado tamponado (AAT). Anticorpos anti-Toxoplasma gondii foram detectados pela técnica de aglutinação modificada (MAT), utilizando taquizoítos inteiros fixados em formalina (MAT?25), em 35 dos 47 animais (74,5%), com títulos 25 em 8 animais, 50 em 6 animais, 100 em 12 animais, 200 em 5 animais, 400 em 1 animal e 800 em 3 animais. Não houve diferença nos valores de ocorrência entre machos e fêmeas (p>0,05). O animal que teve amostras coletadas em duas ocasiões passou de negativo para positivo (título de 50), demonstrando que a infecção ocorreu durante este período. Em todas as Instituições detectou-se animais reagentes ao coccídio, evidenciando a disseminação do parasita. A alta ocorrência de antas soropositivas nascidas em cativeiro demonstra uma grande exposição ao T. gondii nesse ambiente. Em vida-livre, um animal de cada Unidade de Conservação foi avaliado de novembro de 2011 a junho de 2012. Os carrapatos foram identificados como Amblyomma naponense, A. brasiliense, A. incisum e A. oblongoguttatum. Todos os soros foram negativos para Leptospira spp. e anemia infecciosa equina. Um animal apresentou resultado positivo no AAT para Brucella abortus, mas foi negativo no teste confirmatório 2- mercaptoetanol (2-ME), o que pode indicar a infecção por outra espécie de bactéria. Este mesmo animal apresentou título 50 para Toxoplasma gondii. Esta é a maior avaliação de saúde realizada em antas-brasileiras em cativeiro e a primeira avaliação da saúde realizada em populações de vida-livre no Espírito Santo, Brasil. Este trabalho destaca-se por conter os primeiros relatos de positividade no AAT e o primeiro relato de L. interrgogans sorovar copenhageni para a espécie

SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA